domingo, 27 de novembro de 2011

666 E A COROA DO PAPA NÃO PASSA DE FRAUDE


666 E A COROA DO PAPA NÃO PASSA DE FRAUDE

Acredito que poucas pessoas, católicos e evangélicos, não tenham ouvido algum dia dizer que o papa tem uma coroa com a inscrição: VICARIUS FILLI DEI, que traduzido em algarismos romanos daria o número 666, o número da besta do apocalipse. (Apoc 13: 16-18).
Esta tese encontra-se disseminada pelos meios evangélicos há mais de um século, mas foi através dos escritos de Urias Smith que ganhou força. Este líder adventista publicou em 1897 o livro Daniel e o Apocalipse, e nele desenvolve a teoria e cita duas testemunhas que viram a coroa papal com as inscrições. Uma disse que viu numa missa e a outra, no Museu. Ambas as declarações são colocadas em dúvida, pois a tiara com três coroas só era usada em coroações do papa.
Segundo a matéria de onde extraí esta notícia, a lenda da coroa papal com a inscrição, nunca foi defendida oficialmente pela Igreja Adventista do Sétimo Dia, mas encontra-se enraizada entre seus fiéis.
Vários estudos foram feitos, e enviados pesquisadores ao Vaticano para descobrir a tal coroa com a inscrição, e a conclusão que chegaram é que o título existe, ainda que não seja oficial e seja negado pela igreja. A coroa, porém, não foi encontrada até hoje.
Em 1905 o missionário adventista Chas T. Everson conduziu uma investigação completa e ficou desapontado por não encontrar a tal coroa com a inscrição.
O que impressiona neste estudo é o relato de que numa das fotos das coroas, tiradas por Everson, um artista adventista incluiu a inscrição Vicarius Filli Dei, e foi publicada no livro de Urias Smith, Daniel e o Apocalipse. Olha que nem havia photoshop... tinha que ser artista mesmo. Isto é uma fraude. A Conferência Geral Adventista mandou parar a impressão do livro e remover a fotografia fraudulenta.
Acadêmicos adventistas como Samuele Bacchiocci divulgam uma nova interpretação para o número 666, descartando a teoria da inscrição na coroa papal, como simples lenda. Claro que muitos adventistas não aceitam a nova interpretação, mas o estudo apresentado parece confirmar tratar-se mesmo de uma lenda, que nunca foi comprovada, ainda que reste a hipótese de terem sumido com a coroa.
Adventistas negam que a Babilônia é a Igreja Católica: (sorria com a desculpa esfarrapada).
Trata-se de um "acordo de respeito mútuo" assinado pelas lideranças da Igreja Adventista e da Igreja Católica na Polônia (terra natal do Papa João Paulo II). Através deste acordo a Igreja Adventista se compromete a respeitar a Igreja Católica e a Igreja Católica se compromete a não considerar a IASD como uma seita. Quem assinou o acordo foi o presidente da IASD na Polônia (Pr. Wladyslaw Polok) e o Arcebispo Alfons Nossol, diretor da Comissão de Assuntos Ecumênicos. Respeitar a Igreja Católica e não chamá-la de Babilônia é uma tendência mundial na Igreja Adventista que pode ser comprovada com uma simples leitura da lição.
A lição da Escola Sabatina desta semana (20 a 27/05/2000) fala sobre as três mensagens angélicas, mas não diz claramente que Babilônia é Roma e que a Besta do Apocalipse é o poder papal. Os termos "falsos sistemas religiosos" e "falsos sistemas de adoração" são utilizados para designar a Babilônia de Apocalipse 14. O romanismo saiu ileso.

DOMINGO DEIXOU DE SER O SELO DA BESTA

Trecho do livro “Confessions of a Nomad”: “Mas existe uma diferença entre o sábado e o domingo. Você trabalha até o Sábado, então você descansa. O Domingo é o dia que dá a você Força para trabalhar os seis dias a frente. O Sábado é o final da semana; Domingo é o início. O Sábado é de pôr do Sol a pôr do Sol, mas o Domingo é de meia noite a meia noite. O Sábado é um dia de descanso, mas o Domingo é um dia de adoração. Existe uma penalidade, caso você transgrida o Sábado; não existe penalidade para a transgressão do Domingo, exceto pelo fato de que você mesmo perde. O Cristão tira sua força do Domingo. Ele é um tempo de permitir Deus falar para o homem interior. Ele é um tempo quando nós tornamos real a prática a qual diz, com efeito, “Acalmai-vos e sabei que Eu sou Deus”. Os Cristãos tomaram o valor do Sábado Hebreu e adicionaram a ele a grande alegria da ressurreição de Cristo. Nós temos um casamento dos dois na comunidade Cristã. 
O mandamento disse: “Lembra-te do dia de descanso”. Assim, nós vimos juntos como um corpo de Cristo e relembramos o que Deus fez. Este é um sacramento. O estudo da Bíblia e a adoração fazem do Domingo um dia no qual a alma é revigorada, bem como um dia no qual o corpo descansa. Você pode perder uma festa à noite ou uma viagem à praia por observar o Sábado, mas você não perderá o Céu. Sua vida não irá se desintegrar. Depende somente de como você deseja despender seu tempo. Você poderá viver milhares de Domingos em sua vida adulta; como você irá passá-los?  
Thoreau disse que se você deseja destruir a fé Cristã, primeiramente tire o Domingo. Ele estava certo; este é um dia santo. Para aqueles que conhecem a Jesus Cristo como Salvador, este não pode ser um feriado. Para aqueles de vocês que têm se juntado em torno da cruz, e têm sido salvos e lavados pelo Seu sangue, é um sacrilégio fazer qualquer outra coisa naquele dia, exceto celebrar o que Deus fez.  
Se nós abusarmos do Domingo, estamos destruindo algo belo que Deus tem dado. Sem Domingo significa sem igreja; sem igreja significa sem adoração; sem adoração significa sem sociedade; sem sociedade significa sem moralidade; sem moralidade significa sem governo; sem governo significa anarquia. Esta é a escolha que está ante nós.”  
Este livro foi originalmente escrito e editado pela igreja batista. Agora, PASME! ESTE LIVRO FOI RE-EDITADO PELO DEPARTAMENTO MINISTERIAL DA CONFERÊNCIA GERAL DA IGREJA ADVENTISTA DO SÉTIMO DIA. Veja com os seus próprios olhos:


Há cinqüenta anos, adventistas, ao admitirem que os "domingueiros" não estavam em pecado, concluíram que qualquer dia da semana poderia ser guardado. Vejam na matéria a seguir que o Dr. Walter Martin não entrevistou gente miúda, pequenos adventistas, homens comuns da crença. Entrevistou "conceituadíssimos líderes". O livro com essas entrevistas foi exaustivamente revisado por "250 líderes adventistas". Veja bem, a palavra vem da cúpula adventista, de homens que exercem ou exerciam liderança no seio dessa religião. 
Houve realmente um consenso em torno dessa questão. Se há adventistas radicais que discordam dessa importante decisão, precisam primeiramente explicar por que, onde e como aqueles próceres erraram. Ao admitir que os domingueiros não estejam em pecado, admitiram, também, que os adventistas poderiam guardar o domingo. Num e noutro caso não haveria pecado. 
O foco da discussão deveria ser dirigido nessa direção. Por que esses proeminentes adventistas cederam? O que realmente aconteceu no seio adventista? Qual o pensamento predominante no adventismo brasileiro? Vejamos a matéria.
Extraída do Dicionário de Religiões, Crenças e Ocultismo, de George A. Mather & Larry A. Nichols, Vida, 2000, pg.194:
“Entre 1955 e 56, Dr. Walter Martin, um dos grandes apologistas da fé cristã em nossos dias e fundador do Christian Research Institute, EUA, entrevistou conceituadíssimos líderes adventistas em sua associação Geral (o órgão máximo do grupo), naquela época localizada em Takoma Park, Maryland, EUA. O resultado final da entrevista deu origem ao livro Seventh-day adventists answer questions on doctrine (Adventistas do sétimo dia respondem perguntas sobre doutrina), lançado em 1957 pela editora adventista Review and Harald Publishing Association. Antes de ser publicado, o manuscrito de 720 páginas foi revisado por 250 líderes adventistas. Foi destacado o seguinte”:
1.            Sabatismo: a guarda do sábado não propicia salvação; o cristão que observa o domingo não está em pecado; não é cúmplice do papado.
2.            2. Ellen G. White: seus escritos não devem ser colocados em pé de igualdade com a Bíblia; não são de valor universal, mas restritos à IASD.
3.            3. Santíssimo: Cristo entrou no Lugar Santíssimo por ocasião de sua ascensão, e não em 22 de outubro de 1844. Assim, as doutrinas do santuário celestial ser purificado e do juízo investigativo não tinham base bíblica. 
4.            "Houve, contudo, sérias controvérsias no seio da IASD devido ao livro, dando origem a dois movimentos: o tradicional e o evangélico. O primeiro recusava-se a abrir mão das posições acima, pois aceitá-las comprometeria a exclusividade da IASD como o remanescente, a única e verdadeira igreja de Cristo. O segundo advogava os conceitos expressos no Questions on doctrine. Estes não queriam deixar a IASD, apenas queriam uma reforma nas questões teológicas nada ortodoxas. Muitos desses, porém, por pressões internas, deixaram a IASD. Diante de tudo o que foi dito acima, concluiu-se que o adventismo com o qual o Dr. Walter Martin dialogou e aceitou como cristão não é mais o mesmo que presenciamos aqui no Brasil, pois rompeu com tudo aquilo abordado no Questions on Doctrine. Entretanto, não se pode negar que há dentro da IASD aqueles que almejam o retorno às formulações esboçadas e defendidas no Questions on Doctrine". 

LIVRO PUBLICADO EM INSTITUIÇÃO ADVENTISTA DO 7º DIA APRESENTA ÊNFASE NA OBSERVÂNCIA DO DOMINGO

A Associação Ministerial da Conferência Geral da Igreja Adventista do 7º Dia(IASD) (adventista) já distribuiu entre os pastores Adventistas gratuitamente, um livro que faz apologia ao domingo( justamente de um pastor Adventista do 7º Dia). Este pastor é o senhor Will Eva, ele é editor da revista Ministry, e autor do polêmico livro "Confessions of a Nomad". Para o pastor Will Eva da Associação Ministerial da Conferência Geral da Igreja Adventista do 7º Dia, o apóstolo Paulo em Romanos 7:4 quando escreveu: "Assim, meus irmãos, também vós estais mortos para a lei..."  significa que a lei é que está morta, com todos os mandamentos, inclusive o SÁBADO.
"All busy people yearn for a day of rest. God Himself gave His permission, a command even, for a day to all the soul and spirit to be refreshed. This is God’s gift to us. He will take care of us physically and spiritually if we follow His plan. Our systems need the replenishment. Sunday is a special day for this worship and refreshment."—Confessions of a Nomad, page 86. 
Toda pessoa ocupada anseia por um dia de descanso. Deus mesmo deu sua licença, mesmo um mandamento, para um dia que toda a alma e espírito tenha refrigério. Essa é uma dádiva de Deus para nós. Ele tem cuidado de nós fisicamente e espiritualmente se nos seguirmos seus planos. Nosso sistema precisa ser reabastecido. O domingo é o dia especial para adoração e refrigério.
 "If we abuse Sunday, we’re going to destroy something beautiful that God has given. No Sunday means no church; no church means no worship; no worship means no religion; no religion means no morality; no morality means no society; no society means no government; no government means anarchy. That’s the choice before us."—Page 120.
Se nós abusamos do domingo vamos destruir alguma coisa bela que Deus tem dado. Sem domingo significa sem igreja;
sem igreja significa sem adoração; sem adoração significa sem religião; sem religião significa sem moralidade; sem moralidade significa sem sociedade; sem sociedade significa sem governo; sem governo significa anarquia. 
Essa é a escolha perante nós.
"Worship: Real worship is not optional. You do not have to decide each Sunday morning whether or not you’ll worship each Sunday morning; it should be programmed into your life. Good conduct: It’s a time when you should do things that are holy. If you do a little planning, you don’t have to do your shopping on Sunday. There can be time to do things like that on other days. Remember that every day is His. We are not to give Him one day and do as we please the other six."—Page 121.
Adoração: A real adoração não é opcional. Você tem que decidir todo domingo pela manhã se deve ou não adorar; ela deve ser programada na sua vida. Deus instrui: Existe um tempo em que você deve fazer as coisas que são santas. Se você planejar um pouco, você não deverá fazer as suas compras no domingo. Existe tempo para fazer coisas como essa em outros dias. Lembre-se que cada dia é Seu. Nós temos que dar a Ele um dia e fazer as coisas que gostamos em outros seis. IMPORTANTE:  A Conferência Geral da Igreja Adventista do 7º Dia comprou o Copyright desse livro e tornou-se o único Editor autorizado por lei para publicá-lo!
A única explicação para a publicação desse livro, é mostrar às outras organizações protestantes, que a Igreja Adventista do 7º Dia, não mais se opõe aos principais pontos de vista dos protestantes e isso contribuirá para aproximá-la dos Protestantes. (comentários do site).
  "Originally published by Peachtree Publishers, Atlanta, Georgia, in 1983. All copy has been reset and repaginated. Several short portions have been edited to conserve space."—Copyright page.
Originalmente publicado por Peachtree Publishers, Atlanta, Georgia, em 1983. Todo o livro foi repaginado. Algumas partes foram omitidas para ocupar um menor espaço -- Página onde está o Copyright.
The early Christians were obsessed with the fact that they came out of a Jewish background. Yet God did something new and real for them in "the Easter experience, so they would have the Sabbath, arid so they would gather together as the Christian sect on Sunday morning and celebrate the resurrection. - Ibid. p. 118.
Os primeiros cristãos estavam obsecados pela origem judia. Aqui Deus tem uma coisa nova e real para eles, "a páscoa teria o sábado, árido que os une como uma seita Cristã, mas na manhã de domingo se celebra a ressurreição"
But there is a difference between the Sunday and the Sunday. You work until the Sabbath, and then you rest. Sunday is the day that gives you strength to work the six days in front of you. The Sabbath is the end of the week.Sunday is the beginning. The Sabbath is from sundown to sundown, but Sunday is from midnight to midnight. The Sabbath is a day of rest, but Sunday is a day of worship. The Sabbath has a penally to it. If you break it. Sundayhuts no penally, except that you shortchange yourself. Ibid. p. 118.
Mas existe uma diferença entre o sábado e o domingo. Você trabalha antes do sábado e então descansa. O domingo lhe dá força para trabalhar os 6 dias da semana que você tem pela frente.
O sábado é o fim da semana. O domingo é o começo. O sábado é de por do sol a por do sol, mas o domingo é de meia noite a meia noite. O sábado é o dia para descanso, mas o domingo é dia para louvor. O sábado tem uma penalidade se você quebrar ele. O domingo não tem penalidade, exceto se você limitar a si mesmo.
The Christian draws his strength from Sunday. Its a time to let God talk to the inner man. Its a time when we make real that practice which says, in effect. "Be still and know that I am God". The Christians took the value of the Hebrew Sabbath and added to it the great joy of the Christian resurrection. We have a marriage of the two in the Christian community. Ibid. p. 118
O Cristão recupera a força no domingo. É um tempo para deixar Deus falar com o homem interior.
Eu um tempo quando nós tornamos real a prática que efetivamente diz.......???  O Cristão tirou o valor do sábado judeu e adicionou o grande gozo da ressurreição. Nós temos o casamento dos dois na comunidade cristã.
The commandment said, "Remember the Sabbath Day". So weak come together as a body of Christ and remember what God has done. It's a Sacramento worship and Bible study make Sunday a date when the soul is rekindled, as well as a date when the body is rested. - Ibid. p. 118.
O Mandamento diz, "Lembra-te do Dia do Sábado" Então nós chegamos junto como o corpo de Cristo e lembramos o que Deus tem feito. É uma adoração do Sacramento e estudo da Bíblia fazer o domingo a data quando a alma ... bem como a data que o corpo descansou.
Be aware of your witness. What about your neighbor? Can he set his clock by the fact that your car pulls out of the driveway at a certain time on Sunday morning, and you're on your way to the worship of God? Don't forget the power of the witness; no man lives to himself, or dies to himself. - Ibid. p. 121.
Esteja ciente do seu testemunho. O que dirá o seu vizinho? Ele pode acertar o seu relógio, quando você tira o carro da garagem numa certa hora do domingo pela manhã e que você está indo para adorar a Deus ?  Não se esqueça do poder do testemunho, Nenhum homem vive por sí mesmo, ou morre para si Por aí se percebe como está a situação no meio adventista do 7º dia sobre essa questão.
O própria pessoa de Ennis Meier esteve com esse livro na mão dentro da loja ABC da associação Potomac, menos de 1 milha da Conferência Geral em Washington DC.
E recorda-se de ter constatado que a impressora  era a "Pacific Press". 
mesmo. Até aqui a citação do livro.
A Associação Ministerial  da Igreja Adventista do 7º Dia distribuia gratuitamente esse livro para todos os pastores Adventistas nos USA. (a Associação Ministerial foi quem negociou com o pastor batista os direitos autorais). Por dois anos a Associação Ministerial da IASD resistiu as críticas da Internet, porém,  finalmente decidiu retirar das lojas de livros adventistas.
Alguém descobriu que continuavam imprimindo o livro na Pacific Press.
A Associação Ministerial da IASD, inquirida a respeito, respondeu que agora estavam vendendo para as igrejas Batistas.
Ora vejamos, a casa editora Adventista(do 7º Dia), construida com dízimos e ofertas, imprimindo livro devocional que divulga o domingo como dia de guarda e vendendo para as igrejas Batistas !Haveria algo mais contraditório?! Esse livro estava sendo vendido dentro do recinto da Conferência Geral da IASD de Toronto, no Canadá.
Extraído do Dicionário de Religiões, Crenças e Ocultismo, de George A. Mather & Larry A. Nichols, Vida, 2000, pg.194 http://palavradaverdade.com/print2.php?codigo=1578










quinta-feira, 24 de novembro de 2011

JEOVÁ É O ESPÍRITO SANTO?


JEOVÁ É O ESPÍRITO SANTO?

Existem várias teorias em ralação a Jeová, Jesus Cristo e o Espírito Santo, relacionadas à sua Divindade, são estas:
1.            UNCISMO – É a teologia que ensina a teoria que Jeová, Jesus Cristo e o Espírito Santo são a mesma pessoa, ou seja, nenhum dos três é uma pessoa independente.
Neste caso vou fazer quatro questionamentos e você deve respondê-los a si mesmo, mas eu te dou um conselho: Responda de forma honesta e jamais tendenciosa.
a)            Quando Jesus falou: Pai graças te dou, Ele estava falando com alguma pessoa ou estava falando consigo mesmo?
b)            Quando Jesus falou: O Pai é maior que eu, Ele estava falando de alguma pessoa ou estava falando de si mesmo?
c)            Quando Jesus falou: Quando eu for enviarei outro consolador, Ele estava falando de alguma pessoa ou estava falando de si mesmo?
d)            O Espírito gerou a Cristo, ou Cristo gerou a si mesmo?
Poderiam ser usadas centenas de texto, mas, estes são mais que suficientes para mostrar que a teoria do unicismo é satânica.
2.            DEÍSMO - É a teologia que ensina a teoria que Jeová é o Deus Todo-Poderoso e Jesus Cristo é o Deus apenas poderoso, ou seja, um Deus dando origem a outro Deus, e o Espírito Santo é apenas uma força (energia) que sai de Jeová para Jesus e de Jesus para seus seguidores.

VEREMOS ALGUNS DADOS ESCRITURÍSTICOS EM CHECAGEM AO DEÍSMO E UNICISMO:

Um dos argumentos usados pelos deístas e unicístas para negarem o Espírito Santo como pessoa e com personalidade própria, afirmam que Ele é apenas a glória de Jeová, portanto, sendo glória, Ele não é uma pessoa porque emana de Jeová.
Se eles estão corretos, sendo assim Jesus também não é uma pessoa por ser Ele a glória de Jeová. A glória do SENHOR (Jesus Cristo) será revelada, e, juntos, todos a verão. “Pois é o SENHOR quem fala”. Is. 40: 5.
Eu sou o SENHOR; este é o meu nome”! “Não darei a outro a minha glória nem a imagens o meu louvor”. Is. 40: 8.
Jeová prometeu que jamais daria sua glória (direito de ser adorado, cultuado, louvado) a outra pessoa, neste caso estaria incluído Jesus?
E o louvor relacionado à adoração Ele não permite que seja dado às imagens e muito menos a outra criatura.
Jeová fala em pessoas e imagens, não é somente com referência a imagens como alguns pensam.
Sendo assim, não teria como Jeová nos conceder o Espírito Santo e muito menos Jesus por ser os mesmos a glória de Jeová embora não exista nenhuma texto dentro das Sagradas Escrituras autorizando a adoração ao Espírito Santo.

OS SEGUINTES TEXTOS IDENTIFICAM JEOVÁ, JESUS CRISTO E O ESPÍRITO COMO PESSOAS DISTINTAS:

Neste caso, a glória de Jeová é o resplendor de luz e santidade que o rodeia. - Tal como a aparência do arco-íris nas nuvens de um dia chuvoso, assim era o resplendor ao seu redor. Essa era a aparência da figura da glória do SENHOR. Quando a vi, prostrei-me, rosto em terra, e ouvi a voz de alguém falando. Ez. 1: 28. –
Aqui a glória de Jeová é Jesus Cristo. - Então me levantei e fui para a planície. E lá estava a glória do SENHOR, glória como a que eu tinha visto junto ao rio Quebar. Ez. 3: 23. –
Glória vista aqui é a do único Deus revelado aos profetas e patriarcas. - E ali, diante de mim, estava a glória do Deus de Israel, como na visão que eu havia tido na planície. Ez. 8: 4. –
Como podemos observar, são citadas três pessoas distintas e o título Deus é usado apenas uma única vez e com referência ao Deus de Israel e jamais a três pessoas. - E a glória do Deus (JESUS CRISTO) de Israel levantou-se de cima do querubim, onde havia estado, e se moveu para a entrada do templo. E o SENHOR (JEOVÁ DEUS) chamou o homem vestido de linho (ESPÍRITO SANTO) e que tinha o estojo de escrevente à cintura. Ez. 9: 3. –
Jesus Cristo é a glória de Jeová e é uma pessoa, não nos moldes humanos, sendo assim, porque o Espírito Santo não pode também ser uma pessoa? Só porque Ele é glória de Jeová? Porque você usa dois pesos e duas medidas? A verdade é ou deixa de ser. - Então a glória do SENHOR (JESUS CRISTO) levantou-se de cima dos querubins e moveu-se para a entrada do templo. A nuvem encheu o templo, e o pátio foi tomado pelo resplendor da glória do SENHOR (JESUS CRISTO). Ez. 10: 4.
Quando o SENHOR (JEOVÁ) ordenou ao homem vestido de linho (ESPÍRITO SANTO): "Apanhe fogo do meio das rodas, do meio dos querubins", o homem (ESPÍRITO SANTO) foi e colocou-se ao lado de uma roda. No meio do fogo que estava entre os querubins um deles (um dos dois, JEOVÁ ou JESUS) estendeu a mão, apanhou algumas brasas e as colocou nas mãos do homem vestido de linho (ESPÍRITO SANTO), que as recebeu (só recebe e pega quem tem mãos e para ter mãos tem que ser uma pessoa) e saiu (para sair por si mesmo é necessário ter como se locomover e isto é impossível para quem não é um ser). Ez. 10: 6,7.
Jesus é a glória de Jeová. - E a glória do SENHOR (JESUS) afastou-se da entrada do templo e parou sobre os querubins. Ez. 10: 18.
Enquanto eu observava, os querubins estenderam as asas e se ergueram do chão, e as rodas foram com eles. Eles pararam à entrada da porta oriental do templo do SENHOR, e a glória do Deus (JESUS E O ESPÍRITO SANTO) de Israel estava sobre eles. Como podemos observar, somente Jeová é identificado como Deus nesta visão e Cristo e o Espírito Santo são identificados como sendo a gloria de Deus. Deus é um em todos os sentidos da palavras, mas Deus outorgou este título a Seu Filho e ordenou que fosse adorado o que é diferente do Pai que não teve princípio e não foi instituído como Deus, Satanás quis usurpar este título e é isso que o caracteriza como um falso deus. Ez. 10: 19.
Então os querubins, com as rodas ao lado, estenderam as asas, e a glória do Deus (JESUS E O ESPÍRITO SANTO) de Israel estava sobre eles. Ez. 11: 22.
A glória do SENHOR (JESUS CRISTO) se levantou da cidade e parou sobre o monte que fica a leste dela. Ez. 11: 23.
E vi a glória do Deus (JESUS) de Israel, que vinha do lado leste. Sua voz era como o rugido (com poder e autoridade suprema) de águas avançando, e a terra refulgia com a sua glória. Ez. 43: 2.
A glória do SENHOR (JESUS) entrou no templo pela porta que dava para o lado leste. Então o Espírito pôs-me (ação de uma pessoa com a outra) em pé e levou-me (ação de uma pessoa com a outra) para dentro do pátio interno, e a glória do SENHOR (CRISTO) encheu o templo. Enquanto o homem (ESPÍRITO SANTO) estava ao meu lado, ouvi alguém (CRISTO) falando comigo de dentro do templo. Ez. 43: 4 - 6.
Então o homem (ESPÍRITO SANTO) levou-me (ação de uma pessoa para com outra) até a frente do templo, passando pela porta norte. Olhei e vi a glória do SENHOR (JESUS CRISTO) enchendo o templo do SENHOR (JEOVÁ), e prostrei-me, rosto em terra. Ez. 44: 4. – Para quem crer na Palavra de Deus, aqui estão algumas provas de três pessoas em ação.
Mas a terra se encherá do conhecimento da glória do SENHOR (JESUS), como as águas enchem o mar. Hab. 2: 14.
Deus (JEOVÁ) veio de Temã, o Santo veio do monte Parã. Sua glória (fama, poder, luz, autoridade, Divindade, Salvador, Criador...) cobriu os céus e seu louvor (Deus canta) encheu a terra. Hab. 3: 4.
Portanto, alegar que os três são a mesma pessoa ou que o Espírito Santo não o é, é deturpar as Sagradas Escrituras.
3.            TRINDADE: É a teologia pagã que ensina a teoria que trindade é cristã, quem a trouxe para o cristianismo foi Roma papal e posteriormente adotado pelos protestantes, sua composição é:
a)            O pai que é Baal, hoje substituído por Jeová.
b)            O filho que é Talmuz, hoje substituído por Jesus.
c)          A mãe que tinha vários nomes dependendo da localização geográfica e hoje substituída pelo Espírito Santo e disfarçadamente pela mãe de Deus.
      Jamais, em hipótese alguma devemos procurar conhecer a verdade a partir do que o paganismo ensina, para toda as situações bíblicas o paganismo criou teorias paralelas, e desta forma muitos tem se maculado com suas doutrinas satânicas e outros ficaram confusos porque tentaram conhecer a Deus e Sua Palavra tomando por base o paganismo.

AS SAGRADAS ESCRITURAS E A DIVINDADE


a)            Eles usam a natureza para entender a Divindade e jamais a espiritualidade.
b)            Para eles as provas Bíblicas da  personalidade do Espírito Santo lhes são loucuras.
c)            A verdadeira Divindade só a conhece por meio da inteligência espiritual, e isto, só as tem que a busca de coração aberto para aceitar a revelação de Deus e jamais em defesa do que crer.
Só entende as coisas do Espirito de Deus e jamais do Espírito Deus quem não é natural. Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. I Co. 2: 14.
Para negarem a personalidade do Espírito Santo como pessoa, é afirmado que a palavra "ESPÍRITO" no original quer dizer: AR, VENTO. Sendo assim, para sermos honestos devemos crer que Jeová não é uma pessoa porque Ele é espírito. Ora, o Senhor é o Espírito e, onde está o Espírito do Senhor, ali há liberdade. II Co. 3: 17. NVI.
Ora, o Senhor é Espírito; e onde está o Espírito do Senhor, aí há liberdade. II Co. 2: 14. ACRF.
Sendo o SENHOR (JEOVÁ) ESPÍRITO, isto me causou uma boa reflexão para poder entender o sentido do texto sem o focar ao que creio ou deixo de crer, como fazem muitos cristãos de forma tendenciosa para firmar seus pontos de vistas e este não é o meu propósito, e sim, seguir o que é correto fundamentado na Palavra do Eterno.
     O SENHOR É ESPÍRITO – Esta afirmação contundente da Palavra de Deus nos ensina que o Senhor “Jeová” não tem um corpo igual ao nosso de osso e carne, ele tem sim, um corpo formado de matéria totalmente diferente do nosso e desconhecido, ou seja, embora tenha corpo semelhante ao nosso por termos sido formado a Sua semelhança não tem a mesma matéria e substância, desta forma ele pode entrar e sair em qualquer lugar que esteja inacessível ao corpo humano, bem como atravessar uma parede, entrar no coração “parte frontal do cérebro” do ser humano e mover-se no universo a velocidade desconhecida acima da luz o que é impossível ao ser humano.
Tomando emprestado um pouco à teoria dos que não aceitam a Personalidade do Espírito Santo como pessoa, na qual eles ensinam que o Espírito Santo não é uma pessoa porque no original a palavra “espírito” significa: Ar, vento ou sopro. Sendo assim para eles serem no mínimo honestos e coerentes eles teriam que aceitar e crer em um Senhor “Deus” que não é uma pessoa, e sim, apenas vento, ar ou sopro, porque a mesma Palavra que designa Espírito (ar, vento, sopro) Santo é a mesma que designa a Jeová “Senhor” como sendo Espírito (ar, vento, sopro), se eles não aceitam desta forma é porque falta no mínimo honestidade, inteligência e sabedoria. Se eles estão em contradição estão mentindo acerca do Espírito Santo e isto é muito perigoso. Portanto vos digo: Todo pecado e blasfêmia se perdoará aos homens; mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada.
Se alguém disser alguma palavra contra o Filho do homem, isso lhe será perdoado; mas se alguém falar contra o Espírito Santo, não lhe será perdoado, nem neste mundo, nem no vindouro. Mt. 12: 31, 32.
Blasfemar é falar algo que venha denegrir a personalidade ou o caráter, forçar uma teoria contrária e deixar a pessoa como falsa ou mentirosa.
O nome não é simples rótulo, mas é representativo da verdadeira personalidade daquele a quem pertence. O próprio Deus explicou o significado de seu nome ao seu fiel servo Moisés. Quando este perguntou a respeito do nome de Deus, Jeová respondeu: Mostrarei ser o que eu mostrar ser. (Êxodo 3: 14). A tradução de Rotherham (em inglês) traduz assim essas palavras: Eu Me Tornarei o que quer que seja do meu agrado. Outras foram traduzidas por: Eu Sou o que Sou. Assim, quem usa o nome Jeová por direito e jamais por usurpação, pode tornar-se o que for necessário para cumprir seus propósitos, ser adorado, cultuado e louvado.
Quando é usado o termo Espírito do Senhor “Jeová” está a Palavra de Deus afirmando que o Espírito Santo é uma pessoa tanto quanto Jeová, e se lermos os textos anteriores é comprovado que o termo “Senhor - Jeová” está sendo aplicado exclusivamente ao Espírito Santo e jamais a Cristo ou ao Próprio Jeová, isto demonstra três ocorrências:
a) Que Jeová é Deus que se revela como Ele é. Eu Me Tornarei o que quer que seja do meu agrado. Êx. 3: 14.
b) Que Jesus Cristo é Deus que se revela como Ele é. Jo. 8: 58. O Salvador, que é Cristo, o Senhor (Jeová). Lc. 2: 11.
c) Que o Espírito Santo é uma pessoa que se revela como Ele é. Ora, o Senhor (JEOVÁ) é o Espírito; e onde está o Espírito do Senhor (ESPÍRITO SANTO) aí há liberdade. Como pelo Espírito do Senhor (JEOVÁ). II Co. 3: 18.
Este texto não está afirmando que Jeová Deus e o Espírito Santo são a mesma pessoa, e sim, que o nome afirma quem é e a Sua personalidade..
Deus é espírito, ou seja, não nos convém saber de que matéria seu corpo é composto, mas, quem o ama e quer está perto dEle deve está consciente na adoração que deve ser feita em espírito, neste caso é sabedoria. Temos que ter o conhecimento que a palavra “Deus” não identifica quem seja a pessoa, apenas denota quem deve ser adorado, pois é apenas um título Divino do Ser a quem devamos nos prostrar em adoração e cultuação, para que não adoremos a pessoa errada, a mesma Palavra informa os nomes pessoais de quem deve ser adorado. Deus é Espírito, e é necessário que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade. Jo. 4: 24.
 Jesus Cristo foi gerado pelo Espírito Santo ou, Ele mesmo se gerou no ventre de Maria? Se Ele auto gerou-se os deístas e unicistas estão corretos em afirmar que o Senhor Jesus e o Espírito Santo são a mesma pessoa, como o Espírito Santo gerou Cristo tanto os deístas e unicistas estão errados em afirmar que os dois são a mesma pessoa. Ela se achou ter concebido do Espírito Santo. Mt. 1: 18.
  A Palavra do Eterno que não pode mentir, afirma de forma categórica que Jesus Cristo foi gerado pelo Espírito Santo, ou seja, um ser de forma misteriosa fez o milagre de transforma outro ser em um embrião que se desenvolveria e nasceria para salvar o ser humano, sendo assim, o Espírito Santo tanto quanto o Senhor Jesus são dois seres e jamais a mesma pessoa.  Porque o que nela está gerado é do Espírito Santo. Mt. 1: 20.
Enquanto o embrião se desenvolvia no ventre de Maria, o Espírito Santo visitou Simeão e revelou a ele que o mesmo não morreria sem antes ver o Messias; se usarmos a teoria dos unicistas e dos deistas teríamos que admitir uma das seguintes teorias:
a)            Que Jesus saiu do ventre de Maria para falar com Simeão.
b)            Que o Espírito de um embrião falou com Simeão.
Como pode ser analisado de forma honesta e espiritual, vemos que nenhuma das duas ideias coadunasse com o relato das Sagradas Escrituras. Outra revelação neste texto é que Cristo é do Senhor (Jeová), ou seja, sendo Cristo do Senhor (Jeová) denota que, pois, o que quem gerou a Cristo foi o Espírito Santo e jamais a pessoa de quem eles afirmam que o Espírito é o sopro dEle. E fora-lhe revelado, pelo Espírito Santo, que ele não morreria antes de ter visto o Cristo do Senhor. Lc. 2: 26.
O Espírito Santo conduziu a Simão para o templo ou, o espírito de Cristo saiu dele enquanto criança e foi ao encontro de Simão? Como podemos observar não existe nenhuma coerência para a afirmação dos deistas e unicistas. Este texto mostra um ser criança e outro adulto em ação se assim podemos nos expressar, para prover o encontro de duas pessoas, sendo: O encontro seria entre Simeão e uma criança recém nascida organizado pelo Espírito Santo. Neste texto não fica nenhuma margem para a especulação de que Jesus Cristo e o Espírito Santo são a mesma pessoa. E pelo Espírito foi ao templo e, quando os pais trouxeram o menino Jesus. Lc. 2: 27.
O que vai ser ainda não é, ou seja, a criança gerada pelo Espírito Santo depois que nascesse seria chamado filho do Altíssimo porque O mesmo fora no passado da eternidade, sendo assim, quando Ellen White, os deistas e unicistas afirmam que o Senhor Jesus antes de nascer de Maria Ele era filho de Deus sem principio estão ensinando falsa doutrina e classificando a Palavra do Eterno de mentira. E será chamado filho do Altíssimo...  Por isso também o Santo, que de ti há de nascer, será chamado Filho de Deus. Lc. 1: 32, 35.
O Espírito Santo desceu sobre Maria para realizar o grande milagre da geração de Cristo em seu ventre ou, Cristo desceu sobre Maria e gerou a si mesmo? Nova prova de que os dois são seres individuais. Descerá sobre ti o Espírito Santo. Lc. 1: 35.
Assim sendo o Espírito Santo é o outro Consolador igual aquele que falou, isto é, com os mesmos propósitos de Jesus. Sim, você quer saber como o Espírito Santo vai operar com a incumbência de ser o Consolador?  De igual modo que Cristo consolou muitos em toda a extensão do Seu ministério.
O intento não é demonstrar o significado do vocábulo traduzido “Consolador.”  Mas sim, sentir um pouco mais a ternura da consolação que vem do Espírito Santo, consolação que é um substantivo composto, de uma preposição significando “ao lado de” com raízes no verbo “chamar/convidar”.   O Espírito Santo é aquele que se posiciona ao lado do suplicante como Jesus veio ao lado de Maria, Pedro, Marta e outros.  Que bênção saber desta promessa! E lembrar que há dois, pois o Espírito Santo e Jesus, (outro) ambos são os nossos Consoladores na hora “H” de nossas vidas. Cristo ao pedir ao Pai outro consolador, Ele “Cristo” estava pedindo a Si mesmo para mandar a Si mesmo como outro consolador? E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador. Jo. 14: 16.
Sendo que, o Espírito Santo seria enviado mostra que O mesmo não é o próprio Cristo como afirmam os deistas e uncistas; este ser vinha para representar o nome de Cristo ou, Cristo seria enviado para representar Seu próprio nome?  O Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome... Jo. 14: 26.
Jesus Cristo ficou três anos e meio ensinando e deixando seus ensinamentos embora não ensinou tudo por ter tido o tempo resumido, mas, o Espírito Santo veio para ensinar tudo que os filhos de Deus devem conhecer. Esse vos ensinará todas as coisas... Jo. 14: 26.
O Espírito Santo traria a lembrança tudo o que Jesus Cristo havia ensinado. E vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito. Jo. 14: 26.
Se o consolador ainda vinha para está com os seguidores de Jesus, é porque o mesmo ainda não estava com eles, ou seja, se os dois são a mesma pessoa já estaria com eles e não precisaria Cristo subir para poder o Espírito Santo vir.  Discípulos Mas, quando vier o Consolador...  Jo. 15: 26.
O Senhor Jesus enviou um ser da parte do Pai ou enviou a si mesmo ou, enviou o Pai? Que eu da parte do Pai vos hei de enviar... Jo. 15: 26.
Surge o seguinte questionamento: Quem seria o Pai de Jesus Cristo? Usando nossos conhecimentos humanos chegamos à seguinte conclusão – o Espírito Santo ao gerar a Cristo Ele tornou-se o pai de origem humana e ao Cristo ser batizado Jeová tornou-se o Pai espiritual de Cristo ao ungi-lo com o Espírito Eterno.
Aquele (uma pessoa de personalidade própria) Espírito de verdade... Jo. 15: 26.
Quem afirma que o Espírito Santo não é um ser e sim algo que saiu de Jeová como força ‘energia’, deveria também aceitar que Jesus Cristo não é um ser porque procedeu do mesmo Jeová. Tanto Jesus Cristo quanto o Espírito emanaram (procederam – provieram) de Jeová. Que procede do Pai... Jo. 15: 26.
É impossível o Espírito Santo e Cristo serem a mesma pessoa, um veio dá testemunho do outro; ou você crer que o Senhor Jesus voltou depois de subir ao céu para dá testemunho de si mesmo? Ele testificará de mim. Jo. 15: 26.
Todavia digo-vos a verdade, que vos convém que eu vá; porque, se eu não for, o Consolador não virá a vós; mas, quando eu for, vo-lo enviarei.  E, quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça e do juízo. Jo. 16: 7, 8.
Podemos tirar várias declarações do texto anterior:
I.                O Senhor Jesus Cristo falou a mais pura verdade.
II.                Que Ele teria que ir embora para poder o Espírito Santo vir e assumir Seu trabalho com o ser humano.
III.                Se Ele não voltasse para o céu o Espírito Santo não vinha.
IV.                Que ao chegar ao céu Ele enviaria o Espírito Santo.
V.                Que o Espírito Santo ao chegar convenceria o mundo e não a igreja de Deus do pecado, do juízo e da justiça.
VI.                Isto prova que os dois não são a mesma pessoa.
Mas, quando vier aquele Espírito de verdade, ele vos guiará em toda a verdade; porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir. Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu, e vo-lo há de anunciar. Jo. 16: 13,14.
Outras declarações são fundamentais neste texto a serem observadas e analisadas:
I.                Quando o Espírito Santo chegasse, Ele guiaria a igreja de Deus em toda a verdade.
II.                Ele não falaria de Si mesmo e sim de tudo o que Ele ouviu de Jesus Cristo.
III.                Que O mesmo anunciaria o que haveria de vir no futuro.
IV.                Ele glorificaria a Cristo.
V.                Recebeu tudo do próprio Cristo.
VI.                Isto prova que são dois seres.
Várias pessoas usam este texto para afirmar que o Espírito Santo é o sopro de Cristo, mas, após Jesus soprar sobre os discípulos e dizer: Recebei o Espírito Santo. Os discípulos só o receberam no pentecostes, a atitude de Cristo foi para mostrar a eles que o Espírito não pode ser controlado por pessoas da mesma forma que um sopro, o Senhor Jesus jamais soprou sobre eles o Espírito Santo, Ele soprou e afirmou: Recebeis, mas, o sopro não era o Espírito Santo. E, havendo dito isto, assoprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo. Jo. 16: 22.
É tão verdade que o Senhor Jesus afirmou que eles só receberiam o benefício (virtude) do Espírito Santo no futuro próximo, e esta profecia realizou-se na festa de pentecostes cinqüenta dias após sua morte. Sendo assim, o sopro do Senhor Jesus não era o Espírito Santo, caso contrário O mesmo seria a respiração do Messias.  Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós... At. 1: 8.
Ananias mentiu ao Espírito Santo de forma direta. Mentisses ao Espírito Santo... At. 5: 3.
Ao mentir ao Espírito Santo ele não mentiu a homens e muito menos para algum anjo, e sim, ao próprio Deus porque o Espírito representa o próprio Deus. Não mentiste aos homens, mas a Deus. At. 5: 4.
Mas Deus no-las revelou pelo seu Espírito; porque o Espírito penetra todas as coisas, ainda as profundezas de Deus. I Co. 2: 10.
a)            Mas Deus – Tem que ser entendido que Deus não é a pessoa, e sim, o título de quem deve ser adorado, quando a Palavra do Eterno fala de uma pessoa que deve ser adorado é revelado o nome junto ao título “Deus”.
b)            Pelo seu Espírito - Não está afirmando que seja algo que sai de dentro de Jeová ou do Cristo, da mesma forma a Mesma Palavra afirma com referência a Jeová “do Seu Cristo”: Estaria esta afirmação ensinando que Jesus Cristo saiu de dentro ou é parte de Jeová?
c)            O Espírito penetra todas as coisas, ainda as profundezas de Deus. – Nenhum ser do universo tem a capacidade de saber o que há nos pensamentos da Divindade a não ser o Espírito Santo, ou seja, algum ser do universo só poderá saber algo que está na Memória da Divindade se Ele o revelar, e o Espírito Santo conhece os pensamentos da Divindade sem ser comunicado de forma verbal porque é autorizado por Deus.
Neste caso é com referência a capacidade de pensar do ser humano, o que torna impossível outro ser conhecer se não o for falado, serve esta revelação a todos os seres do universo menos a Deus que o conhece mesmo antes de vir ao pensar. Senão o espírito do homem. I Co. 2: 11.
 Nenhum ser humano tem a capacidade de conhecer os pensamentos da Divindade, somente o Espírito da Divindade “Deus” é que tem esta capacidade. Assim também ninguém sabe as coisas de Deus, senão o Espírito de Deus. I Co. 2: 11.
Somos o templo de Deus Espírito Santo. Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós? Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá; porque o templo de Deus, que sois vós, é santo. I Co. 3: 1, 17.
I.                “Deus” falou toda estas palavras. Êx. 20: 1.
II.              Eu sou o SENHOR “Jeová Deus que salva e liberta” designa “Aquele que é excelso”, ou seja, acima ou abaixo da Divindade somente quem pode ser adorado é quem é excelso e “este foi o erro de Satanás em querer ser adorado” teu Deus. Êx. 20: 2.
Portanto, querer justificar e negar a personalidade do Espírito Santo por intermédio da doutrina herdada do paganismo é tentar andar nas trevas com a lâmpada apagada, toda a verdade só poderá ser achada por intermédio das Sagradas Escrituras, e este tem sido o erro dos unicistas, deistas e dos que advogam a Trindade.
Saber a matéria corporal de Jeová e do Espírito Santo não me interessa, o que importa para mim é ter em meu coração a Jesus Cristo, Jeová e o Espírito Santo.
Autor: Eurias R. Carneiro





Almeida Corrida e Revisada Fiel.
Nova Versão Internacional.


CAFÉ PODE REDUZIR RISCO DE CÂNCER EM MULHERES




Mulheres que bebem várias xícaras de café por dia podem ser menos propensas a desenvolver câncer de útero ao longo de anos ou décadas.
Pesquisadores da Universidade de Harvard, EUA, analisaram dados de 67.470 mulheres com idades entre 34 e 59 anos, que foram acompanhadas por cerca de 26 anos.
Em comparação com as mulheres que bebiam pouco ou nenhum café, as que bebiam em média quatro ou mais xícaras por dia tinham um risco 25% menor de desenvolver câncer de endométrio, e as que bebiam duas ou três xícaras por dia tinham um risco 7% menor.
Embora o estudo não prove que beber café é diretamente responsável pela redução do risco de câncer, os pesquisadores dizem que uma relação de causa e efeito é plausível.
Em estudos anteriores, descobriu-se que o consumo de café diminui níveis de insulina e estrogênio. Níveis cronicamente elevados desses hormônios têm sido relacionados ao câncer endometrial.
Entretanto, os pesquisadores dizem que as mulheres não devem tomar café com creme ou açúcar. Quaisquer benefícios do café sobre os níveis de insulina quase certamente deixariam de existir em face às calorias adicionais e gorduras, que poderiam contribuir para a resistência à insulina e ganho de peso.
Nos últimos anos, estudos têm relacionado o consumo de café com muitos benefícios de saúde, como menor risco de câncer de fígado e câncer de próstata letal, menor risco de depressão, diabetes tipo 2, mal de Parkinson (principalmente em homens) e cirrose do fígado. Pesquisa em ratos sugerem que o café também pode ajudar a proteger contra as mudanças no cérebro associadas ao mal de Alzheimer.
Os pesquisadores não sabem ao certo como o consumo de café pode melhorar a saúde, mas a cafeína parece ser apenas parte desse benefício, uma vez que estudos sobre café descafeinado mostraram benefícios de saúde também.
Compostos com propriedades antioxidantes, tais como o ácido clorogênico, provavelmente desempenham um papel também. Estima-se que o café tenha mais de 2.000 diferentes componentes, muitos dos quais são antioxidantes.
O estudo tem algumas falhas que significam os resultados devem ser interpretados com cautela. Os pesquisadores contaram com questionários para avaliar a dieta de café das mulheres, e, apesar de controlar para uma ampla gama de fatores e comportamentos de saúde, eles não podem descartar a possibilidade de que as bebedoras de café sejam socialmente ou culturalmente diferentes de maneiras que podem afetar seu risco de câncer.
Em outras palavras, mulheres preocupadas com seu risco de câncer não devem necessariamente aumentar a sua ingestão de café.
Podem tomar a bebida em quantidades saudáveis, se quiserem. Muito café pode levar a alguns efeitos colaterais, como insônia, azia, palpitações, ansiedade e irritabilidade. O ideal são quatro xícaras por dia.
A maneira mais eficaz para as mulheres detectarem – se não impedirem – o câncer de endométrio é ficar atenta para sangramento menstrual irregular, e consultar um médico se notar algo de anormal.[CNN]