terça-feira, 15 de novembro de 2011

A IGREJA É UMA RELIGIÃO?


 A IGREJA É UMA RELIGIÃO?

  Notas Explicativas

A Igreja foi fundamentada em Cristo Jesus, a rocha eterna. Durante esses séculos de existência, os homens possuídos do espírito sectarista tentam dividi-la, surgindo então às muitas igrejas, cada qual pretendendo ser a verdadeira. Na verdade estas “igrejas” são organizações religiosas surgidas como fruto da desobediência do homem à palavra de Deus. Estas denominações/associações religiosas que compõe o cristianismo, não são a Igreja de Cristo Jesus, mas sim a grande babilônia espiritual vista e escrita no livro de Apocalipse. Cremos, porém que no quadro destas religiões, existem muitos cristãos (os eleitos) que são verdadeiramente a Igreja do Senhor Jesus. A estes o Espírito Santo diz: “Sai dela povo meu”.

Trabalho elaborado por:

Israel Alves dias

Al. Ouro Preto, 123
Mairiporã – Sp
Cep: 07600 – 994
CP.  Comunitária 70
Tel. 0XX11-4486.4689
                                                      
Esta pergunta ecoa nos quatro cantos da terra. Muitas respostas foram dadas a ela e ainda são muitos os que estão explicando o que é uma igreja. O fato é que todo enfoque está no sentido de se provar que a igreja é uma religião.
Nesta ótica, o catolicismo romano quer ser a verdadeira Igreja, a verdadeira Religião.  As outras religiões saídas do catolicismo romano, na chamada reforma protestante, também alegam ser a verdadeira Igreja. Desta forma o chamado macro cristianismo está todo dividido.
O catolicismo romano esta dividido em duas grandes religiões: a romana papal e a ortodoxa patriarcal.
Ambas divididas em mais algumas dezenas de religiões católicas. Os chamados evangélicos estão divididos em centenas ou milhares de religiões e continuam a se dividir.
O espiritismo que afirma ser uma religião proveniente do cristianismo, também está amplamente dividido.
No Brasil há três grandes divisões: a umbanda, o candomblé e o cardecismo. Na verdade o espiritismo está inserido como ensino, dentro de todas as religiões.
No catolicismo, nos meios evangélicos e na quase totalidade das religiões do mundo.
As religiões fora do macro cristianismo são muitas, todas estão subdivididas. O mamoetanismo, surgido mais ou menos 600 anos E.C.; que se tornou a religião do estado do grande Islã (conjunto de países maometanos) está também bastante dividida.
Suas principais divisões, as mais conhecidas por nós ocidentais são: sunitas e xiitas.
O budismo, grande religião de alguns países asiáticos como: Japão, China, Coréia e etc.; também está dividido.  Sua mais importante divisão é o budismo Zen, destinado ao japonês moderno de após a 02ª grande guerra; muito rico e ligado ao materialismo.
                                              
Muitos dirão, porém: sabemos disso tudo, o que precisamos saber, é o que realmente seja a igreja. Vamos responder a pergunta baseando-nos apenas na palavra do Senhor. Mateus 16: 18 diz “Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela;” este é o versículo que esclarece-nos o inicio; a formação da Igreja na terra.
Duas coisas importantes precisamos destacar neste escrito: 01ª Assim como o nome Pedro significa fragmento da rocha, assim a Igreja seria edificada sobre a rocha. A rocha aqui mencionada pelo Senhor Jesus, sobre a qual seria edificada é Ele mesmo, o Senhor Jesus. Isaias 44: 8 diz “Não vos assombreis, nem temais; porventura desde então não vo-lo fiz ouvir, e não vo-lo anunciei? Porque vós sois as minhas testemunhas. Porventura há outro Deus fora de mim? Não, não há outra rocha que eu conheça.”
Em Romanos 9: 33  “Como está escrito: eis que ponho em Sião uma pedra de tropeço, e uma rocha de escândalo; e todo aquele que crer nela não será confundido.”
Não é preciso muito conhecimento das escrituras para entendermos que a rocha mencionada nas profecias do profeta Isaías, é a mesma mencionada por Paulo em sua carta aos romanos. É a rocha da salvação.
Veja a expressão: quem nela crer não será confundido.
O Salmista Davi também nos dá várias referências à rocha. Salmo 84: 26  “Ele me chamará dizendo: tu és meu pai, meu Deus, e a rocha da minha salvação.”
Desde sua implantação entre os homens a Igreja sofreu inúmeros e enormes ataques. Primeiramente tentaram, destruir a pedra principal, a rocha de sustentação, mas o inferno não pode dete-la, pois o Senhor Jesus venceu a morte, ressurgindo.
Atos 2: 31  “Nesta previsão.  Disse da ressurreição de Cristo, que sua alma não foi deixada no inferno, nem sua carne viu a corrupção.” E ainda, ao não ter permanecido no Hades, venceu
                                              
o poder da morte, tendo poder sobre ela e dando este poder à igreja, que por certo há de ressurgir para a vida que nunca mais acabará.
I Coríntios 15: 54 e 55  “E, quando isto que é corruptível se revestir da incorruptibilidade, e isto que é morta se revestir da imortalidade, então cumprir-se-á a palavra que está escrita: tragada foi a morte na vitória. Onde está ó morte, o teu aguilhão? Onde está, ó inferno, a tua vitória?”
Satanás não conseguiu deter no inferno o senhor da Igreja, então vem com muita fúria, durante todos estes séculos da existência da Igreja, tentando destruí-la.
O Senhor Jesus porém nos garantiu que  nada poderão contra a Igreja, nem a porta do inferno a deterá.  Mateus 16: 18  “Pois também eu te digo és Pedro, e sobre esta Pedra edificarei minha Igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.”
Contudo o nosso adversário não descansa à procura de destruir a obra do Senhor.
Desde o seu início, surgiram alguns homens, tomados pelo espírito de sectarismo, pretenderam dividir o corpo de Cristo.  O apóstolo Paulo os repreendeu, afirmando que Cristo não está dividido.  I Corintios: 12 e 13 “Quero dizer isto, que cada um de vós diz: eu sou de Paulo, e eu de Apolo, e eu de Cefas, e eu de Cristo. Está Cristo dividido?  Foi Paulo crucificado por nós? Ou fostes vós batizados em nome de Paulo?”.
Desde então o inimigo nunca parou de tentar a divisão do corpo. Passada a primeira geração da Igreja, tendo acontecido já a morte de todos os apóstolos, o sectarismo vicejou (manifestou) e muitos homens tomados por este espírito, surgiram.
Por volta do ano 175 surgiu um bispo por nome Montano, que dizia receber instrução direta do Espírito Santo e que estas completavam os escritos dos evangelhos.
Fez muitos discípulos e o Célebre escritor da Igreja, nasceu em Cartago mais ou menos nos anos 160 a 245.

Estudou jurisprudência. Foi ordenado Bispo em 196. Em 208 tornou-se adepto do montanismo.
Foi nos dias de Tertuliano que se iniciou a idéia da Trindade Santa.
Acredita-se que Tertuliano tenha sido o pai da referida idéia. O seu mais famoso discípulo foi Atanázio. Atanázio foi Bispo em Alexandria entre 245 a 373.
Distinguiu-se quando no primeiro concílio de Nicéia enfrentou Ário. Ário era Bispo em Alexandria iniciou um movimento chamado seita dos arianos, por volta de 336. O arianismo, como é conhecido, contradiz a Divindade de Cristo.
Neste concílio em Nicéia, acontecido no ano 325, Atanázio venceu seu opositor, Ário, e estabeleceu a doutrina da trindade, cuja idéia recebeu do seu mestre Tertuliano.
Por este tempo a Igreja que está em Roma já estava toda comprometida com o poder do império, cujo imperador Constantino, se dizia convertido.
Como Roma era a cidade mais importante do império, a igreja em Roma passou a ser considerada a principal igreja local dentro da universal Igreja de Cristo.
Desta forma a Igreja de Roma, apoiada pelo Imperador Constantino se impôs sobre as demais igrejas locais. É claro que este processo de dominação levou alguns anos para se concretizar.
Assim aconteceu a apostasia (separação). Roma passa a ser chamada e considerada universal (católica).
Deixa de ser uma igreja local membro da Igreja Universal de Cristo, e usurpando, passa a se impor como a igreja romana universal. Todas as igrejas locais perderam sua identidade ao serem dominados pela igreja de Roma e passaram a ser denominadas Igreja Católica (universal) Romana.
O Bispo de Roma passa a ser visto como o Pai dos demais Bispos

                              
locais. Estava lançada a idéia do Papado. Surge assim o Bispo chefe ou Papa.
Estava criada desta forma a primeira Religião oficializada como tal, oriunda da Igreja do Senhor Jesus.  A religião romana foi se fortalecendo com o passar dos anos, e para dominar e se manter no poder, cometeu muitas atrocidades que a história não é capaz de apagar ou negar. Seu domínio foi pétreo (duro) sobre os vários segmentos da sociedade ocidental e um pouco da asiática.
A história chama este  período de pleno domínio do catolicismo romano, de obscurantismo. Foi um período de 1260 anos.
Vários acontecimentos de relevada importância se deram durante este período.

. Primeiro: Em 490 o império romano ocidental fragmenta-se, com os povos que formavam, se dividindo. Surge a Europa.

. Segundo: O império oriental, cuja capital é Bizâncio permanece, porém começa a dar sinal de fraqueza diante dos constantes ataques dos otomanos.

. Terceiro: Com o surgimento em 600, do mamoetanismo, formou-se um estado islâmico que congregará boa parte dos asiáticos. Este estado otomano cresceu apoiado pela nova religião.

. Quarto: Com o avanço do mamoetanismo  na Ásia, a religião romana foi enfraquecendo.  Aconteceu o grande cisma, isto por volta do ano 1000. Surgia então na Ásia outra religião que a exemplo da romana se arvorou de ser universal: a Igreja Católica Ortodoxa. Seu Bispo maior tem a patente de patriarca eleito.

. Quinto: No  ano de 1453 os turcos sarracenos dominam o que restava do império romano bizantino, e implantam o império otomano, cuja capital passa a ser chamada de Istambul. Assim termina o Império Romano e a religião de Roma cede sua primazia à religião maometana que a partir deste acontecimento, torna-se a religião do império otomano.

No lado Ocidental o império que se dividiu formando a Europa, ficou dominado pela religião romana.
Foi por esta razão que surgiram as cruzadas, que tinham como objetivo atacar e acabar com o domínio dos otomanos.
O império otomano foi se enfraquecendo, perdeu territórios, e por fim foi extinguido em 1914, com o surgimento da 01ª  Grande Guerra. Alias o império Austro Húngaro.
A religião romana porém desde que se impôs ao estado romano, foi se firmando, e quando se fragmentou, ela ficou sendo a guardiã daquele poder.
Assim dominou a Europa e reinou sobre os reis dos países europeus. Mas como diz o ditado popular, o vaso vai tantas vezes à fonte que acaba se quebrando. Como todo poder absoluto, a Roma Papal foi se corrompendo dentro da sua própria organização política administrativa; cometendo atos cada vez mais abusivos, que gerou em enorme descontentamento nos rei europeus, que eram submetidos ao Papa; que assim começaram a demonstrar espírito de rebelião.
Estava surgindo o movimento de protesto, que acabou gerando mais algumas religiões cristãs.
Este espírito de rebelião que começou a se manifestar por volta de 1200 mais ou menos, teve como sua voz alguns padres como;  Jerônimo Savonrola,  João Huss, e outros, contudo foi quase trezentos anos depois que os padres Martim Lutero de nacionalidade alemã e João Calvino, nacionalidade francesa, que levaram a cabo o movimento de protesto que pretendeu reformar a igreja de Roma.
Não conseguiram o seu intento e foram excomungados pelo        Papa.  Contudo o fermento da rebelião contra o papa já estava subindo, crescendo, quando isto aconteceu.  E assim os povos da Alemanha e Suíça; apoiados por seus reis ficaram ao lado, dando todo apoio, aos dois reformadores.
Calvino era francês, mas o rei católico da França não deu apoio a ele porque o papa ofereceu o perdão da dívida que a França tinha com Roma, se o rei não apoiasse João Calvino.  Então ele se mudou para a Suíça, onde o rei lhe deu total apoio.
Assim nasceu o calvinismo na Suíça e este ficou sendo a religião do país, e o luteranismo se organizou como a igreja luterana e o calvinismo como a igreja presbiteriana; assim denominada, porque o seu governo é constituído por um corpo formado por vários presbíteros.
Aproveitando os acontecimentos a Inglaterra também criou a sua religião católica anglicana.  Um catolicismo independente de Roma, não submisso ao papa, e que tem por governo maior o Bispo de Cantuária.
A igreja de Roma foi o inicio da Grande Apostasia prevista que viria e se instalaria. A palavra apostasia quer dizer: sair do corpo onde estava inserido.
A igreja de Roma foi uma igreja local, cuja formação foi fruto do trabalho do apóstolo Paulo e outros irmãos, dos primórdios do Cristianismo. Ela se insurgiu contra o governo da sua cabeça, que é Cristo, e se prostituiu com o poder temporal. Neste seu ato de rebeldia contra o seu Senhor, que é Jesus Cristo; ela se ufanou e pretendeu se tornar universal, isto é católica. Formou outro corpo com pretensões de ser o verdadeiro corpo universal de Cristo. Assim sendo foi a primeira apóstata que se tem registro na história do Cristianismo.
Deste corpo apóstata, que é a religião católica romana, saiu alguma religiões que pode se dizer que foram as apóstatas saídas da apóstata romana.
Destacamos entre estas religiões a Igreja Católica Ortodoxa, saída de Roma mais ou menos nos anos 1000.  A Luterana,  Presbiteriana e a Anglicana, saídas nos anos 1500.
Destas religiões saíram outras e assim sucessivamente, até chegarmos no atual quadro de apostasias.  A Grande Apostasia.

Surgiu porém, na metade do século XX, um movimento que pretende unir todas as religiões. O movimento denominado ECUMENISMO, cujo órgão administrativo maior é Conselho Mundial de Igrejas, C.M.I.. Este movimento, nos seus objetivos, está bem  avançado e já congrega centenas de religiões.
Atualmente o Senhor Jesus está tirando para fora da Grande Apostasia o seu povo.
Este povo é a sua única e verdadeira Igreja. Não está mancomunado com organização religiosa e nem é governado por um sistema centralizado no homem. Seu principal pó é o sumo Pastor de nossas almas. As igrejas são locais, onde são governadas por um Bispo e um diácono, que estão sujeitos à palavra, e não ao homem.
Ainda está em tempo de todos aceitarem este modelo de governo deixado e implantado por nosso Senhor Jesus Cristo, para o seu povo.  Você não é povo dele?  Se é, porque não se humilha perante a verdade, e sai desta babilônia espiritual que são as denominações religiosas.


Que o nome do Senhor Jesus seja eternamente louvado.


Amém
Colaboração de Djalma.




                                                      


                                                      








Nenhum comentário: