quinta-feira, 24 de novembro de 2011

JEOVÁ É O ESPÍRITO SANTO?


JEOVÁ É O ESPÍRITO SANTO?

Existem várias teorias em ralação a Jeová, Jesus Cristo e o Espírito Santo, relacionadas à sua Divindade, são estas:
1.            UNCISMO – É a teologia que ensina a teoria que Jeová, Jesus Cristo e o Espírito Santo são a mesma pessoa, ou seja, nenhum dos três é uma pessoa independente.
Neste caso vou fazer quatro questionamentos e você deve respondê-los a si mesmo, mas eu te dou um conselho: Responda de forma honesta e jamais tendenciosa.
a)            Quando Jesus falou: Pai graças te dou, Ele estava falando com alguma pessoa ou estava falando consigo mesmo?
b)            Quando Jesus falou: O Pai é maior que eu, Ele estava falando de alguma pessoa ou estava falando de si mesmo?
c)            Quando Jesus falou: Quando eu for enviarei outro consolador, Ele estava falando de alguma pessoa ou estava falando de si mesmo?
d)            O Espírito gerou a Cristo, ou Cristo gerou a si mesmo?
Poderiam ser usadas centenas de texto, mas, estes são mais que suficientes para mostrar que a teoria do unicismo é satânica.
2.            DEÍSMO - É a teologia que ensina a teoria que Jeová é o Deus Todo-Poderoso e Jesus Cristo é o Deus apenas poderoso, ou seja, um Deus dando origem a outro Deus, e o Espírito Santo é apenas uma força (energia) que sai de Jeová para Jesus e de Jesus para seus seguidores.

VEREMOS ALGUNS DADOS ESCRITURÍSTICOS EM CHECAGEM AO DEÍSMO E UNICISMO:

Um dos argumentos usados pelos deístas e unicístas para negarem o Espírito Santo como pessoa e com personalidade própria, afirmam que Ele é apenas a glória de Jeová, portanto, sendo glória, Ele não é uma pessoa porque emana de Jeová.
Se eles estão corretos, sendo assim Jesus também não é uma pessoa por ser Ele a glória de Jeová. A glória do SENHOR (Jesus Cristo) será revelada, e, juntos, todos a verão. “Pois é o SENHOR quem fala”. Is. 40: 5.
Eu sou o SENHOR; este é o meu nome”! “Não darei a outro a minha glória nem a imagens o meu louvor”. Is. 40: 8.
Jeová prometeu que jamais daria sua glória (direito de ser adorado, cultuado, louvado) a outra pessoa, neste caso estaria incluído Jesus?
E o louvor relacionado à adoração Ele não permite que seja dado às imagens e muito menos a outra criatura.
Jeová fala em pessoas e imagens, não é somente com referência a imagens como alguns pensam.
Sendo assim, não teria como Jeová nos conceder o Espírito Santo e muito menos Jesus por ser os mesmos a glória de Jeová embora não exista nenhuma texto dentro das Sagradas Escrituras autorizando a adoração ao Espírito Santo.

OS SEGUINTES TEXTOS IDENTIFICAM JEOVÁ, JESUS CRISTO E O ESPÍRITO COMO PESSOAS DISTINTAS:

Neste caso, a glória de Jeová é o resplendor de luz e santidade que o rodeia. - Tal como a aparência do arco-íris nas nuvens de um dia chuvoso, assim era o resplendor ao seu redor. Essa era a aparência da figura da glória do SENHOR. Quando a vi, prostrei-me, rosto em terra, e ouvi a voz de alguém falando. Ez. 1: 28. –
Aqui a glória de Jeová é Jesus Cristo. - Então me levantei e fui para a planície. E lá estava a glória do SENHOR, glória como a que eu tinha visto junto ao rio Quebar. Ez. 3: 23. –
Glória vista aqui é a do único Deus revelado aos profetas e patriarcas. - E ali, diante de mim, estava a glória do Deus de Israel, como na visão que eu havia tido na planície. Ez. 8: 4. –
Como podemos observar, são citadas três pessoas distintas e o título Deus é usado apenas uma única vez e com referência ao Deus de Israel e jamais a três pessoas. - E a glória do Deus (JESUS CRISTO) de Israel levantou-se de cima do querubim, onde havia estado, e se moveu para a entrada do templo. E o SENHOR (JEOVÁ DEUS) chamou o homem vestido de linho (ESPÍRITO SANTO) e que tinha o estojo de escrevente à cintura. Ez. 9: 3. –
Jesus Cristo é a glória de Jeová e é uma pessoa, não nos moldes humanos, sendo assim, porque o Espírito Santo não pode também ser uma pessoa? Só porque Ele é glória de Jeová? Porque você usa dois pesos e duas medidas? A verdade é ou deixa de ser. - Então a glória do SENHOR (JESUS CRISTO) levantou-se de cima dos querubins e moveu-se para a entrada do templo. A nuvem encheu o templo, e o pátio foi tomado pelo resplendor da glória do SENHOR (JESUS CRISTO). Ez. 10: 4.
Quando o SENHOR (JEOVÁ) ordenou ao homem vestido de linho (ESPÍRITO SANTO): "Apanhe fogo do meio das rodas, do meio dos querubins", o homem (ESPÍRITO SANTO) foi e colocou-se ao lado de uma roda. No meio do fogo que estava entre os querubins um deles (um dos dois, JEOVÁ ou JESUS) estendeu a mão, apanhou algumas brasas e as colocou nas mãos do homem vestido de linho (ESPÍRITO SANTO), que as recebeu (só recebe e pega quem tem mãos e para ter mãos tem que ser uma pessoa) e saiu (para sair por si mesmo é necessário ter como se locomover e isto é impossível para quem não é um ser). Ez. 10: 6,7.
Jesus é a glória de Jeová. - E a glória do SENHOR (JESUS) afastou-se da entrada do templo e parou sobre os querubins. Ez. 10: 18.
Enquanto eu observava, os querubins estenderam as asas e se ergueram do chão, e as rodas foram com eles. Eles pararam à entrada da porta oriental do templo do SENHOR, e a glória do Deus (JESUS E O ESPÍRITO SANTO) de Israel estava sobre eles. Como podemos observar, somente Jeová é identificado como Deus nesta visão e Cristo e o Espírito Santo são identificados como sendo a gloria de Deus. Deus é um em todos os sentidos da palavras, mas Deus outorgou este título a Seu Filho e ordenou que fosse adorado o que é diferente do Pai que não teve princípio e não foi instituído como Deus, Satanás quis usurpar este título e é isso que o caracteriza como um falso deus. Ez. 10: 19.
Então os querubins, com as rodas ao lado, estenderam as asas, e a glória do Deus (JESUS E O ESPÍRITO SANTO) de Israel estava sobre eles. Ez. 11: 22.
A glória do SENHOR (JESUS CRISTO) se levantou da cidade e parou sobre o monte que fica a leste dela. Ez. 11: 23.
E vi a glória do Deus (JESUS) de Israel, que vinha do lado leste. Sua voz era como o rugido (com poder e autoridade suprema) de águas avançando, e a terra refulgia com a sua glória. Ez. 43: 2.
A glória do SENHOR (JESUS) entrou no templo pela porta que dava para o lado leste. Então o Espírito pôs-me (ação de uma pessoa com a outra) em pé e levou-me (ação de uma pessoa com a outra) para dentro do pátio interno, e a glória do SENHOR (CRISTO) encheu o templo. Enquanto o homem (ESPÍRITO SANTO) estava ao meu lado, ouvi alguém (CRISTO) falando comigo de dentro do templo. Ez. 43: 4 - 6.
Então o homem (ESPÍRITO SANTO) levou-me (ação de uma pessoa para com outra) até a frente do templo, passando pela porta norte. Olhei e vi a glória do SENHOR (JESUS CRISTO) enchendo o templo do SENHOR (JEOVÁ), e prostrei-me, rosto em terra. Ez. 44: 4. – Para quem crer na Palavra de Deus, aqui estão algumas provas de três pessoas em ação.
Mas a terra se encherá do conhecimento da glória do SENHOR (JESUS), como as águas enchem o mar. Hab. 2: 14.
Deus (JEOVÁ) veio de Temã, o Santo veio do monte Parã. Sua glória (fama, poder, luz, autoridade, Divindade, Salvador, Criador...) cobriu os céus e seu louvor (Deus canta) encheu a terra. Hab. 3: 4.
Portanto, alegar que os três são a mesma pessoa ou que o Espírito Santo não o é, é deturpar as Sagradas Escrituras.
3.            TRINDADE: É a teologia pagã que ensina a teoria que trindade é cristã, quem a trouxe para o cristianismo foi Roma papal e posteriormente adotado pelos protestantes, sua composição é:
a)            O pai que é Baal, hoje substituído por Jeová.
b)            O filho que é Talmuz, hoje substituído por Jesus.
c)          A mãe que tinha vários nomes dependendo da localização geográfica e hoje substituída pelo Espírito Santo e disfarçadamente pela mãe de Deus.
      Jamais, em hipótese alguma devemos procurar conhecer a verdade a partir do que o paganismo ensina, para toda as situações bíblicas o paganismo criou teorias paralelas, e desta forma muitos tem se maculado com suas doutrinas satânicas e outros ficaram confusos porque tentaram conhecer a Deus e Sua Palavra tomando por base o paganismo.

AS SAGRADAS ESCRITURAS E A DIVINDADE


a)            Eles usam a natureza para entender a Divindade e jamais a espiritualidade.
b)            Para eles as provas Bíblicas da  personalidade do Espírito Santo lhes são loucuras.
c)            A verdadeira Divindade só a conhece por meio da inteligência espiritual, e isto, só as tem que a busca de coração aberto para aceitar a revelação de Deus e jamais em defesa do que crer.
Só entende as coisas do Espirito de Deus e jamais do Espírito Deus quem não é natural. Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. I Co. 2: 14.
Para negarem a personalidade do Espírito Santo como pessoa, é afirmado que a palavra "ESPÍRITO" no original quer dizer: AR, VENTO. Sendo assim, para sermos honestos devemos crer que Jeová não é uma pessoa porque Ele é espírito. Ora, o Senhor é o Espírito e, onde está o Espírito do Senhor, ali há liberdade. II Co. 3: 17. NVI.
Ora, o Senhor é Espírito; e onde está o Espírito do Senhor, aí há liberdade. II Co. 2: 14. ACRF.
Sendo o SENHOR (JEOVÁ) ESPÍRITO, isto me causou uma boa reflexão para poder entender o sentido do texto sem o focar ao que creio ou deixo de crer, como fazem muitos cristãos de forma tendenciosa para firmar seus pontos de vistas e este não é o meu propósito, e sim, seguir o que é correto fundamentado na Palavra do Eterno.
     O SENHOR É ESPÍRITO – Esta afirmação contundente da Palavra de Deus nos ensina que o Senhor “Jeová” não tem um corpo igual ao nosso de osso e carne, ele tem sim, um corpo formado de matéria totalmente diferente do nosso e desconhecido, ou seja, embora tenha corpo semelhante ao nosso por termos sido formado a Sua semelhança não tem a mesma matéria e substância, desta forma ele pode entrar e sair em qualquer lugar que esteja inacessível ao corpo humano, bem como atravessar uma parede, entrar no coração “parte frontal do cérebro” do ser humano e mover-se no universo a velocidade desconhecida acima da luz o que é impossível ao ser humano.
Tomando emprestado um pouco à teoria dos que não aceitam a Personalidade do Espírito Santo como pessoa, na qual eles ensinam que o Espírito Santo não é uma pessoa porque no original a palavra “espírito” significa: Ar, vento ou sopro. Sendo assim para eles serem no mínimo honestos e coerentes eles teriam que aceitar e crer em um Senhor “Deus” que não é uma pessoa, e sim, apenas vento, ar ou sopro, porque a mesma Palavra que designa Espírito (ar, vento, sopro) Santo é a mesma que designa a Jeová “Senhor” como sendo Espírito (ar, vento, sopro), se eles não aceitam desta forma é porque falta no mínimo honestidade, inteligência e sabedoria. Se eles estão em contradição estão mentindo acerca do Espírito Santo e isto é muito perigoso. Portanto vos digo: Todo pecado e blasfêmia se perdoará aos homens; mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada.
Se alguém disser alguma palavra contra o Filho do homem, isso lhe será perdoado; mas se alguém falar contra o Espírito Santo, não lhe será perdoado, nem neste mundo, nem no vindouro. Mt. 12: 31, 32.
Blasfemar é falar algo que venha denegrir a personalidade ou o caráter, forçar uma teoria contrária e deixar a pessoa como falsa ou mentirosa.
O nome não é simples rótulo, mas é representativo da verdadeira personalidade daquele a quem pertence. O próprio Deus explicou o significado de seu nome ao seu fiel servo Moisés. Quando este perguntou a respeito do nome de Deus, Jeová respondeu: Mostrarei ser o que eu mostrar ser. (Êxodo 3: 14). A tradução de Rotherham (em inglês) traduz assim essas palavras: Eu Me Tornarei o que quer que seja do meu agrado. Outras foram traduzidas por: Eu Sou o que Sou. Assim, quem usa o nome Jeová por direito e jamais por usurpação, pode tornar-se o que for necessário para cumprir seus propósitos, ser adorado, cultuado e louvado.
Quando é usado o termo Espírito do Senhor “Jeová” está a Palavra de Deus afirmando que o Espírito Santo é uma pessoa tanto quanto Jeová, e se lermos os textos anteriores é comprovado que o termo “Senhor - Jeová” está sendo aplicado exclusivamente ao Espírito Santo e jamais a Cristo ou ao Próprio Jeová, isto demonstra três ocorrências:
a) Que Jeová é Deus que se revela como Ele é. Eu Me Tornarei o que quer que seja do meu agrado. Êx. 3: 14.
b) Que Jesus Cristo é Deus que se revela como Ele é. Jo. 8: 58. O Salvador, que é Cristo, o Senhor (Jeová). Lc. 2: 11.
c) Que o Espírito Santo é uma pessoa que se revela como Ele é. Ora, o Senhor (JEOVÁ) é o Espírito; e onde está o Espírito do Senhor (ESPÍRITO SANTO) aí há liberdade. Como pelo Espírito do Senhor (JEOVÁ). II Co. 3: 18.
Este texto não está afirmando que Jeová Deus e o Espírito Santo são a mesma pessoa, e sim, que o nome afirma quem é e a Sua personalidade..
Deus é espírito, ou seja, não nos convém saber de que matéria seu corpo é composto, mas, quem o ama e quer está perto dEle deve está consciente na adoração que deve ser feita em espírito, neste caso é sabedoria. Temos que ter o conhecimento que a palavra “Deus” não identifica quem seja a pessoa, apenas denota quem deve ser adorado, pois é apenas um título Divino do Ser a quem devamos nos prostrar em adoração e cultuação, para que não adoremos a pessoa errada, a mesma Palavra informa os nomes pessoais de quem deve ser adorado. Deus é Espírito, e é necessário que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade. Jo. 4: 24.
 Jesus Cristo foi gerado pelo Espírito Santo ou, Ele mesmo se gerou no ventre de Maria? Se Ele auto gerou-se os deístas e unicistas estão corretos em afirmar que o Senhor Jesus e o Espírito Santo são a mesma pessoa, como o Espírito Santo gerou Cristo tanto os deístas e unicistas estão errados em afirmar que os dois são a mesma pessoa. Ela se achou ter concebido do Espírito Santo. Mt. 1: 18.
  A Palavra do Eterno que não pode mentir, afirma de forma categórica que Jesus Cristo foi gerado pelo Espírito Santo, ou seja, um ser de forma misteriosa fez o milagre de transforma outro ser em um embrião que se desenvolveria e nasceria para salvar o ser humano, sendo assim, o Espírito Santo tanto quanto o Senhor Jesus são dois seres e jamais a mesma pessoa.  Porque o que nela está gerado é do Espírito Santo. Mt. 1: 20.
Enquanto o embrião se desenvolvia no ventre de Maria, o Espírito Santo visitou Simeão e revelou a ele que o mesmo não morreria sem antes ver o Messias; se usarmos a teoria dos unicistas e dos deistas teríamos que admitir uma das seguintes teorias:
a)            Que Jesus saiu do ventre de Maria para falar com Simeão.
b)            Que o Espírito de um embrião falou com Simeão.
Como pode ser analisado de forma honesta e espiritual, vemos que nenhuma das duas ideias coadunasse com o relato das Sagradas Escrituras. Outra revelação neste texto é que Cristo é do Senhor (Jeová), ou seja, sendo Cristo do Senhor (Jeová) denota que, pois, o que quem gerou a Cristo foi o Espírito Santo e jamais a pessoa de quem eles afirmam que o Espírito é o sopro dEle. E fora-lhe revelado, pelo Espírito Santo, que ele não morreria antes de ter visto o Cristo do Senhor. Lc. 2: 26.
O Espírito Santo conduziu a Simão para o templo ou, o espírito de Cristo saiu dele enquanto criança e foi ao encontro de Simão? Como podemos observar não existe nenhuma coerência para a afirmação dos deistas e unicistas. Este texto mostra um ser criança e outro adulto em ação se assim podemos nos expressar, para prover o encontro de duas pessoas, sendo: O encontro seria entre Simeão e uma criança recém nascida organizado pelo Espírito Santo. Neste texto não fica nenhuma margem para a especulação de que Jesus Cristo e o Espírito Santo são a mesma pessoa. E pelo Espírito foi ao templo e, quando os pais trouxeram o menino Jesus. Lc. 2: 27.
O que vai ser ainda não é, ou seja, a criança gerada pelo Espírito Santo depois que nascesse seria chamado filho do Altíssimo porque O mesmo fora no passado da eternidade, sendo assim, quando Ellen White, os deistas e unicistas afirmam que o Senhor Jesus antes de nascer de Maria Ele era filho de Deus sem principio estão ensinando falsa doutrina e classificando a Palavra do Eterno de mentira. E será chamado filho do Altíssimo...  Por isso também o Santo, que de ti há de nascer, será chamado Filho de Deus. Lc. 1: 32, 35.
O Espírito Santo desceu sobre Maria para realizar o grande milagre da geração de Cristo em seu ventre ou, Cristo desceu sobre Maria e gerou a si mesmo? Nova prova de que os dois são seres individuais. Descerá sobre ti o Espírito Santo. Lc. 1: 35.
Assim sendo o Espírito Santo é o outro Consolador igual aquele que falou, isto é, com os mesmos propósitos de Jesus. Sim, você quer saber como o Espírito Santo vai operar com a incumbência de ser o Consolador?  De igual modo que Cristo consolou muitos em toda a extensão do Seu ministério.
O intento não é demonstrar o significado do vocábulo traduzido “Consolador.”  Mas sim, sentir um pouco mais a ternura da consolação que vem do Espírito Santo, consolação que é um substantivo composto, de uma preposição significando “ao lado de” com raízes no verbo “chamar/convidar”.   O Espírito Santo é aquele que se posiciona ao lado do suplicante como Jesus veio ao lado de Maria, Pedro, Marta e outros.  Que bênção saber desta promessa! E lembrar que há dois, pois o Espírito Santo e Jesus, (outro) ambos são os nossos Consoladores na hora “H” de nossas vidas. Cristo ao pedir ao Pai outro consolador, Ele “Cristo” estava pedindo a Si mesmo para mandar a Si mesmo como outro consolador? E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador. Jo. 14: 16.
Sendo que, o Espírito Santo seria enviado mostra que O mesmo não é o próprio Cristo como afirmam os deistas e uncistas; este ser vinha para representar o nome de Cristo ou, Cristo seria enviado para representar Seu próprio nome?  O Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome... Jo. 14: 26.
Jesus Cristo ficou três anos e meio ensinando e deixando seus ensinamentos embora não ensinou tudo por ter tido o tempo resumido, mas, o Espírito Santo veio para ensinar tudo que os filhos de Deus devem conhecer. Esse vos ensinará todas as coisas... Jo. 14: 26.
O Espírito Santo traria a lembrança tudo o que Jesus Cristo havia ensinado. E vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito. Jo. 14: 26.
Se o consolador ainda vinha para está com os seguidores de Jesus, é porque o mesmo ainda não estava com eles, ou seja, se os dois são a mesma pessoa já estaria com eles e não precisaria Cristo subir para poder o Espírito Santo vir.  Discípulos Mas, quando vier o Consolador...  Jo. 15: 26.
O Senhor Jesus enviou um ser da parte do Pai ou enviou a si mesmo ou, enviou o Pai? Que eu da parte do Pai vos hei de enviar... Jo. 15: 26.
Surge o seguinte questionamento: Quem seria o Pai de Jesus Cristo? Usando nossos conhecimentos humanos chegamos à seguinte conclusão – o Espírito Santo ao gerar a Cristo Ele tornou-se o pai de origem humana e ao Cristo ser batizado Jeová tornou-se o Pai espiritual de Cristo ao ungi-lo com o Espírito Eterno.
Aquele (uma pessoa de personalidade própria) Espírito de verdade... Jo. 15: 26.
Quem afirma que o Espírito Santo não é um ser e sim algo que saiu de Jeová como força ‘energia’, deveria também aceitar que Jesus Cristo não é um ser porque procedeu do mesmo Jeová. Tanto Jesus Cristo quanto o Espírito emanaram (procederam – provieram) de Jeová. Que procede do Pai... Jo. 15: 26.
É impossível o Espírito Santo e Cristo serem a mesma pessoa, um veio dá testemunho do outro; ou você crer que o Senhor Jesus voltou depois de subir ao céu para dá testemunho de si mesmo? Ele testificará de mim. Jo. 15: 26.
Todavia digo-vos a verdade, que vos convém que eu vá; porque, se eu não for, o Consolador não virá a vós; mas, quando eu for, vo-lo enviarei.  E, quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça e do juízo. Jo. 16: 7, 8.
Podemos tirar várias declarações do texto anterior:
I.                O Senhor Jesus Cristo falou a mais pura verdade.
II.                Que Ele teria que ir embora para poder o Espírito Santo vir e assumir Seu trabalho com o ser humano.
III.                Se Ele não voltasse para o céu o Espírito Santo não vinha.
IV.                Que ao chegar ao céu Ele enviaria o Espírito Santo.
V.                Que o Espírito Santo ao chegar convenceria o mundo e não a igreja de Deus do pecado, do juízo e da justiça.
VI.                Isto prova que os dois não são a mesma pessoa.
Mas, quando vier aquele Espírito de verdade, ele vos guiará em toda a verdade; porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir. Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu, e vo-lo há de anunciar. Jo. 16: 13,14.
Outras declarações são fundamentais neste texto a serem observadas e analisadas:
I.                Quando o Espírito Santo chegasse, Ele guiaria a igreja de Deus em toda a verdade.
II.                Ele não falaria de Si mesmo e sim de tudo o que Ele ouviu de Jesus Cristo.
III.                Que O mesmo anunciaria o que haveria de vir no futuro.
IV.                Ele glorificaria a Cristo.
V.                Recebeu tudo do próprio Cristo.
VI.                Isto prova que são dois seres.
Várias pessoas usam este texto para afirmar que o Espírito Santo é o sopro de Cristo, mas, após Jesus soprar sobre os discípulos e dizer: Recebei o Espírito Santo. Os discípulos só o receberam no pentecostes, a atitude de Cristo foi para mostrar a eles que o Espírito não pode ser controlado por pessoas da mesma forma que um sopro, o Senhor Jesus jamais soprou sobre eles o Espírito Santo, Ele soprou e afirmou: Recebeis, mas, o sopro não era o Espírito Santo. E, havendo dito isto, assoprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo. Jo. 16: 22.
É tão verdade que o Senhor Jesus afirmou que eles só receberiam o benefício (virtude) do Espírito Santo no futuro próximo, e esta profecia realizou-se na festa de pentecostes cinqüenta dias após sua morte. Sendo assim, o sopro do Senhor Jesus não era o Espírito Santo, caso contrário O mesmo seria a respiração do Messias.  Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós... At. 1: 8.
Ananias mentiu ao Espírito Santo de forma direta. Mentisses ao Espírito Santo... At. 5: 3.
Ao mentir ao Espírito Santo ele não mentiu a homens e muito menos para algum anjo, e sim, ao próprio Deus porque o Espírito representa o próprio Deus. Não mentiste aos homens, mas a Deus. At. 5: 4.
Mas Deus no-las revelou pelo seu Espírito; porque o Espírito penetra todas as coisas, ainda as profundezas de Deus. I Co. 2: 10.
a)            Mas Deus – Tem que ser entendido que Deus não é a pessoa, e sim, o título de quem deve ser adorado, quando a Palavra do Eterno fala de uma pessoa que deve ser adorado é revelado o nome junto ao título “Deus”.
b)            Pelo seu Espírito - Não está afirmando que seja algo que sai de dentro de Jeová ou do Cristo, da mesma forma a Mesma Palavra afirma com referência a Jeová “do Seu Cristo”: Estaria esta afirmação ensinando que Jesus Cristo saiu de dentro ou é parte de Jeová?
c)            O Espírito penetra todas as coisas, ainda as profundezas de Deus. – Nenhum ser do universo tem a capacidade de saber o que há nos pensamentos da Divindade a não ser o Espírito Santo, ou seja, algum ser do universo só poderá saber algo que está na Memória da Divindade se Ele o revelar, e o Espírito Santo conhece os pensamentos da Divindade sem ser comunicado de forma verbal porque é autorizado por Deus.
Neste caso é com referência a capacidade de pensar do ser humano, o que torna impossível outro ser conhecer se não o for falado, serve esta revelação a todos os seres do universo menos a Deus que o conhece mesmo antes de vir ao pensar. Senão o espírito do homem. I Co. 2: 11.
 Nenhum ser humano tem a capacidade de conhecer os pensamentos da Divindade, somente o Espírito da Divindade “Deus” é que tem esta capacidade. Assim também ninguém sabe as coisas de Deus, senão o Espírito de Deus. I Co. 2: 11.
Somos o templo de Deus Espírito Santo. Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós? Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá; porque o templo de Deus, que sois vós, é santo. I Co. 3: 1, 17.
I.                “Deus” falou toda estas palavras. Êx. 20: 1.
II.              Eu sou o SENHOR “Jeová Deus que salva e liberta” designa “Aquele que é excelso”, ou seja, acima ou abaixo da Divindade somente quem pode ser adorado é quem é excelso e “este foi o erro de Satanás em querer ser adorado” teu Deus. Êx. 20: 2.
Portanto, querer justificar e negar a personalidade do Espírito Santo por intermédio da doutrina herdada do paganismo é tentar andar nas trevas com a lâmpada apagada, toda a verdade só poderá ser achada por intermédio das Sagradas Escrituras, e este tem sido o erro dos unicistas, deistas e dos que advogam a Trindade.
Saber a matéria corporal de Jeová e do Espírito Santo não me interessa, o que importa para mim é ter em meu coração a Jesus Cristo, Jeová e o Espírito Santo.
Autor: Eurias R. Carneiro





Almeida Corrida e Revisada Fiel.
Nova Versão Internacional.


Nenhum comentário: