quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

White Estate fala sobre o obelisco no túmulo da família White


White Estate fala sobre o obelisco no túmulo da família White

Muitos que já visitaram o túmulo da família White nos EUA puderam ver um obelisco construído ali. Em que circunstâncias ele foi construído? Tinha a família White alguma ligação com a maçonaria ou com a adoração ao sol?

Através da mediação do Dr. Renato Stencel, diretor do Centro White no Brasil, recebemos uma resposta oficial do White Estate (EUA) sobre essa questão: as pessoas importantes dos EUA, no século XIX, eram geralmente homenageadas após sua morte, com a construção de um obelisco em seus túmulos.

Eis a resposta recebida:

Algumas pessoas manifestaram surpresa e preocupação ao encontrar um monumento em forma de obelisco no lote da família de Tiago e Ellen G. White devido à ligação do obelisco com o culto pagão do Egito e de outras associações questionáveis.

Evidentemente, porém, muitas pessoas no século XIX, não achavam que isso era um problema. Os adventistas da época parecem estar entre elas. Recentemente, encontramos correspondência relativa a esta questão entre as cartas de George I. Butler, que era presidente da Conferência Geral quando Tiago White morreu em 1881 e por vários anos depois. Em 12 de fevereiro de 1884, o irmão Butler escreveu a Sra. White:

"O monumento de granito escuro de a.C. que você examinou eu encomendei para a sepultura do seu marido na semana passada a convite de seu filho Willie. Ele me disse para cobrá-lo de você. Lamento fazer isto enquanto o dinheiro encontra-se no seu escritório, o qual amigos contribuíram para mostrar-lhe respeito pela sua memória. Willie expressou-me o desejo de colocar esse dinheiro no Conselho da Missão Européia, mas penso não estar autorizado a fazê-lo sem o seu consentimento. Há cerca de US$ 170 agora no escritório para esse objetivo e mais, que está assinado o qual será depositado se for pedido".

Isto indica que tanto a Sra. White quanto Willie White tinham visto o monumento, e Willie White deu a aprovação ao irmão Butler para comprá-lo. Uma carta do irmão Butler a Willie White em 10 de fevereiro daquele ano discute o preço do monumento "com a pedra comemorativa e outras pedras" e diz que "será erigido logo que você remeta a inscrição". É claro que a família White esteve envolvida na seleção do monumento.

Vinte anos depois, em 1904, a Sra. White escreveu sobre uma sugestão diferente para o monumento de Tiago White:

"Depois que meu marido tinha sido guardado na sepultura, os seus amigos pensaram em erguer um obelisco [shaft] quebrado como um monumento. 'Nunca!' disse eu, 'nunca!'. Ele fez, sem ajuda, o trabalho de três homens. Nunca um monumento quebrado será colocado sobre sua sepultura!"

Podemos apenas supor, mas pode ser que, em contraste com a sugestão, ela estava muito contente por ter um monumento simétrico e bem construído, colocado no jazigo da família.

Alguns têm perguntado sobre a suposta conexão do monumento com a maçonaria. Vendo o obelisco no jazigo da família, alguns até supuseram que a senhora White deve ter se envolvido com o movimento maçônico. Isto é uma conclusão injustificada. A senhora White foi uma franca oponente da maçonaria. Enquanto ela esteve na Austrália, ela exibiusinais secretos de altos maçons, que ela fez na presença de um obreiro adventista que estava profundamente envolvido com a maçonaria. Ela incitou-o a romper sua conexão com a maçonaria. Ela também aconselhou outros a não estar envolvidos com ordens maçônicas.

Então, por que um obelisco? Evidentemente Ellen White não o considerou inerentemente como um símbolo maçônico ou pagão, apesar do fato (se conhecido por ela ou não) que os maçons e os adoradores do sol o tenham usado. Os símbolos significam o que as pessoas os tomam para significar. A própria cruz foi uma vez um símbolo horroroso de opressão romana e crueldade, mas hoje os cristãos ao redor do mundo o mantêm como um símbolo da nossa redenção por Cristo. Os símbolos podem mudar seu significado.

Quando Tiago White começou a publicar a Review como uma publicação quinzenal (ficou semanal em setembro de 1853), junto com a data da publicação ele logo deu o nome padrão do dia da semana na qual foi publicada, ou na segunda-feira ou na quinta-feira (o dia da publicação variou um pouco naquele tempo). Logo, contudo, ele fez uma modificação. A edição publicada em “Quinta-feira, 12 de maio de 1853,” foi seguida duas semanas depois por aquela publicada em “o Quinto dia, 26 de maio de 1853.” Durante várias décadas a revista indicou seu dia de publicação diferentemente como "o Quinto dia" e "o Terceiro dia" (durante a Terça-feira), ao que parece pela preocupação sobre os dias terem sido chamados por nomes de deuses pagãos. Na edição de primeiro de janeiro de 1880, contudo, a Review voltou a utilizar os nomes padrãos.

Aparentemente nossos pioneiros decidiram desde então que o uso daqueles nomes não comprometeria sua fé. Ninguém que usa aqueles nomes hoje faz qualquer referência devota aos deuses pagãos. Os nomes simplesmente não simbolizam aqueles deuses para as pessoas hoje, apesar do que eles podem ter significado uma vez. Semelhantemente, qualquer significado oculto uma vez pode ter sido comunicado por um obelisco, pelo que eu saiba, no século XIX, pelo menos, este significado parece não mais estar em vigor para o povo em geral, embora ele tenha contínua importância mística para os maçons. Claramente, entretanto, a Sra. White não mantinha tais crenças.

William A. Fagal

Tradução: Minuto Profético

ABORTO É CRIME AOS OLHOS DE DEUS

AOS TEUS OLHOS PODERÁ NÃO SER CRIME, MAS, VOCÊ QUE APÓIA OU PRATICA VAI PRESTAR CONTAS COM DEUS E COMO TE SAIRÁ CARO.

Maçonaria: Senhas, palavras e juramento !!!


Maçonaria - Senhas Palavras e Juramento


Maçonaria: Senhas, palavras e juramento !!!
Senhas da maçonaria: existem algumas perguntas palavras secretasque identificam grau do maçom em cerimônia, mas essa identificação é feita por um simples aperto de mão em sociedade.
Existem diversas formas de apertar a mão que identificam o nosso grau na maçonaria.
Já cumprimentaram alguém queaperta a mão de uma forma estranha?
Poderá ser um maçom ou não.
Vou descrever os sinaispalavras eapertos de mão mais comuns, pois são os que mais vemos pelas ruas e na nossa política.
Os políticos são regra maçons debaixo nível e por isso os sinais que vou exemplificar cobrem a totalidade dapolítica nacional (Portugal).

1. BOAZ é a palavra secreta ou que serve de passe na iniciação do Primeiro Grau maçônico, que se refere a um dospilares do Templo de Salomão com o mesmo nome.
Boaz era também o nome maçônicoda torre norte do WTC a primeira a ser atingida pelo voo 11 no dia 11 de setembro de 2001, 11 é o numero maçônico para "destruição".


Os dois exemplos acima, são do aperto de mão de um aprendiz maçônico, ele coloca o seu polegar sobre a nós do dedo indicador de outra pessoa.
Este é um exemplo de aperto de mão entre dois aprendizes.
Durante cerimônias maçônicas existem diálogos decorados que são trocados durante o aperto de mão, mas em sociedade é o aperto em si que os identifica.

        A imagem acima, é um sinal de aprendiz.
É a posição em que toma ojuramento maçônico com um Bíblia na mão, pois a maçonaria atrai imensos católicos e são precisos diversos grausaté afastar as pessoas do catolicismo.


A imagem acima, é o sinal maçônicoque identifica por gestos o nível de maçom após o juramento, neste caso umaprendiz.
O sinal é um movimento de mão aberta, a passar pela garganta uma alusão à pena pelo juramento feito: "se violar este juramento, seja-me arrancada a língua, o pescoço cortado e meu corpo enterrado na areia do mar..."

2-SCHIBOLET é a palavra secreta ou que serve de passe no segundo grau maçônico.
Esta palavra dizem ter sido retirada da Bíblia ainda no velho testamento de uma história Bíblica que relatava o confronto de Jefté, general de Gileadecontra o exército de Efraim.
Estes dois povos eram difíceis de distinguir visualmente e Jefté como forma de destruir de vez com o exército deEfraim, resolveu após a guerra a forçar todos os homens a proferirem uma palavra, a palavra escolhida foi Schibolet, pois a população de Efraim pronunciavam o de uma forma diferente, dizendoSibolet, sendo imediatamente detidos e mortos. Esta palavra significa na maçonaria "O caminho".


A imagem acima representa o aperto de mão de dois maçons de segundo grau(Companheiros).
É um aperto de mão quase normalonde os maçons colocam o seu polegarfazendo pressão nos espaço entre asnozes dos dedos indicador médio.


O gesto acima descrito é a posição de juramento de uma maçom de segundo grau. Em que a mão esquerda repousa sobre uma Bíblia, um compasso e umesquadro.


Este sinal identifica o seu nível a suapenalidade por quebra do juramento: "que o meu peito seja aberto e meu coração arrancado e dado a bestas selvagens..."

3- JACHIN é o nome da outra coluna do Rei Salomão e o nome maçônico do torre sul do WTC e é a palavra passe de um maçom de terceiro grau.


É mais uma vez um aperto de mão normal, mas o maçom de terceiro graucoloca o seu polegar fazendo pressãosobre a noz do dedo médio.


Esta é a posição de juramento sobre a Bíblia compasso esquadro


Este é o sinal que identifica este maçom e a penalidade de quebrar ojuramento: "ter o meu corpo cortado as minha entranhas retiradas e tornadas cinza que será lançada aos quatro ventos..."

4- TUBALCAIM é a palavra secreta ou que serve de passe no quarto graumaçônico. Tubal Caim é dito ter sido o primeiro a trabalhar cobre e ferro.


Mais uma vez um aperto de mão normal onde o polegar faz pressão sobre a noz do dedo anelar.

5- MACABEUS é a palavra secreta ou que serve de passe no quinto graumaçônico e significa "o inicio da maçonaria" mas hoje é usada quando nos referimos a um maçon morto.


Este aperto de mão é chamado a "pata do leão" consiste em "abraçar" a mão da outra pessoa com o nossopolegar e dedo mindinho e ter os outros 3 dedos esticados tocando o pulso da outra pessoa.
Os 5 pontos da irmandade.
Os maçons tratam-se por "irmãos", ao contrário da Carbonária onde se tratavam como "primos". Abaixo um exemploformal de um cumprimento entre maçons:


Só verdadeiros maçons usam este cumprimento, ou seja depois do juramento do terceiro grau. Os 5 pontos são:
1-Pé no pé.
2-Joelho no joelho.
3-Peito no peito.
4-Mão nas costas.
5-Face na face.

Nesta posição o maçom de maior grau em sussurro diz "Mah-Ha-Bone" ao ouvido do maçon menor, impondo o seu poder sobre ele.
"Mah-Ha-Bone" é uma palavra que nenhum maçom profere sem ser nestas circunstancias.
Pedido de ajuda ou sinal de pânico ouproblemas.
Certamente já viram políticos emcrise a levantar as duas mãos durante um discurso.
Regra geral todos os políticos usamas mãos enquanto falam.
Segundo as regras da boa educação, é deselegante gesticular enquanto se fala, mas os maçons falam também com as mãos e este sinal é como que umarendição, como dizer "chega", "nada a fazer", "ajudem".


Tudo o que descrevi até agora, representa o básico da maçonaria que incluí toda a política mundial, música,cinematelevisão.
Os maçons de níveis superiores ficam na sombra.
Dan Brown é um maçom que pensa que as pessoas são parvas e na verdade até o são na sua grande maioria pois já vendeu 80 milhões de livros e quem os lêfica a pensar que conhece a maçonaria e Illuminati.
Lembram-se do livro e filme Anjos e Demônios em que os Illuminati tentavam ganhar influencia e controlo do Vaticano?
Isso é estúpido, pois o Vaticano sempre foi deles:

Ver as coisas como ficção ou mentiraé a melhor forma de as pessoas não enfrentaem a realidade.

Juramento

O juramento de iniciação maçônico tem algumas variantes consoantes a loja e não é secreto. Todos os graus possuem um juramento que variaunicamente na forma de castigo para o caso de revelarem segredos quebrando o juramento:

"Eu (citar o nome), juro e prometo, de minha livre vontade e por minha honra e por minha fé, em presença do Grande Arquiteto do Universo e perante esta assembléia de maçons, solene e sinceramente, nunca revelar qualquer dos mistérios da maçonaria que me vao ser confiados, senão a um legínimo irmão ou em loja regularmente constituida; nunca os escrever, gravar, imprimir ou empregar outros meios pelos quais possa divulgá-los. Se violar esse juramento, seja-me arrancada a língua, o pescoço cortado e meu corpo enterrado na areia do mar, onde o fluxo e o refluxo das ondas me mergulhem em pérétuo esquecimento, sendo declarado sacrilégio para com Deus e deseonrado para os homens, Amén."

Se certo dia proferi estas palavras sob juramento, por que motivo hoje o violo?
A resposta não poderia ser mais simples e só joga contra a maçonaria.
Este juramento refere o nome deDeus e termina com Amém, ou seja, quem faz este juramento pensa fazer um juramento religioso mas na verdade nem por isso.
palavra Deus é vaga, pois deixauma imensidão de deuses comopossibilidade. Por outro lado Amém, é levado não no sentido atual na origem da palavra que vem do Deus da criação chamado AmumAmonAmou ou Amen.
Em momento algum nos é dito por que Deus estamos a jurar, portanto para mim o juramento não tem qualquer valor pois "enganei-me" no Deus pelo qual jurei.
Na maçonaria o Deus católico temtanto valor como o Deus muçulmano, com o satanismo ou wicca, são todos objetos de estudo e não de veneração.
veneração é devida ao Deus da criação Amon Hórus e a Isis e nada mais.
Este juramento perde também todo o valor quando o estudo não chega e as cerimonias falham e não nos cegam.
Quando conseguimos absorver novo conhecimento sem esquecer quem somos nem de onde viemos.
Quando percebemos que podemos ir até onde queremos sem sermos levados no colo.
Quando sabemos que iremos mais dar mais valor aquilo que conseguimos quando o conseguirmos sozinhos, do que quando tudo nos é dado.
Quando percebemos que estamos a ver todo o quadro, o bem e o mal e percebemos que perdemos algo no processo, a nossa liberdade.
Quando vemos que estamos num mundo escuro de corrupção e crime, rodeados de criminosos que nunca serão punidos, e por jovens que caminha para essa vida de crime.
Quando percebemos que por maisaliciante que seja o conhecimento que nos é disponibilizado a cada grau daescada maçônica, esse conhecimento tem um custo e esse custo é a nossahonra, nossa integridadeliberdade.
Quando percebemos que mais vale viver um dia livre o  que uma vida de prisioneiro.
Quando percebemos que escreve o que estou a escrever me poderia custar mais do que aquilo que estou disposto a  dar, mas que vale a pena nem que seja uma única pessoa a ler essa palavras ( e claro, porque estou seguro).
Uma pessoa que dira a outra e essa outra a outra, pois um dia todos os maçons andarão entre nós devidamenteidentificados, comportando-se como senhores, como seres  superiores e nessa altura a sociedade estará educadapara os ver como elite, como escolhidos, como líderes.
Mas se em cada 100 houver um a falar a verdade que conhece, muita gente a saberá.
Muita gente perceberá que aqueles senhores dos aventais ridículos e defatinho preto, como grandes carros, apesar de serem simples fantochescontrolados pela mão Illuminati que lhes permite esses luxos poder, são de fato o lixo de nossa sociedade, são a maçã podre que contaminará o cesto todo, e que não parará enquanto toda a sociedade for pôdre como eles, e dessa forma os aceitar como líderes.
Nenhuma elite na história da humanindade conseguiu controlar toda a gente e dominar todo o mundo, e não serão estes senhores a conseguir esse feito. Mas para eles falharem as pessoas devem ACORDAR !!!!

Fonte: http://mapeamentoespiritual.blogspot.com.br/2010/04/maconaria-senhas-palavras-e-juramento.html