domingo, 27 de novembro de 2011

666 E A COROA DO PAPA NÃO PASSA DE FRAUDE


666 E A COROA DO PAPA NÃO PASSA DE FRAUDE

Acredito que poucas pessoas, católicos e evangélicos, não tenham ouvido algum dia dizer que o papa tem uma coroa com a inscrição: VICARIUS FILLI DEI, que traduzido em algarismos romanos daria o número 666, o número da besta do apocalipse. (Apoc 13: 16-18).
Esta tese encontra-se disseminada pelos meios evangélicos há mais de um século, mas foi através dos escritos de Urias Smith que ganhou força. Este líder adventista publicou em 1897 o livro Daniel e o Apocalipse, e nele desenvolve a teoria e cita duas testemunhas que viram a coroa papal com as inscrições. Uma disse que viu numa missa e a outra, no Museu. Ambas as declarações são colocadas em dúvida, pois a tiara com três coroas só era usada em coroações do papa.
Segundo a matéria de onde extraí esta notícia, a lenda da coroa papal com a inscrição, nunca foi defendida oficialmente pela Igreja Adventista do Sétimo Dia, mas encontra-se enraizada entre seus fiéis.
Vários estudos foram feitos, e enviados pesquisadores ao Vaticano para descobrir a tal coroa com a inscrição, e a conclusão que chegaram é que o título existe, ainda que não seja oficial e seja negado pela igreja. A coroa, porém, não foi encontrada até hoje.
Em 1905 o missionário adventista Chas T. Everson conduziu uma investigação completa e ficou desapontado por não encontrar a tal coroa com a inscrição.
O que impressiona neste estudo é o relato de que numa das fotos das coroas, tiradas por Everson, um artista adventista incluiu a inscrição Vicarius Filli Dei, e foi publicada no livro de Urias Smith, Daniel e o Apocalipse. Olha que nem havia photoshop... tinha que ser artista mesmo. Isto é uma fraude. A Conferência Geral Adventista mandou parar a impressão do livro e remover a fotografia fraudulenta.
Acadêmicos adventistas como Samuele Bacchiocci divulgam uma nova interpretação para o número 666, descartando a teoria da inscrição na coroa papal, como simples lenda. Claro que muitos adventistas não aceitam a nova interpretação, mas o estudo apresentado parece confirmar tratar-se mesmo de uma lenda, que nunca foi comprovada, ainda que reste a hipótese de terem sumido com a coroa.
Adventistas negam que a Babilônia é a Igreja Católica: (sorria com a desculpa esfarrapada).
Trata-se de um "acordo de respeito mútuo" assinado pelas lideranças da Igreja Adventista e da Igreja Católica na Polônia (terra natal do Papa João Paulo II). Através deste acordo a Igreja Adventista se compromete a respeitar a Igreja Católica e a Igreja Católica se compromete a não considerar a IASD como uma seita. Quem assinou o acordo foi o presidente da IASD na Polônia (Pr. Wladyslaw Polok) e o Arcebispo Alfons Nossol, diretor da Comissão de Assuntos Ecumênicos. Respeitar a Igreja Católica e não chamá-la de Babilônia é uma tendência mundial na Igreja Adventista que pode ser comprovada com uma simples leitura da lição.
A lição da Escola Sabatina desta semana (20 a 27/05/2000) fala sobre as três mensagens angélicas, mas não diz claramente que Babilônia é Roma e que a Besta do Apocalipse é o poder papal. Os termos "falsos sistemas religiosos" e "falsos sistemas de adoração" são utilizados para designar a Babilônia de Apocalipse 14. O romanismo saiu ileso.

DOMINGO DEIXOU DE SER O SELO DA BESTA

Trecho do livro “Confessions of a Nomad”: “Mas existe uma diferença entre o sábado e o domingo. Você trabalha até o Sábado, então você descansa. O Domingo é o dia que dá a você Força para trabalhar os seis dias a frente. O Sábado é o final da semana; Domingo é o início. O Sábado é de pôr do Sol a pôr do Sol, mas o Domingo é de meia noite a meia noite. O Sábado é um dia de descanso, mas o Domingo é um dia de adoração. Existe uma penalidade, caso você transgrida o Sábado; não existe penalidade para a transgressão do Domingo, exceto pelo fato de que você mesmo perde. O Cristão tira sua força do Domingo. Ele é um tempo de permitir Deus falar para o homem interior. Ele é um tempo quando nós tornamos real a prática a qual diz, com efeito, “Acalmai-vos e sabei que Eu sou Deus”. Os Cristãos tomaram o valor do Sábado Hebreu e adicionaram a ele a grande alegria da ressurreição de Cristo. Nós temos um casamento dos dois na comunidade Cristã. 
O mandamento disse: “Lembra-te do dia de descanso”. Assim, nós vimos juntos como um corpo de Cristo e relembramos o que Deus fez. Este é um sacramento. O estudo da Bíblia e a adoração fazem do Domingo um dia no qual a alma é revigorada, bem como um dia no qual o corpo descansa. Você pode perder uma festa à noite ou uma viagem à praia por observar o Sábado, mas você não perderá o Céu. Sua vida não irá se desintegrar. Depende somente de como você deseja despender seu tempo. Você poderá viver milhares de Domingos em sua vida adulta; como você irá passá-los?  
Thoreau disse que se você deseja destruir a fé Cristã, primeiramente tire o Domingo. Ele estava certo; este é um dia santo. Para aqueles que conhecem a Jesus Cristo como Salvador, este não pode ser um feriado. Para aqueles de vocês que têm se juntado em torno da cruz, e têm sido salvos e lavados pelo Seu sangue, é um sacrilégio fazer qualquer outra coisa naquele dia, exceto celebrar o que Deus fez.  
Se nós abusarmos do Domingo, estamos destruindo algo belo que Deus tem dado. Sem Domingo significa sem igreja; sem igreja significa sem adoração; sem adoração significa sem sociedade; sem sociedade significa sem moralidade; sem moralidade significa sem governo; sem governo significa anarquia. Esta é a escolha que está ante nós.”  
Este livro foi originalmente escrito e editado pela igreja batista. Agora, PASME! ESTE LIVRO FOI RE-EDITADO PELO DEPARTAMENTO MINISTERIAL DA CONFERÊNCIA GERAL DA IGREJA ADVENTISTA DO SÉTIMO DIA. Veja com os seus próprios olhos:


Há cinqüenta anos, adventistas, ao admitirem que os "domingueiros" não estavam em pecado, concluíram que qualquer dia da semana poderia ser guardado. Vejam na matéria a seguir que o Dr. Walter Martin não entrevistou gente miúda, pequenos adventistas, homens comuns da crença. Entrevistou "conceituadíssimos líderes". O livro com essas entrevistas foi exaustivamente revisado por "250 líderes adventistas". Veja bem, a palavra vem da cúpula adventista, de homens que exercem ou exerciam liderança no seio dessa religião. 
Houve realmente um consenso em torno dessa questão. Se há adventistas radicais que discordam dessa importante decisão, precisam primeiramente explicar por que, onde e como aqueles próceres erraram. Ao admitir que os domingueiros não estejam em pecado, admitiram, também, que os adventistas poderiam guardar o domingo. Num e noutro caso não haveria pecado. 
O foco da discussão deveria ser dirigido nessa direção. Por que esses proeminentes adventistas cederam? O que realmente aconteceu no seio adventista? Qual o pensamento predominante no adventismo brasileiro? Vejamos a matéria.
Extraída do Dicionário de Religiões, Crenças e Ocultismo, de George A. Mather & Larry A. Nichols, Vida, 2000, pg.194:
“Entre 1955 e 56, Dr. Walter Martin, um dos grandes apologistas da fé cristã em nossos dias e fundador do Christian Research Institute, EUA, entrevistou conceituadíssimos líderes adventistas em sua associação Geral (o órgão máximo do grupo), naquela época localizada em Takoma Park, Maryland, EUA. O resultado final da entrevista deu origem ao livro Seventh-day adventists answer questions on doctrine (Adventistas do sétimo dia respondem perguntas sobre doutrina), lançado em 1957 pela editora adventista Review and Harald Publishing Association. Antes de ser publicado, o manuscrito de 720 páginas foi revisado por 250 líderes adventistas. Foi destacado o seguinte”:
1.            Sabatismo: a guarda do sábado não propicia salvação; o cristão que observa o domingo não está em pecado; não é cúmplice do papado.
2.            2. Ellen G. White: seus escritos não devem ser colocados em pé de igualdade com a Bíblia; não são de valor universal, mas restritos à IASD.
3.            3. Santíssimo: Cristo entrou no Lugar Santíssimo por ocasião de sua ascensão, e não em 22 de outubro de 1844. Assim, as doutrinas do santuário celestial ser purificado e do juízo investigativo não tinham base bíblica. 
4.            "Houve, contudo, sérias controvérsias no seio da IASD devido ao livro, dando origem a dois movimentos: o tradicional e o evangélico. O primeiro recusava-se a abrir mão das posições acima, pois aceitá-las comprometeria a exclusividade da IASD como o remanescente, a única e verdadeira igreja de Cristo. O segundo advogava os conceitos expressos no Questions on doctrine. Estes não queriam deixar a IASD, apenas queriam uma reforma nas questões teológicas nada ortodoxas. Muitos desses, porém, por pressões internas, deixaram a IASD. Diante de tudo o que foi dito acima, concluiu-se que o adventismo com o qual o Dr. Walter Martin dialogou e aceitou como cristão não é mais o mesmo que presenciamos aqui no Brasil, pois rompeu com tudo aquilo abordado no Questions on Doctrine. Entretanto, não se pode negar que há dentro da IASD aqueles que almejam o retorno às formulações esboçadas e defendidas no Questions on Doctrine". 

LIVRO PUBLICADO EM INSTITUIÇÃO ADVENTISTA DO 7º DIA APRESENTA ÊNFASE NA OBSERVÂNCIA DO DOMINGO

A Associação Ministerial da Conferência Geral da Igreja Adventista do 7º Dia(IASD) (adventista) já distribuiu entre os pastores Adventistas gratuitamente, um livro que faz apologia ao domingo( justamente de um pastor Adventista do 7º Dia). Este pastor é o senhor Will Eva, ele é editor da revista Ministry, e autor do polêmico livro "Confessions of a Nomad". Para o pastor Will Eva da Associação Ministerial da Conferência Geral da Igreja Adventista do 7º Dia, o apóstolo Paulo em Romanos 7:4 quando escreveu: "Assim, meus irmãos, também vós estais mortos para a lei..."  significa que a lei é que está morta, com todos os mandamentos, inclusive o SÁBADO.
"All busy people yearn for a day of rest. God Himself gave His permission, a command even, for a day to all the soul and spirit to be refreshed. This is God’s gift to us. He will take care of us physically and spiritually if we follow His plan. Our systems need the replenishment. Sunday is a special day for this worship and refreshment."—Confessions of a Nomad, page 86. 
Toda pessoa ocupada anseia por um dia de descanso. Deus mesmo deu sua licença, mesmo um mandamento, para um dia que toda a alma e espírito tenha refrigério. Essa é uma dádiva de Deus para nós. Ele tem cuidado de nós fisicamente e espiritualmente se nos seguirmos seus planos. Nosso sistema precisa ser reabastecido. O domingo é o dia especial para adoração e refrigério.
 "If we abuse Sunday, we’re going to destroy something beautiful that God has given. No Sunday means no church; no church means no worship; no worship means no religion; no religion means no morality; no morality means no society; no society means no government; no government means anarchy. That’s the choice before us."—Page 120.
Se nós abusamos do domingo vamos destruir alguma coisa bela que Deus tem dado. Sem domingo significa sem igreja;
sem igreja significa sem adoração; sem adoração significa sem religião; sem religião significa sem moralidade; sem moralidade significa sem sociedade; sem sociedade significa sem governo; sem governo significa anarquia. 
Essa é a escolha perante nós.
"Worship: Real worship is not optional. You do not have to decide each Sunday morning whether or not you’ll worship each Sunday morning; it should be programmed into your life. Good conduct: It’s a time when you should do things that are holy. If you do a little planning, you don’t have to do your shopping on Sunday. There can be time to do things like that on other days. Remember that every day is His. We are not to give Him one day and do as we please the other six."—Page 121.
Adoração: A real adoração não é opcional. Você tem que decidir todo domingo pela manhã se deve ou não adorar; ela deve ser programada na sua vida. Deus instrui: Existe um tempo em que você deve fazer as coisas que são santas. Se você planejar um pouco, você não deverá fazer as suas compras no domingo. Existe tempo para fazer coisas como essa em outros dias. Lembre-se que cada dia é Seu. Nós temos que dar a Ele um dia e fazer as coisas que gostamos em outros seis. IMPORTANTE:  A Conferência Geral da Igreja Adventista do 7º Dia comprou o Copyright desse livro e tornou-se o único Editor autorizado por lei para publicá-lo!
A única explicação para a publicação desse livro, é mostrar às outras organizações protestantes, que a Igreja Adventista do 7º Dia, não mais se opõe aos principais pontos de vista dos protestantes e isso contribuirá para aproximá-la dos Protestantes. (comentários do site).
  "Originally published by Peachtree Publishers, Atlanta, Georgia, in 1983. All copy has been reset and repaginated. Several short portions have been edited to conserve space."—Copyright page.
Originalmente publicado por Peachtree Publishers, Atlanta, Georgia, em 1983. Todo o livro foi repaginado. Algumas partes foram omitidas para ocupar um menor espaço -- Página onde está o Copyright.
The early Christians were obsessed with the fact that they came out of a Jewish background. Yet God did something new and real for them in "the Easter experience, so they would have the Sabbath, arid so they would gather together as the Christian sect on Sunday morning and celebrate the resurrection. - Ibid. p. 118.
Os primeiros cristãos estavam obsecados pela origem judia. Aqui Deus tem uma coisa nova e real para eles, "a páscoa teria o sábado, árido que os une como uma seita Cristã, mas na manhã de domingo se celebra a ressurreição"
But there is a difference between the Sunday and the Sunday. You work until the Sabbath, and then you rest. Sunday is the day that gives you strength to work the six days in front of you. The Sabbath is the end of the week.Sunday is the beginning. The Sabbath is from sundown to sundown, but Sunday is from midnight to midnight. The Sabbath is a day of rest, but Sunday is a day of worship. The Sabbath has a penally to it. If you break it. Sundayhuts no penally, except that you shortchange yourself. Ibid. p. 118.
Mas existe uma diferença entre o sábado e o domingo. Você trabalha antes do sábado e então descansa. O domingo lhe dá força para trabalhar os 6 dias da semana que você tem pela frente.
O sábado é o fim da semana. O domingo é o começo. O sábado é de por do sol a por do sol, mas o domingo é de meia noite a meia noite. O sábado é o dia para descanso, mas o domingo é dia para louvor. O sábado tem uma penalidade se você quebrar ele. O domingo não tem penalidade, exceto se você limitar a si mesmo.
The Christian draws his strength from Sunday. Its a time to let God talk to the inner man. Its a time when we make real that practice which says, in effect. "Be still and know that I am God". The Christians took the value of the Hebrew Sabbath and added to it the great joy of the Christian resurrection. We have a marriage of the two in the Christian community. Ibid. p. 118
O Cristão recupera a força no domingo. É um tempo para deixar Deus falar com o homem interior.
Eu um tempo quando nós tornamos real a prática que efetivamente diz.......???  O Cristão tirou o valor do sábado judeu e adicionou o grande gozo da ressurreição. Nós temos o casamento dos dois na comunidade cristã.
The commandment said, "Remember the Sabbath Day". So weak come together as a body of Christ and remember what God has done. It's a Sacramento worship and Bible study make Sunday a date when the soul is rekindled, as well as a date when the body is rested. - Ibid. p. 118.
O Mandamento diz, "Lembra-te do Dia do Sábado" Então nós chegamos junto como o corpo de Cristo e lembramos o que Deus tem feito. É uma adoração do Sacramento e estudo da Bíblia fazer o domingo a data quando a alma ... bem como a data que o corpo descansou.
Be aware of your witness. What about your neighbor? Can he set his clock by the fact that your car pulls out of the driveway at a certain time on Sunday morning, and you're on your way to the worship of God? Don't forget the power of the witness; no man lives to himself, or dies to himself. - Ibid. p. 121.
Esteja ciente do seu testemunho. O que dirá o seu vizinho? Ele pode acertar o seu relógio, quando você tira o carro da garagem numa certa hora do domingo pela manhã e que você está indo para adorar a Deus ?  Não se esqueça do poder do testemunho, Nenhum homem vive por sí mesmo, ou morre para si Por aí se percebe como está a situação no meio adventista do 7º dia sobre essa questão.
O própria pessoa de Ennis Meier esteve com esse livro na mão dentro da loja ABC da associação Potomac, menos de 1 milha da Conferência Geral em Washington DC.
E recorda-se de ter constatado que a impressora  era a "Pacific Press". 
mesmo. Até aqui a citação do livro.
A Associação Ministerial  da Igreja Adventista do 7º Dia distribuia gratuitamente esse livro para todos os pastores Adventistas nos USA. (a Associação Ministerial foi quem negociou com o pastor batista os direitos autorais). Por dois anos a Associação Ministerial da IASD resistiu as críticas da Internet, porém,  finalmente decidiu retirar das lojas de livros adventistas.
Alguém descobriu que continuavam imprimindo o livro na Pacific Press.
A Associação Ministerial da IASD, inquirida a respeito, respondeu que agora estavam vendendo para as igrejas Batistas.
Ora vejamos, a casa editora Adventista(do 7º Dia), construida com dízimos e ofertas, imprimindo livro devocional que divulga o domingo como dia de guarda e vendendo para as igrejas Batistas !Haveria algo mais contraditório?! Esse livro estava sendo vendido dentro do recinto da Conferência Geral da IASD de Toronto, no Canadá.
Extraído do Dicionário de Religiões, Crenças e Ocultismo, de George A. Mather & Larry A. Nichols, Vida, 2000, pg.194 http://palavradaverdade.com/print2.php?codigo=1578