quarta-feira, 23 de maio de 2012

EMPRESA ESPIRITUAL DE GRANDES LUCROS


EMPRESA ESPIRITUAL DE GRANDES LUCROS

ÍNDICE

1.     INTRODUÇÃO
2.     ALERTA
3.     DÍZIMOS, IGREJAS, POBRES E DEUS
4.     DESTINO ANTIBÍBLICA AO DÍZIMO
5.     O DÍZIMO E O CRISTÃO GENUÍNO
6.     A PALAVRA DE DEUS E O ATO DE DIZIMAR
7.     OS PASTORES MENTEM
8.     PASMEM OS LEITORES
9.     INVESTIMENTOS EM CONFLITO COM AS CRENÇAS ADVENTISTAS
10.  FALSOS TESTEMUNHOS DE DIZIMISTAS
11.  BENEFÍCIOS MINISTERIAIS MENSAL

INTRODUÇÃO


Quando Deus instituiu o sistema de dizimar, Ele estabeleceu princípios sobre o sistema decimal, princípios este que nenhuma religião não reconhece como sendo obrigatório tanto quanto o ato de dizimar, isto descaracteriza todo o sistema, com Deus é tudo ou em parte não tem validade, ou seja, os pastores aceitam o dizimo e os reclama a si a contribuição, aos que não contribui ou questiona o sistema institucional como anti bíblico, eles afirmam que são ladrões os que não estão dizimando e os questionados.
Fica subentendido que os pastores estão na mesma situação tanto quanto os não dizimistas em conformidade com sua teologia, por dois motivos:
a) Não aceitam os princípios estabelecidos pelo Eterno no sistema dízimal;
b) Os pastores não devolvem dízimos, a missão ao pagar o salário já desconta automaticamente os 10%, ou seja, o pastor não tem como mostrar se é fiel ou não.
Já presenciei inúmeras vezes os membros não dizimistas serem taxados de ladrões nos púlpitos e por meios de artigos religiosos supostamente embasados nas Sagradas Escrituras, o curioso é que as lideranças só mostram a membresia o que lhes interessam, e jamais a verdade da instituição do dizimo.
Neste esboço eu mostro a verdade que eles jamais mostrarão por medo de diminuir as rendas adquiridas por meio de violentação psicológicas.
Como os pastores não têm como provar por meio da Palavra do Eterno que este rascunho é anti bíblico, porque os textos analisados conspiram contra eles, estão me difamando dizendo que estou entrando nas igrejas e fazendo baderna e anarquia, mas estão mentindo (Jo. 8: 44), jamais usei ou usarei de tais métodos. As igrejas por onde tenho passado são testemunhas vivas e oculares que falo a verdade, a não ser, que eles adoram a falsidade e a mentira.
Um pastor desesperado e sem capacidade espiritual ou bíblica para mostrar meu erro ele me fez duas ameaças: Que mandaria a policia me prender ou me denunciaria ao ministério público e que perpetraria um abaixo assinado negando minha entrada nas Igrejas Adventistas, mas, ele não tem bagagem legal para tal atitude, é só fazer o teste. Isto me fez pensar o seguinte: Se nossas leis permitissem matar como no tempo da obscuridade espiritual da idade média, eu já estaria eliminado há muito tempo.


Transcrição do e-mail enviado pelo pastor a um menor (meu filho) de idade com ameaças, é crime usar um menor para fazer ameaças: Avise ao seu pai que já falei com a polícia, ele sequer é membro da igreja, e o comportamento dele caracteriza anarquia. Se entrar em minhas igrejas para causar desordem, que vai tirá-lo de lá é a polícia. Tenha uma boa tarde. 02/10/2009 12:26 hs.



SEGUNDA AMEAÇA

2009/10/6 - hebersonlicar - pastordesbrava@hotmail.com
Meu querido... segundo o Ten Cel Celso, vc pode ir ao juizado agora mesmo.
Mas eu deveria já ter dado parte de você.
Não farei isso, pelo menos por enquanto, quero ver até onde vai sua presunção, dissimulação e falta de ética e respeito com as autoridades.
Antes de falar com o Hilquias, pobre menino que não tem culpa das ações do pai, aliás, um bom garoto por quem tenho muita admiração pela postura e humildade, diferindo-se do pai... liguei 3 vezes pra você, e não fui atendido.
Já sei de um irmão que recebeu o seu material, e só quero que saiba que, se continuar, farei um abaixo assinado por todas as igrejas, dizendo como nos sentimos prejudicados pela sua presença e pela distribuição de material que ofende nossas doutrinas e confissão de fé, e se a polícia não resolver, é para o ministério público que vamos.
Estou agindo como Cristo agiria (Jo 2: 13 a 25; Mt 21: 12 a 13; Mc 11: 15 a 19; Lc 19: 45 a 48). O bom pastor protege suas ovelhas. Oro ao Senhor para que ajude-o a ver o engano que está cometendo, e que a Sua mão não pese sobre a sua vida por estar lidando com desprezo com assuntos tão importantes. Que o Espírito Santo possa dar-lhe discernimento.
Não misturo amizade com trabalho, e não sei se posso considerá-lo um amigo pelo desrespeito demonstrado.
Mais do que palavras bonitas, a nossa vida e conduta falam mais alto sobre quem nós somos.
Um grande abraço, estarei orando por você.
 Heberson Licar

Comentário sobre a segunda ameaça - Jesus Cristo jamais ameaçou as pessoas com ações militares ou autoridades superiores terrenas simplesmente por elas discordarem de seus ensinamentos. Estamos em um país com liberdade de expressão e todos têm plena consciência disto menos vossa liderança IASD que entende que são donos da verdade e da liberdade de expressão, lendo de forma honesta você será conhecedor que não cometi nenhum crime, ao contrário de quem usou um menor para transmitir as duas ameaças. Outra informação: jamais utilizei de tais atitudes conforme o pastor alega, todo adventista honesto em Imperatriz são testemunhas que ele está mentindo. Jo. 8: 44.
Os textos de Ellen White que serão citados foram copiados do Cd 66 – Ellen White da CPB, este é o motivo pelo qual os textos poderá não coincidir com livros publicados. Se você quiser gratuitamente uma cópia do Cd eu darei para você conferir, motivo pelo qual existe um indivíduo mentindo nas Igrejas que estou citando texto inexistente, com isso alega que sou mentiroso. A outra situação é que os líderes e liderados estão insinuando que sou contra o dízimo com o intuito de desacreditarem minha pessoa, mas, não é verdade, a verdade é que estou questionando o sistema dizimal da religião e defendendo o sistema Bíblico. Desta forma a liderança de forma perspicaz continua inserindo na cabeça das pessoas a fé em uma mulher e a incredulidade na Palavra do Eterno.
Este estudo é direcionado aos adventistas, reformistas, dissidentes e a todos que depositaram sua fé na escritora americana Ellen White e as demais religiões que não seguem o sistema da Palavra do Eterno, as pessoas tem colocado a teologia, seus profetas e pastores acima da Palavra da Verdade como regra de fé e prática.

ALERTA


Este é um recado para que, como igreja ou particularmente possa refletir por si mesma, e fazer uma auto-avaliação sobre o que temos pregado e vivido, não quero que, simplesmente acreditem no que é afirmado, mas como os crentes bereanos verifiquem se os fatos são verídicos, e apenas aceitem o que a Palavra de Deus ensina, caso você tenha certeza absoluta que ela é realmente a verdade plena e absoluta para determinar quaisquer doutrinas ou, se os pastores e Ellen White são quem tem realmente a verdade pura e cristalina em oposição a Palavra do Deus.
É muito citado por nossos pregadores este texto do rei Davi: “Fui moço, e agora sou velho; mas nunca vi desamparado o justo, nem a sua semente a mendigar o pão”. (Sl. 37: 25). Bem na verdade, estes mesmos pregadores esquivam-se de ponderar sobre a verdade, ou seja, o motivo pelo qual o rei Davi proferiu estas palavras inspiradas pelo Eterno Espírito Santo. Ele só as proferiu esta declaração porque o sistema de Assistência Social Cristã instituído por Deus era colocado em prática e o mesmo não é colocado em prática em nossos dias, porque Ellen White é contra bem como os pastores. Se este escritor sagrado estivesse vivo em nossos dias ele exporia a comercialização da fé que é feita em nome da instituição Divina. E assim, as igrejas que deveria ser o exemplo para o mundo, abandonam milhares de pessoas passando fome e necessidade em seus meios, apenas para ter o bastante para sustentar seus luxos supostamente embasado nas Sagradas Escrituras.
Nesta analise contextual e Bíblica sobre a ASC, você deverá aceitar o que é Bíblico ou o que é instituição denominacional. Idéias teológicas, pastorais e as de Ellen White devem ser totalmente ignoradas, tão somente o que o Espírito Santo deixou nas Sagradas Escrituras é que devem ser aceito pelos que realmente são servos do Altíssimo.

DÍZIMOS, IGREJAS, POBRES E DEUS


Muitos estão ensinando o drízimo e o trízimo apenas com o interesse de aumentarem suas rendas por meio da desonestidade espiritual, quando em verdade e retidão só existe o dízimo que é a décima parte das bênçãos e jamais da renda do suor do rosto.
Os dízimos eram pagos do que era produzido na terra, ou seja, quem vivia na cidade e tinha seus ganhos por intermédio de suas profissões ou comercialização não pagavam, os dízimos jamais foram pagos com dinheiro, ouro ou qualquer outro meio, era apenas com a produção retirada da terra. Eram consagrados (separados) e levados ao Santuário (templo). "Todos os dízimos da terra, seja dos cereais, seja das frutas, pertencem ao SENHOR; são consagrados ao SENHOR. Lv. 27: 30
Pela lei do dízimo, as únicas pessoas autorizadas por Deus para recolher e cobrar são os levitas, nenhuma outra pessoa podia ou pode receber o dízimo para o serviço do Templo porque não estão autorizados por Deus ou pela lei; os levitas foram separados por Deus para trabalharem no Templo e eles não tinham propriedades e isto é que os mantinham e suas famílias. Os lideres e liderados estão ensinando que os pastores, diáconos e diaconisa são os substitutos dos levitas, esquecem eles que, quem se autodenomina de substituto da Tribo de Levi são os da sinagoga de Satanás, ou seja, se você acredita que houve substituição da Tribo de Levi por estas pessoas, tanto elas bem como você se constituem na Sinagoga de Satanás. ...e a blasfêmia dos que se dizem judeus, e não o são, mas são a sinagoga de Satanás. Ap. 2: 9. Eis que eu farei aos da sinagoga de Satanás, aos que se dizem judeus, e não são, mas mentem... Ap. 3: 9. “Dou aos levitas todos os dízimos em Israel como retribuição pelo trabalho que fazem ao servirem na Tenda (local de adoração) do Encontro”. Nm. 18: 21.
O dízimo era um imposto aos Israelitas para manterem os levitas, sacerdotes e sumo sacerdotes.  Assim, vocês apresentarão uma contribuição (imposto/taxa) ao SENHOR de todos os dízimos recebidos dos israelitas. Desses dízimos vocês darão a contribuição do SENHOR ao sacerdote Arão. Nm. 18: 28.
Todos os pastores e lideranças que jamais tiveram compromisso com a verdade mentem usando este texto com referência a coleta de dízimos, quando na verdade o Senhor Jesus estava ensinando o dever cívico de um verdadeiro cristão com as autoridades e leis terrestres referente aos impostos, ao falar de seus seguidores Ele deixou bem claro que nós estamos livres e sem compromisso de pagarmos impostos (dízimos) a liderança espiritual terrestres como se fosse a Deus. Dizem-lhe eles: De César. Então ele lhes disse: Dai pois a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus. Mt. 22: 21. - Disse ele: Sim. E, entrando em casa, Jesus se lhe antecipou, dizendo: Que te parece, Simão? De quem cobram os reis da terra os tributos, ou o censo? Dos seus filhos, ou dos alheios?
Disse-lhe Pedro: Dos alheios. Disse-lhe Jesus: Logo, estão livres os filhos.
 Mt. 17: 25 – 26.
Do dízimo que é arrecadado não pode ser pago o salário do Pastor, esta prática constituem em desvio e roubo a Deus. Pastor jamais foi levita ou substituto desta tribo, eles como substitutos dos levitas não passam lobos vestidos de ovelhas que comem a carne das ovelhas e se aquentam com suas lãs, enquanto as milhares de ovelhas estão passando frio e fome.
O local para entregar o dízimo é onde habita Deus ou seu nome, para quem é bom conhecedor de Sua Palavra sabe que Deus não habita em nenhuma organização religiosa ou em seus prédios que acham serem templos belos ou feios, a mentira é tamanha que eles inculcam na cabeça da membresia que o prédio é a casa de Deus: Mas o Altíssimo não habita em templos feitos por mãos de homens, como diz o profeta. At. 7: 48. ...não habita em templos feitos por mãos de homens. At. 17: 24. – Sendo assim, no prédio onde você congrega não pode ser pago o dízimo porque ali não é a casa de Deus e por não ter pessoas autorizadas pela lei e por Deus.
O dízimo faz parte da lei cerimonial e a igreja ensina que foi abolida, a mesma igreja ensina que a única lei da Bíblia que ainda está em vigor é a que consiste nos dez mandamentos. Um adventista tentou me enganar dizendo que mostraria o dízimo dentro dos dez mandamentos, ele tentou, mas não consegui-o simplesmente porque não existe, quando eles dizem que nos dez mandamentos está escrito o dízimo, estão mentindo. Jo. 8: 44.
Na antiga Aliança Deus havia escolhido o Tabernáculo, Santuário ou o Templo que são a mesma coisa, para ali habitar Seu nome que constitui a Sua presença. Então, para o lugar que o SENHOR, o seu Deus, escolher como habitação do seu Nome, vocês levarão tudo o que eu lhes ordenar: holocaustos e sacrifícios, dízimos e dádivas especiais e tudo o que tiverem prometido em voto ao SENHOR. Dt. 12: 11.
Na nova Aliança Deus rejeitou o sistema de Templos (prédios) e instituiu o verdadeiro adorador como sendo o Seu Templo, ou seja, o lugar para fazer habitação de Seu nome e Sua presença. Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós? I Cor. 3: 16. - Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos? I Cor. 6: 19.
Os verdadeiros adoradores não estão em prédios construídos por denominações religiosas, e sim, nas igrejas congregacionais sem uma liderança centralizada. Esta hora foi profetizada pela própria verdade que é Cristo e já chegou embora as pessoas pensem que os verdadeiros adoradores estejam em prédios com nomes definidos e registrados em cartórios. Deus não está a procura de alguma religião para ser sua igreja, Ele está em busca de verdadeiros adoradores para O adorarem sem a imposição de teologia ou metodologia religiosas. Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem. Jo. 4: 23.

Na nova aliança Deus rejeitou o sistema de Templos porque os mesmos sempre foram motivos para corrupção e distanciamento da verdadeira adoração, é tão verdade que na nova aliança não foi instituído Templos requeridos por Deus como na antiga dispensassão, quem instituiu a construção na nova aliança foi o Catolicismo Romano e os cristãos hodiernos apostatados e corruptos copiaram o sistema de construção e centralização de administração.
As igrejas em gerais não aceitam estas ordenanças de Deus porque estas denominações não conhecem a Deus e muito menos a espiritualidade de Sua Palavra. Apenas conhecem a letra de Sua Palavra e a letra apenas mata e jamais concede vida à igreja, esta é a razão pela qual as igrejas incham em quantidade de membros e a cada dia sucumbem na corrupção, desamor e distanciam as pessoas de Deus.   “Quem não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor”. I Jo. 4: 8.
Ao final de cada três anos, os dízimos teriam que ficar armazenado em cada cidade para ajudar a liderança da igreja que esteja em dificuldade, mas, na atualidade não podem ser socorridos porque os mesmos não fazem parte da tribo de Levi e jamais são substitutos dos mesmos; caso a igreja queira obedecer a Palavra de Deus, este recurso pode ser usado para socorrer pessoas de outras denominações que procurar ajuda na  igreja, socorrer os órfãos que nos procurar ou que os busquem em seus locais de sobrevivência, e as viúvas de nossas igrejas que estejam em situação difícil. Vocês já observaram que as únicas pessoas que alcançam prosperidade são os pastores de vossas igrejas e você fica a ver navios? Vou te explicar o porquê isto acontece: Nem você e muito menos a tua igreja obedecem aos princípios estabelecidos por Deus em relação ao dízimo, embora vocês pagam a décima parte do que ganham, quando na verdade deveria ser apenas do lucro e salário nunca foi e jamais será lucro.
As igrejas cumprem esta determinação do Eterno? Caso não haja estas necessidades, Jamais devem ser remetidas as missões porque as mesmas não são a casa do tesouro de Deus. E como as missões vão sobreviver sem os dízimos? Caro leitor, estas organizações que existem nas igrejas que criam hierarquia foram copiadas da igreja Católica e a mesma imitou a organização religiosa pagã, ou seja, não tem validade para Deus.
 "Ao final de cada três anos, tragam todos os dízimos da colheita do terceiro ano, armazenando-os em sua própria cidade, para que os levitas, que não possuem propriedade nem herança, e os estrangeiros, os órfãos e as viúvas que vivem na sua cidade venham comer e saciar-se, e para que o SENHOR, o seu Deus, os abençoe em todo o trabalho das suas mãos. Dt. 14: 28,29. -
O que as igrejas fazem para apaziguar a consciência sobre a deturpação e manipulação que elas fizeram em relação a coleta do dízimos é fazer substituição desta instituição divina, fazendo campanhas medíocre para arrecadar alimentos e muitas vezes, quando arrecada muito alimento mandam para a ADRA o que não estaria errado se a mesma fizesse um trabalho de amor e jamais promulgador do nome da instituição, o erro está em deixar o da congregação passando fome como eu presenciei e mandar para outros estados e ainda exigir contribuição do miserável que nem pra ele e sua família tem, quando Deus instituiu a forma correta de assistência social para os menos favorecidos da igreja é para que por meio desta ação seja demonstrado que temos o amor, temor e obediência a Palavra de Deus, ao contrário fica impossível de provarmos que somos povo de Deus se não praticarmos o verdadeiro e genuíno amor.
Depois de arrecadarem o dízimo era feito outro dízimo do que havia sido coletado e esta parte ficava armazenado no templo. Nos sistema da Igreja Adventista do Sétimo Dia e dos Movimentos de Reformas, todo o dízimo arrecadado vai para a missão, não fica um centavo no caixa da igreja local o que contraria as ordenanças de Deus. Um sacerdote descendente de Arão e jamais um pastor substituto do sacerdote, acompanhará os levitas no ato de receberem os dízimos, e os levitas terão que trazer um décimo dos dízimos ao templo de nosso Deus, aos depósitos do templo. Ne. 10: 38.
O importante nas igrejas é você pagar o dízimo para o pastor sob a pena de ser excluído (expulso) da igreja, caso você queira algum cargo na igreja você só o terá se pagar a bagatela de dez (10%) de tuas rendas, se não pagar você não obterá nenhuma posição de destaque na igreja. Você poderá fazer o que quiser na vida, se você é um bom dizimista você não será excluído (expulso) do rol de membros. “Vão a Betel (aos templos religiosos) e ponham-se a pecar (obedeça a teologia e jamais a Deus); vão a Gilgal (nas sedes administrativas de vossas igrejas) e pequem ainda mais”. Ofereçam os seus sacrifícios (paguem suas ofertas, dízimos, pactos) cada manhã, os seus dízimos no terceiro dia. Am. 4: 4.
Quando a pessoa está em pecado público, não é lícito receber o dízimo dela, todas as igrejas recebem e o motivo é de suma importância porque é ganho e lucro fácil que os motivam a receberem, e jamais a salvação da pessoa. E ofertar e dizimar não é garantia de serem aceitos por Deus e muito menos de serem abençoados, e quem não paga não é a garantia de está perdido e ir para o inferno.
Este texto é usado com ar doutorais para chamar em público os não dizimistas, ou dizimistas eventuais de ladrões e ainda lançam sobre eles o destino da perdição e da maldição, mas esquecem eles que pastores não pagam dízimos, a missão desconta automaticamente do salário deles, o que é totalmente diferente de quem é dizimista. Dizem: “Você não pode ser abençoado por não pagarem o dízimo, porque vocês estão roubando a Deus”. Então pergunto: “Porque o dizimista fiel investe algo que ele tem e em vez de prosperar vai é a falência? Porque o não dizima investe o mesmo valor e prospera? Onde esta o erro? Em Deus com certeza não, porém, os que reclamam os dízimos e ofertas por não saberem ou fingirem que não sabem explicar, inventaram um bela desculpa quando a bênção não vem: Para receber a bênção você só receberá se não estiver em falta em outras coisas, mas, se não pagar você estará roubando a Deus.
O aprendizado que temos nas Sagradas Escrituras é que, quando Deus chamou os Israelitas e toda a liderança de ladrões, eles estavam pagando o dízimo, se você ler com o olhar da honestidade verás que não há afirmação de que eles não estavam pagando o dízimo. Israel nunca deixou de pagar o dízimo durante sua história. O que estava acontecendo é que na época do Profeta Malaquias o povo de Israel pagavam o dízimo, mas, não estavam colocando os princípios estabelecidos por Deus sobre o dízimo em prática, é a mesma coisa que as igrejas fazem hoje. Cobram o dízimo mas, não aceitam em hipótese alguma os princípios estabelecidos por Deus "Pode um homem roubar de Deus? Contudo vocês estão me roubando. E ainda perguntam: 'Como é que te roubamos?' Nos dízimos e nas ofertas. Vocês estão debaixo de grande maldição porque estão me roubando; a nação toda está me roubando. Ml. 3: 8,9.
A primeira pessoa a colocar em prática a lei do dizimar foi Abraão, antes dele não tem nenhum registro bíblico. A outra questão é que Abraão pagou uma única vez o dízimo e não foi de seus bens ou seus lucros, e sim, do que ele tomou dos reis ao os matar e resgatar seus parentes, servos e moradores dos reinos. - E bendito seja o Deus Altíssimo, que entregou os teus inimigos nas tuas mãos. E Abrão deu-lhe o dízimo de tudo. 
Gn. 14: 20. - Este homem, porém, que não pertencia à linhagem de Levi, recebeu os dízimos de Abraão e abençoou aquele que tinha as promessas. He. 7: 6.
Os que defendem o pagamento do dízimo em nossos dias, são pessoas que metem afirmando que o sábado é o dízimo do tempo semanal, mas não é verdade. Se você for dizimar o tempo semanal seria a décima parte e convertido em horas teria apenas 16:08 horas, como dízimo do tempo não seria de 24:00 hs. Da forma como o mesmo é guardado jamais será o dízimo do tempo, portanto, o sábado não é dízimo do tempo semanal, apenas um sétimo do tempo e jamais um décimo, sendo assim, o sábado como sendo o dízimo do tempo é mais uma mentira para enganar os que não conhecem a Deus e Sua Palavra. Fica um questionamento: Deus está com os mentirosos?
Jacó fez o voto de pagar o dízimo de tudo o que Deus lhe concedesse, fica um questionamento: A quem ele entregou o dízimo? “E esta pedra que hoje coloquei como coluna servirá de santuário de Deus; e de tudo o que me deres certamente te darei o dízimo”. Gn. 28: 22.

O dízimo dos seus rebanhos, um de cada dez animais que passem debaixo da vara do pastor, será consagrado ao SENHOR. O dízimo era pago do que a terra produzisse e jamais do ganho das pessoas que trabalhassem para o dono da terra ou do salário de uma pessoa da cidade, bem como do ganho de alguma profissão. O dízimo é a décima parte, ou seja, depois de recolhido o que a terra produzia o agricultor dividia em dez partes iguais e uma parte ele entregava aos levitas, a questão é que as igrejas alem de cobrarem o dízimo estão enganando e roubando a consciência do povo recebendo e em muitos casos cobrando mais que a décima parte. Isto é roubo a Deus e as pessoas. O dízimo sobre a produção da terra era feita apenas uma única vez no ano. No tocante a todas as dízimas do gado e do rebanho, tudo o que passar debaixo da vara, o dízimo será santo ao SENHOR. Lv. 27: 32. - “Separem o dízimo de tudo o que a terra produzir anualmente”. Dt. 14: 22. - O dízimo é a décima parte, ou seja, divide-se o lucro em dez partes iguais e tira uma para ser entregue no templo, algumas pessoas estão devolvendo mais que isso e a igreja os enganam dizendo que estão certos, a verdadeira igreja de Deus em hipótese alguma engana ou acoberta mentiras. E na sua boca não se achou engano; porque são irrepreensíveis diante do trono de Deus. Ap. 14: 5.
As pessoas foram ordenadas por Deus e autorizadas a comerem seus dízimos, isto só poderia ser feito no local em que Deus escolheu para habitar o Seu nome, não poderia ser feito em qualquer lugar, foi uma das formas que Deus usou para que seus servos aprendessem temer Seu nome. Caso o local da habitação de Deus fosse muito longe para ser carregado o dízimo, a pessoa deveria vender e levar em forma de dinheiro corrente até o Santuário, ao chegar a pessoa não era para pagar o dízimo com o dinheiro, deveria comprar o que quisesse: bois, ovelhas vinho ou bebida destilada ou qualquer outro tipo de alimentação que desejasse, o patriarca reunia sua família e ali poderiam comer o dízimo e alegrar-se com sua família. O interessante é que, em nossos dias se o pai de família tiver em casa apenas o dízimo e não tiver nada para comerem, os pastores dizem que não podem comer o dízimo em hipótese alguma, e os mesmos pastores não movem um dedo para socorrer as ovelhas. São lobos vorazes que só sabem comer a carne das ovelhas e venderem suas lãs. Comam o dízimo do cereal, do vinho novo e do azeite, e a primeira cria de todos os seus rebanhos na presença do SENHOR, o seu Deus, no local que ele escolher como habitação do seu Nome, para que aprendam a temer sempre o SENHOR, o seu Deus. Mas, se o local for longe demais e vocês tiverem sido abençoados pelo SENHOR, o seu Deus, e não puderem carregar o dízimo, pois o local escolhido pelo SENHOR para ali pôr o seu Nome é longe demais, troquem o dízimo por prata, e levem a prata ao local que o SENHOR, o seu Deus, tiver escolhido. Com prata comprem o que quiserem: bois, ovelhas, vinho ou outra bebida fermentada, ou qualquer outra coisa que desejarem. Então juntamente com suas famílias comam e alegrem-se ali, na presença do SENHOR, o seu Deus. Dt. 14: 22 – 26.   
Deus ordena para seus servos, que ao separarem o dízimo de tudo o que foi produzido no terceiro ano, devem ser entregues aos órfãos, viúvas, levitas (pastor jamais foi ou será substituto) e aos estrangeiros que são pessoas que não fazem parte da mesma fé, para que eles tenham com o que se manter e sair do estado fomizerado. “Quando tiverem separado o dízimo de tudo quanto produziram no terceiro ano, os anos do dízimo, entreguem-no ao levita, ao estrangeiro, ao órfão e à viúva, para que possam comer até saciar-se nas cidades de vocês”. Dt. 26: 12.
A profetiza do povo do Advento ensina que é pecado obedecer a Deus, em outras palavras: Se eu der crédito e aceitar o que Deus ordena estarei declarando que Ele ensina a verdade e Ellen White a mentira; se eu der crédito e aceitar o que Ellen White ensina estarei declarando que Ellen White ensina a verdade e Deus a mentira. O dízimo é separado para um uso especial. Não deve ser considerado fundo para os pobres. Deve ser dedicado especialmente ao sustento dos que estão levando a mensagem de Deus ao mundo; e não deve ser desviado desse propósito. Review and Herald, 1º de dezembro de 1896.
Os dízimos devem ser levados e entregues onde Deus habita, e neste contexto há outro princípio estabelecido por Deus o qual não é aceito e obedecido por toda a liderança das igrejas generalizadas, para eles se colocarem este principio estabelecido por Deus de assistência social dizimal e negado por Nossa Senhora Ellen White é grande pecado, ou seja, obedecer ao principio de Deus estaria roubando e isto o coloca como uma pessoa não apta a está na eternidade com Deus, mas obedecer a Ellen White e a seus princípios antibíblico é ser honesto e está salvo. Que principio é este que a ordenança de uma mulher substitui a do Eterno? Gl. 1: 6 – 9.
Deus ordena que seus servos entreguem seus dízimos no templo para que o mesmos seja mantido com os recursos dos dízimos e jamais por meio pedinte como são feitos nas igrejas, manter a igreja é pagar água, luz, pintar ou reformar bem como construir, como os templos de hoje não são a casa de Deus, neste caso, é totalmente anti bíblico levar e entregar os dízimos nos templos, não há levitas consagrados para receber. - Tragam o dízimo todo ao depósito do templo, para que haja alimento (manutenção, sustento) em minha casa. “Ponham-me à prova”, diz o SENHOR dos Exércitos, "e vejam se não vou abrir as comportas dos céus e derramar sobre vocês tantas bênçãos que nem terão onde guardá-las. Ml. 3: 10. – A casa de Deus nos dias hodiernos é o teu próprio corpo e jamais os templos construídos ou as suas organizações religiosas, deve ser mantido sim com o  dízimo sem esquecer dos órfãos, viúvas ou os que não fazem parte de nossa fé, fica a questão: Devemos obedecer a Deus ou a Ellen White?
A profetisa da mentira ensina e contradiz a Deus ensinando que o dízimo deve ser apenas para o pagamento dos salários pastorais, a Palavra do Eterno jamais ensina ou insinua tal afirmação. Em caso algum deve ser esse fundo dedicado a qualquer outro uso; deve ser unicamente dedicado ao sustento do ministério do evangelho. Depois de ser o dízimo posto à parte, sejam as dádivas e ofertas proporcionais: "conforme a sua prosperidade". I Cor. 16:2. Review and Herald, 9 de maio de 1893.
Foi-me mostrado que é um erro usar o dízimo para atender a despesas ocasionais da igreja (se for verdade o que ela escreveu, este errou partiu de Deus e ela surgiu para corrigir o erro de Deus). Neste ponto, tem havido um desvio dos métodos corretos. Seria muito melhor vestir de maneira menos dispendiosa, reduzir vossos desejos, praticar a abnegação e atender a essas despesas. Assim fazendo, tereis uma consciência limpa. Mas estais roubando a Deus cada vez que pondes a mão no tesouro a fim de tirar fundos para atender às despesas correntes da igreja (se atender as despesas da igreja de Deus  como Deus ordenou seria roubo? Será melhor ser ladrão obedecendo a verdade de Deus ou ser honestos obedecendo a verdade de Nossa Senhora White)? - Special Testimony to Battle Creek Church, págs. 6 e 7 (agosto de 1896).
Quem está ensinando a verdade sobre a forma correta do ato correto de dizimar: É o Deus Todo Poderoso ou a deusa egípcia e poderosa Ellen White? É o Senhor Deus Todo Poderoso o eterno ou Nossa Senhora White que é a verdade que nos salva? É impossível você seguir a dois deuses. Se a pessoa ouve a voz de Deus ele está adorando o Eterno Deus da verdade; se a pessoa aceita os princípios dos livros de Ellen White em substituição a que está na Palavra, esta pessoa está adorando-a no lugar do Eterno, podem negar como quiserem, mas o fruto que você produz o denuncia. Não terás outros deuses diante de mim. Ex. 20: 3.

DESTINO ANTIBÍBLICO AO DÍZIMO


Se for verdade que não podemos usar o dízimo conforme a orientação dada por Deus em Sua Palavra, porque o dízimo é usado pela igreja para fins que não tem nenhuma relação para o ministério da palavra como ordenado pela grande deusa dos Amalequitas Senhora White?
Tenho em mãos um folheto oficial e original que mostra o destino dado aos dízimos, portanto, vamos à relação, o nome do folheto é: PLANO 10. Vou relatar apenas o que não está correto:
1.     9% para o IAJA (jubilação de obreiros) – estes não estão na ativa, ou seja, não poderiam ser sustentados com os dízimos, e sim, apenas pelo INSS, já que a igreja paga esta contribuição.
2.     6% Ensino Religioso 1º Grau (ESCOLA ADVENTISTA) – na verdade não é bem assim, o ensino religioso não é pregação do evangelho, é apenas uma escola particular e com objetivos de lucros.
3.     4% Ensino Religioso 2º Grau (ESCOLA ADVENTISTA) – na verdade não é bem assim, o ensino religioso não é pregação do evangelho, é apenas uma escola particular e com objetivos de lucros.
4.     3% Ensino Religioso 3º Grau (ESCOLA ADVENTISTA) – há crescimento da igreja com o trabalho das escolas supostamente religiosas? Mas a verdade é que o ensinou religioso (teologia) é particular e com objetivos de lucros.
5.     Um raciocina que o dízimo pode ser aplicado para fins escolares. CSM 102 – A igreja usa para fins escolares sem escrúpulos.
O interessante é que temos duas lições que podem ser extraídas:
I.          As escolas Adventistas poderá alegar que estão reservando um percentual para atender a demanda de baixa renda, mas não é verdade, elas foram obrigadas por um decreto federal que devem ter este percentual, é tão verdade que antes não havia esta abertura gratuita.
a)            – As escolas são particulares e as mensalidade muito caras e mesmo sendo dizimista se você não tiver condições de pagar as mensalidades, é impossível você colocar o filho para estudar nelas. Este percentual que vai para as escolas, se fosse usado como ordenado por Deus para a assistência na igreja local e não por meio da ADRA que beneficia pessoas supostamente em lugares distantes o que não estaria errado caso o fosse, mas, a Palavra de Deus ensina que primeiro são os de casa, ou seja, da igreja local e se sobrar é que será destinado a outros lugares, não teríamos muitos irmãos passando fome em nosso meio o que é vergonhoso.
II.                Vou relatar um episódio que aconteceu na última que campanha que presenciei em nossa cidade, conheço uma irmã e uma família da igreja Adventista, eles não são pobres, vivem em extrema miséria, e uma líder teve a coragem de entregar ao chefe desta família duas sacolas da ADRA e ainda disse a ele que teria que levar a igreja as duas sacolas cheias, e ele disse que talvez ele levasse uma pela metade e a tal líder disse: Você tem que trazer às duas cheias que são ordens lá de cima (ordens dos pastores). A campanha que esta igreja realizou foi um ato de amor? Ou foi um simples ato para se autopromoverem perante a missão?
b)      Já que os fariseus (pastores) ainda persistem em cobrar o dízimo, embora eles mesmos não pagam, estão esquecendo e desprezando a justiça e o amor de Deus. "Ai de vocês, fariseus, porque dão a Deus o dízimo da hortelã, da arruda e de toda a sorte de hortaliças, mas desprezam a justiça e o amor de Deus! Vocês deviam praticar estas coisas, sem deixar de fazer aquelas”. Lc. 11: 42. – A conta que os escribas (escolas e universidades Adventistas, Católicas e Evangélicas) e fariseus (líderes espirituais) vão pagar é muito pesada, eles não pagam mas obrigam seus liderados a pagarem o dízimo até mesmo de quem vende hortaliças para ter alguma coisa a dá para suas famílias comerem, e o pior de tudo é que morrerão como vendedor de hortaliças e em seus casebres, eles não prosperam como iludem seus pastores enquanto isso seus pastores vão prosperando. Estes líderes e pastores esquecem o mais importante que está escrito na lei: A JUSTIÇA, A MISERICÓRDIA E A FÉ que uma vez foi entregue aos santos. A verdade é esta: Se a pessoa está na maior pindaíba, passando grandes necessidades ou mesmo fome com sua família e a única alternativa que a pessoa tem é um trabalho que surgiu sem a dispensa do sábado, se a pessoa for trabalhar é expulsa da igreja pelo disfarce da exclusão, porque está em grande pecado, só que, os mesmos que dão a sentença não movem um dedo para solucionar o problema da pessoa, porém, se a pessoa mesmo estando condenada ao inferno por eles, e esta pessoa condenada levar o dízimo e oferta a igreja recebe, mas o amor que os teria dado dignidade espiritual e material é impraticável por tais líderes, porque teriam que desobedecer a deusa Senhora White para obedecer ao Deus verdadeiro.
c)                 Estes pastores e os líderes espirituais das igrejas são hipócritas, farisaicos e versados na mentira e engano. Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Porque dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho, e tendes omitido o que há de mais importante na lei, a saber, a justiça, a misericórdia e a fé; estas coisas, porém, devíeis fazer, sem omitir aquelas. Mt. 23: 23. - E como desculpas por as mesmas não prosperarem é dito a elas supostamente perdida: É que você não tem fé, ou, você está praticando algo errado por isso você não é abençoado. Você leitor já viu uma pessoa encher a barriga e pagar o aluguel somente com a fé? Os recursos materiais são os dízimos como já vimos anteriormente. Observem bem a Palavra de Deus: Se alguém tiver recursos materiais e, vendo seu irmão em necessidade, não se compadecer dele, como pode permanecer nele o amor de Deus? Filhinhos, não amemos de palavra nem de boca, mas em ação e em verdade. I Jo. 3: 17,18.
Qual a vantagem em a pessoa afirma que tem fé se não tem obras a serem vistas? O que mais vemos nos meios evangélicos são pessoas passando fome, necessidades e com carência de roupas, enquanto isso poucos ficam ostentando roupas caríssimas, transporte movidos a combustível e ao verem seu irmão em situação degradante ainda têm a audácia de dizerem: Feliz sábado irmão, ou, paz do Senhor irmão. Tudo isto é hipocrisia e satanismo. De que adianta, meus irmãos, alguém dizer que tem fé, se não tem obras? Acaso a fé pode salvá-lo?  Se um irmão ou irmã estiver necessitando de roupas e do alimento de cada dia e um de vocês lhe disser: "Vá em paz, aqueça-se e alimente-se até satisfazer-se", sem porém lhe dar nada, de que adianta isso? Tg. 2: 14 – 16.
Para os que condenam a pessoa porque a única alternativa que tem para sustentar sua família é um emprego que não há dispensa do sábado, seria muito bom que eles lessem os seguintes textos: Observe a formiga, preguiçoso (o impressionante é que o adventista guarda o sábado e o domingo ao mesmo tempo e feriados santos), reflita nos caminhos dela e seja sábio!  Ela não tem nem chefe (pastor, organização religiosa), nem supervisor (Ellen White ou teólogos), nem governante (anciãos de igreja), e ainda assim armazena as suas provisões no verão e na época da colheita ajunta o seu alimento (ou seja, a necessidade não marca dia ou hora e tem mais, isto nos deixa a lição que estas lideranças espirituais mais atrapalham que ajudam). Até quando você vai ficar deitado (se banqueteando com o dízimo senhores pastores sem trabalhar?), preguiçoso (todos os templos são construídos e mantidos com o esforço dos irmãos e jamais de pastores)? Quando se levantará de seu sono (posição intocável pastoral)? Tirando uma soneca, cochilando um pouco, cruzando um pouco os braços para descansar (descansar no sábado, no domingo e segunda feira é prioridade, você sabia que os pastores adventistas guardam é a segunda feira?, a família fica em segundo plano, pois o sábado e o dízimo é que agrada a Deus e a família passar fome é sacrifício a Deus), a sua pobreza o surpreenderá como um assaltante (não estão preparados para encontrarem O grande juiz), e a sua necessidade lhe sobrevirá (por isso que as igrejas são frias, sem amor, pobres espiritualmente e sem misericórdia) como um homem armado. Desta forma a obra e o amor de Deus têm sido escandalizados por atitude radical dos pastores por terem suas mesas fartas com a gordura e carne das ovelhas, e quando as mesmas não produzem para suas mesas os chamam de ladrões e ainda os condenam ao fogo do inferno, e as que produzem mantimentos para seus luxos são exploradas de forma irresponsável alegando se derem mais além da décima parte estarão agradando a Deus e juntando tesouro no céu, e sobe a orientação de Ellen White ensinam que não devem angariar bens em beneficio próprio porque é contrária a vontade do Eterno, desta forma milhões estão preocupados em dá dinheiro e prédios para as igrejas pensando que estão aplicando na obra de Deus, quando em verdade estão apenas sustentando o luxo e o egoísmo de poucos homens em detrimento da orientação dada por Deus em Sua Palavra. Pr. 6: 6 – 11.
As pessoas pensam que fazer a obra de Deus é pregar as doutrinas da igreja e construir templos, fazer tudo que a instituição religiosa ordena, crer e aceitar as doutrinas impostas pela igreja. Pobres coitados, agem desta forma porque não conhecem a Deus e muito menos o Seu Poder.
As pessoas fazem tudo errado para Deus porque não O conhecem, lêem Sua Palavra mas não entendem a essência da mesma, jamais creram no Messias, tem depositado a fé em seus pastores e no falso cristo, este é o grande motivo que os tem levados a não fazerem a verdadeira obra de Deus. A verdadeira obra do Eterno Deus é esta: A obra de Deus é esta: Crer naquele que Ele enviou.  Jo. 6: 29.
Estes crentes e seus líderes preferem crer na doutrina da instituição, na instituição,  no slogan da igreja, em seus ritos, em seus líderes,  em seus profetadas, em seus livros denominacional, e ainda tem a petulância em afirmar que ao levar estes conhecimentos estão fazendo a obra de Deus.
Queira você ou não, aceite ou não, creia você ou não, determine você ou não...
A verdadeira obra de Deus é esta: CRER NO ETERNO SENHOR JESUS CRISTO E NO ETERNO QUE O ENVIOU.
Se você aceitar e crer desta forma estará afirmando que Deus e Sua Palavra são verdadeiros, caso não creia nesta verdade você estará declarando que Deus e Sua Palavra são mentirosos.
A diferença entre as formigas e as igrejas que se auto denominam de cristãs é esta: As formigas não têm líderes, mas nenhuma passa fome; as igrejas têm líderes e tem milhares de irmãos passando fome espiritual e fisiológica. Igrejas arrecadam mais de RS$ 20 bilhões por ano no Brasil - http://abibliafontedeverdade.blogspot.com.br/2013/03/igrejas-arrecadam-mais-de-rs-20-bilhoes.html
Se você está passando por necessidades ou até mesmo fome e a única oportunidade de trabalho que encontraste foi um emprego que tem que trabalhar no sábado, pondera nestas palavras, este é o caso dos pastores, colocam os membros para trabalhar no lugar deles: Quando ainda estávamos com vocês, nós lhes ordenamos isto: Se alguém não quiser trabalhar, também não coma. II Te. 3: 10.
O impressionante é que as pessoas guardam o sábado ou o domingo e feriados, pagam dízimos e não têm descanso algum, vivem sobrecarregados, aflitos e muitos entrando em depressão.
Nem comemos coisa alguma à custa de ninguém. Ao contrário, trabalhamos arduamente e com fadiga, dia e noite, para não sermos pesados a nenhum de vocês. II Te. 3: 8.
Ellen White ensina que para as despesas dos cultos e assistência social era arrecadado um segundo dízimo do lucro, mas não é verdade ela está mentindo, a verdade é que, não existia um segundo dízimo dos lucros, e sim, o dízimo tirado do dízimo que era o segundo dízimo.
Ellen White chama Deus de mentiroso: A fim de promover os cultos, bem como para fazer provisões aos pobres, exigia-se um segundo dízimo de todo o lucro. Com relação ao primeiro dízimo, declarou o Senhor: "Aos filhos de Levi tenho DADO TODOS OS DÍZIMOS em Israel." Núm. 18:21. Mas em relação ao segundo Ele ordenou: "Perante o Senhor teu Deus, no lugar que escolher para ali fazer habitar o Seu nome, COMERÁS OS DÍZIMOS DO TEU GRÃO, do TEU MOSTO, e DO TEU AZEITE, e os PRIMOGÊNITOS DAS TUAS VACAS E DAS TUAS OVELHAS; para que APRENDAS A TEMER AO SENHOR TEU DEUS todos os dias." Deut. 14: 23. B.S. 273
Em que devo crer e depositar a minha fé? Porque só serei salvo se eu crer nos livros de Ellen White? Seria Jesus incompetente para sozinho me salvar e precisaria de uma cosalvadora a semelhança dos romanos? Creio plenamente e sem reserva de domínio que o SENHOR JESUS CRISTO é suficientemente competente para me salvar, e para isto só preciso: “Quem, pois, me confessar diante dos homens, eu também o confessarei diante do meu Pai que está nos céus”. Mt. 10: 32. - Se você confessar com a sua boca que Jesus é Senhor e crer em seu coração que Deus o ressuscitou dentre os mortos, será salvo. Rm. 10: 9.
Para ser salvo eu não preciso da deusa dos Amalequitas Ellen White, não preciso de uma instituição religiosa e muito menos destes falsos pastores.
O dízimo não era pago com dinheiro, e sim, com a produção agrícola, e os mesmo devem ser pagos apenas aos sacerdotes e sumo sacerdotes bem como aos levitas, entregar hoje nos templos para uma meia dúzia de pastores se beneficiarem é uma afronta e descrédito a Deus e Sua Palavra. Tomará o dízimo das vossas sementes e das vossas vinhas, para dar aos seus oficiais e aos seus servos. I Sm. 8: 15.
O que acontecia no passado tem acontecido de forma contundente em nossos dias.
Ai de vós, escribas e fariseus (pastores e líderes), hipócritas (sem credibilidade com Deus)! Porque dais (no caso dos pastores IASD eles não dizimam, a missão paga o salário já descontado o dízimo) o dízimo da hortelã, do endro e do cominho, e tendes omitido o que há de mais importante na lei, a saber, a justiça (ter as pessoas de formas iguais), a misericórdia (saber, conhecer e socorrer as ovelhas) e a fé (esta fé não é no que Ellen White escreveu ou nas doutrinas da igreja, e sim, a fé que uma vez foi entregue aos santos); estas coisas, porém, devíeis fazer, sem omitir aquelas. Os líderes das igrejas sufocam o amor de Deus e ao próximo de forma cruel e ímpia como se o mesmo fosse uma erva daninha que leva a pessoa para o inferno, e logo em seguida andam mentindo afirmando que nos dez mandamentos está a verdadeira expressão do amor, quando em verdade o Espírito Santo afirma que os dez mandamentos expressam: a) Lei (mandamentos) DA MORTE - E, se o MINISTÉRIO DA MORTE, gravado com letras em pedras. II Cor. 3: 7. b) Lei (mandamentos) da CONDENAÇÃO. Porque, se o ministério da CONDENAÇÃO. II Cor. 3: 9. c) Lei (mandamentos) da escravidão. - Do monte Sinai, gerando filhos para a SERVIDÃO. Gl. 4: 21 – 31 - Mt. 23: 23.
Só podem ser aceito dízimos e ofertas do que é ganho com o suor do rosto, da prostituição, de bares ou roubos não podem ser aceito. Um pastor adventista me disse o seguinte: Eu sei que o cara roubou um banco e se trouxer o dízimo eu aceito. Somente tomarás as coisas santas que tiveres, e as tuas ofertas votivas, e irás ao lugar que o Senhor escolher. Dt. 12: 26.
Uma senhora da Assembleia de Deus comprou uma tele sena do programa Silvio Santos e quando chegou em casa com a novidade, o marido quase a abandona por ela está em grande pecado, quando chegou ao conhecimento do pastor o mesmo a excluiu (expulsou) do rol de membros alegando o que ela havia feito era coisa do Diabo. Ela mesmo triste e decepcionada apenas guardou o bilhete e após um ano ela foi aos correios resgatar a parte que lhe cabia por direito, ao apresentar o bilhete ela teve uma grande surpresa, ela tinha ganho o prêmio máximo. Quando chegou ao ouvido do dito pastor que a irmão estava cheia da grana, imediatamente ele foi visitá-la e disse a ela que o dízimo tinha que  ser pago porque era do Senhor, ela afirmou que ia dizimar, mas em outra igreja porque o dinheiro que ela tinha ganho conforme as palavras e atitude do pastor era do diabo e não poderia dizimar na igreja dele. O impressionante de tudo é que a atitude da irmã só era pecado enquanto ela não tinha ganhado nada, após ser premiada a tele sena deixou de ser coisa do Diabo.
Conheço uma irmã adventista, alguns anos atrás ela estava grávida e o marido desempregado, estava chegando o dia de a criança nascer e não tinham nada para a criança. A sua cunhada a convidou para irem a rua e ela disse que só poderia ir se a mesma pagasse sua passagem de coletivo, e assim combinaram e foram. Ao passarem em frente de uma lotérica esta irmã falou a sua cunhada se tivesse dinheiro ia comprar uma raspadinha e sua cunhada concedeu a grana e ela comprou, ao raspar uma estava premiada com uma grana boa, ela pegou o dinheiro e foi a rua e comprou o enxoval completo, ao retornar ela comprou outras raspadinhas e tinha uma premiada e ela recebeu a grana e fez uma bela feira. Fica um questionamento: Foi Deus ou o Diabo que abriu as portas para ela já que a suposta igreja de Deus jamais a ajudou em alguma coisa?
Os bares são centros de prostituição, pessoalmente conheci um dono de bar que pagava o dízimo e ofertas de seus ganhos na IASD Movimento de Reforma, e a palavra de Deus é bem clara ao ensinar que a pessoa que está em pecado não pode dizimar e não podem receber, mas, como para os pastores e lideranças o que importa são o montante arrecado não há importância em desobedecer a Deus, desde que haja lucro nos cofres da igreja. Não tragam ao santuário do SENHOR, o seu Deus, os ganhos de uma prostituta ou de um prostituto, a fim de pagar algum voto, pois o SENHOR, o seu Deus, por ambos tem repugnância.  Dt. 23: 18.
A profetisa do povo do advento Ellen White escreveu que a permanência da lei do sábado e do dízimo no na nova aliança é uma suposição. O que é suposição não é verdade a ser praticada e obedecida. Sendo assim, os Adventistas e Reformistas não estão vivendo uma verdade segundo a profetisa, ou seja, eles vivem uma utopia religiosa. De igual maneira, o dízimo de nossas rendas "santo é ao Senhor". O Novo Testamento não dá novamente a lei do dízimo como também não dá a do sábado; pois pressupõe (HIPÓTESE – PRESSUPOSIÇÃO) a validade de ambos, e explica sua profunda importância espiritual. Beneficência Social. 66.-
É ensinado por toda a liderança da igreja e conseqüentemente pelos liderados que Jesus aboliu as leis cerimoniais e que a única (quando se usa o termo “ÚNICO”, é porque não existe outra opção) lei que está em pleno vigor é a lei de Deus que consiste em dez mandamentos, o curioso é que o dízimo faz parte da lei cerimonial e jamais da moral. Lei moral é um título criado para dar ênfase a lei das pedras. Sendo a lei do dízimo cerimonial não tem importância obedecer ao que foi revogado, o importante é dar lucro aos pastores.
Alguém poderá dizer: Não é verdade que o dízimo faz parte da lei cerimônia, pois antes de Moisés já era praticado o dízimo. Se tal raciocínio for verdade, neste caso, o sacrifício de animais também não faz parte da lei cerimonial, pois, o mesmo já era praticado mesmo antes do Dilúvio.
Outra curiosidade é que, o sacerdócio foi mudado e a Palavra de Deus diz que em conseqüência desta mudança houve mudança da lei do sacerdócio e a do dízimo, ou seja, como podemos viver por conveniência ou lucratividade espiritual? Porque a lei do dízimo não foi repetida na nova aliança? Porque o dízimo tem sido tão importante e a misericórdia, o amor e a fidelidade têm sido ignorados?  Certo é que, quando há mudança de sacerdócio, é necessário que haja mudança de lei, e foi abolida com a mudança do serviço sacerdote da tribo de Levi para a de Judá e consequentemente foi cancelada as leis do dízimo e sacerdotal. Pois quando há mudança de sacerdócio, é necessário que haja mudança de lei. He. 7:1 - 12.
Estes líderes alem de explorarem as ovelhas ainda a incentivam a se sacrificarem, se o patrão não vos liberar no sábado perca o emprego para não transgredir o sábado, e quando a pessoa faz conforme sua orientações ao passarem fome ou necessidade estes mesmos pastores não movem um dedo em misericórdia ao miserável. “Vão aprender o que significa isto: 'Desejo misericórdia, não sacrifícios. Pois eu não vim chamar justos, mas pecadores".  Mt. 9: 13.
 - Se vocês soubessem o que significam estas palavras: 'Desejo misericórdia, não sacrifícios, não teriam condenado inocentes. Mt. 12: 7.
As igrejas que evocam a si o título “SOMOS A ÚNICA IGREJA DE DEUS NA TERRA” estão colocando em prática a orientação da deusa do Advento e jamais do Deus de Abraão.
A consagração a Deus de um décimo de toda a renda quer fosse dos pomares quer dos campos, dos rebanhos ou do trabalho mental e manual; a dedicação de um segundo dízimo (este segundo dízimo não é uma contribuição paralela, e sim, o dízimo tirado do próprio dízimo) para o auxílio dos pobres e outros fins de benevolência, tendia a conservar vívida diante do povo a verdade de que Deus é o possuidor de todas as coisas, e a oportunidade deles para serem portadores de Suas bênçãos. B.S. 274. Observaram a que profetisa usou uma verdade para ensinar a mentira? Jo. 8: 44.
O dízimo devia ser consagrado ao Senhor, sendo usado sempre para o sustento do ministério. Homens deviam ser escolhidos para superintender a obra de cuidar dos pobres, zelar pela distribuição correta dos meios em mãos, a fim de que nenhum dentre os crentes sofresse necessidades. IDEM. 275. O dízimo não deveria ser consagrado, já o era desde o inicio.
Estas pessoas na concepção dela já existem que são os diáconos e diaconisas, porém, falta-lhes as condições necessárias que a igreja não as concede, caso contrário o luxo dos pastores teriam que ser bem menos e isto os constrangeriam. As pessoas escolhidas para essa obra precisam ser aprimoradas estudantes da Bíblia; homens que tenham profunda experiência cristã; e seu ordenado deve ser pago do dízimo. IDEM. 431.
Bem na verdade, a igreja criou a tal de ADRA que é uma forma de enganar e apaziguar as consciências por não cumprirem as normas estabelecidas por Deus para a assistência social dos mais necessitados, se você fizer uma pesquisa sobre a ADRA você vai descobrir que ela não é bem o que eles mostram. A ADRA foi criada apenas para ter uma aparência de uma igreja filantrópica o que na prática não é. Homens e mulheres de Deus, pessoas de discernimento e sabedoria, devem ser designados para cuidar dos pobres e necessitados, dando o primeiro lugar aos domésticos da fé. Essas pessoas devem relatar à igreja, e aconselharem-se quanto ao que deve ser feito. B.S. 194.
Porque a citação acima não é prática de vossa igreja?
Os que assumem posição ao lado do Senhor devem ver nos adventistas do sétimo dia um povo cordial, abnegado, altruísta, que alegremente e com prazer ministram a seus irmãos em necessidade. É especialmente desta classe que o Senhor fala quando diz: "E recolhas em casa os pobres desterrados”. Isa. 58:7. Testimonies, vol. 6, pág. 85.
Declarações de Deus: Seria este o jejum que eu escolheria: que o homem um dia aflija a sua alma, que incline a cabeça como o junco e estenda debaixo de si pano de saco grosseiro e cinza? Chamarias tu a isso jejum e dia (o dia do jejum foi especialmente escolhido pelas igrejas o sábado como um dia especial e específico para a prática do jejum) aprazível ao Senhor? Porventura, não é este o jejum que escolhi: que soltes as ligaduras da impiedade (não existe algo mais cruel e desumano do que você ver nas igrejas tantas pessoas passando fome e necessidades enquanto a chamada salva são cheias com dízimos e ofertas, isto é impiedade, não era para ter uma pessoa passando fome ou necessidade no meio do povo que se dizem serem de Deus e que amam o próximo, tudo isto acontece porque tais igrejas jamais conheceram ao Deus de amor), que desfaças as ataduras do jugo (As igrejas mantém as pessoas amarradas e escravizadas ameaçando-as se não lhes derem dez por cento de suas rendas elas vão para o inferno, se não obedecerem às doutrinas serão excluídas “expulsas” do rol de membros e consequentemente estarão perdidas), e que deixes livres os quebrantados (as igrejas mantem os abatidos e humildes sobre rédeas curtas, lhes impõem normas que nem mesmo a liderança as colocam em prática por serem pesadas), e que despedaces todo o jugo (o julgo que um membro de uma igreja carrega é um absurdo e quando a pessoa resolve não mais se submeter a eles e passam a carregar o julgo de Cristo que é suave e leve, eles expulsam “excluem” a pessoa por ser uma erva “joio” daninha)? Porventura, não é também que repartas o teu pão com o faminto e recolhas em casa os pobres desterrados (a igreja verdadeira cuida de seus pobres e miseráveis, providencia comida com o dízimo por ser ordenança de Deus, aos que não tem nem onde morar é providenciado um teto mesmo simples e humilde que seja, se você observar com honestidade não é isto o que está acontecendo com os supostos igrejeiros de Deus)? E, vendo o nu, o cubras e não te escondas daquele que é da tua carne (lembro-me que uns anos atrás eu estava em uma situação nada confortável, chequei ao ponto que na sexta-feira minha mãe colocava minha calça jeans no tintou para eu vestir no sábado porque eu só tinha uma calça, certo dia eu vou ao encontro JÁ e o bolso da calça estava rasgada e um dos anciãos muito bem de condições financeiras viu meu estado e disse: Eurias se eu fosse você eu teria vergonha de vir à igreja com uma calça dessas).
E ele ainda é um líder respeitado e considerado um homem de Deus, já pensou se ele não fosse? Então, romperá a tua luz como a alva, e a tua cura apressadamente brotará, e a tua justiça irá adiante da tua face, e a glória do Senhor será a tua retaguarda (vocês já observaram que eles se unem nas quartas-feiras para orarem e não há respostas? Já observaram que a depressão virou uma praga no meio do povo supostamente seguidores de Deus? Seriam realmente estas igrejas de Deus). Então, clamarás, e o Senhor te responderá; gritarás, e Ele dirá: Eis-Me aqui; acontecerá isso se tirares do meio de ti o jugo (exclusão dos necessitados que trabalham no sábado por falta de opção, os famintos, os miseráveis e semi nus, suprindo suas necessidades), o estender do dedo e o falar vaidade (nós somos o povo de Deus exclusivo e as demais igrejas estão erradas, nós somos o povo do amor porque guardamos os dez mandamentos, nós temos uma profetisa, nós guardamos o sábado e vocês o domingo); e, se abrires a tua alma ao faminto e fartares a alma aflita, então, a tua luz nascerá nas trevas, e a tua escuridão será como o meio-dia. “E o Senhor te guiará continuamente, e fartará a tua alma em lugares secos, e fortificará teus ossos; e serás como um jardim regado e como um manancial cujas águas nunca faltam.” Isa. 58:5-11. Por não obedecerem este conselho do Eterno é que, as igrejas crescem em número e cai na qualidade espiritual tornando morada de demônios e toda sorte de ave imunda.
A religião verdadeira não é a que guardam o sábado, pagam dízimos, fala língua estranha ou seguem a suposta mãe da verdade que é Ellen White ou a suposta mãe de Deus que é Maria.
A religião pura (sem manchas moral ou espiritual, verdadeira e única de Deus) e imaculada (lavada e purificada com o sangue do Cordeiro de Deus e que suas doutrinas são perfeitas) perante o Pai é esta: "Visitar os órfãos (no sentindo de suprir suas necessidades por meio do dízimo) e as viúvas nas suas tribulações (no sentindo de suprir suas necessidades por meio do dízimo) e guardar-se da corrupção (certas doutrinas falsas da teologia) do mundo." Tg. 1: 27.
Notem cristãos egoístas, toda negligência aos pobres e órfãos necessitados, é negligência a Jesus na pessoa deles. B.S. 40.
Com a suposta determinação de não roubarem a Deus, os pobres não podem comer do dízimo como ordenado por Deus, só os Pastores é que tem esta autorização da profetisa Ellen White e os famintos estão sendo desprezados, menosprezados e ignorados.
Devemos aproximar-nos dos pobres e viciados, os que caíram pela intemperança. BS. 73.
A OBRA QUE CADA IGREJA DEVERIA FAZER - Recolher o necessitado, o oprimido, o aflito, o que sofreu perdas, é justamente a obra que toda igreja que crê na verdade presente devia estar realizando há muito tempo. Cumpre-nos mostrar a terna simpatia do samaritano em suprir as necessidades físicas, alimentar o faminto, trazer para casa os pobres abandonados, buscando de Deus continuamente a graça e a força que nos habilitem a chegar às profundezas da miséria humana, e ajudar aqueles que absolutamente não podem ajudar a si mesmos. Realizando essa obra, temos uma favorável oportunidade de apresentar o Cristo, o Crucificado. S.C. pág. 188.
Em vez de gastarem e investirem nos seus membros e os incentivarem a gastarem milhares de reais em cursos que não levam a nada para capacitarem os membros a serem úteis a sociedade e a própria igreja, eles estão investindo em poço sem fundo com cursos sem utilidades, o que capacita à pessoa na obra de Cristo é o Espírito Santo e jamais estes cursinhos medíocres; a prova é tão verdadeira que apesar de tantos cursos que são feitos e muita vezes sob sacrifício dos participantes é que, a cada dia que passa a vida espiritual da igreja vai minguando e a qualidade espiritual vai se deteriorando tornando a igreja tão corrupta e distante de Deus como qualquer organismo do mundo, então o que fazer de útil para e pelos membros?
Devemos sim nos capacitar para a obra de Cristo estudando Sua Palavra e buscando a unção do Espírito Santo, os cursos que tem sido oferecido têm alcançado apenas o objetivo de promover o ego pessoal dos participantes, instrutores, líderes e não tem trazido nenhum benefício espiritual ou material para a igreja.
Quer algo de útil para a igreja, a sociedade e a Deus? Invistam nos pobres com cursos seculares profissionalizantes para que eles deixem de viverem em estrema pobreza e até mesmo na miséria, é este o verdadeiro jejum que Deus quer da igreja, e jamais estes cursos e jejuns medíocres sem benefício espiritual ou material.
O que a igreja deve fazer para evitar tais problemas? É deixar de ministrar os cursos espirituais supérfluos e medíocres que não tem proveito material e espiritual e criar formas de cursos seculares para colocar no mercado de trabalho os pobres e os desempregados, desta forma terá proveito material e espiritual porque estará de forma prática mostrando o amor ao solucionar o problema do indivíduo e a própria receita dizimal e oferta terá acréscimo, se eles quiserem continuar cobrando embora não tem embasamento nas Sagradas Escrituras, ao menos terão uma bela desculpa que investiram na pessoa até que seria justo desde que os cursos sejam gratuitamente.
Esta é a orientação da escritora Ellen White e profetisa do povo do advento.
Há um vasto campo de trabalho tanto para mulheres como para homens. A cozinheira eficiente, a costureira, a enfermeira - de todos estes é necessário o auxílio. Que os membros de famílias pobres sejam ensinados a cozinhar, a costurar e consertar suas próprias roupas, a tratar dos enfermos e a cuidar devidamente do lar. B.S. 75.
Deveis primeiramente satisfazer as carências materiais dos pobres, e aliviar suas necessidades e sofrimentos físicos, e depois encontrareis caminho franco ao seu coração, onde podereis plantar as boas sementes da virtude e da religião. S.C. pág. 132.
Os pobres devem ser socorridos, cuidados os doentes, os aflitos e os que sofreram perdas confortados, instruídos os ignorantes e os inexperientes aconselhados. Cumpre-nos chorar com os que choram, e alegrar-nos com os que se alegram. Aliado ao poder de persuasão, ao poder da oração e ao poder do amor de Deus, esta obra jamais ficará sem frutos. A.B.V. págs. 143 e 144.
Toda igreja deve ser uma escola missionária para obreiros cristãos. Seus membros devem ser instruídos em dar estudos bíblicos, em dirigir e ensinar classes da Escola Sabatina, NA MELHOR MANEIRA DE AUXILIAR OS POBRES E CUIDAR DOS DOENTES (em vez de seguirem o conselho da Palavra de Deus e de vossa profetisa, vocês preferem fazerem campanhas medíocre), de trabalhar pelos não-convertidos. Deve haver cursos de saúde, de arte culinária, e classes em vários ramos de serviço no auxílio cristão. Não somente deve haver ensino, mas trabalho real, sob a direção de instrutores experientes. Que os mestres vão à frente no trabalho entre o povo, e outros, unindo-se a eles, aprenderão em seu exemplo. Um exemplo vale mais que muitos preceitos. A. C.B.V. pág. 149.
Há uma relação entre a religião de Cristo e os pobres. O cristianismo é o consolo dos pobres. Há uma falsa religião perigosa à alma de todos os que a praticam, segundo a qual todo prazer e satisfação egoísta é a suma da felicidade. B.S. 172.
Os pobres entre o povo de Deus não devem ser deixados sem provisão para suas necessidades. Deve ser encontrado algum caminho pelo qual possam obter o seu sustento. Alguns terão de ser ensinados a trabalhar. Outros que trabalham duramente e se esforçam ao extremo para o sustento de suas famílias necessitarão assistência especial. Devemos tomar interesse nesses casos e ajudá-los a conseguir emprego. Deve haver um fundo de auxílio (e este fundo de auxílio Deus disse para tirar do dízimo) para socorrer famílias pobres dignas que amam a Deus e guardam os Seus mandamentos. BS. 179.
É dever de cada igreja fazer arranjos cuidadosos e prudentes para o cuidado dos pobres e enfermos. Carta 169, 1901.
O pastor deve instruir as diferentes famílias e fortalecer a igreja para que cuide de seus próprios enfermos e pobres. B.S. 181.
As igrejas que têm pobres em seu meio não devem negligenciar a sua mordomia, deixando com o hospital a responsabilidade pelos pobres e enfermos. Todos os membros das diferentes igrejas são responsáveis perante Deus por seus pobres. Devem levar sua própria carga. Se tiverem pessoas enfermas em seu meio, a quem desejam ver beneficiadas por tratamento, devem, se possível, enviá-las ao hospital. Assim procedendo não somente estão beneficiando a instituição que Deus estabeleceu, mas ajudam os que necessitam auxílio, cuidando dos pobres como Deus requer que façam. Testimonies, vol. 4, pág. 551.
Quando os pobres do Senhor são negligenciados e esquecidos ou recebidos com indiferença ou com palavras cruéis, deve o culpado ter em mente que está negligenciando a Cristo na pessoa dos Seus santos. Pobreza e miséria nas famílias virão ao nosso conhecimento, e os aflitos e sofredores terão de ser socorridos. ... Não espereis que venham a vós. Notai suas roupas pobres e ajudai-os, se necessitam de auxílio. BS. 183.
Em vez de animar os pobres a pensarem que podem receber sua comida e bebida de graça, ou quase de graça, precisamos colocá-los em situação de se ajudarem a si mesmos. Devemos esforçar-nos por prover-lhes trabalho e, se necessário, ensiná-los a trabalhar. Ensinem-se os membros de famílias pobres a cozinhar, a fazer e remendar suas roupas, e cuidar devidamente do lar. Ensine-se aos rapazes e meninas, de maneira cabal, algum ofício ou ocupação útil. Precisamos educar os pobres a dependerem de si mesmos. Isto será real auxílio, pois não somente os faz capazes de se manterem por si, como os habilitará a ajudarem aos outros. T.S. vol. 2, pág. 516.
Dando instruções em atividades práticas, podemos muitas vezes ajudar os pobres da maneira mais eficaz. Em regra, os que não foram exercitados no trabalho não têm hábitos de laboriosidade, perseverança, economia e abnegação. Não sabem se dirigir. Freqüentemente, por falta de cuidado e são discernimento, há desperdícios que lhes manteriam a família com decência e conforto, fossem cuidadosa e economicamente empregados. "Abundância de mantimento há na lavoura do pobre, mas alguns há que se consomem por falta de juízo." Prov. 13: 23.
Tomem os familiares conta de seus próprios parentes pobres, e a igreja cuide de seus próprios membros necessitados. Essa é precisamente a obra que Deus deseja que a igreja faça, e por fazê-la receberá uma bênção. B.S. 238.
Devidamente dirigida, essa obra salvará muitos pobres pecadores negligenciados pelas igrejas. T.S. vol. 2, págs. 517 e 518.
A obra pelos pobres não tem limite. Ela nunca pode ser concluída e precisa ser tratada como parte do grande todo. B.S. 258.
O que está acontecendo que a igreja não pode mais seguir as orientações dada pela Palavra de Deus e as orientações da escritora Ellen White? Teria perdido o sentido de seguirmos as regras divinas e os bons conselhos desta escritora?
Não é pecado a igreja investir na capacitação profissional de seus membros para os colocarem no mercado de trabalho, o problema é que, é mais conveniente investir em cursos de autopromoção que é totalmente inútil para a vida espiritual e material, é o que tenho presenciado no passar dos tempos com o grande aumento da apostasia assolando a igreja, só reafirmando o que anteriormente foi dito: Quem nos capacita para a pregação do Evangelho e nos torna imunes da apostasia é o ESPÍRITO SANTO, o que Ele nos faz lembrar não é a extensão de cursos que são feitos, e sim, o estudo pessoal da PALAVRA DE DEUS. Também não é pecado a igreja usar o dízimo para socorrer os necessitados por ser ordenança do Eterno, e quem ensinar ao contrário disto está mentindo e convertendo pessoas a mentira.
Na verdade não sou contra o fato da pessoa dizimar se elas querem continuar perdendo tempo é problema pessoal dela e também não sou a favor do ato de dizimar das igrejas, sou a favor do dízimo bíblico e contra o sistema das igrejas que é antibílblico, no dízimo bíblico ele foi abolido com a vinda do Messias, o que não posso é ficar calado diante dos atos absurdos que mostra a aplicação de forma errada à luz da Palavra de Deus, não sou como os dissidentes que ficam caluniando os pastores dizendo que os mesmos estão roubando, não é verdade, já que não são colocados em pratica os princípios bíblicos para Deus os pastores e toda a organização estão roubando. Você em particular pode sim, colocá-los em prática, entregando a parte pertencente quem de direito que são os pobre, viúvas e órfãs, você mesmo pode transformá-lo em alimento e entregar pessoalmente e jamais por meio de terceiros, a quem de fato tem necessidade dentre nossos irmãos carentes. Caso você tome esta atitude bíblica os líderes vão insinuar que você está seguindo o erro ao ficar com a Palavra de Deus.
Eu pergunto a você que alega crer na Palavra de Deus: É melhor exercitar a orientação dada por Deus utilizando o dízimo para dá comida a quem tem fome, ou é melhor exercitar a orientação dada por Nossa Senhora White afirmando que é pecado colocar em prática estas orientações dadas por Deus?
Mas Pedro e João responderam: "Julguem os senhores mesmos se é justo aos olhos de Deus obedecer aos senhores e não a Deus”. At. 4: 19.
“Pedro e os outros apóstolos responderam: "É preciso obedecer antes a Deus do que aos homens”! At. 5: 19.
“Mesmo que a minha carta lhes tenha causado tristeza, não me arrependo. É verdade que a princípio me arrependi, pois percebi que a minha carta os entristeceu, ainda que por pouco tempo Agora, porém, me alegro, não porque vocês foram entristecidos, mas porque a tristeza os levou ao arrependimento. Pois vocês se entristeceram como Deus desejava, e de forma alguma foram prejudicados por nossa causa. A tristeza segundo Deus não produz remorso, mas sim um arrependimento que leva à salvação, e a tristeza segundo o mundo produz morte. Vejam o que esta tristeza segundo Deus produziu em vocês: que dedicação, que desculpas, que indignação, que temor, que saudade, que preocupação, que desejo de ver a justiça feita! Em tudo vocês se mostraram inocentes a esse respeito”. II Co. 7: 8 - 13.
Algo muito curioso. O pão da preposição era um simbolismo de um Ser Supremo, Eterno, o Cristo; e só quem poderia usá-lo como alimento independente da posição espiritual da pessoa na igreja de Deus era tão somente o sacerdote ou o sumo sacerdote, por os mesmo representarem uma pessoa que um dia nasceria, ou seja, o Senhor Jesus. Mas, Davi, uma pessoa que fugia totalmente os parâmetros físicos para adentrar e participar dos ritos de adoração no santuário por ser ruivo, mesmo assim ele entrou no santuário e comeu do pão da preposição, mas para o sacerdotismo e ao Eterno, Davi não pecou ao fazer duas coisas proibidas por Deus, os sacerdotes não pecaram ao permitir a entrada e ação proibitiva de Deus. Davi se apegou a única solução para o seu problema que era: A FOME. Seria a mesma coisa de uma pessoa está passando fome ou necessidade com sua família fazer uso do dízimo ou trabalhar no sábado para prover sua alimentação, seria a mesma coisa que a liderança tirar do dizimo do caixa da igreja e providenciar alimento para o miserável que passa fome. Se porventura isto acontecer, para a liderança superior da igreja tal líder ou membro irão para o inferno por está supostamente no ponto de vista deles roubando a Deus e praticando algo proibido pela deusa dos Amalequitas Ellen White. O miserável pode ficar com fome, o importante: É manter o luxo dos Pastores e viver uma utopia de uma obediência caducada.

O DÍZIMO E O CRISTÃO GENUÍNO


Qual seria a relação dos cristãos hodiernos em relação ao sistema dizimal?
Teríamos hoje a mesma obrigação da devolução dos dízimos?
Implicações quanto a Sustentabilidade Eclesiástica
No entanto, alguns podem imaginar que a igreja sucumbiria se não cobrasse o dízimo – o que não é verdade. Do livro de Mateus até Apocalipse, as igrejas cresceram sem a ênfase neste recurso. Os apóstolos jamais pediram para as comunidades “quebrarem” a Lei do Senhor dizimando em suas congregações e muito menos em dinheiro – quer fosse para eles ou para um líder do grupo. Também não houve tais ensinamentos para as comunidades de Roma ou da Ásia pelas cartas Paulinas exortando os gentios trazerem o dízimo até a cidade de Jerusalém no Templo.
Embora o dízimo seja bíblico, não é cristão. Jesus Cristo não o afirmou. Os cristãos do século I não o observaram. E por cerca de 300 anos o povo de Deus não o praticou. Dizimar não foi uma prática aceita em grande escala entre os cristãos até o século VIII. (VIOLA, 2005, p. 107).
É importante salientarmos que naquela época (30 a 330 d.C.), não havia uma forma institucional ou denominacional da igreja. Somente após o ano de 320 que Constantino ergue os primeiros templos para a comunidade cristã. Entretanto, existe um documento anterior que destaca o comportamento da igreja primitiva nos primeiros séculos intitulada pelo nome de “Didaqué” ou “Ensinamento do Senhor através dos doze apóstolos”. Apesar de ser uma obra pequena com dezesseis capítulos, ela contém um grande valor histórico e teológico.
A Bíblia era apenas uma questão de tempo. Assim como os demais discípulos, o apóstolo Paulo possuía apenas uma parte da Revelação Escriturística. Somente depois quando todos os livros foram reunidos num só volume, terminou o que em “parte” conhecemos por Atanásio em 367 d.C. Todavia, esse grande momento foi também confirmado pelo Cânon Bíblico realizado no Sínodo de Hipona e de Cartago no final do século IV.
Escrita num estilo de fácil compreensão, a obra apresentada pela Didaqué demonstra uma preocupação de manter os principais pressupostos estabelecidos pelos apóstolos a fim de estimular os futuros cristãos professassem a mesma comunhão.
Se alguém disser sob inspiração: "Dê-me dinheiro" ou qualquer outra coisa, não o escutem. Porém, se ele pedir para dar a outros necessitados, então ninguém o julgue. Se quiser se estabelecer e tiver uma profissão, então que trabalhe para se sustentar. Porém, se ele não tiver profissão, proceda de acordo com a prudência, para que um cristão não viva ociosamente em seu meio. Se ele não aceitar isso, trata-se de um comerciante de Cristo. Tenha cuidado com essa gente. (DIDAQUE, 1997, p. 18) (ênfase adicionada).
Em todos os dezesseis capítulos do credo, em nenhum momento observamos qualquer confissão que pontuasse pelo “dízimo” ou por construções de “Templos”. Mas o que nos chamou a atenção foi na instrução acima por um comportamento prudente a fim de não deixar ninguém ser enganado pelos falsos comerciantes. Aparentemente, o padrão da igreja primitiva do século I e II apresentava uma vida normal em que o sustento partisse de cada um por meio do seu próprio trabalho. Portanto, o pensamento da Didaqué encontra harmonia escriturística quanto à instrução do apóstolo Paulo, veja:
Sabeis perfeitamente o que deveis fazer para nos imitar. Não temos vivido entre vós desregradamente, nem temos comido de graça o pão de ninguém. Mas, com trabalho e fadiga, labutamos noite e dia, para não sermos pesados a nenhum de vós. Não porque não tivéssemos direito para isso, mas foi para vos oferecer em nós mesmos um exemplo a imitar. Aliás, quando estávamos convosco, nós vos dizíamos formalmente: Quem não quiser trabalhar, não tem o direito de comer. Entretanto, soubemos que entre vós há alguns desordeiros, vadios, que só se preocupam em intrometer-se em assuntos alheios. A esses indivíduos ordenamos e exortamos a que se dediquem tranqüilamente ao trabalho para merecerem ganhar o que comer. (2 Tessalonicenses 3.7-12) BDJ-EP. (ênfase adicionada).
Entretanto, a igreja nunca dependeu dos credos para estabelecer uma regra de fé - Didaqué, Nicéia, etc. Esse sistema ofertado pelo homem tem sim uma grande importância histórica, porém, é virtualmente passível de erros. Portanto, são bastante úteis somente para comparação e análise de comportamento confessional do cristianismo que ganhou forma, identidade e prédios suntuosos na era de Constantino por volta do ano 320 d.C.
Mas no final no final do século VIII, dentro do cristianismo católico histórico, o Segundo Concílio Niceno também manifestou uma breve posição em seu credo referente ao comportamento que os bispos deveriam manter diante de qualquer renumeração.
Os Bispos devem abster-se quanto a todo recebimento de renumeração. Nós decretamos que nenhum bispo deve extorquir ouro ou prata, ou qualquer outra coisa. Segundo Pedro, o Apóstolo diz: "Apascentai o rebanho de Deus, não por necessidade, mas por vontade própria, e de acordo com Deus; não por torpe ganância, mas com uma mente alerta, não exercer domínio sobre as ovelhas, mas ser um exemplo para o rebanho”. Aqueles que lançam ofensas ao clero, porque foram ordenados na igreja sem receber uma renumeração, sofrerão uma penitência. (SCHAFF, 2005, p.794-795). (ênfase adicionada).
O dízimo foi ressuscitado por meio dos concílios regionais de Tours (567) e Mácon (585). Entretanto, foi somente com o “Imperador” Carlos Magno (779) que o tributo passou a ser veiculado pelos corredores das Igrejas na Europa. Ele também subdividiu a arrecadação dos pagamentos em três partes iguais, destinada à igreja paroquial, ao pároco e aos pobres. A princípio, o bispo não deveria receber nenhuma renumeração como pontuavam os concílios anteriores – talvez esta fosse à preocupação do segundo concílio de Nicéia destacado anteriormente.
Desta forma, o “dinheiro” provavelmente ganhou espaço no coração dos abades e uma disputa com o clero acirrou duros debates por quem deveria ter autonomia sobre os valores arrecadados. Por esta razão, o detrimento causado por esse sistema abriu novos caminhos para a corrupção interna que permitiu manchar varias páginas do cristianismo no passado por conspirações, indulgencias, luta pelo poder, etc. Um possível comportamento que ainda se faz presente virtualmente nas denominações.
Mas que relação tem o “Evangelho” com o “dinheiro”? Pode o homem modificar a Lei do Senhor genericamente para o interesse alheio? A igreja do Novo Testamento contempla um grupo de pessoas ou foi amortizada para um parâmetro de tijolos?
“A história de Constantino (285-337 d.C.) abre uma página tenebrosa na história da cristandade. Foi ele quem iniciou a construção dos edifícios eclesiásticos”. (VIOLA, 2005, p. 49). Constantino foi o útero que gerou os primeiros templos para os cristãos na história. Sua gestação entra em cena nas vésperas da batalha quando viu uma cruz no céu com as palavras escritas em latim “com este símbolo vencerás”. E assim aconteceu. Constantino derrotou o imperador Maxentius na Batalha da Ponte de Milvio, perto de Roma, no ano 312 d.C. E quando se tornou Imperador Romano em 324, começa a ordenar as construções das igrejas.
Os edifícios das igrejas construídas por Constantino eram desenhados exatamente conforme o modelo da basílica, segundo o estilo dos templos pagãos. [...] Com assentos extremamente confortáveis para acomodar as pessoas dóceis e passivas que presenciavam os eventos. Esta foi uma das razões pelas quais Constantino escolheu ao modelo da basílica. [...] No centro do edifício ficava o altar [...] em frente ao altar havia a cadeira do Bispo chamada de cátedra, [...] o poder e a autoridade repousavam nessa cadeira [...] os anciãos e diáconos se sentavam em ambos os lados [...] é interessante que a maioria dos edifícios das igrejas modernas possuem cadeiras especiais para o pastor e seus auxiliares situadas sobre a plataforma atrás do púlpito. Assim como no caso do trono do Bispo, a cadeira do pastor geralmente é a maior! Tudo isso são vestígios da basílica pagã. (VIOLA, 2005, p. 52-54). (ênfase adicionada).
A estrutura do sistema denominacional moderno tem sua herança em Constantino e não nos moldes do que foi deixado pela a Igreja apostólica. Não existem registros bíblicos ordenando os cristãos a construírem templos, mas há uma ampla evidência deles se reunindo em casas, At 2.46, 8.3, 20.20; Rm 16.3-5; 1 Co 16.19; Fm 2; 2 Jo 10. Portanto, essas referências não só identificam o comportamento desse organismo como dão a atribuição devida para igreja. Embora a proposta do paganismo tenha uma disposição para modificar essa ideologia, qualquer estudante de história poderá observar que a operação eclesiástica criada por Constantino tem se distanciado dos moldes de uma maneira absolutamente oposta do padrão que foi deixado pelo Novo Testamento.
Assim, encontramos a matriz ideológica desse movimento em Constantino. A influência pagã foi quem redefiniu pelos seus costumes uma nova estrutura eclesiástica na história do cristianismo universal – ou católico.
Observemos que a verdadeira Igreja deixada por Cristo nunca precisou herdar o nome de algum movimento ou de placa, de púlpitos ou pias batismais, de fardas ou posições sociais, de órgãos públicos ou atos políticos, de tradições ou liturgias, de dinheiro ou poder, de governos ou terrenos para manifestar sua fé. Infelizmente, nem a Reforma ou muito menos os movimentos subsequentes tiveram sucesso em restaurar a ekklesia – uma identidade que ainda continua distante dos padrões bíblicos.

A PALAVRA DE DEUS E O ATO DE DIZIMAR


A primeira pessoa a praticar o ato de dizimar foi o patriarca Abraão, sem existir uma orientação Divina, foi um ato voluntário por parte do patriarca e ele jamais dizimou seus bens ou sua renda, e sim, os bens que foram saqueados por ele de seus inimigos. “E Abraão lhe deu o dízimo de tudo. Considerem a grandeza desse homem: até mesmo o patriarca Abraão lhe deu o dízimo dos despojos!”. He. 7: 2, 4.
Jacó assumiu dois compromissos com Deus: a) que a partir daquela data, o local em que Deus manifestou sua presença, seria um local especial de adoração, b) e de todos os bens que ele conseguisse angariar dali para frente ele ia dizimar, foi um ato voluntário, ainda não havia nenhuma ordenança divina quanto a esta norma, seria uma forma de gratidão pelo sucesso financeiro. Até este período patriarcal, antes do estabelecimento da nação Israelita, não há registro bíblico como era usado o dízimo. Eu acredito que, possivelmente, seria distribuído aos pobres ou ele com sua família e servos alimentava-se dos dízimos. “E esta pedra que hoje coloquei como coluna servirá de santuário de Deus; e de tudo o que me deres certamente te darei o dízimo".Gê. 28: 22.
Caso acontecesse que uma pessoa quisesse comprometer uma parte do dízimo para usar em algum projeto pessoal, esta pessoa deveria acrescentar uma quinta parte ao valor do dízimo, ou seja, quando fosse devolver a parte que foi usada, o valor era aceito por Deus desde que, fosse acrescida com um quinto do valor total. Nos dias atuais se uma pessoa falar ao pastor: Neste mês não darei o dízimo porque estou muito apertado, mas, no próximo mês devolverei. Imediatamente o pastor falará: Irmão você não pode fazer isso porque é sagrado e não pode ser tocado. A Palavra de Deus não ensina isso. “Se um homem desejar resgatar parte do seu dízimo, terá que acrescentar um quinto ao seu valor”. Lv. 27: 31.
Já presenciei histórias de pessoas que devolvem o seu dízimo variando de 10% a 30%, só que, estas pessoas estão completamente erradas, não existe dízimo de menos de 10% ou, de percentual maior que o estabelecido. E como é interesse dos pastores terem rendas cada vez melhor, eles mesmos incentivam as pessoas a viverem esta utopia fundamentada na bigorna do inferno.
Se houver necessidade, podemos desfrutar se assim o desejarmos com o dízimo, mas na presença de Deus, ou seja, promover uma confraternização na Igreja, mas sem esquecer o nosso dever de manter os órfãos, viúvas e os estrangeiros o que deve ser priorizado.
“Vocês não poderão comer em suas próprias cidades o dízimo do cereal, do vinho novo e do azeite, nem a primeira cria dos rebanhos, nem o que, em voto, tiverem prometido, nem as suas ofertas voluntárias ou dádivas especiais. Ao invés disso, vocês os comerão na presença do SENHOR, o seu Deus, no local que o SENHOR, o seu Deus, escolher; vocês, os seus filhos e filhas, os seus servos e servas, e os levitas das suas cidades. Alegrem-se perante o SENHOR, o seu Deus, em tudo o que fizerem. Tenham o cuidado de não abandonar os levitas enquanto vocês viverem na sua própria terra”. Dt. 12: 17 – 19.
De toda a renda que conseguirmos, devemos separar o dízimo. Se for uma renda anual, deverá anualmente separar; se for mensal, deverá ser separado mensalmente e se tiver levitas para o receber, caso não tenha, podemos distribuir a quem realmente precisa. "Separem o dízimo de tudo o que a terra produzir anualmente”. Dt. 14: 22.
O bom e verdadeiro cristão segue os princípios estabelecidos pelo Eterno independente se a igreja aprova ou não sua atitude de obediência ao Altíssimo. Esta regra estabelecida pelo Eterno Deus foi estabelecida para que houvesse uma assistência social perfeita no meio de Seu povo, para não haver pobres passando fome e necessidades, e assim, o Seu santo nome não viesse a ser blasfemado pelos ímpios. A partir do dia que a pessoa faz o pacto com Deus de ser fiel nos dízimos, ela deve ter em memória e a responsabilidade de que a cada três anos o dízimo dele deve ser entregue as pessoas de outras religiões que tenha necessidades, aos órfãos e as viúvas para que eles possam ter com que se alimentar, preferivelmente esta entrega já deve ser feito em cestas básicas e jamais em dinheiro e jamais por intermédio da igreja. Fica um pequeno questionamento: É roubar a Deus viver este principio estabelecido por Ele"Quando tiverem separado o dízimo de tudo quanto produziram no terceiro ano, o ano do dízimo, entreguem-no ao levita, ao estrangeiro, ao órfão e à viúva, para que possam comer até saciar-se nas cidades de vocês”. Dt. 26: 12.
Como vocês se avaliam como sendo servos de Deus, avaliar é uma coisa e ser é outra totalmente diferente, deveriam ter a mesma atitude do povo de Deus no passado. Colocar em prática estes princípios com alegria e felicidade, sem importar-se com o que a liderança vai falar. “Assim que se divulgou essa ordem, os israelitas deram com generosidade o melhor do trigo, do vinho, do óleo, do mel e de tudo o que os campos produziam. Trouxeram o dízimo de tudo. Era uma grande quantidade”. II Cr. 31: 5.
O dízimo deve ser entregue na igreja, os diáconos e diaconisa não são levitas ou substitutos deles, se a pessoa quer realmente continuar a devolver seus dízimos devem entregar aos seus respectivos destinos, deverá ser transformadas em cestas básicas e distribuídas aos carentes da igreja e aos outros que não fazem parte da congregação. Algumas pessoas pensam que, devemos seguir apenas o texto de Ml. 3: 10; mas não é verdade, Deus estabeleceu vários princípios ao ato de dizimar e devemos como servos de Deus, viver e colocar em prática todos os princípios. Não viva você a ilusão que os pastores vão colocar em prática esta ordenança de Deus ou que eles algum dia vão concordar que você obedeça a Deus.
"Além do mais, traremos para os depósitos do templo de nosso Deus, para os sacerdotes, a nossa primeira massa de cereal moído, e as nossas primeiras ofertas de cereal, do fruto de todas as nossas árvores e de nosso vinho e azeite. E traremos o dízimo das nossas colheitas para os levitas, pois são eles que recolhem os dízimos em todas as cidades onde trabalhamos”. Ne. 10: 37.
Não há mais templo em que Deus habita, portanto não há mais templo para ser entregue o dízimo. Deus não mais habita em templos feitos por mãos humanas. Vamos supor que ainda teria que levar aos templos de hoje, um dos destinos seria a manutenção e construções, mas, os pastores são radicalmente contra e esta era uma das ordenanças estabelecida por Deus. É tão verdade que as pessoas continuam levando seus dízimos aos templos e não há bênçãos, o que existe em verdade são testemunhos falsos, folhetos mentirosos. “Tragam o dízimo todo ao depósito do templo, para que haja alimento em minha casa. Ponham-me à prova", diz o SENHOR dos Exércitos, "e vejam se não vou abrir as comportas dos céus e derramar sobre vocês tantas bênçãos que nem terão onde guardá-las”. Ml. 3: 10.
Infelizmente, o que tenho presenciado em nosso meio é a super valorização da lei, do sábado e do dízimo, mas o principio básico do governo de Deus tem sido ignorado por toda a liderança, e conseqüentemente pelos liderados, porque os mesmos não estão dispostos a aceitarem a Palavra de Deus como a última em decisão de regra, fé e prática, mas as palavras dos líderes, pastores e Ellen White tem sido a palavra final em caráter de verdade.
O mais importante no reino de Deus não é a lei, o sábado ou o dízimo, e sim, a justiça, a misericórdia, a fidelidade, a humildade e o amor que sobrepuja a tudo e a todos. E em termo de igreja tudo isso é colocado em um vaso e dado descargas como se fosse algo muito ofensivo à vida espiritual.
“Ai de vocês, mestres da lei e fariseus, hipócritas! Vocês dão o dízimo da hortelã, do endro e do cominho, mas têm negligenciado os preceitos mais importantes da lei: a justiça, a misericórdia e a fidelidade. Vocês devem praticar estas coisas, sem omitir aquelas”. Mt. 23: 23.
“Ai de vocês, fariseus, porque dão a Deus o dízimo da hortelã, da arruda e de toda a sorte de hortaliças, mas desprezam a justiça e o amor de Deus! Vocês deviam praticar estas coisas, sem deixar de fazer aquelas”. Lc. 11: 42.
“O fariseu, em pé, orava no íntimo: 'Deus, eu te agradeço porque não sou como os outros homens: ladrões, corruptos, adúlteros; nem mesmo como este publicano (não dizimista, transgressor do sábado e que não faz parte desta igreja de Deus). Jejuo duas vezes por semana e dou o DÍZIMO DE TUDO QUANTO GANHO'. "Mas o publicano ficou à distância. Ele nem ousava olhar para o céu, mas batendo no peito, dizia: 'Deus, tem misericórdia de mim, que sou pecador”. Lc. 18: 11 – 13.
A obrigatoriedade do ato de dizimar não foi estabelecida no novo testamento, hoje é apenas uma forma de exploração das igrejas. O sistema sacerdotal humano foi abolido e transferido de tribo, e com esta mudança, houve mudança da lei da obrigatoriedade para a lei do voluntarianismo.
“Certo é que, quando há mudança de sacerdócio, é necessário que haja mudança de lei”. He. 7: 12.
Há uns foi dado o dom de dar “animo”, a outros o de “contribuir”, a outros o de “liderança” e a outros o de “misericórdia”, mas o único dom que tem sido exercitado nas igrejas é o de cobrar “dízimos, ofertas, lei, sábado”.
“Se é dar ânimo, que assim faça; se é contribuir, que contribua generosamente; se é exercer liderança, que a exerça com zelo; se é mostrar misericórdia, que o faça com alegria”. Rm. 12: 8.
Se os textos da Palavra de Deus que foram citados for mentira rejeita-o, se for verdade pergunte ao teu pastor o porquê ele não prega esta verdade. Porque nada podemos contra a verdade, senão em favor da própria verdade. II Co. 13: 8.
Pessoalmente prefiro sem medo de errar, ficar ao lado da Palavra de Deus.

OS PASTORES MENTEM


Os pastores mentem ensinando os irmãos a darem uma oferta alçada alegando que, esta oferta é uma oferta planejada, quando na verdade esta oferta é tirada do dízimo da seguinte forma: Depois que o levita recebia o dízimo, deste dízimo era tirado à oferta alçada para Deus. Fica um questionamento: Alguém está ensinando a mentira, com certeza Deus não é, não sendo Deus são os pastores por serem usados pelo espírito das trevas e apenas com o interesse de aumentar suas rendas. Vós tendes por pai ao diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai. Ele foi homicida desde o princípio, e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso, e pai da mentira. Jo. 8: 44.
1.            DEUS DIZ: Também falarás aos levitas, e lhes dirás: Quando dos filhos de Israel receberdes os dízimos, que deles vos tenho dado por herança, então desses dízimos fareis ao Senhor uma oferta alçada, o dízimo dos dízimos. Nm. 18: 26.
2.            DEUS DIZ: Portanto lhes dirás: Quando fizerdes oferta alçada do melhor dos dízimos, será ela computada (calculada) aos levitas, como a novidade da eira e como a novidade do lagar. Nm. 18: 30.

PASMEM OS LEITORES

Dízimo investido na bolsa de New York, em vez de aplicarem na pregação do Evangelho!

O recorte do jornal mostrado  faz referência a investimentos do 

dízimo na bolsa de valores de New York de 550 milhões de dólares! --- Pouca gente tem idéia o que é um milhão de dólares = 40 apartamentos de 2 quartos e sala.

INVESTIMENTOS EM CONFLITO COM AS CRENÇAS ADVENTISTAS


É desta forma que estão investindo o dinheiro do dízimo nas bolsas de valores, a seguir você verá os tipos de ações que foram compradas com o teu dízimo.
Segue a transcrição da publicação no Jornal.
Para o Editor: Eu fiquei indeciso ao escrever essa carta, porque envolve uma organização religiosa que eu acredito que está mais próxima de Deus do que qualquer outra. Mas, como os líderes locais e nacionais estão alheios ao problema e se recusam em dar informações ao povo, eu não tenho outra escolha.
A organização é a igreja dos  Adventistas do Sétimo-dia. Não os membros, mas a direção conhecida como a Conferência Geral. O problema está na grande quantidade de dinheiro sendo investida em Ações de companhias de produtos e serviços que estão diretamente em conflito com o que os Adventistas acreditam.
Algum desses produtos incluem joalheria, café, chá e outras bebidas que contem cafeína, mísseis, aviões de combate militar, e ações do maior produtor de carne de porco do país. Isso pode não significar muito para vocês, mas para um membro da igreja Adventista é devastador. Eu encontrei entre eles, os mais sinceros cristãos que jamais encontrei. Eles são também os mais liberais. Por esta razão, eles cuidam para onde vai a sua oferta. A informação deveria ser dada pelos líderes, mas por alguma razão eles não falam. Os valores em investimento excedem a 550 milhões de dólares. Isso está errado por si mesmo. Esse dinheiro vem de fundos como o dízimo e projetos especiais chamados "in-gathering".  As pessoas interessadas podem pedir o portfólio dos investimentos à Conferência Geral.   Mas, não espere uma pronta resposta. Os dirigentes primeiro querem saber a sua função na igreja. --- Bruce Burks.
Você poderá afirmar: É problema deles estarem usando dízimo de forma errada. Você amigo leitor está engando, a partir do momento que você colabora com o erro ou com o errado você é cumplice.

FALSOS TESTEMUNHOS DE DIZIMISTAS

Amigo engana amigo, ninguém fala a verdade. Eles treinaram a língua para mentir; e, sendo perversos, eles se cansam demais para se converterem. Jr. 9: 5.
Quem observar com os olhos da honestidade, já deve ter concluído que nas igrejas independente do rótulo na parede, todos os pregadores falam sobre a mentira, mas, jamais pregaram contra a mentira, desta forma inconscientemente os membros são induzidos a seguirem os passos do engano.
Observem bem estes dois exemplos que presenciei, dentre vários que poderiam ser citados.

1.     Na igreja de Vila Lobão, uma irmã pregando ela alegou que o emprego que ela tem e os de seus irmãos são bênçãos provindas dos dízimos de sua mãe, mas, a verdade é que eles só têm seus empregos porque os mesmos estudaram e fizeram concursos públicos, caso contrário, mesmo sendo dizimistas jamais teriam chegado aonde chegaram. A bênção do dízimo não é para a descendência, e sim, para o dizimista.
2.     Na mesma igreja um irmão deu um testemunho que seu padrão de vida é bênção do dízimo, mas, a verdade é que ele trabalha desde o amanhecer às vezes até mais das 10h00min da noite.
Esta é a verdade que nossos líderes espirituais jamais ensinam: Bênção é semelhante à salvação, portanto observem bem; a salvação é um dom de Deus concedido ao pecador e o mesmo tem apenas que aceitar a Cristo como salvador, é tão somente pela fé. As obras que constam na salvação são as obras de Cristo e jamais a que produzimos de bom ou porque somos dizimistas. O que tem de dizimistas que vão para o inferno não é brincadeira e o que tem de não dizimistas que vão para o céu é incontável.
A bênção é da mesma forma, se eu tenho um trabalho poderá ser ele abençoado, jamais será uma bênção, ou seja, a bênção a pessoa recebe de mão beijada a semelhança da salvação. A pessoa rala pra conseguir alguma coisa e depois vai mentir dizendo que foi graças ao ato de dizimar. Vou exemplificar.
a)     A pessoa está desempregada e distribui currículo e depois fica batalhando pelo emprego e de repente ele consegue, foi bênção? Claro que não, foi o esforço dele, deve sim reconhecer que Deus lhe deu saúde e vida para conseguir seu objetivo.
b)     A pessoa está desempregada, mas, não faz nenhum esforço correndo atrás de emprego, e de repente alguém o procura para lhe agraciar com uma vaga em determinada empresa, isto é bênção porque ele não batalhou para conseguir, recebeu de mão beijada, depois desta conquista, ele poderá agradecer a Deus e testemunhar afirmando ser bênção, porque o dízimo quando foi estabelecido não foi sobre o que a pessoa tinha, e sim do que era produzido pela terra e jamais do que a pessoa ganhava, o salário não é uma bênção é a compensação sobre o que a pessoa produz na empresa. Aposentadoria, pensão e bolsa família são esmolas, portanto não podem ser dizimados.

BENEFÍCIOS MINISTERIAIS MENSAL SEM CONTAR O SALÁRIO


1.     Aluguel 100% do valor e tem que ser em bairro nobre.
2.     Combustível.
3.     Seguro do Automóvel.
4.     Plano de saúde 75,00 por individuo. Seguradora IASD, em operadoras mudanas sairia por 675,00 em média.
5.     Aposentadoria 3,5% de contribuição sobre o salário, uma aposentadoria com valor semelhante ao de um pastor custa em média R$ 130,00 para você.
6.     Auxilio música. Os pastores e familiares que desejarem estudar música terão um auxílio de 50%.
7.     Cotas pais denominacionais. Nas empresas mudanas em média 5,00 por filho. O valor é de 6,46% do teto do pastor para cada filho, ou seja, R$ 71,00 por filho na época da pesquisa.
8.     IPTU. Nossos pastores recebem integralmente o reembolso de taxas de condomínio de suas moradias, IPTU, taxa de lixo, e assinatura básica de linha telefônica.
9.     Educação. Este é um auxílio extremamente importante e significativo. Ganham este benefício à esposa e os filhos até 19 anos ou 26 anos se forem universitários. Se os filhos ainda são pequenos e estudam em uma escola particular secular de ensino médio, o auxílio é de apenas 50%. Se os filhos já forem adolescentes, e quiserem ir para os nossos internatos o auxílio sobe para 75%.  Se o filho é universitário e mora com os pais, todas as despesas e taxas da faculdade são reembolsadas na íntegra. Mas, se o filho for universitário e morar fora de casa, mesmo que estude numa faculdade gratuita federal ou estadual, o pastor ganhará um auxílio em dinheiro igual a 75% do estipêndio da faculdade adventista mais cara no Brasil.
a)     Faculdade da Esposa = R$ 400,00 (reembolso integral)
b)    Auxílio para o Filho mais Velho = R$ 712,00 (Auxílio mesmo com Universidade Gratuita)
c)     Auxílio para o Segundo Filho = R$ 450,00 (Reembolso de 75% sobre a mensalidade de R$ 600,00)
d)    Auxílio para o Filho mais Novo = R$ 200,00 (Reembolso de 50% sobre a mensalidade de R$ 400,00)
e)     Total R$ 1.762,00. Na verdade este é um valor aproximado que pode variar de mil a dois mil reais. Vamos considerar apenas R$ 1.500,00 de ganho extra dos auxílio educação.
10.  Outras despesas.
§  Aparelhos Ortodônticos – 75% de auxílio - máximo de R$ 1.375,00 por ano.
§  Tratamentos Dentários – 75% de auxílio - máximo de R$ 3.300,00 por ano.
§  Aparelhos de Surdez – 75% de auxílio.
§  Óculos e Lentes de Contato – 75% de auxílio.
§  Próteses e Aparelhos Ortopédicos – 75% de auxílio.
§  Medicamentos – 75% de auxílio.
§  Assinaturas de Revistas Técnicas: 50% de auxílio.
§  Refeições fora de casa para quem trabalha em grandes centros: 100% de reembolso.
§  Estacionamento e Aluguel de Garagens: 100% de reembolso.
§  Equipamento Profissional (Projetor de Slides, Computador, Livros): 75% de auxílio até um máximo de R$ 875,00 por ano nos 8 primeiro anos.
11.  Adiantamento para a troca de automóvel.
12.  Despesas fúnebres.
13.  Pós graduação e Doutorado.
14.  CONCÍLIOS. Os concílios geralmente são realizados em locais turísticos e caríssimos. Um exemplo foi o último Concílio da Conferência Geral, realizado em um luxuoso hotel na cidade de Foz do Iguaçu. Uma verdadeira fortuna foi gasta ali para uma delegação de 400 pessoas.
E se você não sustentar este suntuoso sistema de luxo, você é chamado de ladrão e ainda te condenam ao inferno. Mas não importa se você tem ou não o que comer.






Em outras palavras existe a afirmação de que a entrega do dízimo não é benefício para o pastor, e sim, para o benefício da obra de Deus, portanto vamos fazer algumas análises dentro da Palavra de Deus e de forma não tendenciosa.
Seria mesmo verdade que o dízimo é para a pregação do evangelho e que os pastores O estão pregando?
a)            Em verdade e retidão quem está pregando o suposto evangelho que não passa de teologia da instituição são os membros da igreja, estas pessoas ficam de porta em porta se escaldando no sol quente e às vezes debaixo de chuva, em contraste os pastores vão apenas ao local ou a igreja fazer o batismo dos que decidem seguir as regras institucionais. Sendo assim, a afirmação de que os pastores pregam o evangelho é baseado em uma falsa premissa.
b)            As despesas que por eventualidade poderá ter em tais evangelismos que não passam de show de prêmios, são financiados pelos próprios membros, quando os mesmos não tem como suster com seus recursos financeiros, os mesmos vão ao comercio pedirem esmolas para os pastores fazerem sorteios. Sendo assim, quando afirmam que o dízimo é para o evangelismo é a mais falsa premissa.
Trazei todos os dízimos à casa do tesouro... Ml. 3: 10.
Onde fica a casa do tesouro? Todo o dízimo arrecadado vai para a missão como se a mesma fosse à casa do tesouro isto é roubar a Deus e consciência do povo. Em verdade a casa do tesouro é a tesouraria da igreja e jamais a missão. Estas missões, divisões, associações foram criadas apenas como entrave ao desenvolvimento da pregação do evangelho bem como sumidouro dos tesouros dizimados. É tão verdade que estas instituições jamais têm dinheiro para estornar a igreja de origem, em João Lisboa é um dos exemplos, a igreja está para cair na cabeça dos irmãos e os mesmos é que a construíram com muitíssimo sacrifício e estas instituições jamais colaboraram com algum recurso financeiro, estas instituições sabem do problema, mas não resolvem porque esta igreja é bem pobrezinha e não dá lucro substancial para as organizações, mesmo assim, os irmãos são obrigados a entregarem o dízimo à missão.
A casa do tesouro ficava no Santuário, mas, com a morte do Senhor Jesus Cristo o mesmo perdeu o valor, sendo assim, neste caso, como o recolhimento do dízimo implicava em duas coisas, o mesmo perdeu o valor juntamente com o Santuário Terrestre, ou seja, Hebreus 9: 1 a 13, fala sobre duas leis, a lei do sacerdócio e a do dízimo, como o sacerdócio mudou até de tribo por meio do Senhor Jesus Cristo caracterizando o cancelamento do sacerdócio terrestre da mesma forma a lei do dízimo foi cancelada.
Porque, mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também mudança da lei. Porque aquele de quem estas coisas se dizem pertence à outra tribo, da qual ninguém serviu ao altar. He. 7: 12, 13.
A outra questão é que as únicas pessoas autorizadas pela lei do dízimo a receberem o dízimo são os levitas, quando a igreja roga a si mesma esta lei do dízimo e consagra pessoas que jamais pertenceram à linhagem da tribo de Levi, elas estão roubando a Deus e as pessoas, estes são motivos pelo qual você jamais viu alguma pessoa ser abençoada por intermédio do dízimo, tem falsos testemunhos gravados em vídeos.
As únicas pessoas autorizadas por Deus por intermédio da lei a receberem o dízimo são os levitas, alem disto é roubar o bolso e a consciência dos que não conhecem a Palavra de Deus e Seu poder.
Quando é afirmado que os diáconos e diaconisas são as pessoas que substituem os levitas, tanto a liderança bem como os que obedecem a esta doutrina e a suas ordenanças se identificam como sendo a Sinagoga Sinagoga de Satanás. ...e a blasfêmia dos que se dizem judeus, e não o são, mas são a sinagoga de Satanás. Ap. 2: 9. - Eis que eu farei aos da sinagoga de Satanás, aos que se dizem judeus, e não são, mas mente... Ap. 3: 9.
Tanto os Pastores e as lideranças constituídas por eles em uma voz uníssona afirmam com ares doutorais: Quem não paga o dízimo está roubando a Deus e ladrão não entra no céu. É só observarem em suas pregações que tais afirmações são ditas de forma indireta ou direta.
Querem dizer que se você não pagar para eles não tem como você ser salvo, ao mesmo tempo ensinam que a salvação é totalmente de graça e você não paga nada, mas, se não pagarem a eles o dízimo você não tem como ser salvo, bem na verdade de forma indireta eles estão afirmando que: Você só é salvo se nos pagarem o dízimo, caso contrário você jamais será salvo.
Enquanto isso, se você observar de forma honesta as únicas pessoas que estão sendo abençoadas “beneficiadas” com o dízimo é os pastores em seus luxos enquanto você fica a mendigar de alguma forma e vivendo uma alucinação.
Para quem está ensinando que só é salvo se pagar o dízimo e aos que estão dando crédito a estes picaretas leiam com bastante atenção estas afirmações da Palavra do Eterno: Mas disse-lhe Pedro: O teu dinheiro seja contigo para perdição, pois cuidaste que o dom de Deus se alcança por dinheiro. At. 8: 20.
A salvação é dom de Deus e quem paga dízimo não está salvo e quem não paga não está perdido. Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Ef. 2: 8.
 Quem seriam os banqueiros a quem o dinheiro deve ser dado? Seria o cofre de alguma igreja?  Devias então ter dado o meu dinheiro aos banqueiros e, quando eu viesse, receberia o meu com os juros. Mt. 25: 27.
Os banqueiros são as pessoas pobres e a ordem de Deus estabelecida na lei do dízimo é que: Os pobres, viúvas, órfãos e estrangeiros devem ser socorridos com o dízimo, está escrito na lei do dízimo. Ao SENHOR empresta o que se compadece do pobre, ele lhe pagará o seu benefício. Pr. 19: 17.
Então eles também lhe responderão, dizendo: Senhor, quando te vimos com fome, ou com sede, ou estrangeiro, ou nu, ou enfermo, ou na prisão, e não te servimos? Mt. 24: 44.
A questão é que as pessoas preferem darem crédito ao espírito da mentira que se manifestou em meio à cristandade com o nome de teologia.
DEUS SEJA MAGNIFICADO.

Autor: Eurias R. Carneiro
http://abibliafontedeverdade.blogspot.com/






Nenhum comentário: