quinta-feira, 25 de outubro de 2012

OS QUATRO ANJOS


OS QUATRO ANJOS


O objetivo deste estudo não é abordar sobre o ministério desenvolvido pelos quatros anjos, e sim sobre suas características para podermos saber quem são.


A necessidade desta análise é que a Igreja Adventista do Sétimo Dia Movimento de Reforma tem feito aplicações em seu próprio benefício alegando que eles são o quarto anjo, ou seja, o anjo de Apocalipse 18 é a IASDMR e o terceiro Anjo ou a igreja remanescente do capítulo 12 é a IASD. Tem alguma verdade sobre o que eles pregam?

E vi outro anjo voar pelo meio do céu, e tinha o evangelho eterno, para o proclamar aos que habitam sobre a terra, e a toda a nação, e tribo, e língua, e povo. Ap. 14: 6.
Ao longo de todo o livro do Apocalipse são mencionados muitos anjos com suas funções específicas. Nesta revelação João vê outro anjo. Este "ANJO" ou "MENSAGEIRO" representa, segundo os comentaristas bíblicos, "OS SERVOS DE DEUS EMPENHADOS NA TAREFA DE PROCLAMAR O EVANGELHO". Afinal de contas, a missão de pregar o evangelho foi dada por Jesus aos discípulos antes de o Mestre partir." (Marcos 16:15 e 16). Quer dizer que, hoje, existe neste mundo um povo especial, com uma mensagem especial para ser entregue aos moradores da Terra.

http://www.jesusvoltara.com.br/selo/juizo.htm sendo esta a idéia de uma escritora norte americana.
Não tem como concordar com o comentário acima citado, este anjo não veio para pregar, e sim, para trazer o evangelho eterno para ser pregado, portanto, ele não representa nenhum movimento religioso como tem sido pregado e muito menos uma pessoa em específica. “...E TINHA O EVANGELHO ETERNO PARA O PROCLAMAR”.
Este anjo que traz o evangelho eterno é o próprio Espírito o Santo, além de Ele conduzir (PRESIDIR/ADMINISTRAR) ao mesmo tempo Ele capacita o cristão a divulgá-lo as pessoas que estão receptivas e aos que não estiverem, este evangelho serve apenas como testemunha que as pessoas amaram mais as trevas que a luz. - Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas (pregadores – divulgadores - ministradores), tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra. At. 1:8.

Tem outra questão a ser determinada, as igrejas que fazem aplicações a pessoas humanas deste anjo, ao mesmo tempo elas não estão pregando o evangelho eterno, estão a pregar suas doutrinas fundamentadas na teologia e usando a Palavra de Deus apenas como âncora isolando textos em benefícios próprios e em benefícios a placa denominacional.

O EVANGELHO ETERNO

a) ... e tinha o evangelho eterno... Apc. 14: 6.
b) ... evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação... Rm. 1: 16.
c) ... o evangelho de Deus... Rm. 15: 16.
d) ... o evangelho de Cristo... II Co. 2: 12.
e) ... evangelho da glória de Cristo... II Co. 4: 4.
f)  Pregando o reino de Deus... At. 28: 31.

Evangelho eterno, evangelho de Cristo, evangelho de Deus, evangelho da glória de Cristo, evangelho do reino de Deus é o mesmo evangelho. É este evangelho que deve ser pregado a toda a criatura que habita sobre a terra, as igrejas que tem registros em cartórios não pregam este evangelho, pois seus compromissos são direcionados aos bens de suas ovelhas e jamais a salvação delas, é tão verdade que elas pregam suas normas e doutrinas. E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura. Mc. 16: 15.
Este evangelho eterno é referenciado também como sendo o reino de Deus. Quando João o Batista apareceu pregando, ele ensinava que o reino dos céus já tinha chegado e havia a necessidade que as pessoas reconhecessem que estavam perdidas e com carência de um salvador.  E dizendo: Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos céus. Mt. 3: 2.
Cristo nos comissionou a pregar este evangelho toda à criatura. E enviou-os a pregar o reino de Deus... Lc. 9: 2.

Este reino/evangelho de Deus não é consistente em palavras, métodos teológicos ou conhecimentos humanos, é o próprio poder de Deus, é o próprio Cristo em pessoa revelado ao mundo. Porque o reino de Deus não consiste em palavras, mas em poder. I Co. 4: 20. - E Jesus, respondendo, disse-lhes: Porventura não errais vós em razão de não saberdes as Escrituras nem o poder de Deus? Mc. 12: 24.
Salvação é Cristo e esta salvação é dom de Deus, a pessoa a alcança por meio da fé que uma vez por todas foi entregue aos santos. É este o evangelho eterno que deve ser pregado, e jamais as doutrinas denominacionais: Cristo. Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Ef. 2: 8.
E dizendo: O tempo está cumprido, e o reino de Deus está próximo. Arrependei-vos, e crede no evangelho. Mc. 1: 15.
Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo. Jo. 1: 29.
Se este anjo fosse representação de pessoas estaria no plural o que não consta, singularidade é único e pluralidade é diversidade ao mesmo tempo não é um movimento religioso e sim o Espírito Santo que traz o evangelho eterno, ou seja, quem está associando este Anjo a um movimento religioso está rejeitando o ministério do Espírito o Santo para enaltecer uma placa religiosa.

COMO FOI IDENTIFICADO O PRIMEIRO ANJO, IDENTIFICAREMOS OS SEGUNDO.


O segundo anjo não veio trazer o evangelho eterno, e sim pregar e ao mesmo tempo anunciar a queda da babilônia espiritual, esta cidade tem suas filiais que são as religiões que pregam as mesmas doutrinas ou parte delas e da mesma forma como a grande prostituta persegue quem discorda de suas doutrinas as suas filhas tem a mesma atitude. E outro anjo seguiu, dizendo: Caiu, caiu babilônia, aquela grande cidade, que a todas as nações deu a beber do vinho da ira da  sua  prostituição. Apc. 14: 8.

IDENTIFICAÇÃO DO TERCEIRO ANJO

O terceiro anjo não veio trazer o evangelho eterno e sim anunciá-lo com grande poder e trazer advertências sobre a falsa adoração, como podemos observar há diferenças entre os três anjos; o primeiro veio trazer, o segundo veio anunciar e o terceiro veio com poder para anunciar. E seguiu-os o terceiro anjo, dizendo com grande voz: Se alguém adorar a besta, e a sua imagem, e receber o sinal na sua testa, ou na sua mão... Ap.14: 9.
Não vamos entrar em detalhes sobre as mensagens e ministérios dos três anjos, o nosso objetivo e identificar quem é o anjo de Apocalipse 18 conhecido como o quarto anjo.
Seria mesmo um movimento religioso?
E depois destas coisas vi descer do céu outro anjo, que tinha grande poder, e a terra foi iluminada com a sua glória. Apc. 18: 1.

Pelas características acima é impossível este anjo ser a Igreja Adventista do Sétimo dia Movimento de Reforma como eles advogam ser ou qualquer outro movimento religioso.
1. ...e a terra foi iluminada com a sua glória. Apc. 18: 1. Igualmente não se acende uma candeia para colocá-la debaixo de um cesto. Ao contrário, coloca-se no velador e, assim, ilumina a todos os que estão na casa. Mat. 5: 15 - A terra é iluminada com a glória deste anjo, ou seja, todo os habitantes da terra sabem de sua existência porque não é algo desconhecido ou oculto. Se você observar com o olhar da honestidade verá que esta igreja (IASDMR) não é conhecida pelo mundo e muito menos nas cidades em que ela existe, ou seja, tem uma glória apagada, oculta e ofuscada, é como se a mesma não tivesse existência, nem podemos comparar com o vento, o vento você não vê, mas o sente, esta igreja é desconhecida totalmente sua existência.
2. ... que tinha grande poder... Apc. 18: 1. Este anjo ilumina toda a terra porque ele é dotado de grande poder, o poder é algo impossível de ser ocultado e esconder, ao conhecer a IASDMR podemos observar que ela é uma igreja fria, calculista, sem amor e sem poder, portanto é impossível ela ser este anjo. A terra sabe da existência deste anjo por intermédio de sua glória que o faz conhecido e por seu grande poder algo que os reformistas não têm e jamais vai ter porque não conhecem a Deus: PODER E GLÓRIA.
3. E depois destas coisas vi descer do céu... Apc. 18: 1. Este anjo desce do céu, sua origem não é terrena, a Igreja Adventista do Sétimo Dia Movimento de Reforma que tem sua sede nos Estados Unidos da América teve sua origem de uma briga entre os delegados da Associação Geral no ano de 1951 e a que surgiu no ano de 1914 tem sua sede na Alemanha. A primeira citada que é do ano de 1951 veio à existência como resultada da briga entre seus representantes, a segunda que é a de 1914 teve sua origem em decorrência que a Igreja Adventista do Sétimo Dia apoiou a Alemanha nas duas guerras mundiais de forma oficial indo aos campos de batalha matar, denunciar quem era contra o governo e apoiar os nazistas em todas as suas ações. Como podemos observar nenhuma das três igrejas estão preenchendo as características deste anjo, portanto é impossível uma delas ser este anjo, nenhuma teve origem celestial, mas terrena.

4. ...vi descer do céu outro anjo... Apc. 18: 1. Este anjo veio do céu – Cristo disse: E, quando ele vier... Jo. 16: 8. – Quem foi que veio? ...se eu não for, o Consolador não virá a vós; mas, quando eu for, vo-lo enviarei. Jo. 16: 7. O Espírito o Santo. – Quem tem poder e concede poder para a pregação do evangelho? Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra. At. 1: 8. Quem veio do céu com grande poder para conceber e conceder poder a pregação do evangelho eterno e com advertências sobre a falsa adoração é o ESPÍRITO O SANTO e jamais um movimento religioso como alguns tem advogado a si esta prerrogativa.
Estas igrejas analisadas não preenchem as prerrogativas deste anjo e nem poderia preencher, porque este anjo de Apocalipse 18 é o próprio Espírito o Santo em poder que vai iluminar toda a terra com a sua glória, esta glória é o poder de Deus que nos salva: CRISTO O EVANGELHO ETERNO.
O maior problema não são as igrejas querer ser este Anjo, é não crer no que está escrito e manipular os textos sagrados para adaptarem as suas doutrinas teológicas.

Autor: Eurias R. Carneiro.



quinta-feira, 4 de outubro de 2012

A LEI DO AMOR – OS DEZ MANDAMENTOS?


A LEI DO AMOROS DEZ MANDAMENTOS?

"A lei não fora proferida naquela ocasião exclusivamente para o benefício dos hebreus. Deus os honrou, fazendo deles os guardas e conservadores de Sua lei, mas esta deveria ser considerada como um depósito sagrado para todo o mundo. Os preceitos do Decálogo são adaptados a toda a humanidade, e foram dados para a instrução e governo de todos. Dez preceitos breves, compreensivos, e dotados de autoridade, abrangem os deveres do homem para com Deus e seus semelhantes; e todos baseados no grande princípio fundamental do amor. "Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças, e de todo o teu entendimento, e ao teu próximo como a ti mesmo." Lucas 10:27; Deuteronômio. 6:4 e 5; Levítico 19:18. Nos Dez Mandamentos estes princípios são apresentados pormenorizadamente, e aplicáveis às condições e circunstâncias do homem." Patriarcas e Profetas pág. 311Ellen White.
Veja, toda a Bíblia foi escrita por homens inspirados pelo Espírito Santo, mas os Dez Mandamentos, Deus mesmo escreveu com o Seu próprio dedo em duas tábuas de pedra. Na primeira tábua ele escreveu 4 mandamentos e na segunda escreveu 6 mandamentos. Porque 4 em uma e 6 na outra? Porque os dez mandamentos se resumem no amor e os 4 primeiros mandamentos falam do nosso amor para com deus, e os 6 últimos mandamentos falam do nosso amor para com o próximo. ( veja que o sábado está na 1o. tabua amor a deus ) Por isso eles foram divididos em duas tábuas, e por esta razão também, Jesus Cristo mencionou no Novo Testamento, no Evangelho de São Mateus, mencionou algo sobre esta divisão. E que algumas pessoas interpretam erradamente.Veja na sua Bíblia o que diz. http://tempo-do-fim.blogspot.com.br/2009/10/lei-do-amor.html
Até que ponto estas citações são verdades? Há alguma parcela de verdade ou tudo é mentira? A ideia aventada acima seria tudo verdade? Porque verdade é tão somente o que a liderança das igrejas aceitam apenas o que aparentemente concorda com suas ideias? É pecado analisar o que os fundadores e pastores das igrejas ensinam como verdades?
Para quem realmente conhece as Sagradas Escrituras é impossível concordar com as ideias acima, embora sejam citadas textos da Palavra de Deus. Estaria a Palavra de Deus ensinando mentiras? Claro que não, a questão é que os pastores usam textos desta Palavra e as distorcem e as conrrompem para beneficiar a teologia.
"Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo” seria um resumo dos dez mandamentos???
Articulam que Amar Deus sobre todas as coisas (está inserido e revelado nos quatro primeiros mandamentos) e amar ao próximo como a si mesmo (estaria inserido e revelado nos últimos seis últimos mandamentos), seria verdade?
A mentira tem seu fundamento no Diabo, ou seja, os que usam a Palavra de Deus para sustentar a mentira ela está cultuando e adorando o Diabo.
A verdade tem seu fundamento em Deus o Eterno, ou seja, os que usam a Palavra de Deus para sustentar a verdade ele está cultuando e adorando o Deus verdadeiro.
Sendo os quatro primeiros mandamentos uma demonstração de amor e os seis restantes ao ser humano é uma teoria muito difundida pelos Adventistas do Sétimo Dia e os IASD Movimento de Reforma e suas ramificações. A questão é: Tem alguma verdade nesta teoria?
1.            Algum dos dez mandamentos manda socorrer o órfão e a víúva nas suas necessidades? - Claro que não, isto é a manifestação do amor e nos dez mandamentos não há relação com o amor, porque os mesmos são obrigações e o amor é algo espontâneo e expresssão do caráter de Deus.
2.            - Algum dos dez mandamentos manda socorrer um ferido na beira da estrada? - Claro que não, isto é a manifestação do amor e nos dez mandamentos não há relação com o amor, porque os mesmos são obrigações e o amor é algo espontâneo e expresssão do caráter de Deus.
3.            - Algum dos dez mandamentos diz para perdoar? - Claro que não, isto é a manifestação do amor e nos dez mandamentos não há relação com o amor, porque os mesmos são obrigações e o amor é algo espontâneo e expresssão do caráter de Deus.
4.            Algum dos dez mandamentos diz para ser tolerante? - Claro que não, isto é a manifestação do amor e nos dez mandamentos não há relação com o amor, porque os mesmos são obrigações e o amor é algo espontâneo e expresssão do caráter de Deus.
5.            - Algum dos dez mandamentos diz para ser misericordioso e bondoso ajudando as pessoas nas suas necessidades? - Claro que não, isto é a manifestação do amor e nos dez mandamentos não há relação com o amor, porque os mesmos são obrigações e o amor é algo espontâneo e expresssão do caráter de Deus.
6.            - Algum dos dez mandamentos diz para termos compaixão de Nosso Próximo?         - Claro que não, isto é a manifestação do amor e nos dez mandamentos não há relação com o amor, porque os mesmos são obrigações e o amor é algo espontâneo e expresssão do caráter de Deus.
7.            - Algum dos dez mandamentos diz para não fazermos acepção de pessoas? - Claro que não, isto é a manifestação do amor e nos dez mandamentos não há relação com o amor, porque os mesmos são obrigações e o amor é algo espontâneo e expresssão do caráter de Deus.
8.            Algum dos dez mandamentos é a expressão do caráter de Deus? Claro que não.
a)            Nenhum dos dez mandamentos é a expressão do caráter de Deus, ensinar que sim, é o mesmo afirmar que no coração do Eterno existe o desejo de adoração, de adultério, de falar falso testemunho e etc.
b)            Os dez mandamentos é a expressão do pecado e jamais do caráter de Deus (...e a força do pecado é a lei. I Co. 15: 56).      Os dez mandamentos é a expressão da morte e jamais do caráter de Deus (E, se o ministério da morte, gravado com letras em pedras... II Co. 3: 7). Os dez mandamentos é a expressão da condenação e jamais do caráter de Deus (Porque, se o ministério da condenação foi glorios... II Co. 3: 9). Os dez mandamentos é um véu que obscurece a salvação em Cristo e jamais revela o caráter de Deus (Mas os seus sentidos foram endurecidos; porque até hoje o mesmo véu está por levantar na lição do velho testamento, o qual foi por Cristo abolido... II Co. 3: 14). Os dez mandamentos gera filhos para a escravidão  e jamais revela o caráter de Deus (O que se entende por alegoria; porque estas são as duas alianças; uma, do monte Sinai, gerando filhos para a servidão, que é Agar. Gl. 4: 24 “21 a 31”).
Não há uma citação dentro dos dez mandamentos que afirme o mesmo ser a revelação do caráter de Deus ou que, os mesmos são demonstrações de amor a Deus e ao próximo, e em nenhuma parte das Sagradas Escrituras afirmando ser os mesmos uma demonstração de amor a Deus e ao próximo.
Vamos analisar com honestidade os dez mandamentos e verificar se há realmente alguma afirmação sobre o amor.
1.            Não terás outros deuses diante de mim. - Ex. 20: 3. – Afirma apenas que só existe um Deus verdadeiro, é um mandamento de reconhecimento.
2.            Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra.
Não te encurvarás a elas nem as servirá
... Ex. 20: 4 - 5.          Apenas indica quem deve ser adorado, é um mandamento de adoração e indicação.
3.            Não tomarás o nome do SENHOR teu Deus em vão; porque o SENHOR não terá por inocente o que tomar o seu nome em vão.
Ex. 20: 7. – É um mandamento de respeito e consideração.
4.            Lembra-te do dia do sábado, para o santificar. Ex. 20: 8. – É um mandamento de descanço físico e que abrange o empregado.
5.            Honra a teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o SENHOR teu Deus te dá. Ex. 20: 12. – É um mandamento que ensina honrar.
6.            Não matarás. Ex. 20: 13. – É um mandamento que proibe matar.
7.            Não adulterarás. Ex. 20: 14. – É um mandamento que proibe o adultério.
8.            Não furtarás. Ex. 20: 15. – É um mandamento que proibe pegar no alheio.
9.            Não dirás falso testemunho contra o teu próximo. Ex. 20: 16. – É um mandamento proibe mentir.
10.          Não cobiçarás a casa do teu próximo... Ex. 20: 17. – É um mandamento que proibe usar meios ilícitos para obter os bens do próximo.
Como pode ser observado com honestidade, dos dez mandamentos  nenhum faz referência ao amor ou ao caráter de Deus, neste caso quem defende a ideia que os dez é demonstração de amor estão ensinando doutrina falsa forjoda na bigorda da mentira.

Se você ler com muita atenção a parábola do bom samaritano, vai descobrir que os guardadores dos dez mandamentos foram os que não demonstraram amor ao próximo, se você não souber fique sabendo, porque convivi com os guardadores dos dez mandamentos por mais de 40 anos, eles são a classe de crente que tem menos demonstração de amor e misericórdia com seus semelhantes.
Os dez mandamentos não falam de amor, não pedem que exerçamos amor, mas que cumpramos as obrigações citadas, que aliás são obrigações e não atos espontâneos de manifestação de amor.
Paulo diz que o cumprimento da lei é o amor! Então não pode estar falando  da LEI dos dez mandamentos.. Não é mesmo? A Lei do amor é muito mais abrangente! É tão verdade que mais de dois mil anos após a promulgação da lei das pedras Cristo disse: Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis. Jo. 13: 34. Sabem o porque Cristo nos deu este novo mandamento? Porque os guardadores dos dez mandamentos jamais conheceram o que é amar a Deus e ao próximo, nestes mandamentos não há convite ou determinação para que amemos a Deus ao próximo.
Não estou falando de guarda ou transgressão e sim de amor revelado nos dez mandamentos, como ficou bem esclarecido a doutrina do amor contido nos dez mandamentos é mentira.
Autor: Eurias R. Carneiro