segunda-feira, 5 de novembro de 2012

INÍCIO E FIM DO DIA



INÍCIO E FIM DO DIA

Os movimentos religiosos que focam apenas a observância incondicional do sétimo dia da semana como sábado e a incapacidade de Cristo de salvar a pessoa sem a guarda deste dia, usam este texto para determinar o início e fim do dia de sábado: Sábado de descanso vos será; então afligireis as vossas almas; aos nove do mês à tarde, de uma tarde a outra tarde, celebrareis o vosso sábado. Lv. 23 : 32.
Neste caso específico estaria Deus fazendo referência ao sábado do sétimo dia?
Lendo com honestidade o texto, podemos observar alguns pormenores que jogam por terra a teoria fundamentada neste texto que o sábado do sétimo dia começa no por do sol de cada sexta-feira e termina no por do sol do sétimo dia.
1.            As solenidades convocadas e determinadas aos Israelitas são convocações santas - Fala aos filhos de Israel, e dize-lhes: As solenidades do SENHOR, que convocareis, serão santas convocações; estas são as minhas solenidades. Lv. 23 : 2.
2.            Apenas determina o sétimo dia como dia de descanso sem determinar início no por do sol e o mais determinante neste texto é que o sábado deve ser guardado na morada da pessoa, ou seja, o trabalhador não mora no local de trabalho e muito menos na cidade a qual ele está em visita. Seis dias trabalho se fará, mas o sétimo dia será o sábado do descanso, santa convocação; nenhum trabalho fareis; sábado do SENHOR é em todas as vossas habitações. Lv. 23 : 3.
3.            O tempo determinado e especificado a seguir deixa de fora o descanso do sétimo dia. É referenciado várias datas sem a menção de um dia semanal. - No mês primeiro, aos catorze do mês, pela tarde, é a páscoa do SENHOR. Lv. 23 : 5.
4.            O primeiro dia da festa da páscoa é um sábado, independentemente do dia da semana que cair. No primeiro dia tereis santa convocação; nenhum trabalho servil farei. Lv. 23 : 7.
5.            No primeiro dia da semana conhecido como domingo, este dia é o dia que o sacerdote movia os primeiros frutos que representa Cristo, ou seja, é o dia que Cristo é apresentado como a primícia para Deus, é o dia de Cristo e jamais o dia do Diabo “BESTA” como tem sido apresentado. E ele moverá o molho perante o SENHOR, para que sejais aceitos; no dia seguinte ao sábado o sacerdote o moverá. Lv. 23 : 11. - Mas de fato Cristo ressuscitou dentre os mortos, e foi feito as primícias dos que dormem. Mas cada um por sua ordem: Cristo as primícias, depois os que são de Cristo, na sua vinda. I Co. 15: 20, 23. -
6.            Após terminar o sábado do sétimo dia, devem ser contados cinqüenta dias para apresentar uma oferta nova de alimento para Deus, ou seja, neste dia de Domingo que é o primeiro dia da semana aconteceu estes eventos: a) Cristo nosso alimento foi apresentado como o primeiro fruto, b) Cristo nosso alimento (pão) que desceu do céu foi apresentado (ressuscitado) para Deus. c) Neste dia, cinqüenta dias depois do sábado foi o Dia de Pentecostes que caiu em dia de Domingo, cumprindo a risca estes textos conforme ordenado por Deus. Depois para vós contareis desde o dia seguinte ao sábado, desde o dia em que trouxerdes o molho da oferta movida; sete semanas inteiras serão. Até ao dia seguinte ao sétimo sábado, contareis cinqüenta dias; então oferecereis nova oferta de alimentos ao SENHOR. Lv. 23 : 15 - 16.
A partir do versículo 19 começa a orientação como seria o dia do Grande Perdão também conhecido como o dia da Expiação.
1.            O dia da Expiação era um sábado independentemente do dia da semana que caísse. E naquele mesmo dia apregoareis que tereis santa convocação; nenhum trabalho servil fareis; estatuto perpétuo é em todas as vossas habitações pelas vossas gerações. Lv. 23 : 21.
2.            O primeiro dia do sétimo mês é um sábado e é o único dia de descanso que a Palavra de Deus refere-se como sendo um dia memorial, neste caso os sabatistas mentem ao afirmarem que o sábado do sétimo dia é o memorial da criação por não ter tal citação dentro das Sagradas Escrituras. Fala aos filhos de Israel, dizendo: No mês sétimo, ao primeiro do mês, tereis descanso, memorial com sonido de trombetas, santa convocação. Lv. 23 : 24.
3.            O décimo dia do sétimo mês é um sábado o qual é o dia da expiação, no nosso calendário caio em 1844 no dia 20, mas Ellen White mudou para o dia 22, talvez porque ela tenha autoridade para fazer mudanças nos planos de Deus. Fala aos filhos de Israel, dizendo: No mês sétimo, ao primeiro do mês, tereis descanso, memorial com sonido de trombetas, santa convocação. Lv. 23 : 24.
4.            De um por do sol a outro por do sol, é com referência ao sábado do sétimo mês e jamais ao do sétimo dia, quando os sabatistas usam este texto para dá apoio a guarda do sétimo dia, eles estão corrompendo as Sagradas Escrituras para sua própria destruição. Não tem um texto dentro das Sagradas Escrituras afirmando que o sábado do sétimo dia começa no por do sol de sexta-feira. Também toda a alma, que naquele mesmo dia fizer algum trabalho, eu a destruirei do meio do seu povo. Nenhum trabalho fareis; estatuto perpétuo é pelas vossas gerações em todas as vossas habitações. Sábado de descanso vos será; então afligireis as vossas almas; aos nove do mês à tarde, de uma tarde a outra tarde, celebrareis o vosso sábado. Lv. 23 : 30 - 32. Falando disto, como em todas as suas epístolas, entre as quais há pontos difíceis de entender, que os indoutos e inconstantes torcem, e igualmente as outras Escrituras, para sua própria perdição. II Pd. 3: 16.

HORAS DO SÁBADO NO TEMPO DE CRISTO

         Para que você entenda da forma correta o que será estudado a seguir, é necessário que primeiro você leia o artigo "UMA ADVENTISTA POSTOU NO G+ E EU FIZ O SEGUINTE QUESTIONAMENTO PARA ELA" (http://abibliafontedeverdade.blogspot.com.br/2016/04/uma-adventista-postou-no-g-e-eu-fiz-o.html)

Existe alguma prova escriturística de que o sábado do sétimo dia nos dias que Cristo quando esteve na terra começava no por do sol de sexta-feira?
1.    A hora sexta nos dias de Cristo hoje é conhecido como meio dia, e a hora nona como três horas da tarde. Antes do meio dia até as três horas da tarde houve trevas em todo planeta terra, como aconteceu é mistério de Deus e jamais houve explicação palpável por parte da ciência. Estes acontecimentos foram realizados na quinta-feira, ou seja, no quinto dia semanal. E era já quase à hora sexta, e houve trevas em toda a terra até a hora nona, escurecendo-se o sol; Lc. 23 : 44.
2.    A quinta-feira é conhecida como sendo o dia da preparação para a guarda do sábado da páscoa, quando amanhecia, ou seja, quando o sol estava nascendo pela manhã de sexta-feira é que realmente começa o sábado pascoal, sendo assim, o sábado do sétimo dia não começa no por do sol de sexta e sim ao nascer do sol da noite anterior ao sábado. Na noite de quinta-feira as mulheres fizeram suas compras e na quinta começado no nascer do sol elas repousaram conforme o mandamento é o que diz as Sagradas Escrituras, sendo assim, os sabatistas estão errados por não darem crédito as Palavras do Espírito Santo. E era o dia da preparação, e amanhecia o sábado. E as mulheres, que tinham vindo com ele da Galileia, seguiram também e viram o sepulcro, e como foi posto o seu corpo. E, voltando elas, prepararam especiarias e unguentos; e no sábado repousaram, conforme o mandamento. Lc. 23 : 54 – 56.
3.    No tempo dos patriarcas o dia não terminava no por do sol, este episódio ilustra bem quando as duas irmãs dialogam sobre os acontecimentos, afirmando uma delas que a noite anterior pertence ao dia que antecedeu, ou seja, o dia começa no nascer do sol e jamais no por do sol como os pastores lobistas tem entocado na mente de quem não conhece a Palavra de Deus. E deram de beber vinho a seu pai naquela noite; e veio a primogênita e deitou-se com seu pai, e não sentiu ele quando ela se deitou, nem quando se levantou.
E sucedeu, no outro dia, que a primogênita disse à menor: Vês aqui, eu já ontem à noite me deitei com meu pai; demos-lhe de beber vinho também esta noite, e então entra tu, deita-te com ele, para que em vida conservemos a descendência de nosso pai.

Gn. 19 : 33 – 34.
4.    Este é outro texto que prova que o dia começa no nascer do sol, no domingo bem cedo, ou seja, assim que nasceu o sol as mulheres foram ao sepulcro para ungir o corpo de Cristo. E no primeiro dia da semana, muito de madrugada, foram elas ao sepulcro, levando as especiarias que tinham preparado, e algumas outras com elas. “ACRF”. No primeiro dia da semana, de manhã bem cedo, as mulheres tomaram as especiarias aromáticas que haviam preparado e foram ao sepulcro. “NVI”. No primeiro dia da semana, muito cedo, dirigiram-se ao sepulcro com os aromas que haviam preparado. “VC”. Lc. 24 : 1.

INÍCIO DO DIA NA CRIAÇÃO

O dia na criação teria começado no por do sol ou no nascer do sol? Para entendermos, vamos analisar todos os textos referentes à consumação dos dias originados no princípio.
1.            Como podemos observar neste texto, passou o período da tarde até o amanhecer, no amanhecer é que começou o dia seguinte. E Deus chamou à luz Dia; e às trevas chamou Noite. E foi a tarde e a manhã, o dia primeiro. Gn. 1 : 5.
2.            Como podemos observar neste texto, passou o período da tarde até o amanhecer, no amanhecer é que começou o dia seguinte.  E chamou Deus à expansão Céus, e foi a tarde e a manhã, o dia segundo. Gn. 1 : 8.
3.             Como podemos observar neste texto, passou o período da tarde até o amanhecer, no amanhecer é que começou o dia seguinte. E foi a tarde e a manhã, o dia terceiro. Gn. 1 : 13.
4.            Como podemos observar neste texto, passou o período da tarde até o amanhecer, no amanhecer é que começou o dia seguinte. E foi a tarde e a manhã, o dia quarto. Gn. 1 : 19.
5.            Como podemos observar neste texto, passou o período da tarde até o amanhecer, no amanhecer é que começou o dia seguinte. E foi a tarde e a manhã, o dia quinto. Gn. 1 : 23.
6.            Como podemos observar neste texto, passou o período da tarde até o amanhecer, no amanhecer é que começou o dia seguinte. E viu Deus tudo quanto tinha feito, e eis que era muito bom; e foi a tarde e a manhã, o dia sexto. Gn. 1 : 31.        
7.            Deus não terminou a obra da criação no sexto dia como tem sido ensinado, Ele concluiu sua obra no sétimo dia. E havendo Deus acabado no dia sétimo a obra que fizera, descansou no sétimo dia de toda a sua obra, que tinha feito. Gn. 2 : 2. – ACRF - No sétimo dia Deus já havia concluído a obra que realizara, e nesse dia descansou. NVI - No sétimo dia acabou Deus a obra que tinha feito; e cessou no sétimo dia de toda a obra que fizera. – SBB - Tendo Deus terminado no sétimo dia a obra que tinha feito, descansou do seu trabalho. VC.
Como podemos observar de forma honesta e jamais tendenciosa, o dia semanal começa no nascer do sol e jamais no por do sol como tem sido ensinado, ao mesmo tempo os que estão guardando o sábado do sétimo dia de um por do sol ao outro, na verdade eles estão guardando a noite de sexta feira e o dia claro do sábado, sendo assim, seguindo a regra da religião eles são tão transgressores bem como o que não o guarda.
Autor: Eurias R. Carneiro
Leia outros temas no meu blog -    http://abibliafontedeverdade.blogspot.com/     


Nenhum comentário: