sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

A IGREJA E AS BESTAS

Colaboração do irmão djalma barbosa     djvalle@gmail.com 


           A IGREJA E AS BESTAS

 Notas Explicativas



Os livros da bíblia que tratam sobre a escatologia são sem dúvida os mais difíceis de se compreender, mas são eles os que mais despertam a curiosidade nos estudantes das escrituras.
Entre estes livros destacamos o de Apocalipse, por ser o livro que nos traz a revelação de todos os fatos e acontecimentos que envolverão a todos os homens, e a própria igreja.
Neste modesto comentário, vamos analisar a posição da igreja e o seu comportamento mediante as duas temíveis organizações mundiais; a besta que sai do mar e a besta que sai da terra.
O nosso sincero desejo é a educação do corpo de Cristo. Esperamos alcançar isto.
Obs: sobre as duas bestas, temos estudo à parte e estão à disposição dos irmãos ou quem estiver interessado.  Não cobramos nada por eles.
De graça recebemos, de graça damos.

Elaborado por:
Israel Alves Dias
Tel. : (0xx11) 4486.4689
Al. Ouro Preto,  123
Cep: 07600-994
Caixa Postal Comunitária 70

Mairiporã – SP

                                                                           Pg.01

As áreas da economia, da política e da nova geografia populacional, já estão na conformidade da “Nova Ordem Mundial”, oficialmente declarada desde 1990. Já fizemos estudo sobre isto, intitulado “A Nova Ordem Mundial”.

E sobre a área religiosa? Como ficará?  Haverá mudanças? Muitas são as perguntas.
O fato é que as mudanças na área religiosa já estão sendo efetuadas.
Mudanças que atingem a sociedade como um todo, e as pessoas individualmente.
O assunto sobre estes fatos é bastante complexo, cheio de muitos detalhes reveladores aos que propõe estuda-los. Não nos é possível esgotar todo o entendimento que já alcançamos sobre isto nestas poucas páginas que escrevemos; tentarei resumir e sintetizar o máximo possível.
Daremos ênfase aos fatos que consideramos mais importantes para o esclarecimento.  São estes fatos que estão alterando o comportamento da economia, da política, dos costumes e das religiões.
Vamos nos ater às religiões e à igreja.
A palavra de Deus adverte seriamente ao povo de Deus, os santos do altíssimo para que se afaste e fique fora da mundanização que as leis seculares do estado anticristo estão produzindo nas religiões e que de alguma maneira atinge a igreja.
Atualmente as denominações religiosas que formam o chamado cristianismo estão em já avançado processo de união fraternal universal.
Aos crentes menos informados, pode parecer que este fato seja um ato espontâneo, casual, nascido na própria trajetória da história das religiões.
A verdade, porém, que se esconde por traz desta aparência de casualidade é outra, muito mais terrificante. Esta união fraterna
                                                                           Pg. 02
é o objetivo maior, traçado e firmemente buscado pelos lideres maiores que governam o mundo, e que estão preparando o advento do anticristo e seu governo mundial.
Já fizemos alguns comentários de como lideranças estão hoje dominando a política, a economia e os estados da maioria das nações da terra.
Restam poucas nações para serem dominadas.  Disto tratamos no estudo sobre a nova ordem mundial. Este governo mundial que se aproxima, no entanto, precisará de um comando único sobre a religião, pois será a religião quem conduzirá os homens: grandes e pequenos, ricos e pobres, livre e servos; a obedecerem e servirem o anticristo.
É preciso esclarecer aos que nos estão lendo, que a igreja não é contra a fraternidade; pelo contrário, o senhor nos ensina a sermos fraternos.
Agora o que não se deve aceitar é esta fraternidade entre ímpios e santos.  Fraternidade é amor entre irmãos e só a igreja congrega os filhos de Deus.
Sabemos comprovadamente que a verdade somente é aceita por aqueles que o senhor escolheu desde a fundação do mundo e que o ímpio rejeita esta verdade única.  Desta forma, rejeitando a Palavra, como a igreja poderá unir-se fraternalmente (isto é, como irmãos), com os que assim procedem? Penso que tal fraternidade universal  deva ser rejeitada pela igreja.
Esta tão buscada fraternidade universal está procurando unir os povos através das religiões.  Ela não acontecerá na luz da Palavra de Deus, mas sim nas trevas advindas da desobediência à Palavra, praticada pelas religiões humanas.  Tal fraternidade uma vez concluída produzirá a união dos homens contra a Palavra genuína, e engrandecerá o domínio do anticristo.
Precisamos, como igreja do senhor Jesus Cristo, prestar atenção nas muitas advertências sobre tal assunto, contidas em sua Palavra.
                                                                           Pg. 03
Vamos analisar o que diz o apostolo Paulo: II Coríntios 6: 14 a 18  “Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque que  sociedade tem a justiça com a injustiça?  E que comunhão tem a luz com as trevas? E que concórdia há entre Cristo e Belial?  Ou que parte tem o fiel com o infiel?  E que consenso tem o templo de Deus com os ídolos? Porque vós sois o templo do Deus vivente, como Deus disse, neles habitarei e entre eles andarei, e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo. Por isso saí do meio deles e apartai-vos diz o Senhor;  e não toqueis nada imundo; e eu vos receberei; e eu serei para vós Pai, e vós sereis para mim filhos e filhas, diz o Senhor Todo Poderoso”.
Vamos analisar passo a passo os versículos acima mencionados e assim poderemos perceber que o sistema religioso está negligenciando tais instruções.

Versículos 14

“Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis. Porque que sociedade tem a justiça com a injustiça?  E que comunhão tem a luz com as trevas?”

Em consulta ao dicionário “Aurélio” constatamos que a palavra jugo tem diversos significado:  canga – junta – opressão – sujeição – submissão – obediência – autoridade – domínio.  Cada significado deve estar relacionado de acordo com a frase construída dentro do assunto proposto pelo escritor.  Dentro do assunto do apóstolo Paulo, o significado que se ajusta a jugo, é sem dúvida, junta.
Assim se quisermos, poderemos entender a frase desta maneira:  “Que junta tem....”.

A justiça a que Paulo se refere, é o ministério da justiça, ou seja, todo o propósito da verdade dado ao homem, onde se inclui a sua salvação gratuita, mediante a justiça do Senhor Jesus.

A injustiça é exatamente o oposto. Trata-se do ministério do erro, do engano, da mentira planejada por Satanás, o grande adversário de Deus.                                          Pg. 04
Este ministério trará a perdição a todos os homens que não amaram a verdade; que é o ministério da justiça.  Um se opõe ao outro.
O fiel aqui referido é o crente que crê totalmente na Palavra do Senhor e obedece aos mandamentos nela contidos.  Obedece a suas doutrinas.  Crer e obedecer é a questão. Não basta apenas crer.  Abraão creu e isto lhe foi imputado por justiça; é preciso porém dizermos que a sua fé foi demonstrada com fatos.
Ele obrou a fé que teve na Palavra do Senhor, quando saiu do meio da sua parentela, saiu da sua nação, a caldéia; onde se adorava deuses que por natureza não são deus.  Assim ouvindo a Palavra do Senhor que lhe dizia: Abraão sai do meio do seu povo, da sua parentela, e vai para terra que te mostrarei.
Em obediência ele saiu e foi rumo ao desconhecido.  Creu no Senhor.
Assim deve ser a igreja do Senhor Jesus, os santos do altíssimo não devem sob pretexto algum se submeterem a esta fraternidade que congrega, que junta debaixo do mesmo jugo, do mesmo domínio, os fiéis e os infiéis, os santos e os ímpios, a justiça e a injustiça, a luz e as trevas.
Esta fraternidade pretendida pelos governantes, através de orientações aos lideres religiosos para que a busquem e pratiquem; sem dúvida é juntar todos nas trevas das religiões e não na luz da Palavra do Senhor Jesus.
O ensino da verdade tem sido desprezado e torcido pelos mestres, falsos pastores travestidos de ovelhas, que tem como mister perder as ovelhas.
Cumpriram-se as palavras do apóstolo João.

João 1: 5  “ E a luz resplandece nas trevas e as trevas não a compreenderam”.

                                                                           Pg.05

Versículo 15

“Que concórdia há entre Cristo e Belial?  Ou que parte tem o fiel com o infiel?”Acreditamos piamente que não há concórdia alguma entre Cristo e Belial. Porque Cristo é a vida, o amor; veio salvar e restaurar aquilo que estava irremediavelmente perdido.  Belial é o mal, é o símbolo de Satanás  o dragão;  veio para roubar, matar e destruir.  Assim sendo também o fiel não pode de forma alguma concordar com o infiel.
Então porque é que os que professam o nome do Senhor Jesus  e ( e isto faz todo o chamado cristianismo), não se afasta do mal? Porque então estes que formam as religiões do cristianismo  que vivem afirmando com veemência ser a igreja do Senhor Jesus, querem a todo custo estabelecer a concórdia entre o fiel e o infiel?  Fica evidente que tais lideranças que promovem esta concórdia, esta fraternidade; não estão querendo obedecer às palavras do apóstolo Paulo.
Em Efésios 5: 7 a 11  “Portanto não sejais seus companheiros.  Porque noutro tempo éreis trevas,  mas agora sois luz no Senhor;  andai como filhos da luz (porque o fruto do espírito está em toda a bondade e justiça e verdade).  Aprovando o que é agradável ao Senhor.  E não comuniqueis com as obras infrutuosas das trevas mas antes condenai-as.

Ao ler tal escritura, nossa crença de que não devemos aceitar tal fraternidade se reforça.

A igreja não pode ignorar isto que nos exorta o apóstolo, pois se assim o fizer, estará se aprofundando na apostasia vigente; precisamos condenar e rechaçar o tal procedimento de ajuntamento irrestrito.
Temos certeza contudo que esta fraternidade universal chegará a bom termo, e o mundo se unirá neste objetivo. Será um corpo universal, formado por todas as religiões existentes. Este
                                                                           Pg. 06
corpo que já está quase formado por todas as religiões existentes.
Este corpo que já está quase todo emergido será o surgimento da besta que sai da terra; a religião que dará sustentação ao governo mundial do anticristo.
Esta fraternidade se dará nas trevas da ignorância e desobediência à Palavra do Senhor.
O corpo desta igreja, formada de várias religiões, é o falso profeta; que também é a besta que sai da terra.
Leiam Apocalipse 13: 11 a 16.
Tal coisa tem aparência do cordeiro, mas o seu falar é do dragão. Parece o cordeiro, mas ensina a mentira.
Todos os meios de comunicação pertencentes ao estado anticristo, está se encarregando de fomentar e aproximar as organizações religiosas. Os formadores de opiniões, comunicadores treinados, estão ajuntando todos neste grande objetivo; trabalhando para derrubar as paredes de discórdias hoje ainda existentes entre as muitas religiões.
Quando isto estiver concluído, então se dará a união fraternal descrita no Apocalipse; entre grandes e pequenos, ricos e pobres, livres e servos.
Todos estarão concordando em aceitar a adorar o anticristo, que virá como se fosse Deus, e estará assentado no lugar de Deus.  Ele é a abominação desoladora, descrita pelo profeta Daniel e posteriormente citada por nosso Senhor Jesus, que nos avisou que um dia viria e se estabeleceria como um Deus universal.
Todos os que não amam a verdade seguirão após este terrível engano e perecerão.
Só a igreja, que são os assinalados por Deus, não seguirão o espírito da operação do erro.
No capítulo 16: 13 e 14 do Apocalipse, o apóstolo João teve a seguinte visão:  viu três espíritos imundos semelhantes a rãs; eles saíam da boca do dragão, da besta do mar que é o anti-cristo e
                                                                           Pg. 07

da boca do falso profeta, que é a besta da terra.
Estes três espíritos saíram para enganar e para congregar a todos para a batalha naquele dia, contra o Senhor Todo-Poderoso.
Os súditos dos reinos do mundo todo, darão ouvidos aos ensinos saídos das bocas, e seguirão suas lideranças; econômicas, políticas e religiosas.
Não é obra do acaso o fato de toda mídia falada e escrita, estar a serviço destes três espíritos, divulgando os seus ensinos. Formando opiniões e ajuntando os seguidores.
A igreja, contudo, por ser a luz, a coluna e o baluarte da verdade; está cada dia que passa, mais posta para fora do sistema.  O poder do povo de Deus está sendo espalhado.  O profeta Daniel nos conta a sua visão a respeito.
Daniel 12: 7 – “ E ouvi o homem vestido de linho que estava sobre as águas do rio o qual levantou a sua mão direita e a sua mão esquerda, e jurou por aquele que vive eternamente, que isso seria para um tempo, tempos e metade do tempo, e quando tiveram acabado de espalhar o poder do povo santo, todas estas coisas serão cumpridas”.
O dicionário apresenta vários significados para a palavra espalhar; entre os vários existentes, destacamos aquele que melhor se ajusta às palavras do profeta;  Dispersar.  “Quando tiverem acabado de dispersar”....
Gradativamente o poder de representatividade que existe no evangelho, está sendo tirado e em seu lugar se esta entronizando o poder substitutivo; valores e ensinos do dragão.  O abominável da desolação está no processo de usurpar o lugar da Palavra de Deus.
Seus ensinos estão prevalecendo, e a imensa maioria das pessoas acreditam neles.
Sorrateiramente estas doutrinas do demônio estão tomando o lugar das doutrinas dos apóstolos.  Poucos são os que estão conseguindo perceber que os agentes disseminadores de tais ensinos são lobos disfarçados de ovelhas.        Pg. 08
A igreja precisa estar ciente destes fatos, porém não deve se perturbar com isto.  A Palavra de Deus está se cumprindo. É necessário que venha primeiro o abominável da desolação, que reinará por um curto espaço de tempo; apenas sete anos. Depois então virá o Senhor Jesus Cristo.
Os homens que não amam a verdade, serão levados a crer na operação do erro, não se salvarão, pois crerão a mentira.
Tessalonicenses 2: 10 e 11  “ E com todo o engano da injustiça para os que perecem, porque não receberam o amor da verdade para se salvarem.  E por isso Deus lhes enviará a operação do erro, para que creiam a mentira”;  Quando Paulo disse estas palavras ele apontava pra o seu futuro;  podemos dizer que tal futuro do apóstolo chegou; é o nosso presente momento.  Isto está se cumprindo.
Alongamos-nos um pouco na análise e comentário do versículo 15,  passaremos agora ao próximo versículo.

Versículo 16

“ E que consenso tem o templo de Deus com os ídolos? Porque vós sois o templo do Deus vivente como Deus disse:  neles habitarei, e entre eles andarei;  e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo”.
Segundo o dicionário, a palavra consenso tem os seguintes significados:
acordoconformidade de idéias ou de opiniões.
Qualquer uma das três palavras se encaixa perfeitamente no texto do versículo 16.
Desta forma o entendimento fiaria assim:
                                                                                    
                            = Que acordo tem...
                            = Que conformidade de idéias tem...
                            = Que opinião tem...
                                                                           Pg.09
Fica então muito evidente para nós, que a igreja nada tem com os que não aceitam a Palavra e andam na conformidade dos ídolos, das feitiçarias, do afrouxamento moral dos costumes e valores aprendidos na Palavra de Deus.
A igreja não pode Ter nenhum acordo com aqueles que estão totalmente comprometidos com o mundo.  Estes são os que querem servir a dois senhores.
Com toda a certeza, a igreja não ficará dentro desta grande babilônia espiritual, que é liderada pela grande prostituta (Roma).  A igreja é formada por ovelhas, e estas ouvem a voz do pastor.  Ela está ouvindo o grito de alerta  “sai dela povo meu”.
Aqueles que se dizendo igreja e não são; estão todos juntos no mesmo acordo, na mesma conformidade de idéias, nas mesmas opiniões.
Estes nunca ouvirão a voz do Pastor. Não são ovelhas. Sendo assim ouvirão a voz do estranho.
O cristão nominal religioso, nunca irá concordar com a soberania da Palavra de Deus.  Os seus ouvidos estão propensos a ouvir somente a orientação advinda da sua denominação religiosa.
Precisamos contudo saber que no seio das denominações religiosas existem os escolhidos que fazem parte do corpo de Cristo.
Em tempo sairão para fora, darão ouvidos ao grito de alerta do Senhor Jesus.
Todo sistema religioso com suas muitas religiões e denominações, esta sob o comando do homem; que o domina com mãos fortes.  Os tais são os nicolaítas narrado no Apocalipse, capitulo 2.
São eles que formam o corpo eclesiástico.  Trata-se de um corpo no comando do corpo.
São os oficiais dominando os leigos. Alguns se auto intitulam  anjo ou ungido do Senhor; com suas heresias, estão conduzindo muitos à adoração do anti-cristo.
                                                                   Pg. 10

Versículo 17

“Por isso saí do meio deles.  E apartai-vos, diz o Senhor; e não toqueis nada imundo, e eu vos receberei”.
A ordem contida neste versículo é imperiosa. Ela não traz nenhuma margem de dúvidas, de forma que a possamos discutir. Não há como fazer para contornarmos.  Ela não pode ser abrandada. Precisamos obedece-la, e sairmos desta babilônia espiritual, cujo comando todos nós devemos saber, é do próprio dragão.

Versículo 18

“ E eu serei para vós Pai, e vós sereis pra mim filhos e filhas, diz o Senhor Todo-Poderoso”.
Este versículo impõe uma condição que é dependente da nossa obediência ou não à ordem contida no versículo 17.  Qual é esta condição? Sermos filhos e filhas, se em obediência à ordem, sairmos para fora do sistema babilônico.
Se obedecermos a sairmos temos a maravilhosa promessa do Senhor Todo-Poderoso;  dele ser nosso Pai e nós sermos para Ele, filhos e filhas.
Talvez alguns raciocinem que é possível estar na condição de filhos e filhas permanecendo dentro do sistema babilônico.  É preciso que reconsiderem com urgência.  Tal possibilidade não existe.  Para ser recebido é preciso sair.
O apelo da Palavra está feito, e com muita clareza.  Não endureça o seu coração.  Busque com muito desejo a orientação do Senhor, e se a obtiver, não resista ao Espírito Santo.
Já faz alguns anos que pela misericórdia do Senhor Jesus, tenho recebido o entendimento e a revelação da trama diabólica que há neste sistema babilônico; encabeçado pela meretriz em

                                                                           Pg. 11
conformidade com a vontade dos governantes; conduzido pelos nicolaitas ou como quiserem alguns, os eclesiásticos.
O inicio oficial deste sistema conforme registra a história, foi em 325 no concílio de Nicéia, quando o imperador Constantino oficializou a igreja de Roma como sendo a sede da igreja universal, e elevou o seu bispo à condição de bispo chefe, tornando o cristinianismo a religião do estado do império romano.
Foi neste concílio que se estabeleceu a eclesiastia, que é a doutrina dos nicolaítas.
Esta doutrina surgiu como uma obra; ou seja, uma idéia a ser posta em prática; logo na primeira era da igreja.
Apocalipse 2: 6  “tens porém isto: que odeias as obras dos nicolaítas, as quais eu também odeio”.
Esta obra veio tornar-se doutrina já na terceira era da igreja.
A bíblia explicada, de S.E. MC Nair, editada em 1949 pela casa editora evangélica – Teresópolis – Estado do Rio, página 304, traz a seguinte explicação sobre a palavra Nicolaítas: vou copiar literalmente:  “Scofield explica nicolaítas assim -  o termo vem de Nico (subjugar), e  Laos (o povo ou leigos).  Não existe vestígio de nenhuma seita dos nicolaítas.
Se a palavra é simbólica, refere ao começo da noção de uma ordem sacerdotal na igreja, um clero que mais tarde dividiu uma irmandade igual (Mateus 28: 31), em Clero e Leigos.
Aquilo que em Éfeso eram obras tornou-se doutrina em Pérgamo (pequeno dicionário bíblico).”
Ao afirmar que não existe vestígio de uma seita dos nicolaítas, Scofield está se referindo à alegação de alguns doutrinadores que afirmam ser os nicolaítas, os seguidores de uma seita criada por um tal Nicolau.
O fato é que Roma instituiu como doutrina esta infâmia odiada por nosso Senhor Jesus e que acabou separando a igreja em dois corpos distintos: os nicolaítas, que são os oficiais, e os leigos. 

                                                                 Pg. 12
Vamos ler Marcos 9: 34  “Mas eles calaram-se; porque pelo caminho tinham disputado entre si qual era o maior”.
Do interior do homem  surge todo o mal. Os apóstolos não haviam ainda recebido o Espírito Santo, portanto agiam como homens naturais. Por isso disputavam entre eles qual seria o maior; o chefe de todos.  Logo que receberam o Espírito Santo, compreenderam o quanto isto é errado, e abandonaram tal disputa.
A Bíblia nos dá o modelo simples do governo da igreja.  A igreja é uma comunidade local, governada por bispo e diácono.  O bispo cuida do espiritual e o diácono do material.  O conjunto de todas as comunidades locais faz o corpo universal de Cristo, cuja cabeça é Ele próprio.
Isto de governo centralizado em bispo universal ou presidência, ou junta administrativa, é sem duvida alguma, heresia.
O Apóstolo Paulo exortou a igreja ficar atenta e não receber este espírito faccioso sectarista.
I Coríntios 12: 25  “Para que não haja divisão no corpo, mas antes tenham os membros igual cuidado um com os outros”.
Sua preocupação não era sem motivo, pois o sectarismo que já se manifestava na era da primeira igreja, tornou-se uma realidade e trouxe consigo a grande apostasia atual.
Alguns fatores nos ajudam compreender a trama diabólica que se desenvolve.
                                                                 
Alguns planos já estão se mostrando na prática do nosso dia a dia.
Vamos citar alguns:

         -01º  1948 – o surgimento do C.M.I. – Conselho Mundial de Igrejas.
Tem com o objetivo maior a unificação de todas as igrejas     denominacionais a princípio; e depois as demais religiões.
                                                                           Pg. 13
-02º   1962 – O papa João XXIII dá início ao “concílio vaticano II”. O objetivo é fazer profundas mudanças nas leis e na liturgia do catolicismo romano, a fim de ingressar no C.M.I..  Em 1967 logo ao término do concílio Vaticano II, em 1966, o catolicismo ingressa no C.M.I..

-03º  As profundas alterações inseridas na Bíblia Sagrada, na quase totalidade de versões e traduções, do mundo todo. Alguns textos foram arrancados, outros mutilados; vírgulas foram tiradas, outras acrescentadas. Ao todo são mais de 9.700 (nove mil e setecentos) alterações, mudando completamente o sentido da palavra e alterando com isto o entendimento da doutrina.

Tudo isto são etapas que estão sendo cumpridas na busca do ecumenismo, que é o objetivo principal.
A igreja precisa fazer um esforço para entender claramente a trama e ficar fora desta babilônia.

Que o nome de nosso Senhor Jesus Cristo, único dominador e Senhor, nosso Salvador, seja para sempre louvado.

Amém