quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

O DÍZIMO NA TUA IGREJA É BÍBLICO? III


O DÍZIMO NA TUA IGREJA É BÍBLICO?  III


Em continuidade ao estudo do “USO CORRETO DOS DÍZIMOS”, é necessário abordar alguns tópicos em decorrência de uma afirmativa que um amigo fez a minha pessoa, disse ele: Pagar o dízimo é entregar a Deus e jamais ao pastor.
Em outras palavras existe a afirmação de que a entrega do dízimo não é benefício para o pastor, e sim, para o benefício da obra de Deus, portanto vamos fazer algumas análises dentro da Palavra de Deus e de forma não tendenciosa.



A VERDADEIRA OBRA DO ETERNO DEUS

                                      A OBRA DE DEUS


     As pessoas pensam que fazer a obra de Deus é pregar as doutrinas da igreja, fazer tudo que a instituição religiosa ordena crer e aceitar as doutrinas impostas pela igreja.
Pobres coitados agem desta forma porque não conhecem a Deus e muito menos o Seu Poder.
     A verdadeira obra do Eterno Deus é esta: A obra de Deus é esta: Crer naquele que Ele enviou.  Jo. 6: 29.
     As pessoas e seus líderes preferem crer na doutrina da instituição, na instituição, no slogan da igreja, em seus ritos, em seus líderes, em seus profetadas, em seus livros denominacional, e ainda tem a petulância em afirmar que levar estes conhecimentos está fazendo a obra de Deus.
     Queira você ou não, aceite ou não, creia você ou não, determine você ou não...
     A verdadeira obra de Deus é: CRER NO ETERNO SENHOR JESUS CRISTO.
     Se você aceitar e crer estará afirmando que Deus e Sua Palavra são verdadeiros, caso não creia nesta verdade você estará declarando que Deus e Sua Palavra são mentirosos.
     Qual será a tua decisão?
     Foi o Senhor Jesus Cristo quem afirmou: PARA VOCÊ ELE MENTIU? Caso você creia nele deve aceitar o que Ele ensina em Sua Palavra. É uma condição para você demonstrar que você é um verdadeiro Cristão. 
     Guardar o sábado não prova nada, qualquer pessoa tem condições de guardá-lo sem ter Cristo em sua vida tendo apenas teologia e doutrinas da instituição, mas, amar em verdade e genuinamente só terá condições quem ama a Deus, quem não ama não O conhece jamais amará de verdade. I JO. 4: 8.

PARTE I

Seria mesmo verdade que o dízimo é para a pregação do evangelho e que os pastores O estão pregando?

a)            Em verdade e retidão quem prega o suposto evangelho que não passa de teologia da instituição são os membros da igreja, estas pessoas ficam de porta em porta se escaldando no sol quente e às vezes debaixo de chuva, em contraste os pastores vão apenas ao local ou a igreja fazer o batismo dos que decidem seguir as regras institucionais. Sendo assim, a afirmação de que os pastores pregam o evangelho é baseado em uma falsa premissa.
b)            As despesas que por eventualidade poderá ter em tais evangelismos que não passam de show de prêmios, são financiados pelos próprios membros, quando os mesmos não tem como suster com seus recursos financeiros, os mesmos vão ao comercio pedirem esmolas para os pastores fazerem sorteios. Sendo assim, quando afirmam que o dízimo é para o evangelismo é a mais falsa premissa.

PARTE II

Trazei todos os dízimos à casa do tesouro... Ml. 3: 10.
Onde fica a casa do tesouro? Todo o dízimo arrecadado vai para a missão como se a mesma fosse à casa do tesouro. Em verdade a casa do tesouro é a tesouraria da igreja e jamais a missão. Estas missões, divisões, associações foram criadas apenas como entrave ao desenvolvimento da pregação do evangelho bem como sumidouro dos tesouros dizimados. É tão verdade que estas instituições jamais têm dinheiro para estornar a igreja de origem, em João Lisboa é um dos exemplos, a igreja está para cair na cabeça dos irmãos e os mesmos é que a construíram com muitíssimo sacrifício e estas instituições jamais colaboraram com algum recurso financeiro, estas instituições sabem do problema, mas não resolvem porque esta igreja é bem pobrezinha e não dá lucro substancial para as organizações, mesmo assim, os irmãos são obrigados a entregarem o dízimo à missão.
A casa do tesouro ficava no Santuário, mas, com a morte do Senhor Jesus Cristo o mesmo perdeu o valor, sendo assim, neste caso, como o recolhimento do dízimo implicava em duas coisas, o mesmo perdeu o valor juntamente com o Santuário Terrestre, ou seja, Hebreus 9: 1 a 13, fala sobre duas leis, a lei do sacerdócio e a do dízimo, como o sacerdócio mudou até de tribo por meio do Senhor Jesus Cristo caracterizando o cancelamento do sacerdócio terrestre da mesma forma a lei do dízimo foi cancelada.
Porque, mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também mudança da lei. Porque aquele de quem estas coisas se dizem pertence à outra tribo, da qual ninguém serviu ao altar. He. 7: 12, 13.
A outra questão é que as únicas pessoas autorizadas pela lei do dízimo a receberem o dízimo são os levitas, quando a igreja roga a si mesma esta lei do dízimo e consagra pessoas que jamais pertenceram à linhagem da tribo de Levi, elas estão roubando a Deus e as pessoas, estes são os motivos pelo qual você jamais viu alguma pessoa ser abençoada por intermédio do dízimo. O que existe sim são testemunhos falsos de pessoas iludidas e que vive a utopia da prosperidade.
As únicas pessoas autorizadas por Deus por intermédio da lei a receberem o dízimo são os levitas, alem disto é roubar o bolso e a consciência dos que não conhecem a Palavra de Deus e Seu poder.
Esquecem os cobradores de dízimos que, Deus além de não se arrepender ele confirma o que Ele estabelece jamais muda em hipótese alguma para beneficiar o ser humano quem quer que seja ou a uma instituição. Deus não é homem, para que minta; nem filho do homem, para que se arrependa; porventura diria ele, e não o faria? Ou falaria, e não o confirmaria? Nu. 23: 19.
O que Deus deixou escrito em Sua Palavra, ela é cumprida conforme a determinação do Eterno, jamais alguma coisa será mudada para beneficiar a doutrina de alguma igreja ou a teologia. Assim será a minha palavra, que sair da minha boca; ela não voltará para mim vazia, antes fará o que me apraz, e prosperará naquilo para que a enviei. Is. 55: 11.
Na lei do dízimo foi ordenado e autorizado por Deus para receber e cobrar o dízimo de seus irmãos apenas os levitas; diaconisa, diáconos e pastores não são levitas, a partir do momento que estas pessoas afirmam que são levitas ou substitutos deles, estas pessoas passam a ser sinagoga de Satanás. A lei do dízimo não foi alterada, e sim abolida, mas, se você quer realmente continuar pagando ou recebendo dízimo, você deverá obedecer a lei dizimal ao pé da letra, pois a mesma afirma que somente os levitas é que estão autorizados. Se você não obedecer toda a lei do dízimo ou pagar para quem não é levita você continua mesmo assim sendo ladrão. Leia bem as palavras do Espírito Eterno: Porque qualquer que guardar toda a lei, e tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos. Tg. 2: 10. - Aquele que diz: Eu conheço-o, e não guarda os seus mandamentos, é mentiroso, e nele não está a verdade. I Jo. 2: 4. - Guarda-te que não te esqueças do SENHOR teu Deus, deixando de guardar os seus mandamentos, e os seus juízos, e os seus estatutos que hoje te ordeno. Dt. 8: 11. - E guarda a ordenança do SENHOR teu Deus, para andares nos seus caminhos, e para guardares os seus estatutos, e os seus mandamentos, e os seus juízos, e os seus testemunhos, como está escrito na lei de Moisés; para que prosperes em tudo quanto fizeres, e para onde quer que fores. I Re. 2: 3.
Quando é afirmado que os diáconos e diaconisas são as pessoas que substituem os levitas, tanto a liderança bem como os que obedecem a suas ordens deixa de ser Sinagoga do Espírito Santo para serem Sinagogas de Satanás.
.. e a blasfêmia dos que se dizem judeus, e não o são, mas são a sinagoga de Satanás. Ap. 2: 9.
Eis que eu farei aos da sinagoga de Satanás, aos que se dizem judeus, e não são, mas mente... Ap. 3: 9.
Tanto os Pastores e as lideranças constituídas por eles em uma voz uníssona afirmam com ares doutorais: Quem não paga o dízimo está roubando a Deus e ladrão não entra no céu. É só observarem em suas pregações que tais afirmações são ditas de forma indireta.
Querem dizer que se você não pagar não tem como ser salvo, ao mesmo tempo ensinam que a salvação é totalmente de graça e você não paga nada, mas, se não pagarem a eles o dízimo você não tem como ser salvo, bem na verdade de forma indireta eles estão afirmando que: Você só é salvo se nos pagarem o dízimo, caso contrário você jamais será salvo porque não permitiremos.
Enquanto isso, se você observar de forma honesta as únicas pessoas que estão sendo abençoadas “beneficiadas” com os dízimos são os pastores em seus luxos enquanto você fica a mendigar de alguma forma. A verdade é tão verdadeira que os pastores não moram em seus distritos, preferem morar em bairro nobre, sabem por quê? É que no bairro de seu referido distrito não tem residência a altura deles e criaram uma desculpa esfarrapada afirmando que: É para facilitar a ida dos líderes em suas casas. Acredite quem quiser.
Para quem está ensinando que só é salvo se pagar o dízimo e aos que estão dando crédito a estes picaretas leiam com bastante atenção estas afirmações da Palavra do Eterno: Mas disse-lhe Pedro: O teu dinheiro seja contigo para perdição, pois cuidaste que o dom de Deus se alcança por dinheiro. At. 8: 20.
A salvação é dom de Deus e quem paga dízimo não está salvo e quem não paga não está perdido. Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Ef. 2: 8.
 Quem seriam os banqueiros a quem o dinheiro deve ser dado? Seria o cofre de alguma igreja?  Devias então ter dado o meu dinheiro aos banqueiros e, quando eu viesse, receberia o meu com os juros. Mt. 25: 27.
Os banqueiros são as pessoas pobres e a ordem de Deus estabelecida na lei do dízimo é que: os pobres, as viúvas, os órfãos e os estrangeiros devem ser amparados com o dízimo e está escrito na lei do dízimo. Ao SENHOR empresta o que se compadece do pobre, ele lhe pagará o seu benefício. Pr. 19: 17.
Então eles também lhe responderão, dizendo: Senhor, quando te vimos com fome, ou com sede, ou estrangeiro, ou nu, ou enfermo, ou na prisão, e não te servimos? Mt. 24: 44.
A questão é que as pessoas preferem darem crédito ao espírito da mentira que se manifestou em meio à cristandade com o nome de teologia.
Autor: carneiro.eurias@gmail.com