sexta-feira, 24 de maio de 2013

A MULHER MAIS IMPORTANTE QUE CRISTO


A MULHER MAIS IMPORTANTE QUE CRISTO

PALAVRAS DO PREFETA DAS LUZES

Cristo afirmou: Que somente o Pai sabe da hora e dia de Sua vinda, nem aos anjos e a Ele foi revelado, inserir uma nova interpretação ou aceitação bem como uma exceção a algum ser humano é declarar que Cristo mentiu – Mas daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos do céu, mas unicamente meu Pai. Mt. 24: 36.
Os salvos bem como os perdidos jamais saberão o dia e a hora da vinda de Cristo, saberão por intermédio de acontecimentos da brevidade o que é contrário de data. Vigiai, pois, porque não sabeis o dia nem a hora em que o Filho do homem há de vir. Mt. 25: 13.
Para os salvos é aconselhado a ficar de vigília porque não serão revelado a eles em hipótese alguma a data do retorno de Cristo. Vigiai, pois, porque não sabeis a que hora há de vir o vosso Senhor. Mt. 24: 42.
Assim como os salvos não saberão o dia e a hora de Sua vinda os perdidos da mesma forma. Virá o senhor daquele servo num dia em que o não espera, e à hora em que ele não sabe. Mt. 24: 50.
Contrariando os ensinamentos que saíram da boca de Cristo a verdade pura e viva, a profetisa dos Adventistas do Sétimo Dia para mostrar sua superioridade sobre Cristo afirmou que a ela foi revelado por Deus o dia e a hora da vinda de Cristo.
Lendo e dando ouvidos as duas vozes: A de Cristo e a de Ellen White, podemos concluir sem nenhuma margem de erro que para Deus a profetisa foi e é mais importante que Seu Filho o salvador.
Se a Cristo não foi revelado o dia e a hora de Sua vinda e a Ellen White o foi, isto ficou patente que ela é mais importante que Cristo.
Ficam apenas dois caminhos a serem seguidos: O da verdade que é Cristo: Nem eu e nem os anjos sabem... O de Ellen White: A ela foi revelado, embora negado a Cristo e aos anjos.
Se eu der crédito ao que ela escreveu estarei declarando que Cristo é mentiroso e enganador.
Se eu der crédito e tenho dado a Cristo, estou declarando que Ellen White é mentirosa e enganadora.
Qual é a sua escolha? Ficar com as palavras de quem salva ou de quem mente e leva para a perdição?

PALAVRAS DA PROFETISA DAS TREVAS

Logo ouvimos a voz de Deus, semelhante a muitas águas, a qual nos anunciou o dia e a hora da vinda de Jesus. (Primeiros Escritos, pp.14, 15 e 16).
E ao anunciar Deus o dia e a hora da volta de Jesus e declarar o concerto eterno com Seu povo, Ele proferia uma sentença, e então fazia uma pausa, enquanto as palavras reboavam através da Terra. O Israel de Deus permanecia com os olhos fixos no alto, atento às palavras que vinham da boca de Jeová e rolavam através da Terra como trovoadas. (Primeiros Escritos, p.34).
E, falando Deus o dia e a hora da vinda de Jesus, e declarando o concerto eterno com o Seu povo, proferia uma sentença e então silenciava, enquanto as palavras estavam a repercutir pela Terra. (Primeiros Escritos, pp.285-286).
  Destes textos podemos concluir que momentos antes da Segunda Vinda de Jesus, diante de comoções na natureza e de acirrada perseguição dos ímpios, Deus revelará o dia e hora da volta de seu Filho. Esse texto se harmoniza perfeitamente com o que foi dito por Jesus “Porém, daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos dos céus, nem o Filho, mas unicamente meu Pai.” Mt 24.36.” 
Ellen White, apesar de supostamente ter ouvido Deus fazer esse anúncio durante sua visão ela tenteou consertar sua mentira. Depois de suas declarações, querendo se justificar, ela proferiu uma mentira mais cabeluda que a primeira afirmando que ao sair da visão ela esqueceu. Para quem ama e pratica a mentira é um prato cheio para justificar a suposta superioridade dela sobre Cristo. Possivelmente ela pretendia ser adorada, Satanás quis ser maior que Deus e o resultado está em todos os lados, da mesma forma ela quis ser superior a Cristo e o resultado é que seus seguidores ignoram as Sagradas Escrituras e as declarações do próprio Cristo para enaltecerem-na, defenderem-na, rejeitam as palavras de Cristo para firmar-se na suposta verdade defendida por ela.
“Não tenho o mais leve conhecimento quanto ao tempo anunciado pela voz de Deus. Ouvi a hora proclamada, mas não tinha lembrança alguma daquela hora depois que saí da visão”. (Mensagens Escolhidas, vol. 1, pág. 76). http://centrowhite.org.br/perguntas/perguntas-sobre-ellen-g-white/ellen-white-afirmou-que-havia-escutado-o-dia-e-a-hora-da-segunda-vinda-de-cristo/

Cristo é a verdade e falou a verdade e eu apenas aceitei.
Louvado e glorificado é o Cristo meu Senhor e Salvador.
Autor: Eurias R. Carneiro.
testemunhadaverdadeeterna@gmail.com
http://abibliafontedeverdade.blogspot.com/

segunda-feira, 20 de maio de 2013

PORQUE CHAMAM CRISTO DE SATANÁS?


PORQUE CHAMAM CRISTO DE SATANÁS? I

Uma escritora norte americana e muito respeitada como profetisa do Altíssimo identifica o bode Azazel também conhecido como bode Emissário como sendo Satanás.
Ellen White com a palavra - No dia da expiação o sumo sacerdote, havendo tomado uma oferta da congregação entrava no lugar santíssimo com o sangue desta oferta e o aspergia sobre o propiciatório, diretamente sobre a lei, para satisfazer às suas reivindicações. Então, em caráter de mediador, tomava sobre si os pecados e os retirava do santuário. Colocando as mãos sobre a cabeça do bode emissário, confessava todos esses pecados, transferindo-os assim, figuradamente, de si para o bode. Este os levava então, e eram considerados como para sempre separados do povo. (O Grande Conflito, p. 420, 24ª edição 1980)

Verificou-se também que, ao passo que a oferta pelo pecado apontava para Cristo como um sacrifício, e o sumo sacerdote representava a Cristo como mediador, O BODE EMISSÁRIO TIPIFICAVA SATANÁS, AUTOR DO PECADO, sobre quem os pecados dos verdadeiros penitentes serão finalmente colocados. Quando o sumo sacerdote, por virtude do sangue da oferta pela transgressão, removia do santuário os pecados, colocava-os sobre o bode emissário. Quando Cristo, pelo mérito de seu próprio sangue, remover do santuário celestial os pecados de seu povo, ao encerrar-se o seu ministério, Ele os colocará sobre Satanás, que, na execução do juízo, deverá arrostar a pena final. O bode emissário era enviado para uma terra não habitada, para nunca mais voltar à congregação de Israel. Assim será Satanás para sempre banido da presença de Deus e de seu povo, e eliminado da existência na destruição final do pecado e dos pecadores. (O Grande Conflito, p. 421, 24ª edição 1980).
Segundo Ellen Gould White - O bode emissário, levando os pecados de Israel, era enviado ‘à terra solitária’ (Levítico 16. 22); de igual modo Satanás, levando a culpa de todos os pecados que induziu o povo de Deus a cometer, estará durante mil anos circunscritos a Terra, que então se achará desolada, sem moradores, e ele sofrerá finalmente a pena completa do pecado nos fogos que destruirão todos os ímpios (O Grande Conflito, p. 489, 24ª edição-1980).
Assim será Satanás para sempre banido da presença de Deus e de seu povo, e eliminado da existência na destruição final do pecado e dos pecadores (O Grande Conflito, p. 421, 24ª edição-1980).
Qual seria a identificação que a Palavra de Deus nos dá para identificarmos o bode Azazel? A profetisa está correta em suas colocações ou ela está classificando este bode de forma errada?
Pelas evidências e esclarecimentos dentro da Palavra de Deus o Espírito Santo nos deixa claramente a identificação deste animal: CRISTO OU LÚCIFER?

1.              O sumo sacerdote procurava dois bodes dentro da comunidade Israelita, entre os dois eram lançadas sortes, um era para Jeová e o outro era para Azazel. Conforme o texto deixa esclarecido o que era para Jeová não representava Jeová, o bode apenas era destinado a Ele. O que era para Azazel não o representava, o bode era apenas destinado para Azazel. Isto nos deixa esclarecido que a principio ao ser afirmado que o bode escolhido para Azazel representava Satanás é uma farsa, pois o mesmo não o representava, era apenas destinado a ele. Quem foi destinado para ser entregue a Satanás para ser morto? Mas o bode não era morto, poderá alguém arrazoar. Na verdade o bode não era sacrificado, mas o era conduzido para fora do arraial do povo Israelita para nunca mais retornar onde ele morria. E tirará sortes quanto aos dois bodes: uma para o Senhor e a outra para Azazel. Lv. 16: 8.
2.              Da mesma forma como o bode escolhido para Jeová era confessado os pecados e todas as transgressões sobre a cabeça dele, o bode que era escolhido para Azazel, na cabeça dele o sumo sacerdote não apenas lançava os pecados e as transgressões do povo como é ensinado, na cabeça dele o sumo sacerdote colocava as duas mãos e CONFESSAVA todos os pecados e transgressões do povo sobre ele. A Palavra de Deus ensina que nossos pecados devem ser confessados unicamente a Deus e jamais a outro ser, sendo assim este bode não representa Satanás. Como poderia o pecado do povo ser confessado a Satanás? Após ter sido confessado os pecados sobre a cabeça dele, este bode era enviado ao deserto para nunca mais retornar. O que isto significava? Mas o bode sobre o qual caiu a sorte para Azazel será apresentado vivo ao Senhor para se fazer propiciação e será enviado para Azazel no deserto. Lv. 16: 10. Quando Arão terminar de fazer propiciação pelo Lugar Santíssimo, pela Tenda do Encontro e pelo altar, trará para a frente o bode vivo. Então colocará as duas mãos sobre a cabeça do bode vivo e confessará todas as iniquidades e rebeliões dos israelitas, todos os seus pecados, e os porá sobre a cabeça do bode. Em seguida enviará o bode para o deserto aos cuidados de um homem designado para isso. Lv. 16: 20, 21.
3.              Este bode levava consigo todos os pecados do povo Israelita que havia se arrependido e confessado, depois era conduzido para um lugar solitário onde ele morria de sede e fome. O bode levará consigo todas as iniquidades deles para um lugar solitário. E o homem soltará o bode no deserto. Lv. 16: 22.
4.              Quem levava o bode para o lugar solitário para voltar ao acampamento deveria lavar suas roupas e a si mesmo. Para podermos entrar na presença de Deus precisamos lavar nosso caráter, ou seja, nascer da água e do Espírito. Aquele que soltar o bode para Azazel lavará as suas roupas e se banhará com água, e depois poderá entrar no acampamento. Lv. 16: 26.

VAMOS IDENTIFICAR O BODE PARA AZAZEL.

1.              O bode escolhido por meio de sorteio para Azazel na velha aliança levava sobre si os pecados confessado do povo e na nova aliança quem levou nossos pecados confessados foi Cristo. O bode era conduzido para fora das moradas Israelita onde morria e Cristo foi morto fora de Jerusalém. O bode não tinha água para beber e a Cristo foi negado. O bode não tinha o que comer e Cristo nada comeu desde a hora da ceia até sua morte. O bode ficava isolado e Cristo ficou isolado da presença de Seu Pai. O bode levava os pecados confessados do povo para nunca mais retornar e Cristo levou nossos pecados confessados para nunca mais retornar. Sobre a cabeça do bode para Azazel era confessado o pecado do povo e a Cristo devemos confessar nossos pecados. O bode para azazel era levado para morrer em um local solitário e Cristo foi morto fora da comunidade uma única vez para nunca mais morrer novamente.
Onde está escrito que estas características representam a Satanás e jamais a Cristo?
Com sua morte, em Cristo cumpriu-se a profecia de Isaias por ter Ele levado sobre si nossos pecados. Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido. Is. 53:4. - Para que se cumprisse o que fora dito pelo profeta Isaías, que diz: Ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e levou as nossas doenças. Mt. 8: 17.
2.              Da mesma forma como o bode escolhido para Azazel levava os pecados para o deserto simbolizando o perdão definitivo por Deus, Cristo levou nossos pecados mostrando que o perdão é definitivo e jamais retornará a memória de Deus. Por isso lhe darei a parte de muitos, e com os poderosos repartirá ele o despojo; porquanto derramou a sua alma na morte, e foi contado com os transgressores; mas ele levou sobre si o pecado de muitos, e intercedeu pelos transgressores. Is. 53: 12.
Como podemos observar ao ser analisado os pormenores dos relatos na liturgia do santuário, o bode escolhido por meio de sorteio para Azazel representava o próprio Cristo.
Quando uma religião ensina como tenho observado e muitas vezes no passado eu também ensinei que este bode representava Satanás, esta instituição religiosa e as pessoas estão classificando a Cristo como sendo o príncipe das trevas. Como poderá tais instituições fazer parte do corpo de Cristo se os mesmos os chamam de Satanás?
As pessoas ou igrejas que são usadas Pelo Espírito Santo jamais e em hipótese alguma classificará a Cristo como sendo o Satanás e nem insinuará tal blasfêmia. Por outro lado às pessoas ou igrejas que não são usadas pelo Espírito Santo de forma direta ou indireta classificam a Cristo como sendo Satanás ou obscurecerá seu ministério de salvação, este é o grande motivo porque algumas pessoas ou igrejas estão chamando de forma indireta a Cristo de Satanás, este é o motivo pelo qual estas igrejas valorizam tanto o dízimo, o sábado, seus líderes espirituais, a teologia, as curas e seus profetas. Quem tem o Espírito Santo glorifica e enaltece o Rei da glória e salvador. Portanto, vos quero fazer compreender que ninguém que fala pelo Espírito de Deus diz: Jesus é anátema, e ninguém pode dizer que Jesus é o Senhor, senão pelo Espírito Santo. I Co. 12: 3.
Sendo assim, a magnificência profetisa do advento não foi usada pelo Espírito Santo e seus devotos não o são, neste caso foi um dos espíritos das trevas que a usou e está usando seus devotos, é tão verdade que a grande maioria das revelações atribuída a ela e confirmada por ela mesma é plágios, plágio são roubos autorais. Ela usou a escrita de outros autores e depois mentiu dizendo que foi Deus quem o revelou a ela. Por isso que ela chama de Satanás a verdade (Cristo) viva de Deus e em outras partes de seus livros mostra que é seguidora de Cristo apenas para enganar os que não conhecem a verdade de Deus.
Como podem habitar na eternidade com Cristo os que estão classificando Ele de Satanás?
Ainda é tempo de arrependerem-se e glorificarem aquele que Deus fez Senhor e Cristo, o que levou nossos pecados para termos vida eterna e vida em abundância.
Louvado e glorificado é o Cristo meu Senhor e Salvador.
Autor: Eurias R. Carneiro.

sexta-feira, 17 de maio de 2013

COCA COLA PODE CAUSAR CÂNCER?


Coca-cola pode causar câncer?



O 4-MI, composto responsável pela cor do famoso refrigerante, se tornou alvo de polêmica no Reino Unido: segundo estudos recentes, sua concentração está muito acima de níveis “seguros” e pode causar câncer.
Ao analisar latas de Coca-cola vendidas na região, pesquisadores do Centro de Ciência em favor do Interesse Público encontraram resultados preocupantes: 135 microgramas, 34 vezes mais do que na versão comercializada na Califórnia (EUA). No Brasil, uma lata de 355 ml contém 267 microgramas – o maior encontrado na pesquisa.
Após a divulgação dos resultados, consumidores do Reino Unido iniciaram uma campanha contra o uso do corante – obtido a partir de reações químicas entre açúcar e amônia, e que pode causar câncer em ratos de laboratório.
“A Coca-cola está tratando seus consumidores do Reino Unido com desdém”, acusa o coordenador da campanha Malcolm Clark. “Eles devem respeitar a saúde de seus clientes no mundo todo, usando um corante que seja livre de químicos reconhecidamente cancerígenos”.

Conclusão

Ratos são utilizados amplamente no meio científico e são considerados bons análogos à fisiologia humana. Porém inúmeras drogas que tem certo efeito nos roedores mostram não agir da mesma maneira em testes clínicos feitos usando humanos como cobaias. Apesar de 4-MI causar câncer em roedores não significa que ocorreria o mesmo em nós.
A Coca-cola nega que o composto seja nocivo a seres humanos e diz que, no caso da Califórnia (onde se usa menos corante), a mudança foi feita em respeito a leis locais e para evitar que se colocassem avisos “cientificamente infundados” nas embalagens.
Apesar disso, ela pretende “reduzir o uso de 4-MI no mundo todo, porque isso vai ajudar a simplificar os processos de suprimento, produção e distribuição”, segundo nota oficial divulgada por veículos de comunicação. Talvez a razão verdadeira seja “acalmar os consumidores”, mas nunca saberemos.
Vai um suco aí? Só por garantia…




quarta-feira, 15 de maio de 2013

O DESEJADO DE TODAS AS NAÇÕES - COMPROVADO COMO CÓPIA PELA PRÓPRIA I.A.S.D.

A PROFETISA QUE ROUBOU EM NOME DEUS

Ela plagiou e mentiu dizendo que foi Deus quem revelou a ela - Porém o profeta que tiver a presunção de falar alguma palavra em meu nome, que eu não lhe tenha mandado falar, ou o que falar em nome de outros deuses, esse profeta morrerá. Deuteronômio 18:20

Ela tem dezenas de profecias que não se cumpriram e os seus adoradores inventam desculpas esfarrapadas - Quando o profeta falar em nome do SENHOR, e essa palavra não se cumprir, nem suceder assim; esta é palavra que o SENHOR não falou; com soberba a falou aquele profeta; não tenhas temor dele. Deuteronômio 18:22.

Por ser adoradora do deus Rá ela enganou a si mesma e a outros - E se o profeta for enganado, e falar alguma coisa, eu, o SENHOR, terei enganado esse profeta; e estenderei a minha mão contra ele, e destrui-lo-ei do meio do meu povo Israel. Ezequiel 14:9.

Se houver alguém que, andando com espírito de falsidade (FOI DEUS QUE ME REVELOU), mentir, dizendo: Eu te profetizarei sobre o vinho (DOUTRINAS FALSAS) e a bebida forte (EMBRIAGADO COM DOUTRINA FALSA); será esse tal o profeta deste povo. Miquéias 2:11.

AS PROVAS INCONTESTÁVEIS DE QUE ELLEN WHITE  ESCREVEU O DESEJADO DE TODAS AS NAÇÕES  ROUBANDO DIREITOS AUTORAIS ESTÃO AQUI!



Um líder de confiança da Igreja Adventista, sr Fred Veltman, PHD, em 1980 era diretor do departamento de religião do Pacific Union College demonstrou que 31% do livro que Ellen White recebe o título de autora e transmissora de visões recebidas diretamente do Céu, são na verdade cópias de escritores contemporâneos e antecessores à ela, cito Daniel Março, William Hanna, Marian Davis, Frederic Farrar, Jonh Harris, Henry Melvin, Octavius Winslow, e outros!!





Você poderá ler o estudo completo no seguinte 

endereço oficial:


A pesquisa do Sr. Velman custou à IASD a bagatela de quase meio milhão de dólares, e ele contou com uma equipe de 10 pessoas.

A Conferência Geral dos Adventistas do Sétimo Dia não contesta sua pesquisa, tanto que a publicou oficialmente em uma revista de âmbito e aceitabilidade mundial entre as igrejas ASD espalhadas pelo mundo. Vc poderá ver a matéria e a revista nos seguintes links:





Se eles não removeram, é claro!
Se isto aconteceu, procure conseguir a revista Ministry de Outubro de 1990, está nela a matéria!

Ao que parece, o Dr. Veltman não crê na inspiração profética de Ellen G. White. Mas no prefácio do livro em questão, "Ellen White diz ter sido inspirada por Deus vendo as cenas de dor e sofrimento de Jesus na cruz do calvário." Entre o que foi copiado do romance de ficção, de uma jovem que escrevia cartas para seu pai (um rico comerciante no Egito), descrevendo as cenas do sacrifício de Cristo, e a visão que Deus teria mostrado as cenas do Golgota à Ellen White, surge uma cruel dúvida! "Eu tenho que admitir para começar, que no meu julgamento esse é o mais sério problema para enfrentar com referência à dependência literária de Ellen White. Isso atinge o coração da sua honestidade, sua integridade e portanto da sua honrradez." Foram as palavras do PhD Fred Veltman após concluir suas pesquisas.  (http://pt.wikipedia.org/wiki/Veltman_Report)








sexta-feira, 10 de maio de 2013

10 ALIMENTOS BONS PARA NOSSA SAÚDE MENTAL


10 alimentos bons para a nossa saúde mental


Todo tipo de alimento já foi associado a algum benefício. Há várias dietas para prevenir milhares de condições – ou então para melhorar algum atributo – por exemplo, há quem coma peixe para ficar mais inteligente, por causa do ômega-3.
Embora não exista tratamento atual que comprovadamente cure a doença de Alzheimer ou a demência, estudos dizem que existem alimentos que desempenham um papel positivo na saúde mental em geral. Quer experimentar uma dieta para um cérebro saudável? Confira a lista abaixo.

1) AMORAS


Todo mundo sabe que quanto mais velho ficamos, mais difícil fica aprendermos coisas novas. E por quê? Para processar novas informações, as células do nosso cérebro precisam “conversar” umas com as outras. Quanto mais velhas elas ficam, mais inflamam e mais difícil fica para elas se comunicarem. A solução? As maravilhosas amoras possuem potentes antioxidantes conhecidos como polifenóis que diminuem essa inflamação e incentivam a comunicação entre os neurônios, melhorando a nossa capacidade de absorver novas informações.

2) CAFÉ


Alguns pesquisadores acreditam que a cafeína e os antioxidantes do café são protetores. Um estudo finlandês com mais de 1.400 consumidores de café revelou que as pessoas que bebiam entre três e cinco xícaras de café por dia (com idade entre 40 e 50 anos) tinham 65% menos chance de desenvolver mal de Alzheimer em comparação com os que tomam menos de duas xícaras por dia. Vamos fazer um cafezinho?

3) MAÇÃS


As maçãs são a fonte principal de quercetina, um químico de plantas antioxidantes que mantém os fluidos mentais protegendo as células do cérebro. A quercetina também defende as células do cérebro de atentados de radicais livres que podem danificar o revestimento exterior dos neurônios e, eventualmente, levar ao declínio cognitivo. Se quiser aproveitar bem, coma as maçãs com casca, local onde se encontra a maioria da quercetina.

4) CHOCOLATE


Em 2009, um estudo descobriu que comer pouco menos de 10 gramas de chocolate por dia ajuda a proteger contra perda de memória relacionada à idade. O crédito vai para os polifenóis do cacau, que aumentam o fluxo sanguíneo para o cérebro.

5) CANELA


Um dos sintomas do mal de Alzheimer são as placas beta-amilóides, bem como o “emaranhado” no cérebro causado por proteínas que podem matar células do cérebro. Agora, pesquisas recentes da Universidade da Califórnia revelam que dois compostos da canela – proantocianidinas e cinamaldeído – podem inativar estas proteínas. A pesquisa ainda está no começo, mas se não ajudar, uma pitada de canela também não vai fazer mal nenhum a ninguém.

6) ESPINAFRE


As folhas verdes do espinafre possuem nutrientes como folato, vitamina E e vitamina K, que impedem a demência. Um estudo de 2006 revelou que comer três porções de folhas verdes, vegetais amarelos e/ou crucíferos por dia pode atrasar o declínio cognitivo em 40%. Desses três itens, as folhas verdes são as que mais protegem. Tente regar seu espinafre com um pouco de azeite. Sua gorduras saudáveis aumentam a absorção das vitaminas lipossolúveis E e K.

7) AZEITE EXTRA VIRGEM


Já ouviu falar em ADDLs? Elas são proteínas induzidas pela doença de Alzheimer que são tóxicas para o cérebro. Nos estágios iniciais da doença, elas “grudam” nas células do cérebro, tornando-as incapazes de se comunicarem umas com as outras e, eventualmente, levando à perda de memória. O azeite extra virgem pode ser um inimigo potente contra ADDLs, pois é rico em oleocanthal, um composto que desativa as perigosas proteínas.

8 ) SALMÃO


O salmão é uma grande fonte de DHA, uma gordura ômega-3 predominante no cérebro, que os pesquisadores acreditam que protege contra a doença de Alzheimer. É também a fonte número um na natureza para obter vitamina D, um nutriente que protege contra o declínio cognitivo. Um estudo de 2010 revelou que os idosos que têm deficiência de vitamina D são 40% mais propensos a sofrer de perda de memória relacionada à idade. Melhor comer um salmão, não?

9) CARIL OU CURRY


A cúrcuma, uma prima do gengibre, é uma das principais especiarias do caril (ou curry). A cúrcuma é especialmente rica em curcumina, um composto que inibe a doença de Alzheimer. Ele não só bloqueia a formação de placas de amilóide beta, como também impede a inflamação dos neurônios e reduz o colesterol que entope as artérias (o que poderia reduzir o fluxo sanguíneo para o cérebro).

10) SUCO DE UVA CONCÓRDIA


Os mesmos polifenóis saudáveis para o coração no vinho tinto e no suco de uva, especialmente na variedade feita a partir de uvas vermelhas e roxas do tipo concórdia, podem também proteger seu cérebro. Pesquisadores descobriram que idosos com declínio de memória que beberam suco de uva diariamente melhoraram significativamente sua memória espacial e sua habilidade de aprendizagem verbal. Os pesquisadores acreditam que, como as amoras, os polifenóis do suco de uva melhoram a comunicação entre as células cerebrais. [CNN]

sábado, 4 de maio de 2013

SODOMA E GOMORRA ENCONTRADAS


Sodoma e Gomorra encontradas

A principal dificuldade de algumas pessoas não crerem nos relatos bíblicos é o fato de não encontrarem indícios e provas suficientes de que estes fatos realmente ocorreram.
Mas porque uma pessoa simplesmente não encontra provas de um certo evento não significa que este não ocorreu.
Devemos levar em consideração que alguns eventos narrados na Bíblia podem até não ser provados, porque o tempo apagou completamente os vestígios de sua existência, e isso acontece não somente com os acontecimentos bíblicos, mas também com toda a historia da humanidade.
No entanto podemos afirmar que as pessoas tendem a crer somente naquilo que lhes agrada. Constantemente ouvimos falar de novas teorias que forçam realmente a lógica, a fim de comprovarem algum fato ocorrido, como é o caso da teoria da evolução e etc...
Mas algo que realmente me surpreende é a facilidade que uma grande massa de pessoas tem de crer em acontecimentos que não passam de suposições. Enquanto apenas um pequeno percentual de pessoas acredita em fatos realmente comprovados, semelhantes a Bíblia Sagrada.
É importante lembrar que a Bíblia em si já é um artefato que se difere de todas as teorias lançadas até hoje. Não há como se comparar a Bíblia com a ciência humana, pois a Bíblia é um registro histórico que abrange aproximadamente 6.000 anos. E mesmo que se lancem criticas sobre Ela, isso não poderá invalidar o seu valor cientifico como sendo um documento histórico.
Costumamos encontrar "baboseiras" na internet e diversos sites de pessoas que levantam teorias, que afirmam provar que a Bíblia é uma mentira. Todavia o que se pode avaliar é que nenhum deles mostram provas realmente consistênciais do que afirmam. Alguns até mostram conteúdos que enganariam facilmente uma pessoas que nunca estudou teologia ou não tem conhecimento sobre as descobertas bíblicas.
Mas se tais pessoas entendessem do assunto ao qual estão lendo, seria muito fácil fazer ruir qualquer argumento que contrarie as verdades sagradas.
Gostaria de abrir um parêntese neste artigo para darmos uma pequena demonstração do que estamos falando.
Já pude encontrar matérias que afirmavam que a Bíblia era mentira, simplesmente baseadas em especulações como: "Para onde foi toda água depois do dilúvio?" Ou: "Como noé fez para caberem mais de 30 mil espécies de animais diferentes dentro da Arca?" Ou mesmo coisas do tipo; "Com quem casou Caim se não haviam outras pessoas, senão os da sua família? "Se a Bíblia é real onde ficam os dinossauros em meio a tudo isso?"
Estas são perguntas que quem conhece a respeito das escrituras e principalmente seu contexto histórico, responde facilmente. Na verdade podemos dizer que são questões que compõem o inicio dos estudos de qualquer pesquisador cristão.
O que nos revolta a respeito de tais matérias é que geralmente quem as escreve nem ao menos se da ao trabalho de ler os textos bíblicos antes de publica-las. 
Em muitos sites encontramos até erros de distorção dos textos e versículos, que isoladamente não podem definir o sentido do texto. 
Vou dar um exemplo disso:
Em um dos sites que continham o tema "A Bíblia é uma mentira", o texto cobrava da Bíblia uma resposta sobre, como Noé teria feito para colocar aproximadamente 30 mil espécies de animais diferente numa arca tão pequena.
Esta questão parece ser difícil de ser respondida, mas na realidade é muito simples encontrar uma resposta clara, sobre isso, assim como as outras que citamos acima, e que o leitor poderá ler mais detalhadamente sobre este assunto em outras de nossas matérias.
Primeiro o site mentiu afirmando que a Arca teria apenas 30 metros de cumprimento, um extremo absurdo. 

Depois cobrou uma resposta de uma questão a qual a Bíblia nunca mencionou, pois Ela não afirma que Deus mandou colocar na arca todas as espécies de animais, mas sim apenas vertebrados terrestres -- aqueles que caminham sobre a terra e respiram através de narinas (Gênesis 7:22). Isso não inclui animais marinhos, vermes, insetos e plantas. Há menos de 350 famílias de vertebrados terrestres vivos. A maioria destes são do tamanho de um gato doméstico ou menor. Se cada família taxonômica estivesse representada na arca por um par de espécimes, e com as poucas famílias "limpas" representadas por sete pares, a arca deveria conter menos do que 1000 indivíduos. 

A arca poderia provavelmente acomodar dez vezes este número. A questão de espaço para os animais na arca não é um problema difícil, e obviamente Noé não levou animais adultos pois era preciso mais espaço e mais comida, é bem mais provável que tenha levado filhotes, pois também resolveria a questão do peso, uma vez que um elefante adulto pesando quase uma tonelada, seu filhote pesaria apenas alguns quilos e não mediria mais que um metro e meio.
Como vimos no pequeno exemplo acima, muitos nem mesmo sabem do que estão falando, provavelmente estão apenas repetindo o que viram em outros sites e assim "uma mentira repedida varias vezes torna-se uma verdade".
Embora muitas provas a respeito dos acontecimentos bíblicos terem sido consumidas pela tempo, podemos afirmar que a Bíblia ainda é uma das fontes históricas que mais contem provas a seu respeito.
Praticamente não existe um fato que não tenha pelo menos um pequeno indicio histórico ou prova arqueológica.


SODOMA E GOMORRA PRIMEIROS INDÍCIOS.

"Então o Senhor, da sua parte, fez chover do céu enxofre e fogo sobre Sodoma e Gomorra. E Abraão levantou-se de madrugada, e foi ao lugar onde estivera em pé diante do Senhor; e, contemplando Sodoma e Gomorra e toda a terra da planície, viu que subia da terra fumaça como a de uma fornalha. (Gn 19.24, 27-28 )." 
  
A muito se especula se Sodoma e Gomorra teriam realmente existido, e se sua destruição teria ocorrido conforme narra a Bíblia.
O caso destas duas cidades que a Bíblia se manifesta a respeito delas de forma tão dura, e narra uma catástrofe sem igual na historia da humanidade, encaixa-se exatamente nos casos que mencionamos minutos atrás, pois parecia não haverem provas nem mesmo da existência de duas cidades com este nome.
Muitos cientistas consideravam este caso um absurdo, pois não puderam ser encontrados até então, nenhum registro se não a própria Bíblia. Simplesmente nenhuma cultura antiga segundo os sábios e eruditos do nosso tempo, sequer mencionou a existência de Sodoma e Gomorra.
No entanto isto é uma cruel mentira.
A verdade é que só encontramos algo, quando estamos procurando. 
Existem provas arqueológicas que mencionam não só Sodoma e Gomorra mas também todo um contexto capaz de remontar partes da Historia destas cidades e das cidades e regiões a sua volta.


Por volta dos anos 1960, G. Pettinato e P. Matthiae foram os responsáveis pela descoberta da antiga cidade de Ebla (Tell Mardikh), a principal cidade síria do III milênio a.C. Como toda grande cidade do passado, Ebla possuía uma vasta biblioteca de aproximadamente 17 mil tabletes cuneiformes. Um desses tabletes foi publicado por Pettinato em 1976, e revelou algo surpreendente. A inscrição falava sobre cinco cidades: Sodoma, Gomorra, Admá, Zeboim e Zoar. A mesma seqüência que aparece em Gênesis 14:2 e 8. Também mencionava o nome de Abraão.

Sabe-se que Ebla foi um grande centro comercial e mantinha relações econômicas com varias cidades do antigo Oriente Médio, sendo destruída por volta do ano 2300 a. C. pelo rei Naramsin de Akkad. Isso é hoje um fato comprovado arqueologicamente e historicamente. 
Mas o mais importante nesta descoberta é que ela coloca as cidades de Sodoma e Gomorra no cenário histórico da época bíblica, exatamente no mesmo período em que a Bíblia menciona estas cidades, mostrando com uma narrativa histórica extra bíblica, que estas cidades foram reais e ficaram documentadas em culturas da época.
É importante notar que Sodoma, Gomorra, Admá, Zeboim e Zoar foram cidades que teriam se localizado no Vale de Sidim, onde agora é o mar salgado região que segundo tradições antigas, tem atraído muito a atenção de estudiosos e historiadores 
Disse, pois, Abraão a Ló: Peço-te que não haja contendas entre mim e ti, nem entre os meus pastores e os teus pastores, porque somos irmãos. Eis diante de ti todo o país; rogo-te que te apartes de mim; se fores para a esquerda, eu tomarei a direita; se escolheres a direita, eu irei para a esquerda" (Gn 13.6-9). Abraão deixou que Ló escolhesse. Despreocupado, como geralmente são os jovens, Ló optou pela melhor parte, a região do Jordão. Ela era "... toda regada de água" e abençoada por uma exuberante vegetação tropical, "como o paraíso do Senhor e como o Egito até Segor" (Gn 13.10). Ló vai para Sodoma
Das cadeias de montanhas cobertas de bosques, no coração da Palestina, Ló desceu para leste, entrou com sua gente e seus rebanhos no vale do Jordão ao sul e, finalmente, levantou suas tendas em Sodoma. Ao sul do mar Morto havia uma planície fertilíssima, o "Vale de Sidim, onde agora é o mar salgado" (Gn 14.3). A Bíblia enumera cinco cidades nesse vale: Sodoma, Gomorra, Adama, Seboim e Segor (Gn 14.2). 
Flávio Josefo, historiador judeu que viveu os últimos anos da sua vida em Roma, cita repetidamente um "lago de asfalto". Os gregos falavam com insistência em gases venenosos que se desprenderiam por toda parte nesse mar, e os árabes diziam que havia muito nenhuma ave conseguia voar até a outra margem. Segundo eles, ao sobrevoá-lo, as aves se precipitavam subitamente na água, mortas. Fato este que só viria a fortalecer a existência de Sodoma e Gomorra naquelas proximidades pois um dos principais fatores que teriam ajudado a gerar os pecados destes povos era a sua riqueza, soberba, fartura de pão e grande ociosidade
"Eis que esta foi a iniqüidade de Sodoma, tua irmã: SOBERBA, FARTURA DE PÃO, E ABUNDÂNCIA DE OCIOSIDADE teve ela e suas filhas; MAS NUNCA FORTALECEU A MÃO DO POBRE E DO NECESSITADO. E se ENSOBERBECERAM, E FIZERAM ABOMINAÇÕES diante de mim; portanto, vendo eu isto as tirei dali."(EZE 16:49,50 - )
Ou seja quando se fala de um lago de asfalto é o mesmo que betume, ou limo, que era um dos mais valiosos artigos usados no mundo antigo. Seu uso ia desde remédios, mumificações, e até para calafetar os navios, foi usado na Arca de Noé, e até na arca de juncos onde Moisés foi colocado quando era um bebê. Em suas várias formas o betume é uma das substâncias mais usadas pela humanidade desde a mais remota Antigüidade.

Nas tabuas de Ebla, pode-se ver uma lista de algumas compras feitas na época; o preço para cada artigo em prata. Dos preços, o mais alto é o do betume. As pessoas destas cidades só tinham que vender o produto; não tiveram nenhuma razão para se ocupar de trabalho duro.


Este betume também pode ter provido um catalisador na conflagração do que aconteceu nesta planície. Betume, ou poços de limo, são o resultado de uma reserva subterrânea de petróleo que escoa para a superfície. E todas as reservas de óleo possuem gás natural associado, que pode vazar no ar. Tudo isto é especulação, menos as evidências que naquela região ocorreu um cataclismo no qual um lago se formou, bloqueando o fluxo do rio, devastando a campina inteira.
UMA CATÁSTROFE DOCUMENTADA
Se as descobertas dos tabletes cuneiformes da antiga cidade de Ebla, serviram para colocar as cidades de Sodoma e Gomorra no cenário histórico, como cidades reais. Isso provaria sem sombra de duvidas, que estas cidades existiram realmente e que a Bíblia não mentiu ao menciona-las. Mas no entanto não comprova que foram destruídas pela ira de Deus com fogo e enxofre.
Para encontrarmos provas deste acontecimento, se faz necessário analisarmos outras descobertas no mínimo curiosas.
Em meados do século 19 foi descoberto por Henry Layard um bloco de argila com inscrições cuneiformes datado de 700 a.C. Este artefato permanecia como um mistério para os estudiosos e era denominado apenas como "Planisfério",
Cientistas britânicos depois de muitos esforços conseguiram finalmente decifrar as inscrições e descobriram que se tratava do testemunho feito por um astrônomo sumério, sobre a passagem de um asteróide, que pode ter causado a destruição das cidades de Sodoma e Gomorra. O objeto trazia a reprodução de anotações feitas pelo astrônomo há milhares de anos.


Os pesquisadores Alan Bond, da empresa Reaction Engines e Mark Hempsell, da Universidade de Bristo, utilizando técnicas computadorizadas que simulam a trajetória de objetos celestes e reconstroem o céu observado há milhares de anos. Eles descobriram que os eventos descritos pelo astrônomo referiam-se a noite do dia 29 de junho de 3123 a.C. (calendário juliano)
Metade do bloco trazia informações sobre a posição dos planetas e das nuvens e a outra metade narrava a trajetória de um asteróide de mais de um quilômetro de diâmetro.
De acordo com os cientistas a trajetória descrita no bloco de argila indicaria que o asteróide teria se chocado contra os Alpes austríacos na região de Köfels, onde realmente há indícios de um estranho e grande deslizamento de terra.
O asteróide não deixou cratera que pudesse evidenciar uma explosão. Isso se explica, segundo os especialistas, porque o asteróide teria voado próximo ao chão, deixando um rastro de destruição por conta de ondas supersônicas, e se chocado contra a Terra em um impacto cataclísmico.

Segundo os pesquisadores, o rastro do asteróide teria causado uma bola de fogo com temperaturas de até 400ºC e teria devastado uma área de aproximadamente 1 milhão de quilômetros quadrados.


Hempsell afirma que a escala da devastação se assemelha à descrição da destruição de Sodoma e Gomorra, presente no Velho Testamento, e de outras catástrofes mencionadas em mitos antigos.


O pesquisador sugere ainda que a nuvem de fumaça causada pela explosão do asteróide teria atingido o Sinai, algumas regiões do Oriente Médio e o norte do Egito. Hempsell afirma que mais pessoas teriam morrido por conta da fumaça do que pelo impacto da explosão nos Alpes.


A DESCOBERTA

Foram descobertos alguns indícios de vilarejos antigos na orla Jordaniana do Mar
Morto num local onde há cinco sítios arqueológicos. No entanto estes cinco locais estão localizados a 150 metros sobre uma cordilheira e são muito pequenos para se determinar se algum deles chegou a ser uma cidade. Também não poderiam ser aceitos como sendo as lendárias Sodoma e Gomorra pois a Bíblia descreve que estavam situadas numa campina.
Estas descobertas são aceitas por muitos como sendo as duas cidades bíblicas, mas é bem pouco provável.
Em 1978 ao longo da costa israelense do Mar Morto o arqueólogo aficionado Ron Wyatt avistou estranhas formações de cores claras que se pareciam muito com paredes de edifícios.
Ron não tinha nenhum interesse até então, de procurar indícios sobre as cidades bíblicas. Mas aquele fato lhe chamou bastante a atenção. 
Passaram-se alguns anos e finalmente Ron Wyatt, afirmou ter supostamente encontrado as duas cidades mencionada na bíblia como Sodoma e Gomorra. Ele afirmou ter encontrado cinco locais espalhados pela região, que haviam fortes possibilidades de terem sido cinco cidades. Isto ocorreu em 1989.

Numa dessas áreas, ele descobriu uma formação seccionada expondo o interior do material, exibindo um efeito de tal maneira óbvio, que se convenceu que estas formações não eram geológicas.




A descoberta de Ron era fortalecida pela narrativa bíblica pois as descobertas anteriores afirmavam que as cinco cidades bíblicas estariam todas num mesmo local do termo sul do Mar Morto. Enquanto a Bíblia as citava a uma certa distância umas das outras. Foram mencionados quatro das cidades formando parte dos limites dos Cananitas: GEN 10:19 - "E foi o termo dos Cananeus desde Sidom, indo para Gerar, até Gaza; indo para Sodoma e Gomorra, Admá e Zeboim, até Lasa."

Os locais que Ron encontrou estavam alinhados ao longo de mais de trinta quilômetros, um conceito fantástico para quem estava familiarizado e nunca tinha considerado que estavam incorretas todas as teorias que diziam que as cidades eram agrupadas.
Mas a localização que chamou mais atenção foi a da cidade de Zeboim. Ela estava a várias quilômetros ao norte do Mar Morto, passando Jericó, era uma distancia muito longa. No entanto isso só veio a fortalecer a descoberta de Ron e a narrativa bíblica pois no livro de I Samuel está mencionando que Zeboim era mais afastada:

1SA 13:16-18 - E Saul e Jônatas, seu filho, e o povo que se achou com eles, ficaram em Gibeá de Benjamim; porém os FILISTEUS SE ACAMPARAM EM MICMÁS. E os saqueadores saíram do campo dos Filisteus em três companhias; uma das companhias foi pelo caminho Ofra à terra de Sual. Outra companhia seguiu pelo caminho de Bete-Horom, e a OUTRA COMPANHIA FOI PELO CAMINHO DO TERMO QUE DÁ PARA O VALE DE ZEBOIM NA DIREÇÃO DO DESERTO. 

Examinando um mapa, é possível ver que esta descrição dos Filisteus que saem de Micmás numa companhia que vai ao norte, outra foi ao lado ocidental, e a última diretamente ao leste para o Vale chamado Zeboim; no mesmo lugar onde Ron achou o último local! Fazia sentido que o nome da cidade fosse preservada embora a cidade estivesse destruída há muito tempo, da mesma maneira que o Mt. Sodom ainda hoje preserva o nome Sodoma. Israel tinha deslocado os Cananitas; Zeboim era uma cidade na fronteira de Canaã, e agora seus restos estão na fronteira de Israel.
Em local próximo a Masada NO ANO DE 1989 Ron colheu amostras de um material branco que se desintegrava na mão com a mesma consistência de talco. Material este que também chamou muito a atenção de Ron.
Ao perguntar para algumas pessoas no local que tipo de material seria aquele. Alguns afirmaram que tinha se formado quando àquela área era coberta pelo Mar Morto. Mas ao se examinar minuciosamente o material em laboratório, constatou-se que se tratava de cinzas. Ao serem consultados geólogos acerca deste material eles afirmaram não ser possível que teria se formado no fundo do Mar Morto, pois o fundo do Mar era inteiramente formado por barro e aquele material não continha barro em sua constituição.

Mas, se a área clara entre o Mar Morto e as montanhas tinham sido uma vez o fundo do mar, então estas formações teriam que ter sido distribuídas uniformemente pela área inteira que teria sido coberta; mas elas formavam partes isoladas; o que fazer, era um quebra-cabeça. Todos concordaram que seria muito difícil convencer qualquer pessoa sobre estes locais sem alguma evidência conclusiva.


Ao ser gasto algum tempo estudando as Escrituras; a teoria de Ron estava resistindo às teorias estabelecidas. Ele estava colocando as cidades de uma ponta a outra do Mar Morto. Foram encontradas algumas pistas qu antes não tinham sido notadas. Encurtamos alguns destes versos para levar a leitura ao ponto que queremos demonstrar. Por favor leia os versos inteiros em suas próprias Bíblias:

GEN 13:2-4 - "E era Abrão... jornada... até Betel,... entre Betel e Ai; Até ao lugar do altar que outrora ali tinha feito; e Abrão invocou ali o nome do SENHOR."

Isto mostra que Abrão ao voltar do Egito foi para a região de Betel, e com ele estava Ló, seu sobrinho. Neste momento é tomada uma decisão, eles deveriam separar-se, porque a terra não acomodaria os dois rebanhos juntos com os rebanhos dos habitantes nativos da região. Assim, Abrão pergunta para Ló qual a terra que ele escolheria para ir.

GEN que 13:10-12 "E levantou Ló os seus olhos, E VIU TODA A CAMPINA DO JORDÃO, que era toda bem regada, antes do SENHOR ter destruído Sodoma e Gomorra, e era como o jardim do SENHOR, como a terra do Egito, quando se entra em Zoar. Então LÓ ESCOLHEU PRA SI TODA A CAMPINA DO JORDÃO, E PARTIU LÓ PARA O ORIENTE, e apartaram-se um do outro. Habitou Abrão na terra de Canaã e LÓ HABITOU NAS CIDADES DA CAMPINA, E ARMOU AS SUAS TENDAS ATÉ SODOMA".

Quando olhou na região de Betel, obviamente Ló viu o vale do Jordão. Por causa das montanhas só poderia ter visto a parte norte do deste vale; certamente não viu Sodoma ou Gomorra mais ao sul.

Um autor do século 19 escreveu: "...Pode ser visto parte do Mar Morto, o vale do Jordão, o rio que corre como uma linha azul pela planície verde. As colinas de Engedi fecham completamente toda a visão do termo meridional do mar; mas como eu disse antes, o termo sul do Rio Jordão pode ser visto aproximadamente de dois a cinco quilômetros antes do mar. Eu andei pelas colinas de Betel e verifiquei pessoalmente" ("Descobertas da Bíblia" por Henry Harper, 1891).
 

Isto significa que Ló foi para o termo norte da área do Mar Morto. Quando ele peregrinou ao LESTE, ele foi neste local. Então, ele morou nas cidades da campina, que não é uma denominação específica; então, ele armou a sua tenda até em Sodoma. Nós sabemos que depois ele residiu nesta cidade.


Assim, sabemos que a Planície do Jordão cobria uma grande área, desde da região
norte onde Ló olhou, até Sodoma. Temos que lembrar que Ló tinha uma grande quantidade de animais, sendo esta a razão dele separar-se de Abrão, os rebanhos deles eram muito numerosos para a terra ao redor de Betel.

Assim, Ló foi para as campinas (planície do Jordão); ele teve que viajar lentamente levando o rebanho; onde quer que ele parasse no caminho, teria de haver muito pasto para os animais.

Quando ele finalmente residiu em Sodoma, necessitava muita terra e pastos para os rebanhos; isso indica que havia terras com pastos perto da cidade. Os locais que Ron localizou são separados por vários quilômetros, com muita terra entre eles.
O SURGIMENTO DE MAIS COMPROVAÇÕES
A Bíblia afirma que Sodoma e Gomorra foram destruídas por fogo e enxofre que Deus fez chover do céu. Imaginemos então que bolas de enxofre fogo caiam sobre a terra como se fossem meteoritos em chamas. E tudo foi destruído, as cidades foram exterminadas, juntamente com toda aquela campina, todos os seus habitantes e até mesmo o que nascia na terra.
Ha uma menção deste acontecimento no novo testamento escrita pelo apóstolo Pedro: 2PE 2:6 - "E condenou à destruição as cidades de Sodoma e Gomorra, reduzindo-as a cinzas, e pondo-as para exemplo aos que vivessem impiamente;"
Este verso, nos fala que as cidades tornaram-se em CINZAS; isso parece uma conclusão lógica, elas foram destruídas através do fogo; mas, os partidários da teoria que afirma que os cinco locais são localizados na Jordânia após o Mar Morto (Bab edh-Dhra, Numeira, etc.), não notam que eles não contêm cinzas. Eles contêm alguns artefatos queimados, mas também contêm matérias primas, alimentos e outros artigos que ainda estão intactos.

Pedro disse que elas tornaram-se em cinzas, um exemplo aos que depois deveriam viver ". Em grego exemplo" é "hupodeigma" que significa "algo que é mostrado ou visível". Isto implica que poderia SER VISTO literalmente. Judas também escreve e apresenta estas cidades como prova da recompensa dos maus:


Jud 1:7 - "Assim como Sodoma e Gomorra, e as cidades circunvizinhas, que, havendo-se entregue à fornicação como aqueles, e ido após outra carne, foram postas por exemplo, sofrendo a pena do fogo eterno." Novamente, a palavra que ele usou, "deigma" raiz da palavra mostrar, que significa "uma coisa mostrada".

O historiador Josephus em "GUERRAS DOS JUDEUS", livro IV, capítulo VIII: "Agora este país está então tão tristemente queimado, que ninguém se preocupa a vir nele; ... Antigamente era uma terra mais feliz, boas frutas e as riquezas de suas cidades, agora tudo está queimado. Está relacionado como a impiedade de seus habitantes, foi queimada através do raio; do qual AINDA HÁ OS REMANESCENTES DAQUELE DIVINO FOGO; E OS RASTROS [OU SOMBRAS] DAS CINCO CIDADES AINDA SÃO VISÍVEIS,..."


Josephus descreve o que podia ser visto nestes cinco locais perfeitamente. Todos cobertos pela cinza esbranquiçada contrastando com as sombras que são as formas das características visuais das paredes dessas cidades antigas.

A destruição destas cidades aconteceu aproximadamente a 3.900 anos atrás, assim é espantoso achar os restos desses montes de cinzas de cor mais clara que as rochas. Que as cidades foram destruídas de maneira Divina; e seus restos também foram preservados de uma maneira Divina. Estes montes não são compostos pelo tipo de cinza que nós comumente pensamos que será soprada pelo vento. É cinza compactada; o material superficial é denso, mas quando quebrado a substância interior é muito mais suave, esmagando na mão, reduz-se a pó.





Considerando que combustão é um processo químico, descobrimos que no estudo do Francês Lavoisier, sobre a natureza do oxigênio, ele descobriu que substâncias queimadas com enxofre forma cinzas mais PESADAS que a substância original. O evento da destruição destas cidades foi o resultado de uma reação química cuidadosamente controlada que aconteceu MUITO rapidamente, contudo manteve um equilíbrio e não resultou em explosão.

A rapidez na destruição destas cidades (a planície inteira) através do fogo é provado na cronologia de eventos na Bíblia. Nós sabemos que o evento não começou até Ló e a sua família estar completamente fora de Sodoma, em Zoar: Gen 19:23-24 - "Saiu o sol sobre a terra, quando LÓ ENTROU EM ZOAR. ENTÃO O SENHOR FEZ CHOVER ENXOFRE E FOGO, do SENHOR desde os céus, sobre Sodoma e Gomorra;"

O sol já tinha subido quando a conflagração começou: Gen 19:27-28 - "E Abraão levantou-se aquela mesma MANHÃ, de madrugada, e foi para aquele lugar onde estivera diante da face do SENHOR; E olhou para Sodoma e Gomorra e para toda a terra da campina; e viu, que a "FUMAÇA DA TERRA SUBIA, COMO A DE UMA FORNALHA." Quando Abraão viu o céu cheio de fumaça, certamente estava conduzindo seus rebanhos, o evento já havia terminado.

Uma das características interessantes destes locais é que o material claro das cinzas apresenta-se formando centenas de camadas, nenhuma muito espessa. Em temperaturas muito altas ao incendiar-se metais de alcalinos (ex. sódio e cálcio) os íons positivos e negativos atraem-se e repelem-se resultando neste efeito de camadas. Sabemos que as chamas tiveram que ser extremamente quente para calcinar pedra e metais completamente; sabemos que há uma tremenda quantidade de sódio (sal) na região; a água do Mar Morto tem a mais alta concentração de sal no planeta; e o maior reservatório de sal, o Mt. Sodom, também está na nessa área.


Uma dificuldade potencial surgiu quando Ron achou cinco locais em vez de quatro. A Bíblia conta que foi permitido a Ló e suas filhas fugir para Zoar para escapar da destruição iminente. Esta quinta cidade foi localizada há poucos quilômetros ao sul do que teria sido Sodoma. Entre pequeno local e Sodoma são um segmento de Mt. Sodom, e isto ajusta-se perfeitamente com o Gênesis.
Quando a esposa de Ló permaneceu olhando para atrás, ela foi transformada em sal, o que indica haver outro processo que também aconteceu naquele momento. Neste processo tudo que estava numa área particular cobriu-se de sal, e parece que a esposa de Ló foi alcançada por isso. Este quinto local é extremamente pequeno comparado com os outros quatro, e estava num lugar perfeito. Nós sabemos que Zoar não foi destruída junto com Sodoma e Gomorra! Novamente, achamos a resposta na Bíblia:

Gen 19:30-32 - "E subiu Ló de Zoar, e habitou no monte, e as suas duas filhas com ele; porque TEMIA HABITAR EM ZOAR; e habitou numa caverna, ele e as suas duas filhas. Então a primogênita disse à menor: Nosso pai já é velho, e não HÁ HOMEM NA TERRA que entre a nós, segundo o costume de toda a terra; Vem, demos de beber vinho a nosso pai, e deitemo-nos com ele, para que em vida conservemos a descendência de nosso pai."

Por alguma razão Ló ficou amedrontado de morar em Zoar com suas filhas. A próxima coisa que lemos é que eles ficaram numa caverna, Ló com as duas filhas solteiras, e após ter sido embriagado engravidou-as. Isto foi escrito por alguma razão, logo após deixar Zoar acredita-se que eles julgavam ser as únicas pessoas vivas naquela terra. Por que eles pensariam isto? A não ser que tivessem testemunhado a destruição de Zoar. A área que tinha sido afetada pela conflagração que destruiu Sodoma e Gomorra era extremamente grande, e para Ló e as suas filhas, provavelmente era como se o mundo inteiro tivesse sido destruído, com exceção da pequena Zoar.

Conclui-se então que eles moraram em Zoar e testemunharam o fato de seus habitantes serem da mesma maneira maus como os de Sodoma, esperaram para logo a destruição, que realmente aconteceu. Se foi nos próximos dias, semanas ou meses, não temos nenhum modo de saber. Mas Josephus, cita que "as cinco cidades ainda eram vistas".
Ron procurava encontrar vestígios dos muros da cidade de Gomorra. Todavia uma grande erosão tinha acontecido nos últimos 3.900 anos e ele sabia que já não era possível encontrar muita coisa.
Os exploradores seguiram ao longo do que parecia ter sido o muro norte da cidade de Gomorra. A 100 metros do muro Ron encontrou um objeto muito interessante. Era uma formação geológica bem anormal, parecia-se com os restos de uma esfinge. Nesta esfinge via-se claramente um lugar onde o muro tinha uma abertura que se parecia muito com a entrada principal da cidade. 



Ao caminhar por lugares semelhantes a ruas Ron pode constatar que tudo naquele lugar tinha uma ligação, não eram apenas formações causadas por uma inundação local, pois se fossem apenas marcas de uma enchente, teriam o sentido para baixo da colina, num padrão fortuito. Mas havia uma ordem em tudo que nós estávamos vendo.





O que podia ser percebido também era que as estruturas (posivelmente edifícios) eram muito mais altas que o nível em que nós estávamos caminhando, o pó branco cobria tudo. Descendo, nós descobrimos que estávamos caminhando sobre a rocha. Isto indicava que na cidades foi queimada até mesmo a sujeira do solo; tudo tinha virado cinzas sobre as rocha do solo.
Ao observar o local de uma certa distancia e altura Ron pode perceber características que não podiam ser percebida a nível do solo.


De cima era possível ver as seções de áreas com plataformas artificialmente elevadas das outras cidades antigas que eram áreas dos templos. Estas áreas de plataforma mostraram vastas áreas planas com formas de ziggurat moldadas nelas, como também grandes blocos claros com semelhança da esfinge que tinha sido vista anteriormente, só que estas eram muito maiores. Nas áreas inferiores das estruturas claras o solo é terraplanado.




As características encontradas naquele lugar não poderiam ser mera coincidência. Os muros que se estendiam ao redor da região eram exatamente idênticos aos das cidades muradas de Canaã de outros locais escavados. O muro possuía uma abertura no lado norte, provavelmente o portão da cidade como era de costume. Havia uma estrutura muito alta na extremidade ocidental desta abertura, precisamente como a torre do portão.
Mas apesar de todas as descobertas ainda era preciso algo mais conclusivo para tornar a descoberta de Ron oficial

A PROVA FINAL

Os acontecimentos que se iniciaram em agosto de 1990 tiveram um papel
importante na validação das descobertas de Ron. Até então, Ron pressentia que estava envolvido em uma situação que revelaria coisas muito importantes, mas lhe faltava a certeza que deveria ser apresentada ao mundo. 
Neste ano foi descoberto algo que não havia sido notado no que se referia as estranhas amostras de cinzas encontradas espalhadas em toda a região de Sodoma e gomorra. Ao ser manuseada, uma das amostras partiu-se, revelando em seu interior um material branco e duro incrustado, perfeitamente redondo cercado por um anel avermelhado. Esta bola branca atraiu bastante a atenção de Ron.
Um outro acontecimento importante foi o interesse repentino de Richard Rives; que leu um livro de Ron e ficou muito interessado na pesquisa. Richard possuía uma agência de viagens e se ofereceu a colaborar com o que fosse necessário, inclusive passagens de avião, isso facilitaria muito o trabalho dos exploradores.
Dois meses depois, em outubro de 1990, Ron e Richard voltaram ao local próximo a Masada, onde estávam seguros de ser Gomorra. No local havia chovido recentemente, um acontecimento bastante raro (somente 6 a 12 mm de chuva por ano).
O fato de ter chovido melhorou a visibilidade do local, mostrando agora mais detalhes das construções corroídas também pela erosão.
Richard viu o que parecia uma escavação à frente, caminharam até o local e descobriram um grande pedaço de cinza que há pouco havia caído de uma seção mais alta, provavelmente por causa da chuva. Ron viu as numerosas bolas brancas dentro do pedaço de cinza, todas cercadas por um escuro anel avermelhado. Pelo cheiro ele souberam que as bolas brancas eram de enxofre na forma cristalina; era a evidência que eles precisavam.





Depois da chuva todo o trabalho ficou mais fácil, pois a chuva limpou o lugar, removendo algumas camadas de cinza soltas que antes cobria muito da superfície.
Ron pode perceber com isso que as bolas brancas estavam em toda parte no local, isso antes não era visível. O material cristalino avermelhado que cercava as bolas de enxofre mostravam que estas bolas que se preservaram no interior das cinzas tinham passado pelo fogo.
Iniciou-se então uma pesquisa para se saber se estas formas de enxofre eram encontradas em outras partes do mundo. O instituto Smithsonian possuía uma vasta coleção de amostras de enxofre vindas de vários lugares do mundo. Mas nada era igual as amostras que Ron colhera nas supostas Sodoma e Gomorra.
Enxofre com alto grau de pureza e na forma de bolas não é encontrado em qualquer outro lugar do mundo, exceto nesta região. As bolas foram encontradas também mais ao norte, formando a convicção que a campina originalmente era muito extensa.
A Bíblia menciona que a campina inteira foi incluída na destruição das cidades: GEN 19:25 - "E destruiu aquelas cidades e toda aquela campina, e todos os moradores daquelas cidades, e o que nascia da terra." Isso explicaria o por que das bolas de enxofre serem encontradas ao longo de toda a região.

Em janeiro de 1991, numa área ao longo do Rio Jordão, fora dos limites da campina e dentro de um posto de fiscalização cercado com arame farpado; foi achada Zoar. Agora era preciso conferir cada um dos cinco locais e verificar se haviam bolas de enxofre neles. Quando este local foi explorado nas estruturas de cinzas também foram achadas as bolas brancas de enxofre. 
A existência de bolas de enxofre envoltas em fogo e com um teor de pureza sem igual fortaleceria a idéia de que estes artefatos caíram do céu. Provando-se assim a narrativa Bíblica sobre a destruição de Sodoma e gomorra.



Sodoma é sem dúvida de todos os locais, o maior e o mais difícil de ir, exige até escalada; esta situada atrás de Mt. Sodom na área que se estende direito até as montanhas; lá, também encontramos o enxofre. Ron e sua equipe comprovaram a existência das bolas de enxofre em todas as cidades, com exceção de Zeboim ao norte de Jericó.

Os locais sofreram uma tremenda erosão, o mais preservado, sem dúvida é Gomorra. Admá, ao norte do Mar Morto, por não estar localizada numa área protegida pelas montanhas, é exposta aos ventos; suas cinzas são de cor castanha, provavelmente devido a impurezas trazidas pelo vento; sempre que uma seção é raspada revela a cor clara das camadas interiores.



Também nas tabuas de Ebla são encontradas informações importantes que podem
validar com mais probabilidade as descobertas de Ron Wyatt, pois alem dos nomes das cinco cidades, o nome de Abraão e a cultura destes povos, as tabuas também mencionam que esta região abrangia cento e quarenta acres. O registro Bíblico revela que Sodoma e Gomorra foram destruídas vinte e quatro anos depois que Abrão saiu de Harã, cidade situada a duzentos quilômetros da antiga Ebla. É mencionado nos textos de Ebla, as cidades cujos nomes refletem os parentes de Abrão: Phaliga=Pelegue; Til-Turak=Terá; e Nakhur=Naor. Mencionam também a cidade de Ur, de onde originalmente Abrão partiu. Também é mencionado um rei de uma das cidades Birsah; exatamente como na Bíblia: GEN 14:2 - "Que estes fizeram guerra a Bera, rei de Sodoma, a Birsa, rei de Gomorra, e a Sinabe, rei de Admá, e a Semeber, rei de Zeboim, e ao rei de Belá (esta é Zoar)."
Dadas as referencias históricas sobre a existência de Sodoma e gomorra é impossível deixar de crer que a Bíblia é verdadeira em seus relatos. Pois alem de relatos bíblicos, temos também arqueologia e historiadores íntegros afirmando tal fato 


Judas escreveu: Jd 7 - "Assim como Sodoma e Gomorra, e as cidades circunvizinhas, que, havendo-se entregue à fornicação como aqueles, e ido após outra carne, foram postas por exemplo, sofrendo a pena do fogo eterno.