quarta-feira, 9 de outubro de 2013

LEVÍTICO 25



LEVÍTICO 25

Quando Deus queria passar ensinamentos e orientações ao povo de Israel, Moisés era o arauto destas mensagens, ele tinha o privilégio de conversar com Deus como dois bons amigos. 1 - Falou mais o SENHOR a Moisés no monte Sinai, dizendo:
As orientações que Deus enviava ao povo Israelita era contundentes e deveriam ser obedecidas, pois a obediência sempre trazia seus frutos positivos e a desobediência seus frutos negativos.
Numa desta ordenança, Deus estabeleceu que o povo deveriam observar um sábado anual que  correspondia aos meses do calendário judaico. Neste período não poderiam plantar, desmatar ou preparar a terra para o plantio para o ano seguinte. Era uma forma de preservar a terra para produzir boas colheitas nos seis anos consecutivos, a terra era restaurada em sua força de produção. Algumas pessoas tem feito relação e no passado eu tinha feito a mesma relação entre este ano sabático e o milênio, mas na verdade não tem nenhuma relação ou simbolismo entre os dois, esta ordenança é um mandamento e jamais uma profecia, portanto não é algo que seria implantado em toda a terra. 2 - Fala aos filhos de Israel, e dize-lhes: Quando tiverdes entrado na terra, que eu vos dou, então a terra descansará um sábado ao Senhor.
No período de seis anos a nação tinha plena liberdade de plantar, colher, semear, podar e preparar a terra para novas agriculturas ou pastos para os animais. 3 - Seis anos semearás a tua terra, e seis anos podarás a tua vinha, e colherás os seus frutos;
Quando findassem o sexto ano, não poderiam mais usar a terra para produção, a terra no período de doze meses estaria em repouso absoluto, ou seja, estaria em um período de descanso sabático para Deus e os agricultores, neste texto podemos observar que não é somente o sétimo dia que é o sábado de Deus. 4 - Porém ao sétimo ano haverá sábado de descanso para a terra, um sábado ao Senhor; não semearás o teu campo nem podarás a tua vinha.
Na sega o que havia caído e produzisse de forma natural e espontânea não poderia ser recolhido, pois tanto a terra bem como seus moradores deveriam respeitar o sábado anual de Deus, portanto o que havia nascido e produzido deveriam ficar no campo, mas o que havia sido plantado nos anos anteriores serviriam para alimento. 5 - O que nascer de si mesmo da tua sega, não colherás, e as uvas da tua separação não vindimarás; ano de descanso será para a terra.
Os frutos produzidos neste sábado que haviam sido plantados nos anos anteriores deveriam ser o alimento para toda a nação, escravos, aos funcionários e para as pessoas de outras nações que estivessem entre eles. 6 - Mas os frutos do sábado da terra vos serão por alimento, a ti, e ao teu servo, e à tua serva, e ao teu diarista, e ao estrangeiro que peregrina contigo;
Destes alimentos e o que havia no campo também era para alimentar os animais. 7 - E ao teu gado, e aos teus animais, que estão na tua terra, todo o seu produto será por mantimento.
Neste ano sabático deveriam contar as semanas de forma que chegasse a 49 anos. 8 - Também contarás sete semanas de anos, sete vezes sete anos; de maneira que os dias das sete semanas de anos te serão quarenta e nove anos.
Os 49 anos teria que coincidir com o sétimo mês, e no dia 10 que corresponde ao mês de novembro do calendário gregoriano, no dia da expiação deveriam tocar a trombeta de chifre de carneiro em toda a terra Israelita, anunciando a chegado do jubileu. 9 - Então no mês sétimo, aos dez do mês, farás passar a trombeta do jubileu; no dia da expiação fareis passar a trombeta por toda a vossa terra,
No ano seguinte correspondente aos 49 anos, que seria o ano de nº 50, este ano era santo e todos teriam que santifica-lo e apregoar a liberdade e todos que eram escravos da linhagem de Israel tinham que ser libertados para eles voltarem a suas tribos de origem como pessoas livres. 10 - E santificareis o ano quinquagésimo, e apregoareis liberdade na terra a todos os seus moradores; ano de jubileu vos será, e tornareis, cada um à sua possessão, e cada um à sua família.
O ano 50 era tão santo quanto o ano sabático, ou seja, esta ano também era um sábado e a semelhança do anterior não podiam plantar, preparar a terra, apenas poderiam colher o que havia produzido pelas plantas plantadas nos anos anteriores. 11 - O ano quinquagésimo vos será jubileu; não semeareis nem colhereis o que nele nascer de si mesmo, nem nele vindimareis as uvas das separações,
É um ano santo, a nação Israelita tinha dois anos santos, tão santo como o do sétimo dia. 12 - Porque jubileu é, santo será para vós; a novidade do campo comereis.
13Neste ano do jubileu tornareis cada um à sua possessão.
Hoje pela manhã ao ler este texto lembrei de um cidadão que uma vez me disse: Deus me livre de fazer negócios com crente, é o bicho mais enrolado que já vi. O desejo e ordenança de Deus é que as pessoas que afirmam ser adoradores dele, sejam leais e honestos com seus irmãos e semelhantes, pois a desonestidade para Ele é uma abominação, e a pessoa que diz fazer parte do povo dEle, mas são desonestos estão desonrando Seu Nome e Sua santidade. 14 - E quando venderdes alguma coisa ao vosso próximo, ou a comprardes da mão do vosso próximo, ninguém engane a seu irmão;
Neste período o povo poderiam comprar e vender para seus irmãos e aos estrageiros. 15 - Conforme ao número dos anos, desde o jubileu, comprarás ao teu próximo; e conforme o número dos anos das colheitas, ele a venderá a ti.
O comercio deveria ser baseado conforme a produção, na alta produção os preços deveriam ser baixos e a medida que fosse ficando escasso poderiam cobrar um preço maior, mas sem exploração porque prejudicaria os pobres. O comercio sempre deveria ser sustentado na honestidade. 16 - Conforme se multipliquem os anos, aumentarás o seu preço, e conforme à diminuição dos anos abaixarás o seu preço; porque conforme o número das colheitas é que ele te vende.
Praticando a honestidade com o próximo, a pessoa está demonstrando que tem o temor a Deus e O está honrando, desta forma Deus tem o prazer de Si identificar como sendo o Deus desta pessoa ou congregação. 17 - Ninguém, pois, engane ao seu próximo; mas terás temor do teu Deus; porque eu sou o Senhor vosso Deus.
O maior anseio da sociedade hodierna é ter segurança e paz, mais o mundo vai de mau a pior, são consequências de dispersarem os estatutos, o juízo justo que começa com leis justas, se o mundo observassem estas regras do Altíssimo, o ser humano habitariam seguros em suas casas.
Lembro bem que o povo Israelita ia para Jerusalém oferecer seus sacrifícios e deixavam suas casas, seus animais, suas plantações abandonados  e ao regressarem de Jerusalém estavam tudo em ordem e os animais robustos e bonitos.
Nos dias atuais o povo que se intitulam povo de Deus, alguns vão a igreja e quando voltam suas casas foram arrombadas e roubadas, as casas dos pastores tem seguro porque muitas residência deles são arrombadas enquanto estão na igreja, as igrejas são arrombadas e roubadas.
Certa vez um amigo me disse: É que a violência cresceu muito. Fica um questionamento: Será mesmo que a violência cresceu e a proteção de Deus diminuiu ou a violência se tornou mais poderosa que proteção de Deus?
Eu em particular já fiquei até 22 dias viajando e minha casa ficou abandonada, mas ao regressar estava intacta, moro em uma das cidades mais violentas do Maranhão, viajo muito e nunca foi arrombada para glória do Eterno Deus de Abraão e meu Deus.
viajei na Quarta Feira a noite dia 09/10/2013 e cheguei hoje dia 16/10/2013 e da mesma forma como deixei minha casa estava. Graças a proteção de Deus.
Como podemos observar, tem alguma coisa errada e referente a Deus com certeza não é. As igrejas são arrombadas, as casas dos adoradores são arrombadas enquanto estão no templo adorando. E Cristo disse que pelo fruto é que se conhece a árvore. 18 - E observareis os meus estatutos, e guardareis os meus juízos, e os cumprireis; assim habitareis seguros na terra.
Muitos dos cristãos trabalham e seus frutos são umas migalhas quando em outros casos nem migalhas conseguem colher, Deus não falha e não muda, Ele prometeu que na semeadura haverá colheita abundante, teriam comida a se fartar e o chamado povo de Deus hoje passam fome ou necessidades, o povo que dizem ser a igreja de Deus habitam inseguros. O povo de Deus não são molestados e eles estão sendo. Não confundir perseguições com a vida cotidiana e rotineira. 19 - E a terra dará o seu fruto, e comereis a fartar, e nela habitareis seguros.
O verdadeiro adorador de Deus tem alimento garantido, o próprio Cristo confirmou esta declaração de Deus (Jesus voltou-se então para seus discípulos: Portanto vos digo: não andeis preocupados com a vossa vida, pelo que haveis de comer; nem com o vosso corpo, pelo que haveis de vestir. Lucas 12: 22) e o que mais vemos são supostos verdadeiros adoradores passando fome, privações ou necessidades. Deus cumpriu no passado suas promessas e ainda é o mesmo Deus em nossos dias, Ele não falha, mas há muitas falhas. 20 - E se disserdes: Que comeremos no ano sétimo? Eis que não havemos de semear nem fazer a nossa colheita;
A produção anterior ao sétimo ano seria de tamanha fartura que a produção seria suficiente para sustentar toda a nação, os escravos, os estrangeiros que por ali estivessem e até mesmo  por três anos consecutivos antes de nova produções. 21 - Então eu mandarei a minha bênção sobre vós no sexto ano, para que dê fruto por três anos,
A fartura era tanta que só havia necessidade de produção três anos após o sexto ano, a produção do ano sexto ainda dava para alimentar no ano nono, enquanto esperavam a nova produção ser colhida. Porque existe tanta escassez no meio do chamado povo cristão de Deus? Teria Deus mudado? Onde está o problema desta escassez? 22 - E no oitavo ano semeareis, e comereis da colheita velha até ao ano nono; até que venha a nova colheita, comereis a velha.
A herança de Deus jamais deverá ser vendida, e hoje podemos ver que a herança de Deus virou comercio nas igrejas. Só é salvo se pagar 10%, só é salvo se der ofertas para as igrejas, a pessoa vale para a igreja o que ela contribui. Nós somos a herança de Deus e estamos sendo comercializados.  23 - Também a terra não se venderá em perpetuidade, porque a terra é minha; pois vós sois estrangeiros e peregrinos comigo.
Se uma pessoa tivesse necessidade de vender sua propriedade, no ano do jubileu a terra era comprada novamente pelo antigo dono sem exploração. No meio cristão, quando uma pessoa tem algum tipo de necessidade e precisa se desfazer de um bem, o outro cristão faz de tudo para explorar o necessidato pagando um valor muito aquém do valor de comercio. Isto não deveria haver no meio dos que se dizem filhos de Deus. 24 - Portanto em toda a terra da vossa possessão dareis resgate à terra.
Sempre a necessidade bateria na porta de alguma pessoa da irmandade, o mais próximo tem o dever de ajudar o necessitado. Esta necessidade é para o adorador exercitar o amor que ele alega ter pelo próximo.
Certa vez eu estive em um sábado pela manhã e quem chamou os diáconos e diaconisas para recolher as ofertas e os dízimos foi um pastor. Depois de recolhido as ofertas e os dízimos o pastor disse: Irmãos, o irmão fulano está com necessidades e é urgente, se algum de vocês puder ajuda-lo procure-o no final do culto. Digo sem medo de errar: Isto é diabólico, primeiro o bolso dele e se porventura tiver alguma sobra que a necessidade do miserável seja solucionada. O papel do verdadeiro pastor é cuidar das ovelhas, pergunto: Um indivíduo deste está cuidando da ovelha ou do seu próprio salário? 25 - Quando teu irmão empobrecer e vender alguma parte da sua possessão, então virá o seu resgatador, seu parente, e resgatará o que vendeu seu irmão. - 26 - E se alguém não tiver resgatador, porém conseguir o suficiente para o seu resgate,
A liberdade é instituição divina e a mesma deve ser o dia a dia do rico e do pobre. 27 - Então contará os anos desde a sua venda, e o que ficar restituirá ao homem a quem a vendeu, e tornará à sua possessão.
As vezes uma pessoa da irmandade precisa urgentemente de um tratamento e o mesmo tem que ser pago, e a pessoa pede o dinheiro emprestado a um da irmandade, este empresta mas cobrando o mesmo juro de um agiota e quando o miserável não consegue pagar por causa da alta taxa de juros, o que emprestou vai a casa do outro e toma a força qualquer objeto, mas esta não é a orientação de Deus. Devemos sim emprestar aos nossos irmãos que estejam em necessidades, não confundir com o desejo de empréstimo para luxo, o empréstimo deve ser sem juros e para as pessoas que não fazem parte da comunidade deve ser cobrado juros (Não exigirás juro algum de teu irmão, quer se trate de dinheiro, quer de gêneros alimentícios, ou do que quer que seja que se empreste a juros. Deut. 23: 19 - Não lhe emprestarás com juros o teu dinheiro, e não lhe darás os teus víveres por amor ao lucro. Lev. 25: 37 - Se emprestares dinheiro a alguém do meu povo, ao pobre que está contigo, não lhe serás como um credor: não lhe exigirás juros. Êx. 22: 25 - Poderás exigi-lo do estrangeiro, mas não de teu irmão, para que o Senhor, teu Deus, te abençoe em todas as tuas empresas na terra em que entrarás para possuí-la. Deut. 23: 20 - que se abstém de causar dano ao infeliz, que não empresta com usura e nem recebe juros, mas observa os meus mandamentos e procede de conformidade com as minhas leis - esse filho não perecerá pelas iniqüidades de seu pai mas certamente viverá. Eze. 18: 17 - que não empresta à taxa usurária e não recebe com juros, que afasta a sua mão da iniqüidade, e julga eqüitativamente entre um homem e outro, Eze. 18: 8 - que faz empréstimo com usura e recebe juros, esse rapaz não poderá permanecer em vida. Após as abominações que houver cometido, ele deve perecer, e seu sangue recairá sobre ele. Eze. 18: 13 - Em ti aceitam-se presentes para derramar sangue, tu recebes a usura e os juros, fazes violência ao próximo para despojá-lo; e a mim tu me esqueces - oráculo do Senhor Javé. Eze. 22: 12) 28 - Mas se não conseguir o suficiente para restituir-lha, então a que foi vendida ficará na mão do comprador até ao ano do jubileu; porém no ano do jubileu sairá, e ele tornará à sua possessão.
29 - E, quando alguém vender uma casa de moradia em cidade murada, então poderá resgatá-la até que se cumpra o ano da sua venda; durante um ano inteiro será lícito o seu resgate.
30 - Mas, se, cumprindo-se-lhe um ano inteiro, ainda não for resgatada, então a casa, que estiver na cidade que tem muro, em perpetuidade ficará ao que a comprou, pelas suas gerações; não sairá no jubileu.
31 - Mas as casas das aldeias que não têm muro ao redor, serão estimadas como o campo da terra; para elas haverá resgate, e sairão no jubileu.
32 - Mas, no tocante às cidades dos levitas, às casas das cidades da sua possessão, direito perpétuo de resgate terão os levitas.
33 - E se alguém comprar dos levitas, uma casa, a casa comprada e a cidade da sua possessão sairão do poder do comprador no jubileu; porque as casas das cidades dos levitas são a sua possessão no meio dos filhos de Israel.
34 - Mas o campo do arrabalde das suas cidades não se venderá, porque lhes é possessão perpétua.
Como as irmandades que se auto intitulam de verdadeira igreja de Deus tem procedido com os pobres? Os tem socorrido com os dízimos como manda Deus ou tem apenas cobrado dízimos e ofertas ao miserável que as vezes não tem nem farinha para comer? É obrigação da igreja sustentar com o dízimo quem não tem o que comer. 35 - E, quando teu irmão empobrecer, e as suas forças decaírem, então sustentá-lo-ás, como estrangeiro e peregrino viverá contigo.
36 - Não tomarás dele juros, nem ganho; mas do teu Deus terás temor, para que teu irmão viva contigo.
Vocês já observaram que muitas igrejas doam sextas básicas é com interesse de que o beneficiado venha fazer parte de sua irmandade? Já observaram que muitas igrejas fazem campanhas de doação de sangue é com interesse de que as pessoas ao verem sua atitude venham fazer parte da irmandade? Não são demonstrações de amor, são atitudes para aumentar o número da membresia e consequentemente a arrecadação em dinheiro. 37 - Não lhe darás teu dinheiro com usura, nem darás do teu alimento por interesse.
38 - Eu sou o Senhor vosso Deus, que vos tirei da terra do Egito, para vos dar a terra de Canaã, para ser vosso Deus.
39 - Quando também teu irmão empobrecer, estando ele contigo, e vender-se a ti, não o farás servir como escravo.
40 - Como diarista, como peregrino estará contigo; até ao ano do jubileu te servirá;
41 - Então sairá do teu serviço, ele e seus filhos com ele, e tornará à sua família e à possessão de seus pais.
42 - Porque são meus servos, que tirei da terra do Egito; não serão vendidos como se vendem os escravos.
43 - Não te assenhorearás dele com rigor, mas do teu Deus terás temor.
44 - E quanto a teu escravo ou a tua escrava que tiveres, serão das nações que estão ao redor de vós; deles comprareis escravos e escravas.
45 - Também os comprareis dos filhos dos forasteiros que peregrinam entre vós, deles e das suas famílias que estiverem convosco, que tiverem gerado na vossa terra; e vos serão por possessão.
46 - E possuí-los-eis por herança para vossos filhos depois de vós, para herdarem a possessão; perpetuamente os fareis servir; mas sobre vossos irmãos, os filhos de Israel, não vos assenhoreareis com rigor, uns sobre os outros.
47 - E se o estrangeiro ou peregrino que está contigo alcançar riqueza, e teu irmão, que está com ele, empobrecer, e vender-se ao estrangeiro ou peregrino que está contigo, ou a alguém da família do estrangeiro,
48 Depois que se houver vendido, haverá resgate para ele; um de seus irmãos o poderá resgatar;
49 - Ou seu tio, ou o filho de seu tio o poderá resgatar; ou um dos seus parentes, da sua família, o poderá resgatar; ou, se alcançar riqueza, se resgatará a si mesmo.
50 E acertará com aquele que o comprou, desde o ano que se vendeu a ele até ao ano do jubileu, e o preço da sua venda será conforme o número dos anos; conforme os dias de um diarista estará com ele.
51 - Se ainda faltarem muitos anos, conforme a eles restituirá, para seu resgate, parte do dinheiro pelo qual foi vendido,
52 - E se ainda restarem poucos anos até ao ano do jubileu, então fará contas com ele; segundo os seus anos restituirá o seu resgate.
53 - Como diarista, de ano em ano, estará com ele; não se assenhoreará sobre ele com rigor diante dos teus olhos.
54 - E, se desta sorte não se resgatar, sairá no ano do jubileu, ele e seus filhos com ele.
55 - Porque os filhos de Israel me são servos; meus servos são eles, que tirei da terra do Egito. Eu sou o Senhor vosso Deus.
Deus é Deus e jamais mudará para beneficiar uma pessoa ou uma denominação religiosa.
Autor: Eurias R. Carneiro

Nenhum comentário: