quarta-feira, 24 de abril de 2013

CRISTO E OS REFORMISTAS


CRISTO E OS REFORMISTAS

MOMENTO DE ADORAÇÃO DA CRUZ
IASD MR PARAUAPEPAS

Cristo deixou o exemplo para a igreja que tivesse a pretensão de ser a noiva dele fizesse exatamente como Ele agiu e viveu, a igreja que tem atitudes contrárias às ações dele não tem nenhuma ligação direta ou indireta com o Salvador.  Porque eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também. Jo. 13: 15.
As igrejas falsas e verdadeiras têm como ser identificada, a igreja verdadeira não produz frutos ruins, apenas frutos bons. A igreja falsa não produz frutos bons, somente frutos ruins. Na igreja verdadeira é impossível haver frutos que não presta e na falsa é impossível haver frutos que presta. Dentro da falsa há pessoas que são frutos bons, mas não ficarão dentro dela, antes da volta de Cristo ela sairá para está com os verdadeiros adoradores, não confundir com nome institucional.  Porque cada árvore se conhece pelo seu próprio fruto; pois não se colhem figos dos espinheiros, nem se vindimam uvas dos abrolhos. Lc. 6: 44. - Ou fazei a árvore boa, e o seu fruto bom, ou fazei a árvore má, e o seu fruto mau; porque pelo fruto se conhece a árvore. Mt. 12: 33.
A igreja verdadeira, ou seja, a comunidade composta pelos verdadeiros adoradores ao observar que uma ovelha está em pecado, isto é, está ferida, a igreja não exclui (expulsa) e não disciplina (isola), a igreja procura resgatar, curar a ferida da ovelha, se a ovelha torna-se rebelde e não quer ser resgatada, a função da igreja é considerar a ovelha como gentílica ou publicana, sendo assim a igreja de Deus não exclui e nem disciplina, ela faz com a ovelha o que faz com a que nunca fez parte do rebanho, trabalha para salvar. Ora, se teu irmão pecar contra ti, vai, e repreende-o entre ti e ele só; se te ouvir, ganhaste a teu irmão; Mas, se não te ouvir, leva ainda contigo um ou dois, para que pela boca de duas ou três testemunhas toda a palavra seja confirmada. E, se não as escutar, dize-o à igreja; e, se também não escutar a igreja, considera-o como um gentio e publicano.  Mt. 18: 15 - 17.
Se a igreja está produzindo frutos ruins, é bom lembrar-se do que a Palavra de Deus diz: Da mesma fonte não tem como jorrar água doce e amarga, ou jorra água doce ou jorra água amarga, ou seja, é impossível a igreja verdadeira produzir frutos bons e frutos ruins ao mesmo tempo. Porventura deita alguma fonte de um mesmo manancial água doce e água amargosa? Tg. 3: 11.
Para ilustrar bem a relação entre Cristo e os Adventistas do Sétimo dia Movimento de Reforma, vou deixar alguns exemplos para que você possa honestamente conhecer os frutos produzidos por esta denominação em massa de mentes desavisadas.
I.                    Eu tinha um amigo que já faleceu, quando nos conhecemos eu ainda era criança. Na época ele era apenas obreiro assalariado e com o passar do tempo ele foi ordenado ao ministério como Pastor, função que ele desempenhou por vários anos de forma honesta e íntegra. Anos mais tarde ele cometeu um erro grave e ele perdeu as credenciais de pastor e ao mesmo tempo foi excluído (expulso) com membro da referida igreja. Em vez desta igreja trabalhar pela inclusão e salvação desta ovelha que segundo a igreja havia cometido um dos piores pecados, a ação da igreja foram: 1) Exclui-lo do ministério, até aqui é justificável a ação da igreja. 2) Excluir da irmandade, esta ação é anti-bíblica e constitui em produção de fruto que não presta. 3) Um pastor, nesta cidade de Imperatriz – Ma., subiu no púlpito, contou a história sobre o ex-pastor e terminou dizendo: Irmãos, não é nem para orar por este individuo. A atitude deste pastor com a conivência da igreja é simplesmente diabólico, isto é produzir frutos que não presta. A igreja verdadeira de Deus que é composta pelos verdadeiros adoradores jamais, em hipótese alguma teria esta atitude diabólica.
II.                    Tenho dois amigos que faziam parte da IASDMR. Um dia foi descoberto que a mulher deste meu amigo estava sendo amante do obreiro, a ação da igreja foi esta: 1) Excluíram (expulsaram) minha amiga da igreja. 2) O obreiro apenas mudaram de campo, ou seja, a mulher foi expulsa da igreja por ter cometido um grave pecado e o obreiro que praticou o mesmo pecado com ela foi apenas transferido de um campo missionário para outro. Esta atitude nos leva ao tempo de Cristo, vários homens adulteraram com uma mulher e depois os mesmos a levaram para Cristo condená-la a morte. A igreja de Cristo que é composta por verdadeiros adoradores jamais, em hipótese alguma usaria dois pesos e duas medidas. Isto é produção de frutos que não presta. A igreja verdadeira de Deus que é composta pelos verdadeiros adoradores jamais, em hipótese alguma teria esta atitude diabólica.
III.                    Tenho um amigo que fazia parte desta igreja e um dia foi descoberto que ele havia cometido um pecado que sob o olhar da igreja é gravíssimo. Reuniram a comissão (os juízes) e depois de muita discursão o pastor tomou a palavra e disse: Irmãos, o fulano é uma pessoa que da muito dízimo na igreja, portanto ele não será excluído do rol de membros. Fica subentendido se o cara fosse um zero a esquerda que não desse lucro para a igreja ele teria sido expulso do rol de membros. A igreja verdadeira de Deus que é composta pelos verdadeiros adoradores jamais, em hipótese alguma teria esta atitude diabólica.
IV.                    Conheci duas pessoas que estavam noivos e eles moravam distantes um do outro. No dia do casamento foi uma mega festa e vieram reformistas de várias cidades para prestigiarem o evento. No dia do casamento foi descoberto que o noivo tinha adulterado com a sobrinha de um membro da igreja. Foi reunida a comissão (juízes) e depois de muita discursão o pastor conhecido meu tomou a palavra e disse: Irmãos, a noiva veio de longe para casar e não podemos decepciona-la, quem tocar neste assunto a partir de hoje é que será disciplinado. A igreja simplesmente aceitou o adultério como coisa normal, caso fosse na igreja ASD, até hoje eles estariam condenando a mesma, mas como foi na IASDMR pode acontecer sem nenhum problema. A igreja verdadeira de Deus que é composta pelos verdadeiros adoradores jamais, em hipótese alguma teria esta atitude diabólica.
V.                    Certo dia meu pai estava viajando e nós fomos com minha mãe para a igreja no sábado pela manhã. Uma irmã havia perdido uma pequena bolsa no pátio da igreja e minha irmã achou e ficou brincando com a referida bolsa. Na ora do culto, o obreiro no púlpito da igreja disse: Irmãos, tenham cuidado com a filha do irmão “X”, porque ela roubou a bolsa da irmã “Y”. Na verdade minha irmã não roubou nada. Meu pai chega ao domingo meio dia e minha mãe conta a ele o que havia ocorrido, ele nem almoçou e foi direto a casa pastoral da IASDMR de Imperatriz – Ma., para falar com o obreiro. O meu pai ao confrontar o obreiro afirmou: Irmão “X”, ela tem pai, se ela fez algo de errado o teu papel como pastor era me comunicar que eu teria tomado providências e não fazer eu passar uma vergonha dessa. E a partir de hoje este pés nunca mais cruzará o batente de tua igreja. Como meu pai era um homem de palavra ele nunca mais pisou na igreja da reforma, morreu sendo membro da IASD. Para os reformistas ele está perdido por não ter morrido sendo reformista. Se eu afirmar que não recebemos visitas dos reformistas para voltarmos para a igreja estarei mentindo, lembro bem da última visita que recebemos de dois colportores reformistas e como meus pais se negaram a voltar para a igreja, os reformistas saíram de costas de dentro de nossa casa e quando chegaram na porta apontaram e dedo e disseram: Vocês são uns insetos. A igreja verdadeira de Deus que é composta pelos verdadeiros adoradores jamais, em hipótese alguma teria esta atitude diabólica.
Tudo o que relatei são fatos verídicos, verdadeiros, eu e Deus somos testemunhas oculares.
Citei alguns exemplos para os que são honestos espiritualmente fiquem em alertas porque estão se alimentando de frutos podres.
Esta igreja não é produtora de frutos bons e não é amiga de Cristo, sendo assim, ela é uma falsa igreja que segue uma falsa profetisa adoradora do pênis do deus Rá.
Autor: Eurias R. Carneiro.