sábado, 23 de agosto de 2014

EVANGÉLICOS MOSTRAM APOIO AO MOVIMENTO LGBT NA CONCENTRAÇÃO DA PARADA GAY

EVANGÉLICOS MOSTRAM APOIO AO MOVIMENTO LGBT 
NA CONCENTRAÇÃO DA PARADA GAY

JOVENS DA IGREJA ADVENTISTA DO SÉTIMO DIA LEVARAM CARTAZES EM APOIO AO MOVIMENTO LGBT EM COPACABANA

O DIA

Rio - A concentração da 18ª Parada do Orgulho LGBT de Copacabana começou por volta das 13h deste domingo. Para receber o público que vai ao evento, a Prefeitura do Rio interditou algumas vias do bairro da Zona Sul.
Segundo o Centro de Operações da Prefeitura do Rio, estão interditadas a pista junto aos prédios da Avenida Atlântica, no trecho entre a Rua Joaquim Nabuco e a Avenida Prado Júnior. Neste trecho, moradores deverão evitar trafegar com veículos no horário entre 14h e 20h.
Também estão interditadas a Rua Francisco Otaviano, entre as avenidas Nossa Senhora de Copacabana e Atlântica; assim como a própria avenida Atlântica, pista junto à orla, no trecho entre a Rua Francisco Otaviano e a Rua Miguel Lemos.
Aos poucos a Praia de Copacabana começa a ficar lotada. Os organizadores do evento esperam um público de um milhão de pessoas. Na concentração, um grupo de pelo menos 15 jovens da Igreja Adventista do Sétimo Dia manifestou seu apoio à causa LGBT. "A gente veio dizer que Deus ama a todos independentemente da orientação sexual. Não concordamos com o preconceito", disse Lucas dos Santos.


Jovens da Igreja Adventista do Sétimo Dia manifestam seu apoio à causa. "A gente 
veio dizer que Deus ama a todos independentemente da orientação", diz Lucas dos Santos - Foto:  Divulgação.

O movimento pacífico lembrará que os avanços nas políticas públicas como o reconhecimento da união civil entre pessoas do mesmo sexo ou a criação de programas como o Brasil Sem Homofobia – conquistados graças a mobilizações populares, a exemplo das Paradas LGBTs ocorridas pelo país, a Parada LGBT. Outra bandeira da Parada lembrará os 4.850 LGBTs que sofreram algum tipo de violência homofóbica no Brasil no ano de 2012, em razão da sua orientação sexual e identidade de gênero.
“Hoje vivemos num cenário de ameaça, de recrudescimento de importantes conquistas de direitos de LGBTs por conta, principalmente, do conservadorismo do legislativo e do crescimento do fundamentalismo religioso. Precisamos mostrar que não estamos sozinhos, que somos milhões de vozes e com poder de influenciar a política brasileira para transformar essa realidade. Estar domingo em Copacabana é acordar e fazer algo para essa mudança” afirma Julio Moreira, Presidente do Grupo Arco-Íris – organização social responsável pela Parada.
A organização do evento espera um público de 1 milhão de pessoas, embaladas por música eletrônica, pop e MPB mixadas por DJs a bordo de 15 trios elétricos, a partir das 13h. Mas o evento começa bem antes, às 9 horas da manhã, com serviços ofertados pela organização e empresas parceiras.


FONTE: 
http://odia.ig.com.br/noticia/rio-de-janeiro/2013-10-13/na-concentracao-da-parada-gay-jovens-evangelicos-mostram-apoio-a-movimento-lgbt.html


DECLARAÇÃO DA IASD SOBRE A HOMOSSEXUALIDADE




A Igreja Adventista do Sétimo Dia reconhece que cada ser humano tem valor aos olhos de Deus. Esforçamo-nos por estar ao serviço de todos os homens e de todas as mulheres no espírito de Jesus. Acreditamos também que, pela graça de Deus e com o encorajamento da comunidade da fé, um indivíduo pode viver de acordo com os princípios da Palavra de Deus. Os Adventistas do Sétimo Dia crêem que a intimidade física só é legítima dentro das relações conjugais que unem um homem e uma mulher. Este foi o desígnio de Deus no momento da criação. A Escritura declara. “Portanto deixará o homem a seu pai e a sua mãe, e unir-se-á a sua mulher, e serão os dois uma só carne”. (Gén.2:24).Toda a Escritura confirma este modelo de heterossexualidade. Não prevê qualquer adaptação a uma actividade ou relação homossexual. Todo o acto sexual fora do casamento heterossexual é proibido (Lev. 20:7-21; Rom. 1:24-27; I Cor. 6:9-11). Jesus Cristo definiu claramente o desígnio divino na criação: “Não leste que no princípio o Criador os fez macho e fêmea, e disse: Portanto deixará o homem pai e mãe, e se unirá a sua mulher, e serão os dois uma só carne? Assim já não são mais dois, mas uma só carne. Portanto, o que Deus ajuntou não o separe o homem”. (Mat. 19:4-6). Por estas  razões os Adventistas opõem-se às práticas e às relações homossexuais. Os Adventistas do Sétimo Dia esforçam-se por seguir o ensino e o exemplo de Jesus. Ele confirmou a dignidade de todos os seres humanos e abriu os braços com compaixão às pessoas e às famílias que sofriam as consequências do pecado. Ofereceu um ministério de afeição e de palavras de consolo às pessoas que lutavam, fazendo sempre distinção entre o Seu amor pelos pecadores e o Seu claro ensino sobre as práticas do pecado.
(Este Declaração foi votada no Conselho Anual do Conselho Executivo da Conferência Geral em 3 de Outubro de 1999).
FONTE: http://igrejasadventistasportugal.blogspot.com.br/2013/07/declaracao-da-iasd-sobre.html

http://www.adventistas.com/2013/10/27/o-dia-evangelicos-adventistas-mostram-apoio-ao-movimento-lgbt-na-concentracao-da-parada-gay/


PASTOR DA IGREJA BATISTA AFIRMA QUE CASARIA GAYS


Pastores batistas afirmam que casariam gays ou “apoiam” tal casamento na sociedade!

A matéria abaixo é um aviso a todos os evangélicos sinceros que acreditam que a Igreja Batista representa a Cristo. Eu particularmente, autor desta página, acredito que placa de Igreja não salva ninguém,  mas que condena, isso eu tenho certeza que sim. Pois se você pertence a uma igreja que tolera coisas que Deus não aprova, deveria se preocupar em migrar pra outro movimento religioso que levasse a bíblia mais a sério. A matéria aqui pode ser aplicada a maioria das igrejas chamadas “evangélicas”,  contudo, estou destacando uma delas como exemplo da confusão que existe no meio evangélico em contraste com a orientação da Bíblia.

A Aliança de Batistas é uma  denominação teologicamente progressiva, que figura entre a Igreja  batista americana que apoia o casamento homossexual e é aberto a crentes gays, lésbicas, bissexuais e transgêneros. (^ Statement on Same Sex Marriage April 17, 2004 onallianceofbaptists.org) Estão formalmente separadas da Convenção Batista do Sul. Fizeram alianças com várias igrejas evangélicas dissidentes que também apoiam o estilo de Sodoma e Gomorra de adoração. 
Um ponto interessante que me chamou atenção nesta igreja batista  é o fato de aderirem a sete preceitos ou comprometimentos . Um deles é “a liberdade do indivíduo para que possa interpretar as escrituras por si mesmos” ou seja a anarquia teológica, possibilitando invalidarem e interpretarem textos claros da Bíblia , no que concerne ao comportamento homo afetivo.  Na prática isso já acontece na vasta maioria das Igrejas Batistas.  Cada pessoa entende certas passagens bíblicas a seu modo.
 Para piorar a situação vexatória e dividida da Igreja evangélica,  a Aliança de Batistas faz parte do Conselho Mundial das Igrejas. O pilar da unificação e participação das principais igrejas evangélicas neste órgão ecumênico  é a crença na trindade. Mais de 520.000 templos ou Igrejas evangélicas em mais de 150 países com um total de mais de 493.000 pastores, todos ligados a este órgão que não somente tolera como acolhe homossexuais como membros legítimos ligados a este chamado “conselho”.
A Associação de Acolhimento e Afirmação batistas é composta de igrejas batistas, organizações e indivíduos que acolhem e afirmam  pessoas, independentemente da orientação sexual ou identidade de gênero, são defensores  da inclusão lésbica, gay, bissexuais e transgêneros dentro da comunidades de fé batistas. Este grupo é formado por cerca de 50 igrejas e organizações entre as Igrejas batistas Americanas nos EUA e da Cooperativa Comunhão Batista. (http://www.wabaptists.org/)
Como podem ver não há motivo para ficarem atacando as Testemunhas de Jeová e as rotulando de “seita”  ,  como fazem muitos pastores e líderes evangélicos, quando observamos que estão fragmentados em centenas de seitas confusas cada qual com suas nuanças teológicas e doutrinas diferentes. 

“Porque Deus não é Deus de confusão…”
1 Coríntios 14:33

“Mas faça-se tudo decentemente e com ordem
1 Coríntios 14:40

Igreja Batista realiza casamento lésbico e fiel decide processar denominação para reaver dízimos doados



 Para Yvonne Moore, quando sua congregação batista do Sul realizou uma “cerimônia de compromisso” lésbico, não foi só algo contra a Bíblia — foi uma traição pessoal.
A traição levou a idosa negra, que havia frequentado a Igreja Batista da Aliança em Washington D.C. durante 37 anos, a processar para que suas doações semanais fossem devolvidas — doações avaliadas em aproximadamente 250 mil dólares.
“Fiquei transtornada — eu dou para a igreja dez centavos de cada dólar. Eu pago dízimos, e eles não respeitaram os membros o suficiente para nos escutar”, disse Moore numa entrevista da CNN publicada na quinta-feira. “Não acredito nessas coisas. Sou uma batista do Sul. A Bíblia fala contra o homossexualismo — não se pode levar isso para dentro da igreja”, disse ela.

Igreja Presbiteriana dos EUA permite oficialmente pastores gays

10 de julho de 2011

Igreja Presbiteriana dos EUA permite oficialmente pastores gays

Jack Jenkins
(RNS) Os presbiterianos que apoiam a agenda gay estão preparando os templos neste domingo (10 de julho) para celebrar a aprovação de uma nova política eclesiástica que permite que pastores gays atuem abertamente pela primeira vez na história da denominação.



Pastor presbiteriano gay e seu amente na igreja




Com a nova política da Igreja Presbiteriana dos EUA se tornando oficial neste dia, várias igrejas de tendência esquerdista “marcarão o momento com orações e regozijo” em seus cultos de domingo, de acordo com um comunicado de imprensa divulgado pela organização presbiteriana Light Presbyterians, que defende a agenda gay na denominação.
“A Igreja Presbiteriana está entrando numa nova era de igualdade neste domingo”, disse Michael Adee, diretor executivo da organização. “É um momento histórico. Leva-nos de volta aos padrões de ordenação, onde o foco é a fé e o caráter, não a condição conjugal ou a orientação sexual do pastor”.
A nova política elimina toda linguagem da constituição da denominação que tinha impedido os homossexuais de trabalharem como pastores, presbíteros e diáconos, permitindo que cada presbitério — ou órgão governante regional — decida quais padrões sexuais colocar com relação à ordenação.
A resolução, que havia falhado em diferentes formas em anos recentes, precisou da aprovação da Assembleia Geral da Igreja Presbiteriana dos EUA e dos presbitérios; 97 dos 173 presbitérios da denominação votaram a favor da aprovação da nova política.
Mas apesar das celebrações deste domingo, a ordenação de pastores gays permanece uma questão controvertida dentro da denominação.
“Ao aprovar essa política, a denominação eliminou de sua constituição todos os padrões de conduta sexual”, disse o Rev. Parker T. Williamson, editor emérito da publicação conservadora The Layman (O Leigo), que ativamente se opôs à mudança. “As Escrituras deixam claro que há padrões relativos à nossa conduta sexual… mas esta denominação decidiu que não existe nenhum padrão”.
Traduzido por: www.juliosevero.com
FONTE: http://juliosevero.blogspot.com.br/2011/07/igreja-presbiteriana-dos-eua-permite.html

Nenhum comentário: