domingo, 2 de março de 2014

A TRINDADE É QUESTIONÁVEL EM MATEUS?



A TRINDADE É QUESTIONÁVEL EM MATEUS?

Por eu ter sido ensinado a crer no Espírito Santo como sendo Deus e ao mesmo tempo ter tido o conhecimento de que é uma doutrina advinda do paganismo, estou em busca da verdade como é ensinada na Palavra de Deus.
O que tem validade é o que está escrito e revelado na Palavra de Deus, a teologia é o espírito da mentira que veio para sentar na cadeira de Deus querendo ser Deus e desta forma manipular a verdade para transformá-la em mentira.

MATEUS E O ESPÍRITO SANTO

1.              Alguns ensina que o Espírito Santo é o próprio Cristo inclussive Ellen White faz tal afirmação, mas surge um questionamento; Se Ele é o próprio Cristo, pergunto: Cristo foi gerado pelo Espírito Santo ou Cristo gerou a si mesmo? Como podemos observar neste texto é mostrado a ação de duas pessoas uma dando origem (gerando) o outro, mas o texto não afirma que Cristo e o Espírito santo são Deus. Ora, o nascimento de Jesus Cristo foi assim: Que estando Maria, sua mãe, desposada com José, antes de se ajuntarem, achou-se ter concebido do Espírito Santo. / ...porque o que nela está gerado é do Espírito Santo. Mateus 1: 18, 20.
2.               João o batizador realizava este rito com água e como podemos observar no batismo a água envolve a pessoa criando uma capa aguada provisória. Mas Cristo não batizaria seus seguidores com água e sim com o Espírito Santo, a semelhança da água ao ser batizado a pessoa com o Espírito Santo, o Espírito envolve a pessoa, ou seja, cria uma capa protetora definitiva e jamais provisória como a água contra os poderes das trevas, por este motivo é que Cristo afirmou que os poderes das trevas não venceria a igreja (pessoa). Como podemos observar, aqui tem a ação de duas pessoas, mas o texto não identifica nenhum dos dois como sendo Deus. Se o Espírito Santo fosse o próprio Cristo, Cristo batizaria a pessoa com Ele mesmo e jamais com outro ser. Batismo neste contexto significa está salvo em Cristo e protegido pelo Espírito Santo. E eu, em verdade, vos batizo com água, para o arrependimento; mas aquele que vem após mim é mais poderoso do que eu; cujas alparcas não sou digno de levar; ele vos batizará com o Espírito Santo, e com fogo. Mateus 3: 11.
3.              Ao Cristo sair do rio após o seu batismo, os céus foram abertos e sobre Ele desceu o Espírito de Deus e jamais o Espírito Deus ou Deus Espírito. A frase “Espírito de Deus” não prova a divindade do Espírito Santo, se Ele é o Espírito de Deus isto quer dizer que Ele pertence a Deus, caso neste texto fosse uma prova de Sua Divindade estaria escrito em uma destas formas: ESPÍRITO DEUS ou DEUS ESPÍRITO e jamais ESPÍRITO DE DEUS. E não há um texto dentro das Sagradas Escrituras afirmando que Deus o Pai pertença a alguém. Tem outro detalhe importantíssimo neste texto, há esta prova contundente de que o Espírito Santo não é o próprio Cristo, caso O mesmo fosse Cristo fica este questionamento: O Espírito desceu sobre Cristo ou Cristo desceu sobre si mesmo? A outra questão é que o Espírito Santo não desceu em forma de pomba, mas como pomba, porque pomba? É só observarem o pouso de uma pomba e os demais pássaros e verão a diferença no pouso, ou seja, o da pomba é gracioso e sem algazarra. E, sendo Jesus batizado, saiu logo da água, e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba e vindo sobre ele. Mateus 3: 16.
4.              A principio surge uma pergunta: Cristo foi conduzido pelo Espírito Santo ao deserto ou Cristo foi conduzido por si mesmo ao deserto? Neste texto temos a ação de duas pessoas, uma sendo levada pela outra, mas o texto não identifica a nenhum dos dois como sendo Deus. Então foi conduzido Jesus pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo. Mateus 4: 1.
5.              Em defesa da verdade de Deus não há necessidade da pessoa ficar preocupada com o que vai falar, o Espírito do Pai fala por intermédio da pessoa. Podemos notar neste texto que o Espírito do Pai e jamais o Espírito Deus ou Deus Espírito em quem usa a pessoa, outro detalhe importante é que o mesmo texto mostra a ação dependente do Espírito em relação ao Pai, ou seja, o Espírito é pertencente ao Pai e o Pai jamais pertence ou depende de outro ser como o Espírito Santo e Cristo. Porque não sois vós quem falará, mas o Espírito de vosso Pai é que fala em vós. Mateus 10: 20.
6.              Cristo sempre foi submisso ao Pai e ao ser destruído todo o sistema do mau Cristo voltará a ser submisso ao Pai para que o Pai seja o único Deus na eternidade. Da mesma forma o Espírito pertence ao Pai bem como o Filho. O interessante é que não há um texto na Bíblia que afirme o Pai pertencer a outro ser ou ser submisso. Eis aqui o meu servo, que escolhi,o meu amado, em quem a minha alma se compraz;porei sobre ele o meu espírito,e anunciará aos gentios o juízo.
Mateus 12: 18.
7.              Se a pessoa blasfemar contra o Pai tem perdão desde que se arrependa. Se a pessoa blasfemar contra o Filho tem perdão desde que se arrependa. Se a pessoa blasfemar contra o Espírito Santo não tem perdão. Se o Espírito e o Pai são a mesma pessoa é impossível a pessoa atingir o Espírito sem atingir o Pai. Se o Espírito e o Filho são a mesma pessoa é impossível a pessoa atingir o Espírito sem atingir o Filho. A principio podemos notar a ação de três pessoas. Porque será que não há perdão contra o Espírito Santo? O único motivo para não haver perdão é porque quem leva o ser humano ao arrependimento é o Espírito, quando a pessoa fala mal contra o Espírito Ele retira-se da pessoa e isto torna impossível da pessoa arrepender-se, não é que o Espírito seja vingativo, é a ausência dEle no indivíduo que torna impossível o perdão. Embora o texto mostra a ação de três pessoas envolvida na salvação, os três neste texto não são identificados como Deus, em outras palavras este texto não prova a existência de uma trindade Divina. Portanto, eu vos digo: Todo o pecado e blasfêmia se perdoará aos homens; mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada aos homens. E, se qualquer disser alguma palavra contra o Filho do homem, ser-lhe-á perdoado; mas, se alguém falar contra o Espírito Santo, não lhe será perdoado, nem neste século nem no futuro. Mateus 12: 31, 32.
8.              Novo Testamento foi escrito a ação do batizar 27 vezes e destes apenas um é em nome da trindade, a igreja cristão no primeiro século só batizavam em nome de Jesus e jamais em nome de uma trindade. Mesmo que o batismo correto fosse em nome de uma trindade, as igrejas ainda continuam erradas porque elas não batizam em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, elas batizam as pessoas no título e jamais no nome. Pai, Filho e Espírito Santo não são nomes, e sim, títulos e é nestes títulos que elas estão batizando, portanto tornando sem efeito legal para Deus estes batismos. A ordem deste texto é para ser batizado no nome o que elas não fazem. Possivelmente estas igrejas não sabem o nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, por isso ignoram a observância e a obediência a este texto.
Três questionamentos para você responder:
a)              Qual o nome do Pai?
b)              Qual o nome do Filho?
c)              Qual o nome do Espírito Santo?
Não sabendo o nome deles fica impossível os pastores realizarem o batismo conforme o mandamento. Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo. Mateus 28: 19.
Ele, porém, respondendo, disse-lhes: Por que transgredis vós, também, o mandamento de Deus pela vossa tradição? Mateus 15: 3.
E dizia-lhes: Bem invalidais o mandamento de Deus para guardardes a vossa tradição. Marcos 7: 9.
Invalidando assim a palavra de Deus pela vossa tradição, que vós ordenastes. E muitas coisas fazeis semelhantes a estas. Marcos 7: 13.
E assim invalidastes, pela vossa tradição, o mandamento de Deus. Mateus 15: 6.
No livro de Mateus o Espírito Santo não é identificado com sendo Deus, apenas como sendo uma pessoa.
Autor: Euria R. Carneiro.