domingo, 6 de dezembro de 2015

TERRA E CÉU RENOVADO OU: DESTRUÍDO E CRIADO OUTROS?



TERRA E CÉU RENOVADO OU: DESTRUÍDO E CRIADO OUTROS?



    Criar é trazer algo a existência que ainda não existe, que foi ou não planejado para existir.
    Renovar é reformar, eliminando a parte estragada e aproveitando a parte boa podendo ser ampliado.
    Para renovar uma casa faz-se a reforma necessária recuperando as partes estragadas e podendo ampliar os cômodos, e para construir uma nova casa no mesmo local onde já tem uma é necessário destruir a primeira para poder construir outra, caso contrário é impossível construir uma nova casa no mesmo espaço.
    É isso que Deus vai fazer, vai destruir este planeta terra para poder no mesmo espaço que ficará vazio construir (CRIAR / FAZER) uma nova terra. Isto é para quem crer no que Deus deixou escrito na Bíblia, mas para os que crêem na teologia tudo isso revelado por Deus é mentira, pois não dão credito na NAS SAGRADAS ESCRITURAS.



  Renovar é tornar novo algo que existe e que foi danificado, ou seja, reformar o que está velho ou danificado para ter aparência de novo embora continue sendo velho com aparência de que seja novo. Isto com certeza Deus não vai fazer com o planeta terra.
1) Porque eis que eu crio céus novos e nova terra; e não haverá lembrança das coisas passadas, nem mais se recordarão.  Isaías 65: 17.
    Como podemos observar Deus vai criar céus novos e uma nova terra, isto mostra que os arautos do evangelho da restauração dos céus e da terra são arautos do evangelho da mentira.



   Deus afirma que vai criar e os ministros da mentira afirmam que não, que Deus vai apenas restaurar (REFORMAR) os céus e a terra que já existem. Se eu crer nesta doutrina da restauração dos céus e da terra estarei declarando que Deus é mentiroso... Como eu creio na criação de novos céus e nova terra, declaro aqui que estes pregadores são mentirosos.
2)  Porque, como os céus novos e a terra nova que hei de fazer estarão diante da minha face, diz o ETERNO, assim há de estar a vossa posteridade e o vosso nome. Isaías 66: 22.
    Deus declara que vai criar e jamais restaurar o que já existe para continuar existindo após a eliminação do mal.
3)  Mas nós, segundo a sua promessa, aguardamos novos céus e nova terra, em que habita a justiça. II Pedro 3: 13.
    Este novo céu e esta nova terra serão criados para criados para o deleite e morada para quem crer na promessa de Deus de que Ele vai criar, para quem crer que serão apenas reformados (RESTAURADOS) resta-lhes a decepção e desespero por não ter dado credito nesta promessa profética de Deus.



4) E VI um novo céu, e uma nova terra. Porque já o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe. Apoc. 21: 1.



    Este texto mostra o futuro cumprimento desta promessa profética de que os céus e a terra que agora existem serão destruídos para dar lugar à nova criação.
Vai haver um novo céu e jamais um céu restaurado (REFORMADO); haverá uma nova terra e jamais uma terra restaurada (REFORMADA), a terra que agora existe deixará de existir, ou seja, passará e dará lugar para a nova que será criada, até o sistema de água será destruída e uma nova brotará na nova criação.
    A escolha é sua dar crédito ao que Deus diz ou ao que a teologia ensina. Dar credito a teologia é classificar a Deus de mentiroso e dar credito a Deus é chamar os teólogos (PASTORES) de mentirosos.
6) Mas os céus e a terra que agora existem pela mesma palavra se reservam como tesouro, e se guardam para o fogo, até o dia do juízo, e da perdição dos homens ímpios. II Pedro 3: 7.
7) Mas o dia do ETERNO virá como o ladrão de noite; no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se desfarão, e a terra, e as obras que nela há, se queimarão. II Pedro 3: 10.
8) Havendo pois de perecer todas estas coisas, que pessoas vos convém ser em santo trato, e piedade. II Pedro 3: 11.
9) Aguardando, e apressando-vos para a vinda do dia de Deus, em que os céus, em fogo se desfarão, e os elementos, ardendo, se fundirão? II Pedro 3: 12.
10) Mas nós, segundo a sua promessa, aguardamos novos céus e nova terra, em que habita a justiça. II Pedro 3: 13.
10) E o que estava assentado sobre o trono disse: Eis que faço novas todas as coisas. E disse-me: Escreve; porque estas palavras são verdadeiras e fiéis. Apoc. 21: 5.



    São verdadeiras estas palavras e assim eu creio por ser revelação bíblica.
     A terra apenas restaurada é mais uma mentira profética para deixar a Profecia bíblica como falsa.
     Fico com a revelação bíblica.


Autor: Eurias R. Carneiro.

quinta-feira, 16 de julho de 2015

AS SETE MENTIRAS QUE JESUS ERA VEGETARIANO

AS SETE MENTIRAS QUE JESUS ERA VEGETARIANO

Em outros tempos eu acreditaria nesta mentira dos que não crêem na Bíblia, dos que andam desesperadamente preocupados em defender o vegetarianismo baseado na mentira. Graças ao Eterno Deus bendito de Abraão, minha fé é somente Nele e na Bíblia, o resto é resto.
Não estou condenando o fato de a pessoa ser ou querer ser vegetariano, mas mentir para enganar as pessoas em defesa de uma doutrina é pregar o evangelho do Diabo: Por que não compreendeis a minha linguagem? É porque não podeis ouvir as minhas palavras. Vós sois filhos do Diabo, e tendes vontade de cumprir os desejos de vosso pai. Ele era homicida desde o princípio e não permaneceu na verdade, porque não há nele verdade. Quando ele diz uma mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e o pai da mentira. Mas porque eu digo a verdade, vós não me credes. Jo. 8: 43 - 45.
Não vos escrevi porque ignorais a verdade, mas porque a sabeis, e porque mentira alguma vem da verdade. I João 2: 21.
Vou usar como exemplo a vida de Daniel que nos livros, pregações e estudos estas pessoas e religiões têm apresentado o mesmo como se tivesse sido vegetariano, após isso vocês lerão o que foi postado no FACEBOOK:
Eu acreditei que Daniel era vegetariano baseado nas pregações e livros de ellen white, depois lendo a bíblia eu descobri que eu estava crendo em uma mentira, daniel jamais, em hipótese alguma foi vegetariano.
A estória que ele era vegetariano surgiu da imaginação doentia dos que amam e praticam a mentira.
Vamos as provas?
1) Daniel e seus companheiros não comeram do manjar do rei e nem beberam vinho porque os mesmos eram primeiro dedicados aos ídolos.
2) Aqui está a prova de que é verdade o que estou afirmando:
A) - No período em que Daniel estava triste por não ter entendido a visão, ele aboliu de sua alimentação os alimentos desejáveis é o que chamamos hoje de refinados;  
B) - Neste período ele também não comeu carne, isto mostra que o alimento cárneo era a alimentação diária dele;
C) – Não usou perfumes;
D) – Ele também não bebeu vinho neste período.
Quando minha mente foi aberta por Deus para entender este texto que já havia sido lido por dezenas de vezes, joguei por terra a mentira que me ensinaram que eu também já tinha pregado por diversas vezes.
Esta é a verdade de Deus, é de Deus porque está na bíblia e o resto é doutrina demoníaca.
Alimento desejável não comi, nem carne nem vinho entraram na minha boca, nem me ungi com ungüento, até que se cumpriram as três semanas. Dan 10: 3.

Maravilho-me de que tão depressa passásseis daquele que vos chamou à graça de Cristo para outro evangelho; O qual não é outro, mas há alguns que vos inquietam e querem transtornar o evangelho de Cristo. Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema. Assim, como já vo-lo dissemos, agora de novo também vo-lo digo. Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema. Gál. 1: 6 - 9.

AS SETE MENTIRAS SOBRE JESUS


Pra você entender completamente porque Jesus era vegetariano e não comeu peixes ao multiplicá-los e distribuí-los para a multidão, é importantíssimo você entender o que Deus já havia ordenado sobre esse assunto para Ele agir assim.
A seguir, vai três passagens do livro bíblico de gênesis para vocês compreende-lo; vejam:
“E disse Deus ainda: Eis que vos tenho dado todas as ervas que dão semente e se acham na superfície de toda a terra e todas as árvores em que há fruto que dê semente; isso vos será para mantimento”. Gênesis 1:29
“E o SENHOR Deus lhe deu esta ordem: De toda árvore do jardim comerás livremente”.
Gênesis 2:16
Veja agora como Eva entendia perfeitamente a ordem de Deus para não comerem carnes e nem da árvore do conhecimento do bem e do mal, pois ao ser interrogada sobre o que eles poderiam comer, ela responde que somente poderiam comer do fruto das árvores do jardim. Se a ordem abrisse brecha para se comer animais, ela teria dito, mas falou que poderiam comer apenas do fruto das árvores do jardim; vejam:
“Respondeu-lhe a mulher: Do fruto das árvores do jardim podemos comer”. Gênesis 3:2
Podemos ver nesses versos de gênesis, que Deus não deu bois, vacas, peixes, frangos, gazelas, deu apenas as ervas do campo, que dão sementes e das árvores, isto é, deu só vegetais, só frutas para eles comerem.
Agora nós vamos ver a mesma ordem que Deus deu no paraíso para Adão e Eva, se repetir no livro de Êxodo, quando o povo de Israel estava quase chegando no Sinai; vejam:
“Partiram de Elim, e toda a congregação dos filhos de Israel veio para o deserto de Sim, que está entre Elim e Sinai, aos quinze dias do segundo mês, depois que saíram da terra do Egito, Toda a congregação dos filhos de Israel murmurou contra Moisés e Arão no deserto; disseram-lhes os filhos de Israel: Quem nos dera tivéssemos morrido pela mão do SENHOR, na terra do Egito, quando estávamos sentados junto às panelas de carne e comíamos pão a fartar! Pois nos trouxestes a este deserto, para matardes de fome toda esta multidão”. Êxodo 16: 1-3
“Tenho ouvido as murmurações dos filhos de Israel; dize-lhes: Ao crepúsculo da tarde, comereis carne, e, pela manhã, vos fartareis de pão, e sabereis que eu sou o SENHOR, vosso Deus, À tarde, subiram codornizes e cobriram o arraial; pela manhã, jazia o orvalho ao redor do arraial”. Êxodo 16: 12-13
Até aqui nesses versos, podemos ver que Deus deu a carne e o pão. Porque Deus deu a carne, se Ele queria o seu povo forte, inteligente e longevo? Porque Deus estava apenas tolerando a ignorância do seu povo a respeito da vontade Dele para com a alimentação correta, como o povo não sabia que a vontade de Deus era que eles comessem apenas vegetais, Deus não os puniu e nem negou a carne em respeito a sua ignorância.
Mas depois disso é que vem a luz de Deus sobre o povo, para eles saberem qual era a alimentação que Deus queria que eles comessem; vejam:
“E, quando se evaporou o orvalho que caíra, na superfície do deserto restava uma coisa fina e semelhante a escamas, fina como a geada sobre a terra. Vendo-a os filhos de Israel, disseram uns aos outros: Que é isto? Pois não sabiam o que era. Disse-lhes Moisés: Isto é o pão que o SENHOR vos dá para vosso alimento. Eis o que o SENHOR vos ordenou: Colhei disso cada um segundo o que pode comer, um gômer por cabeça, segundo o número de vossas pessoas; cada um tomará para os que se acharem na sua tenda”. Êxodo 16: 14-16
Notem quando Deus fala claramente para o povo, ser vegetariano, como falou no Éden; vejam:
“Disse-lhes Moisés: Isto é o pão que o SENHOR vos dá para vosso alimento.
Eis o que o SENHOR vos ordenou: Colhei disso cada um segundo o que pode comer, um gômer por cabeça, segundo o número de vossas pessoas; cada um tomará para os que se acharem na sua tenda”.
Perceberam a ordem? Notaram o que Deus deu para o povo? Deus deu o pão. Deus havia dado carne antes, em respeito à ignorância deles, mas depois disso, as codornizes não voltaram, como podemos notar nos versos seguintes; vejam:
“Colhiam-no, pois, manhã após manhã, cada um quanto podia comer; porque, em vindo o calor, se derretia. Ao sexto dia, colheram pão em dobro, dois gômeres para cada um; e os principais da congregação vieram e contaram-no a Moisés”. Êxodo 16: 21-22
Podemos notar também que as codornizes nunca mais voltaram depois disso, porque o povo voltou a pedir carne, segundo o que diz esses versos; vejam:
“E o populacho que estava no meio deles veio a ter grande desejo das comidas dos egípcios; pelo que os filhos de Israel tornaram a chorar e também disseram: Quem nos dará carne a comer?” Números 11:4
Agora, notaram como a mesma ordem dada no Éden, é exatamente igual a ordem do Êxodo? Vamos comparar; vejam:
“E disse Deus ainda: Eis que vos tenho dado”.  Gênesis 1:29  “Isto é o pão que o SENHOR vos dá”. Êxodo 16:15.
Viram que Deus ‘deu’ a mesma coisa nas duas passagens distintas; agora veja igualmente a mesma ‘ordem’:
“E o SENHOR Deus lhe deu esta ordem”. Gênesis 2:16 “Eis o que o SENHOR vos ordenou”. Êxodo 16:15
Foi em desrespeito à essa mesma ordem aí, que depois do Sinai, quando o povo pediu carne novamente, foi que Deus ficou irado e mandou as serpentes abrasadoras, segundo o que diz esses versos; vejam:
“Dize ao povo: Santificai-vos para amanhã e comereis carne; porquanto chorastes aos ouvidos do SENHOR, dizendo: Quem nos dará carne a comer? Íamos bem no Egito. Pelo que o SENHOR vos dará carne, e comereis.
Não comereis um dia, nem dois dias, nem cinco, nem dez, nem ainda vinte;
mas um mês inteiro, até vos sair pelos narizes, até que vos enfastieis dela, porquanto rejeitastes o SENHOR, que está no meio de vós, e chorastes diante dele, dizendo: Por que saímos do Egito?”. Números 11:18-20
“Então, soprou um vento do SENHOR, e trouxe codornizes do mar, e as espalhou pelo arraial quase caminho de um dia, ao seu redor, cerca de dois côvados sobre a terra. Levantou-se o povo todo aquele dia, e a noite, e o outro dia e recolheu as codornizes; o que menos colheu teve dez ômeres; e as estenderam para si ao redor do arraial.
Estava ainda a carne entre os seus dentes, antes que fosse mastigada, quando se acendeu a ira do SENHOR contra o povo, e o feriu com praga mui grande.
Por isso puseram naquele lugar o nome de Quibrote-Ataavá, que quer dizer “As Sepulturas do Desejo”; pois ali foram sepultadas as pessoas que estavam loucas de vontade de comer carne”. Números 11: 31-34
Segundo o que diz esses versos que acabamos de ler, Deus puniu o povo porque aí nesse tempo, eles já sabiam que comer carne era pecado. Deus não leva em conta o tempo de ignorância, mas depois que o pecador sabe que se deve fazer tal coisa e o mesmo insiste no pecado, Deus o pune.
A forma como Deus os havia tratado antes de se acamparem no Sinai, quando pediram carne, difere totalmente da forma em que Deus os tratara aqui. Nesta ocasião, uma praga terrível os feriu e matou a muitos do povo. Quem foi morto por esta praga? Foram aqueles que desejaram comer carne. A palavra de Deus é bem clara: “ali enterraram o povo que teve o desejo”. Desejo de que? Sim, de comer carne. Estes foram os que morreram. Aqui vemos mais uma vez que a questão principal era mesmo a carne e que o castigo de Deus viera por este motivo. Caso fosse por causa de murmuração apenas e estaria escrito: “Ali enterraram o povo que murmurou”.
Quem Deus desejava ensinar com o regime natural dado aos israelitas? Sim, Deus tencionava ensinar a nós. Quem estará disposto a aprender a lição? A Bíblia nos diz claramente que por não aceitarem o regime que Deus indicara, o povo cometeu um grande pecado, pelo qual tiveram que pagar.
Heb. 3:16-17: “Porque havendo alguns ouvido, o provocaram; mas não todos os que saíram do Egito por meio de Moisés. Mas com quem se indignou por quarenta anos? Não foi porventura com os que pecaram, cujos corpos caíram no deserto?”
I Cor. 10:5: “Mas Deus não se agradou da maior parte deles, pelo que foram prostrados no deserto. E estas coisas foram-nos feitas em figuras, para que não cobicemos as coisas más, como eles cobiçaram”.
O que os israelitas cobiçaram? Não foi a carne? Como Paulo chama esta alimentação? Veja: "E estas coisas foram-nos feitas em figura, para que não cobicemos as coisas más, como eles cobiçaram".
1 Coríntios 10:6-7
Sal. 106:14-15. “Mas deixaram-se levar da cobiça no deserto, e tentaram a Deus na solidão. E Ele satisfez-lhes o desejo, mas fez definhar as suas almas.”
Sl. 78:18: “E tentaram a Deus nos seus corações, pedindo carne para satisfazer o seu apetite”.
De que forma tentaram a Deus? Sim, tentaram pedindo carne. Não devemos cometer o mesmo erro. Temos abundância de alimento simples e natural, não cometamos o mesmo erro do povo de Israel!
I Cor. 10:9: “E não tentemos a Cristo, como alguns deles também tentaram, e pereceram pelas serpentes”.
I Cor. 10:5, 6: “Mas Deus não se agradou da maior parte deles, pelo que foram prostrados no deserto. E estas coisas foram-nos feitas em figuras, para que não cobicemos as coisas más, como eles cobiçaram”.
I Cor. 10:11: “Ora tudo isto lhes sobreveio como figuras, e estão escritas para aviso nosso, para quem já são chegados os fins dos séculos”.
A mesma coisa que Deus fez para os israelitas no deserto, Deus fez através de Jesus quando este esteve aqui na terra. Jesus que representava o próprio Deus, só faria o que Deus faria também, e como Jesus estava imitando seu pai, Ele tolerou o apetite dessas pessoas carnívoras, porque as mesmas não sabiam que comer peixe, era pecado.
Na verdade, os fariseus ensinavam tão, errado o povo, que toda a lei, Jesus teve que explicar novamente, por isso é muito recorrente vermos Jesus debatendo com os fariseus desde criança.
1ª) Agora vamos estudar as sete passagens bíblicas, que muitos, ao lerem rapidamente, chegam a pensar que Jesus comeu peixe, mas nem uma delas dizem exatamente que Ele comeu, apenas diz que ele pediu, multiplicou e deu para o povo; vejam:
“Ao cair da tarde, vieram os discípulos a Jesus e lhe disseram: O lugar é deserto, e vai adiantada a hora; despede, pois, as multidões para que, indo pelas aldeias, comprem para si o que comer. Jesus, porém, lhes disse: Não precisam retirar-se; dai-lhes, vós mesmos, de comer. Mas eles responderam: Não temos aqui senão cinco pães e dois peixes. Então, ele disse: Trazei-mos. E, tendo mandado que a multidão se assentasse sobre a relva, tomando os cinco pães e os dois peixes, erguendo os olhos ao céu, os abençoou. Depois, tendo partido os pães, deu-os aos discípulos, e estes, às multidões. Todos comeram e se fartaram; e dos pedaços que sobejaram recolheram ainda doze cestos cheios. E os que comeram foram cerca de cinco mil homens, além de mulheres e crianças”. Mateus 14:13-21
2ª) Vamos ver outra passagem, que mostra Jesus apenas imitando o que Deus fez no deserto, isto é, fazendo uma demonstração de tolerância para com a ignorância daquele povo, que, não sabia o que era certo e errado; vejam:
“E ele lhes disse: Quantos pães tendes? Ide ver! E, sabendo-o eles, responderam: Cinco pães e dois peixes. Então, Jesus lhes ordenou que todos se assentassem, em grupos, sobre a relva verde. E o fizeram, repartindo-se em grupos de cem em cem e de cinqüenta em cinqüenta. Tomando ele os cinco pães e os dois peixes, erguendo os olhos ao céu, os abençoou; e, partindo os pães, deu-os aos discípulos para que os distribuíssem; e por todos repartiu também os dois peixes. Todos comeram e se fartaram; e ainda recolheram doze cestos cheios de pedaços de pão e de peixe. Os que comeram dos pães eram cinco mil homens”. Marcos 6:31-44
3ª) Como estamos vendo, em passagem alguma vemos que Jesus comeu os peixes, Ele apenas pega os peixes, abençoa-os e os dá para o povo; vejam:
‘E, tomando os cinco pães e os dois peixes, erguendo os olhos para o céu, os abençoou, partiu e deu aos discípulos para que os distribuíssem entre o povo. Todos comeram e se fartaram; e dos pedaços que ainda sobejaram foram recolhidos doze cestos”. Lucas 9:16-17
4ª) Jesus multiplicou os pães e peixes duas vezes, mas estou citando as passagens dessa história, segundo o que está escrito nos quatro evangelhos, o de Mateus, Marcos, Lucas e João. E podemos ver novamente o que Deus já fez no passado, tolerar a fraqueza, tolerar a crença do outro, tolerar o iletrado, tolerar o ignorante; vejam:
“Então, Jesus, erguendo os olhos e vendo que grande multidão vinha ter com ele, disse a Filipe: Onde compraremos pães para lhes dar a comer? Mas dizia isto para o experimentar; porque ele bem sabia o que estava para fazer. Respondeu-lhe Filipe: Não lhes bastariam duzentos denários de pão, para receber cada um o seu pedaço. Um de seus discípulos, chamado André, irmão de Simão Pedro, informou a Jesus: Está aí um rapaz que tem cinco pães de cevada e dois peixinhos; mas isto que é para tanta gente?
Disse Jesus: Fazei o povo assentar-se; pois havia naquele lugar muita relva. Assentaram-se, pois, os homens em número de quase cinco mil. Então, Jesus tomou os pães e, tendo dado graças, distribuiu-os entre eles; e também igualmente os peixes, quanto queriam.
E, quando já estavam fartos, disse Jesus aos seus discípulos: Recolhei os pedaços que sobraram, para que nada se perca. Assim, pois, o fizeram e encheram doze cestos de pedaços dos cinco pães de cevada, que sobraram aos que haviam comido”. João 6:5-13
5ª) Novamente vemos que Jesus dá o peixe para seus discípulos, imitando os mesmos gestos de tolerância para com os ignorantes, tolerando a crença do outro e o aceitando-o mas não come os peixes; vejam:
“Mas, ao clarear da madrugada, estava Jesus na praia; todavia, os discípulos não reconheceram que era ele. Perguntou-lhes Jesus: Filhos, tendes aí alguma coisa de comer? Responderam-lhe: Não. Então, lhes disse: Lançai a rede à direita do barco e achareis. Assim fizeram e já não podiam puxar a rede, tão grande era a quantidade de peixes. Aquele discípulo a quem Jesus amava disse a Pedro: É o Senhor! Simão Pedro, ouvindo que era o Senhor, cingiu-se com sua veste, porque se havia despido, e lançou-se ao mar; mas os outros discípulos vieram no barquinho puxando a rede com os peixes; porque não estavam distantes da terra senão quase duzentos côvados. Ao saltarem em terra, viram ali umas brasas e, em cima, peixes; e havia também pão. Disse-lhes Jesus: Trazei alguns dos peixes que acabastes de apanhar. Simão Pedro entrou no barco e arrastou a rede para a terra, cheia de cento e cinqüenta e três grandes peixes; e, não obstante serem tantos, a rede não se rompeu. Disse-lhes Jesus: Vinde, comei. Nenhum dos discípulos ousava perguntar-lhe: Quem és tu? Porque sabiam que era o Senhor. Veio Jesus, tomou o pão, e lhes deu, e, de igual modo, o peixe”. João 21:4-13
6ª) Aqui vemos um verso, que se for lido rapidamente e sem atenção, faz você acreditar que Jesus comeu o peixe e o mel, mas apenas lhe foi apresentado os dois, e Jesus comeu o mel na presença deles, pois Jesus era vegetariano e não comeria o peixe; vejam:
“E, por não acreditarem eles ainda, por causa da alegria, e estando admirados, Jesus lhes disse: Tendes aqui alguma coisa que comer? Então, lhe apresentaram um pedaço de peixe assado [e um favo de mel]. E ele comeu na presença deles. A seguir, Jesus lhes disse: São estas as palavras que eu vos falei, estando ainda convosco: importava se cumprisse tudo o que de mim está escrito na Lei de Moisés, nos Profetas e nos Salmos”. Lucas 24: 41-44
Jesus diz que importava se cumprir o que estava escrito sobre Ele na lei e nos profetas, mas o que diz os profetas sobre essa atitude dele? O profeta Isaías diz que o messias (Jesus), comeria apenas manteiga e mel; vejam:
Por isso, o próprio Senhor vos dará um sinal: uma virgem conceberá e dará à luz um filho, e o chamará Deus Conosco. Ele será nutrido com manteiga e mel até que saiba rejeitar o mal e escolher o bem. Isaías 7:14-15
7ª) Nesses outros versos, Jesus explica, que, Ele é o ‘pão da vida’ e que, quem come a carne Dele e bebe seu sangue, estará em ligação com Deus e estará salvo. Jesus faz uma comparação de linguagem de duplo sentido, com o mesmo maná que Deus deu no deserto para Israel, que descia do céu e sustentava aquele povo, não permitindo que eles morressem naquele deserto. Jesus estava dizendo, que, Ele era a mesma coisa, só que sustentava não só aqui nessa vida, mas também para a vida eterna e assim como quem obedecia a Deus no deserto ao comer o maná, estaria salvo e em comunhão com Deus, assim aconteceria com os que comessem o pão da nova aliança; vejam:
“Nossos pais comeram o maná no deserto, como está escrito: Deu-lhes a comer pão do céu. Replicou-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo: não foi Moisés quem vos deu o pão do céu; o verdadeiro pão do céu é meu Pai quem vos dá. Porque o pão de Deus é o que desce do céu e dá vida ao mundo. Então, lhe disseram: Senhor, dá-nos sempre desse pão. Declarou-lhes, pois, Jesus: Eu sou o pão da vida; o que vem a mim jamais terá fome; e o que crê em mim jamais terá sede”. João 6:31-35
“Eu sou o pão da vida. Vossos pais comeram o maná no deserto e morreram. Este é o pão que desce do céu, para que todo o que dele comer não pereça. Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém dele comer, viverá eternamente; e o pão que eu darei pela vida do mundo é a minha carne. Disputavam, pois, os juDeus entre si, dizendo: Como pode este dar-nos a comer a sua própria carne? Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo: se não comerdes a carne do Filho do Homem e não beberdes o seu sangue, não tendes vida em vós mesmos. Quem comer a minha carne e beber o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia. Pois a minha carne é verdadeira comida, e o meu sangue é verdadeira bebida. Quem comer a minha carne e beber o meu sangue permanece em mim, e eu, nele. Assim como o Pai, que vive, me enviou, e igualmente eu vivo pelo Pai, também quem de mim se alimenta por mim viverá. Este é o pão que desceu do céu, em nada semelhante àquele que os vossos pais comeram e, contudo, morreram; quem comer este pão viverá eternamente”.  João 6:48-58
Já aqui nesses outros versos, Jesus explica o que seria esse maná que desceu do céu e dava vida eterna, provando que realmente ele estava usando uma linguagem figurada de duplo sentido, Ele diz que o pão, representava seu corpo, portanto, o pão hoje é o novo maná que Deus nos dá hoje para comermos, pois o próprio Jesus diz que deveríamos comer sempre o pão e tomar o vinho para nós nos lembrarmos Dele, até que Ele volte; vejam:
“Porque eu recebi do Senhor o que também vos entreguei: que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão; e, tendo dado graças, o partiu e disse: Isto é o meu corpo, que é dado por vós; fazei isto em memória de mim. Por semelhante modo, depois de haver ceado, tomou também o cálice, dizendo: Este cálice é a nova aliança no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que o beberdes, em memória de mim. Porque, todas as vezes que comerdes este pão e beberdes o cálice, anunciais a morte do Senhor, até que ele venha”.
1Coríntios 11:23-29
Se tem, alguém que seja tolerante para com as crenças dos outros, tolerante para com a fraqueza dos outros, tolerante para com a ignorância dos outros, esse alguém é Deus, ninguém é mais santo e perfeito como Ele. Outro exemplo dessa tolerância, é o caso do profeta Elias, o qual Deus quis que ele se tornasse um vegetariano, mas antes, Deus mandou o próprio corvo, que estava a seu mando, entregar para Elias, pão e carne e é provável, que Deus foi muito mais tolerante com Elias do que com o povo de Israel, pois Deus lhe deu carne por vários dias, segundo o que mostra essas passagem bíblicas; vejam:
I Reis 17:3-6: “Vai-te daqui, e vira-te para o oriente, e esconde-te junto ao ribeiro de Carite, que está diante do Jordão. E há de ser que beberás do ribeiro: e Eu tenho ordenado aos corvos que te sustentem. Foi pois, e fez conforme à palavra do Senhor: porque foi, e habitou junto ao ribeiro de Carite, que está diante do Jordão. E os corvos lhe traziam pão e carne pela manhã; como também pão e carne à noite: e bebia do ribeiro”.
Mas depois disso, Deus tencionava faze-lo um vegetariano, só lhe dando pão, azeite e água; vejam:
I Reis 17:8,9: “Então veio a ele a palavra do Senhor, dizendo: Levanta-te, e vai a Sarepta, que é de Sidom, e habita ali, eis que Eu ordenei ali a uma mulher viúva que te sustente. Então ele se levantou e se foi a Sarepta; e chegando á porta da cidade, eis que estava ali uma mulher viúva apanhando lenha; e ele a chamou, e lhe disse: Traze-me, peço-te, num vaso um pouco de água que beba. E, indo ela a busca-la, ele a chamou e lhe disse: Traze-me agora também um bocado de pão na tua mão. Porém ela disse: Vive o senhor teu Deus, que nem um bolo tenho, senão somente um punhado de farinha numa panela, e um pouco de azeite numa botija; e vês aqui, apanhei dois cavacos, e vou prepará-lo para mim e para meu filho, para que o comamos, e morramos. E Elias lhe disse: Não temas; via, faze conforme a tua palavra: porém faze disso primeiro para mim um bolo pequeno e traze-mo para fora; e depois farás para ti e teu filho. Porque assim diz o Senhor Deus de Israel: A farinha da panela não se acabará, e o azeite da botija não faltará, até ao dia em que o Senhor dê chuva sobre a terra. E foi ela, e fez conforme à palavra de Elias: e assim comeu ela, e ele, e a sua casa muitos dias”.
I Reis 19:5-7: “E deitou-se e dormiu e debaixo dum zimbro: e eis que então um anjo o tocou, e lhe disse: levanta-te, come. E olhou, e eis que à sua cabeceira estava um pão cozido sobre as brasas, e uma botija de água: e comeu, e bebeu, e tornou a deitar-se. E o anjo do senhor tornou a segunda vez e o tocou, e disse: levanta-te e come, porque mui comprido te será o caminho”.
Você pode estar se perguntando agora, porque é que os outros profetas não eram todos vegetarianos e se não sabiam que comer carne era pecado, porque Deus não fez com todos os profetas, o mesmo que fez com o profeta Elias?
O porque de todos os profetas não serem vegetarianos, é muito provável, que fosse por causa da falta de conhecimento, prova disso, é que em Gênesis, Deus manda guardar o sábado e já no deserto do Sinai, Deus diz para se lembrarem de guardarem o sábado, isto é, o povo havia se esquecido. Outra prova disso, é o que diz o livro de juízes, lá diz que as pessoas não sabiam o que era certo e cada um fazia aquilo que achava ser o certo; vejam:
“Havia um homem da região montanhosa de Efraim cujo nome era Mica, o qual disse a sua mãe: Os mil e cem siclos de prata que te foram tirados, por cuja causa deitavas maldições e de que também me falaste, eis que esse dinheiro está comigo; eu o tomei. Então, lhe disse a mãe: Bendito do SENHOR seja meu filho!
Assim, restituiu os mil e cem siclos de prata a sua mãe, que disse: De minha mão dedico este dinheiro ao SENHOR para meu filho, para fazer uma imagem de escultura e uma de fundição, de sorte que, agora, eu to devolvo.
Porém ele restituiu o dinheiro a sua mãe, que tomou duzentos siclos de prata e os deu ao ourives, o qual fez deles uma imagem de escultura e uma de fundição; e a imagem esteve em casa de Mica.
E, assim, este homem, Mica, veio a ter uma casa de Deuses; fez uma estola sacerdotal e ídolos do lar e consagrou a um de seus filhos, para que lhe fosse por sacerdote. Naqueles dias, não havia rei em Israel; cada qual fazia o que achava mais reto”. Juízes 17:1-6
Como vocês puderam ler nesses versos, o Mica era servo de Deus, mas adorava ídolos, e adorar ídolos está proibido por Deus no primeiro e segundo mandamento; vejam:
“Não terás outros Deuses diante de mim. Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima nos céus, nem embaixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não as adorarás, nem lhes darás culto”. Êxodo 20:3-6
Mas o verso anterior explica isso, é que o conhecimento de que adorar imagem de escultura era errado, havia se perdido daquele povo da época; vejam:
‘Naqueles dias, não havia rei em Israel; cada qual fazia o que achava mais reto”. Juízes 17:6
Deus é muito tolerante para com o ser humano, foi exatamente por essa tolerância e para nos ensinar a verdadeira vontade de Deus que Jesus veio ao mundo e é por causa da perda desse conhecimento que encontramos diversas vezes Jesus debatendo com os fariseus.
Como você viu nesse estudo, quanto maior a ignorância do povo, mas tolerância Deus demonstrava, vimos que pelo profeta Elias ser mais ignorante, Deus o tolerou por muito mais dias comendo carne do que o povo de Israel no deserto, vimos também que Deus tolerou vários outros pecados diferentes desses do comer carne.
E jesus, também tolerou longamente seus discípulos, exatamente pela ignorância que eles tinham, mesmo depois, Jesus os tolerou ainda na praia; mas vede o porque:
‘Tenho ainda muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora;
quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará as coisas que hão de vir.
Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar”.
João 16:12-14
Eram muitas verdades para os discípulos absorverem e muitos erros para abandonarem, os discípulos ainda não podiam suportar mais do que isso.
Posteriormente o Espírito Santo, o qual Jesus prometeu que viria nos guiar a toda a verdade, revelou ao apóstolo Paulo que não se deveria comer carnes; vejam:
"Por isso, se a comida escandalizar a meu irmão, nunca mais comerei carne, para que meu irmão não se escandalize".
1 Coríntios 8:13
A bíblia não é qualquer um livro, para entende-la, é preciso você estar disposto a aprender novas verdades e abandonar os velhos e errados conceitos e principalmente, pedir para Deus iluminar sua mente para compreende-la e principalmente obedecê-la!


Apenas duas perguntas as estas pessoas que amam e praticam a mentira: Vocês não conhecem ou nunca leram este texto bíblico? - Fora acham-se os cães, os feiticeiros, os fornicários, os homicidas, os idólatras e todo aquele que AMA E PRATICA A MENTIRA. Apo. 22: 15.
Como vocês podem ser a verdadeira testemunha de Cristo se não se enquadram neste texto: A verdadeira testemunha não mentirá, mas a testemunha falsa se DESBOCA EM MENTIRAS. Pro. 14: 5.
Este é um dos motivos pelos quais que eu deixei de crer no movimento de reforma, pois na boca (instituição/pessoa) não se encontra a mentira porque são fieis testemunhas do Deus verdadeiro: Na sua boca não foi ACHADA MENTIRA; estão sem defeito. Apo. 14: 5.
Porque e para que mentir em defesa de uma fé? A mentira só sustenta a falsa fé, a verdadeira fé é sustentada pela verdade.
Para maiores esclarecimentos sobre esta questão, por favor leia:

          VEGETARIANOS/REFORMISTAS E NAZISTAS 

http://abibliafontedeverdade.blogspot.com.br/2013/05/vegetarianosreformistas-nazistas.html

Tenho-me, pois, tornado vosso inimigo, porque vos disse a verdade? Gál. 4: 16.

Por: Eurias R. Carneiro
ccarneiro602@gmail.com